Empresário baiano é preso em operação que investiga sonegação de cerca de R$ 16 milhões

/ Polícia

Empresário foi preso em Recife. Paulo Abreu/Polícia Civil

Três pessoas foram presas em uma operação desencadeada pela Polícia Civil de Pernambuco desencadeou, nesta quarta-feira (5). De acordo com o G1 Recife, a ação é de combate a uma quadrilha envolvida com sonegação fiscal e partiu de Glória do Goitá, na Zona da Mata Norte do estado. Um empresário da Bahia, que estava em um hotel do em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, foi preso. De acordo com a publicação, as prisões ocorreram após mandados de prisão expedidos pela única Vara da Comarca de Glória do Goitá. Dois empresários de distribuição de combustível e outro de transporte foram presos, segundo o chefe da Polícia Civil, Joselito Amaral. O delegado explica que, ao longo dos quatro meses de investigação, a estimativa de sonegação de impostos chega a R$ 16 milhões. ”As distribuidoras não existiam de fato. Então, entre a usina que produziu o etanol e os postos de combustíveis deveria haver o distribuidor, que recolheria esse ICMS para o estado. Isso não existia, então ia direto da usina para as bombas que iam para os veículos e, com isso, havia a sonegação fiscal”, detalhou o delegado ao G1 Recife. O nome da operação, Octanagem, faz referência ao índice de resistência de combustíveis utilizados em motores. As investigações tiveram início sob o comando da delegada Priscilla Von Sohsten e teve apoio da Delegacias Contra a Ordem Tributária (Deccot) e do recém-criado Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco), vinculados a Diretoria Integrada Especializada (Diresp). Na execução, trabalham 40 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. Segundo a Polícia Civil, esta é a 63ª operação de repressão qualificada de 2018.

Polícia Federal abre inquérito para investigar negócios suspeitos de Paulo Guedes com fundos

/ Polícia

Futuro ministro será investigado pela PF. Foto: Folha de SP

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, por supostas fraudes em negócios com fundos de pensão patrocinados por estatais. A investigação decorre de pedido feito em outubro pelo Ministério Público Federal em Brasília, que também abriu procedimento preliminar a respeito, com base em irregularidades apontadas pela Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar).

O caso foi antecipado pela Folha de S.Paulo.

A PF vai apurar se Guedes cometeu os crimes de gestão fraudulenta ou temerária ao captar, por meio de um fundo de investimentos, recursos de sete entidades de previdência complementar de empregados de empresas públicas. Também será averiguada a hipótese de emissão e negociação de títulos sem lastros ou garantias suficientes. Procurada pela reportagem, a defesa de Guedes disse que ”reafirma a lisura de todas as operações do fundo que, diga-se de passagem, deu lucro aos cotistas, incluindo os fundos de pensão”. ”Espera também que a investigação -agora corretamente conduzida no âmbito da Polícia Federal- apure as incoerências do relatório irregular produzido na Previc”, afirmou. Além do futuro ministro de Jair Bolsonaro, são alvo da apuração os administradores das entidades de previdência complementar. Em seis anos, Guedes captou R$ 1 bilhão de fundos de pensão geridos por apadrinhados do PT e do PMDB. Entre eles, estão Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras), Funcef (Caixa) e Postalis (Correios), além do BNDESPar –braço de investimentos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A PF já requisitou relatórios da Previc que embasam as suspeitas. O inquérito foi remetido à Justiça Federal em Brasília, com pedido para que tramite em sigilo. Guedes deve ser intimado a depor. O caso ficará sob responsabilidade da chefe da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros da Superintendência da PF em Brasília, delegada Dominique de Castro Oliveira, tida pelos pares como rigorosa tecnicamente. No Procuradoria, a investigação é conduzida pelo procurador Alselmo Henrique Cordeiro Lopes, do grupo que dirige inquéritos e já denunciou vários executivos e agentes públicos por desvios em fundos de pensão e na Caixa Econômica Federal. Está previsto para a próxima quarta (5) depoimento de Guedes à Procuradoria. Será a primeira vez em que ele falará a investigadores sobre as suspeitas. Conforme os documentos da Previc, a BR Educacional Gestora de Ativos, de Guedes, lançou em 2009 dois fundos de investimento que receberam aportes das entidades de previdência. O inquérito recém-instaurado mira um deles. Trata-se do Fundo de Investimento em Participações (FIP) BR Educacional, que obteve R$ 400 milhões entre 2009 e 2013 para projetos educacionais. A suspeita é de que o negócio tenha sido aprovado sem avaliação técnica adequada e proporcionado ganhos excessivos ao economista.

A PF também analisa possíveis ilicitudes em aportes feitos pelos fundos de pensão no FIP Brasil de Governança Participativa, gerido por Guedes. Com base em relatório da área de auditoria do Funcef, o MPF já abriu investigação sobre esse caso. Por ora, não houve abertura de inquérito sobre o assunto. No caso do FIP BR Educacional, um dos problemas apontados é que a empresa de Guedes recebeu no início do negócio comissão de 1,75% sobre o valor total subscrito (o compromisso de investimento), e não sobre a cifra efetivamente aportada. Isso teria gerado, logo na largada, despesas altas, de R$ 6,6 milhões, em favor do economista. No primeiro ano após o investimento dos fundos, o dinheiro aplicado (cerca de R$ 62 milhões) foi injetado em uma única empresa, a HSM Educacional S.A., ligada a Guedes. Na sequência, a HSM Educacional adquiriu de um grupo argentino outra companhia, a HSM do Brasil. A Previc sustenta que foram pagos R$ 16,5 milhões de ágio pelas ações, possivelmente sem motivo razoável. A empresa não estava em operação no país e era somente uma marca. O objetivo do empreendimento era gerar receita com eventos para estudantes e executivos. As empresas, porém, passaram a registrar perdas após receber a bolada dos fundos. Um dos motivos, segundo a Previc, foram as altas despesas com palestrantes. Em 2011 e 2012, elas somaram R$ 11,9 milhões. Guedes girava o país na época a palestrar em conferências promovidas pela HSM. O fundo de investimentos manteve participação nas empresas até março de 2013, quando trocou as ações por fatia na Gaec Educação. Nessa operação, segundo a Previc, foi pago ágio de 1.118% pelas ações. O órgão conclui que ”o resultado líquido do investimento do FIP foi negativo em R$ 16 milhões [no projeto da HSM]”. Em nota divulgada em outubro por seus advogados, o futuro ministro se disse perplexo com a investigação aberta pela Procuradoria da República em Brasília ainda na época da campanha e a acusou de motivação eleitoral. ”Cumpre esclarecer que o FIP BR Educacional não trouxe qualquer prejuízo aos fundos de pensão. Ao contrário. Ele apresentou retorno substancialmente acima do objetivo estabelecido no regulamento firmado entre os cotistas”, sustentou a nota, assinada pelos advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso.

PRF apreende carreta com 1,4 tonelada de maconha prensada na BR-116, em Jequié

/ Polícia

Droga estava acondicionada com esterco de frango. Foto: PRF

Uma ação da Polícia Rodoviária Federal de Jequié resultou na apreensão de uma carga de 1,4 tonelada de maconha e outra substância aparentando ser cocaína, na tarde desta quinta-feira (29). A PRF, após denúncia, interceptou e apreendeu uma carreta de cor branca, com placa do cavalinho GXH 1260, de Toledo-PR, e placa da carreta IGP 4491 da mesma localidade, que segundo a polícia levava uma carga de esterco de frango e no lastro estava acondicionada a droga proveniente do Paraguai, com destino a Caruaru-Pe. O condutor do veículo revelou aos policiais que receberia a importância de R$ 1 mil pelo serviço de transporte da droga. Ele foi identificado como Marcos Francisco Gomes, de 39 anos. Na ação, a PRF ainda apreendeu uma caminhonete Amaroc, com placa AUT 1044, licença de Cascavel-PR, que acompanhava a carreta e era ocupada por Taiane Priscila Félix de Souza e Flávio Cordeiro, 33 anos. A polícia encaminhou os veículos e os envolvidos com a droga para a Delegacia Territorial da Polícia Civil de Jequié.

Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra Pezão, governador do Rio, e assessores

/ Polícia

Luiz Fernando Pezão é preso pela Polícia Federal. Foto: Divulgação

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB), deve ser preso na manhã de hoje (29), na capital fluminense. A Polícia Federal realiza ações no prédio do governador e também há agentes no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, e no Palácio Laranjeiras, residência oficial. Os policiais estão também na casa de Pezão em Piraí, no Vale do Paraíba, na região sul fluminense, Há ainda mandados contra o ex-secretário de Obras do estado do Rio, Hudson Braga, e dois homens apontados como operadores de um complexo esquema de segurança. As operações começaram por volta das 6h da manhã envolvendo pelo menos três viaturas e helicópteros que sobrevoam a região. Pezão é o terceiro governador do Rio de Janeiro preso e o primeiro em cumprimento do mandato. Os ex-governadores Anthony Garotinho e Sergio Cabral foram presos. Também foram detidos, anteriormente, o presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani (MDB) e vários parlamentares da Casa.

Pastor evangélico é assassinado a tiros após sair de igreja na cidade de Feira de Santana

/ Polícia

Crime ocorreu no bairro Tanque da Nação. Foto: Acorda Cidade

Mais um assassinato foi registrado pela polícia em Feira de Santana. Por volta das 21h30 de terça-feira (27), o comerciante João Ferreira Salomão Neto, de 37 anos, foi morto a tiros na na Rua Farmacêutico José Alves, no bairro Tanque da Nação. O crime aconteceu logo após a vítima sair de uma igreja evangélica. O obreiro, que foi baleado na cabeça, braço, tórax e costas, morava no condomínio Bela Vista, conforme informações do Acorda Cidade. A vítima morreu no local. O corpo foi removido pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). A Polícia Civil investiga a motivação e a autoria do crime.

Feira de Santana: Após acusação de assalto, adolescente é morto com mais de 10 tiros

/ Polícia

Um jovem de 17 anos foi morto com mais de 10 tiros, na madrugada deste sábado (24), em Feira de Santana. O crime aconteceu por volta das 2h, no bairro Gabriela II. A polícia informou que Douglas Araújo de Carvalho foi apreendido horas antes sob acusação de ter roubado uma motocicleta Honda Biz. Segundo o portal Acorda Cidade, o adolescente foi liberado da delegacia e, quando estava chegando em casa de carro, foi executado. O ex-padrasto da vítima afirmou que dois homens em uma motocicleta Honda/XRE branca mandaram todos os ocupantes saírem do veículo, exceto Douglas. Em seguida, efetuaram os disparos. Ainda de acordo com a polícia, foram disparados mais de 10 tiros de pistola ponto 40 em várias partes do corpo do jovem. Não há informações sobre a autoria ou motivo do crime.

Disse que ia esperar a polícia esquecer, diz delegado sobre suspeito de matar ex-assessor de Marcelo Nilo

/ Polícia

Gabriel parecia calmo durante apresentação. Foto: Jornal Correio

De cabeça baixa e com as mãos sobre as pernas, Gabriel Bispo dos Santos, 24 anos, parecia calmo durante a apresentação na sede da Polícia Civil, na Piedade, em Salvador, nesta sexta-feira (23). Mas a atitude mudou quando os repórteres começaram a fazer perguntas. As respostas foram bem ríspidas em um seco: ”Nada a declarar”. Segundo a polícia, Gabriel assumiu o crime durante o interrogatório de quinta-feira (22), mas não deu detalhes. Segundo o delegado do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) responsável pela investigação do caso, Delmar Bittencourt, o preso contou em depoimento que estava no momento em que Michel Batista de Sá, 35 anos, foi baleado, mas que não foi ele quem atirou. ”Ele também nega que tenha torturado a vítima e disse que não sabe quem teria feito isso. Sabemos que o crime teve a participação de outras pessoas e estamos investigando. Nossa suspeita é de que o Michel se recusou a entregar o carro e, por isso, teria sido assassinado, mas estamos apurando”, afirmou o delegado. Depois de matar a vítima, Gabriel fugiu para Barra do Jacuípe, no Litoral Norte da Bahia, e no dia 20 de agosto correu para Macaé, no estado do Rio de Janeiro, onde tem familiares. Depois foi para Guarulhos, em São Paulo, onde ficou por 15 dias em um apart-hotel. A polícia tem imagens do circuito interno de segurança do estabelecimento que mostram o momento em que Gabriel deixa o local com várias malas, no dia 30 de outubro. Segundo o diretor do DCCP, Élvio Brandão, Gabriel já aplicou outros golpes similares e estava vivendo em Santa Catarina com o dinheiro que acumulou com essas atividades. O diretor contou que ele tomava alguns cuidados para não ser encontrado pela polícia. ”Ele contou que não usava o chip do celular por mais de uma vez, sempre que fazia uma ligação jogava o chip fora. Ele disse que empresta dinheiro a juros e que não usava a conta corrente dele para receber os valores. Tudo isso para não ser rastreado. Ele disse que ia continuar trocando de cidade por 1 ano e meio até a polícia esquecer do crime”, afirmou.

Gabriel estava em uma pensão no município de Pomerode quando foi preso. Segundo a polícia, o suspeito se preparava para trocar novamente de cidade quando foi surpreendido pelos investigadores em uma ação conjunta entre as Polícias Civis dos dois estados. ”Ele tentou fugir pelo telhado, mas foi capturado, e contou que pretendia adotar destinos aleatórios, onde não tivesse familiares nem amigos para evitar ser localizado”, contou o delegado Bittencourt. Os investigadores contaram que Gabriel não demonstra arrependimento e que está mais preocupado com o tempo que vai passar na cadeia e com o dinheiro que ele transferiu durante o golpe aplicado em Michel. No dia do crime, o golpista apresentou para a vítima um comprovante de transferência de R$ 59,5 mil que seria para a compra do carro que Michel estava vendendo, mas esse montante nunca foi encaminhado para a vítima. O comprovante era falso. A polícia acredita que Gabriel realmente transferiu esse valor, mas para um dos comparsas e que, agora, está preocupado em perder o dinheiro. *Correio

Durante entrega de obra, Rui Costa disse desconhecer sobre a operação da Polícia Federal

/ Polícia

Rui entrega trecho de avenida na capital. Foto: Mateus Pereira

O governador reeleito Rui Costa (PT) disse, na manhã desta sexta-feira (23), desconhecer sobre a operação da Polícia Federal deflagrada para apurar suposto superfaturamento na construção da sede da Petrobras em Salvador. ”Eu me informei através dos blogs e dos sites. Eu não sei absolutamente nada. Estou acompanhando pela imprensa. É aguardar. Sou a favor de todo o processo de investigação que apure quem cometeu irregularidades. Sou a favor também do amplo direito de defesa. Sou contra condenação prévia”, afirmou, em entrevista coletiva, segundo o site Bahia Notícias, durante entrega do primeiro trecho da Avenida 29 de Março, em Salvador. Segundo os investigadores, recursos da estatal foram desviados para o pagamento de vantagens indevidas para agentes públicos da Petrobras, do PT e dirigentes da Petros. O valor chega a ordem de R$ 68 milhões.

Dois suspeitos morrem em confronto com policiais na zona rural de Itaquara, diz polícia

/ Polícia

Jackson e Régis eram suspeitos de crimes, diz PM. Foto: Divulgação

Dois suspeitos morreram em ação policial na madrugada desta sexta-feira (23), na zona rural do município de Itaquara, no Vale do Jiquiriçá. De acordo com informações policiais divulgadas nesta manhã através de nota distribuída a imprensa, a Polícia Militar através da 3ª Cia teria recebido informações de que indivíduos suspeitos de roubo a veículos e de tráfico de entorpecente estariam homiziados em uma casa, na localidade de Horizonte, tendo enviado uma guarnição ao local com o apoio de policiais da Companhia Independente de Policiamento Especializado – Cipe Central, confirmando no local as informações sobre as características dos suspeitos que, segundo nota da PM, eram considerados de alta periculosidade. Os militares realizaram o cerco em todo o perímetro do imóvel a anunciaram a presença da polícia, quando segundo a polícia dois suspeitos em fuga pelos fundos da casa teriam deflagrado tiros, sendo um deles alvejado. A nota diz ainda que, os policiais que se posicionavam na parte frontal da casa adentraram no imóvel, momento em que outro indivíduo disparou contra a guarnição, havendo revide e o mesmo atingido. Identificados como: Jackson e Régis, os mesmos foram socorridos ao Hospital Municipal de Itaquara, mas não resistiram. O terceiro suspeito conseguiu evadir. Com eles a polícia apreendeu dois revólveres, uma espingarda de fabricação caseira e aproximadamente 2kg de substância análoga a maconha. Até as 10h desta sexta os corpos permaneciam no necrotério do hospital, aguardando a equipe do DPT, para o encaminhamento ao IML de Jequié. A polícia revelou que Jackson era o principal suspeito de ter cometido, recentemente, um crime de latrocínio contra um comerciante na zona rural do município de Wenceslau Guimarães.

Secretário de Segurança do Rio diz que participantes do assassinato de Marielle foram identificados

/ Polícia

Marielle Franco foi assassinada em março. Foto: Reprodução

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, o general da ativa Richard Nunes, disse que a Polícia Civil já identificou alguns dos participantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL). A edil foi executada a tiros no centro da capital fluminense, no dia 14 de maio, e o crime tirou ainda a vida de seu motorista, Anderson Gomes. Segundo informações da Folha de S. Paulo, Nunes explica que a polícia ainda não fez nenhuma prisão a fim de evitar que outros envolvidos escapem. O objetivo deles é capturar todos de uma só vez, com um inquérito que torne difícil para os acusados escaparem de uma condenação no tribunal. Assim, a meta é entregar o caso solucionado até o dia 31 de dezembro, quando se encerra a intervenção federal no estado. ”Não podemos ser precipitados. No momento que prende um, não prende os demais. Alguns participantes nós temos. Temos que criar uma narrativa consistente com provas cabais que não sejam contestadas em juízo. Seria um fracasso que a sociedade não observasse essas pessoas como criminosas e elas não fossem condenadas no tribunal do júri”, declarou o general em entrevista à GloboNews nesta quinta-feira (22). Nunes afirmou também que já foi confirmada a participação de grupos milicianos no crime. Além disso, ele adiantou que ”provavelmente” tem político envolvido na morte da vereadora. ”Não é um crime de ódio. É um crime que tem a ver com a atuação política e a contrariedade de alguns interesses. Se a milícia não está a mando, está na execução”, ressaltou.

Operação da Polícia Federal investiga bandidos que se passavam por juízes federais

/ Polícia

A Polícia Federal abriu nesta quarta-feira, 21, a Operação Nascostos em 3 Estados. A investigação mira crimes de estelionato, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa com associação para o tráfico de entorpecentes. Segundo a PF, ‘criminosos, fazendo-se passar por magistrado federal e se utilizando de documentos falsos (inclusive, cartões de crédito “clonados”) de outras vítimas, compravam passagens aéreas para terceiros por rotas atípicas, em detrimento da imagem da Justiça Federal’. Os agentes cumprem cinco mandados de prisão preventiva, nove de prisão temporária, 27 de busca e apreensão e 8 de sequestro e bloqueio de bens. Também estão sendo ouvidas pessoas nos Estados do Acre, Paraná, do Rio de Janeiro, no DF e em municípios de São Paulo. A investigação começou em 2017, na Delegacia de Polícia Federal em Sorocaba/SP. “Em razão de outros dados obtidos, foi possível apurar a existência de uma organização criminosa com bases em São Paulo, Campo Grande e Cuiabá com atuação em âmbito nacional e internacional”, informou a PF. Os investigadores apontam indícios de que o esquema esteja ‘coligado e/ou ser uma célula integrante de alguma das facções criminosas conhecidas do público em geral’. “Essa organização mediante procedimentos fraudulentos, também, alugava veículos e não os devolvia às locadoras, comprava passagens aéreas para pessoas cooptadas, fazia reserva de hotéis e realizava financiamentos”, relata a PF. “Alguns dos beneficiários das passagens e locação de veículos foram presos por tráfico de entorpecentes. Imprescindível destacar, ainda, que vários membros dessa organização criminosa também respondem por crimes de homicídio e tráfico de entorpecentes e há indícios de transações financeiras internacionais.” O nome da operação significa ”ocultos” no idioma italiano e faz alusão ao modus operandi utilizado pelo esquema para o cometimento dos estelionatos, pois, sempre se utilizavam de documentos falsos em redes sociais e sites da internet, objetivando ocultar as verdadeiras identidades de seus integrantes.

Irajuba: Filho de ex-prefeito do município é preso após ser condenado por irregularidades em licitação

/ Polícia

Filho do ex-prefeito Humberto Solon Sarmento Franco do município de Irajuba, Humberto Solon Sarmento Franco Júnior, ex-secretário de Administração da Prefeitura foi preso na tarde desta terça-feira (20). Humberto Júnior foi detido pelo delegado Arão Borges, após cumprimento de mandado de prisão expedido pela Justiça Federal de Jequié, através da decisão do juiz Jorge Souza Peixoto. Conforme informações preliminares divulgadas pela polícia, Humberto Júnior é suspeito de participação em irregularidades durante processos licitatórios á época em que exercia o cargo de secretário municipal em Irajuba, quando o seu pai representava o Executivo. Condenado em 2ª instância, ele foi encaminhado ao Conjunto Penal de Jequié e deve cumprir pena de 08 anos, 06 meses e 15 dias de prisão, com base na Lei de Licitações e Contratos. Cabe recurso da decisão.

Mulher morre após ser esfaqueada em Itaparica e ex-companheiro é preso suspeito de cometer crime

/ Polícia

Andrea de Souza Batista tinha 35 anos. Foto: Facebook

Uma mulher morreu depois de ser esfaqueada e o ex-companheiro dela foi preso suspeito de cometer o crime, nesta segunda-feira (19), em Itaparica, na Bahia. O caso ocorreu na localidade conhecida como Sete Portas. A Polícia Militar informou que agentes da 5ª Companhia Indepentente foram acionados para atender à ocorrência, por volta das 7h. Não há informações sobre o que motivou o homicídio. A PM disse que, quando os policiais chegaram ao local do crime, a guarnição foi informada por testemunhas de que a vítima, identificada como Andrea de Souza Batista, de 35 anos, tinha sido socorrida por populares e encaminhada para o Hospital Geral de Itaparica (HGI). A vítima, no entanto, já chegou à unidade de saúde sem vida. Conforme a polícia, a mulher foi atingida por pelo menos nove facadas. O suspeito, sem identidade divulgada, foi preso em flagrante e está custodiado na 19ª Delegacia Territorial. A polícia informou que ele tem uma filha com a vítima, que também era mãe de outros dois jovens frutos de outro relacionamento. G1

Suspeito de matar ex-assessor de Marcelo Nilo em Salvador é preso em Santa Catarina

/ Polícia

Michel de Sá foi encontrado morto em agosto. Foto: Redes Sociais

O homem apontado pela polícia da Bahia como autor do latrocínio contra o assessor da Prodeb, e ex-assessor do deputado Marcelo Nilo, Michel Batista de Sá, em Salvador, foi preso no início da manhã desta segunda-feira (19), no estado de Santa Catarina. A vítima foi morta a tiros após ser torturada durante a negociação da venda de um carro. Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Gabriel Bispo dos Santos estava escondido na cidade de Pomerode (SC), e foi achado em uma ação conjunta com a Superintendência de Inteligência da SSP-BA e Polícia Civil de Santa Catarina. Conforme apontam as investigações, Gabriel participou do roubo seguido de morte contra Michel, no dia 16 de agosto deste ano, na capital baiana. Ainda no mês de agosto, a polícia informou que encontrou elementos que indicam a participação de Gabriel no crime e pediu a prisão temporária dele. O rapaz de 22 anos estava foragido. Delegados e investigadores do DCCP estão formalizando o cumprimento do mandado de prisão, em Santa Catarina, e em seguida realizarão a transferência de Gabriel para Salvador.

Caso

Michel Batista de Sá foi assassinado a tiros após ser torturado no dia 16 de agosto. O corpo dele foi encontrado atrás de um shopping de Salvador na manhã do dia seguinte ao crime. Michel foi sepultado no cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana. Ele tinha 35 anos, era casado e deixou um filho de nove meses. Michel era assessor da Diretoria de Relacionamento e Atendimento da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb). O crime ocorreu durante a negociação da venda de um carro, que pertencia a Michel. O veículo seria vendido por R$ 73 mil. Depois do assassinato, o automóvel sumiu e só apareceu dois dias após o desaparecimento do assessor. De acordo com a polícia, Gabriel tinha um suposto interesse em comprar o carro, que foi anunciado em um site de vendas. Ele chegou a negociar com Michel, mas a transação não foi finalizada. O motivo seria uma suposta transferência feita por Gabriel que não caiu na conta de Michel. A família da vítima diz que Gabriel fingiu ter caído em um golpe para enganar Michel, durante a negociação. Ao achar que o suposto comprador tinha caído em um golpe, Michel ainda tentou ajudá-lo. A vítima ligou para um advogado da família, que deu orientações ao suposto comprador. Essa teria sido a última ligação feita por Michel. Depois disso, ele desapareceu. O irmão de Michel chegou a registrar o caso com a polícia. Além de Gabriel, outro homem é investigado suspeito do crime. O motorista rodoviário Luciano Pinho da Silva foi preso por suspeita de envolvimento na morte de Michel Sá, em agosto, mas cinco dias depois foi solto. O homem nega participação no crime. De acordo com a polícia, Luciano foi liberado porque a prisão dele não era mais necessária. No entanto, segundo a polícia, apesar da soltura do suspeito, o envolvimento dele no crime ainda não foi descartado.