Proponente da CPI, senador Randolfe Rodrigues define 18 temas para investigação

/ Brasília

Randolfe Rodrigues. Foto: Pedro França/Agência Senado

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) propôs a apuração de 18 temas na CPI que vai investigar a gestão federal na pandemia de Covid-19. O parlamentar da Rede foi o autor do requerimento de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito, na qual deve ser escolhido para a vice-presidência. As informações são do G1.

Entre os temas, estão investigar a produção e  distribuição de cloroquina e defesa do tratamento precoce contra a Covid-19, atraso na compra de vacinas e a crise de oxigênio em Manaus e no país. Randolfe Rodrigues também quer cobrar explicações sobre a falta de medicamentos para intubação, testes, respiradores e estoque de seringa e agulhas.

O objetivo, segundo o provável vice-presidente, é ”encontrar o caminho que nos leve à verdade sobre quem são os responsáveis pelo genocídio no Brasil causado pela pandemia do coronavírus”.

Em outro campo, o proponente da CPI defende a apuração sobre mapeamento da pandemia, estratégia de comunicação, o cancelamento de leitos de UIT em dezembro, o fechamento de 4 mil leitos no Rio de Janeiro, o fornecimento de máscaras sem registros, testes vencidos em Guarulhos e a visita de comitiva oficial a Israel para conhecer spray contra Covid-19.

Para Randolfe Rodrigues, a CPI deve investigar portarias datadas de 3 de setembro e 26 de novembro de 2020, a transferência de recursos do Fundo Nacional de Saúde para estados e municípios e as verbas para a saúde no Orçamento de 2021.

Ministro João Roma inaugura CRAS em município do Centro-Norte da Bahia; ”com muita satisfação”

/ Bahia

Roma participou do ato ao lado do prefeito da cidade. Foto: Divulgação

O ministro da Cidadania, João Roma, afirmou nesta segunda-feira (19) que a missão principal da pasta é chegar aos brasileiros que estão sofrendo mais, ao participar da inauguração do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) em Ponto Novo, no Centro-Norte da Bahia. Roma participou do ato ao lado do prefeito da cidade, Tiago Gilleno (PSD), e do deputado estadual Luciano Simões Filho (DEM).

Além de Gilleno, outros quatro prefeitos participaram do evento: Elmo Nascimento (DEM), de Campo Formoso; Laercio Júnior (DEM), de Senhor do Bonfim; Zé do Rádio (PP), de Itiúba; e Danilo de Deraldo (PCdoB), de Várzea da Roça. O ato ainda teve a participação de vereadores, vice-prefeitos e lideranças políticas de cidades da região.

”Com muita satisfação que participo da inauguração desse CRAS. É por aqui que começa o Ministério da Cidadania, braço social do governo Bolsonaro. A missão principal do Ministério da Cidadania é ir atrás dos brasileiros que estão sofrendo mais. É por meio de equipamentos como esse que possibilitamos que profissionais da assistência social possam desenvolver seu trabalho, que é fundamental para o Brasil, para essas pessoas que mais precisam”, afirmou o ministro.

Roma lembrou, em seu discurso, que pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a priorização para profissionais da assistência social na vacinação contra a covid-19. ”Eles estão também na linha de frente cuidando dos que mais precisam”, disse, ao complementar: ”Se todos passam por constrangimento, sabemos que tem brasileiros que sofrem mais. É justamente para esses brasileiros que nós precisamos, enquanto agentes da administração, líderes políticos, ter o olhar focado para eles, e nosso trabalho precisa ter eficácia”.

Durante o evento, João Roma recebeu uma cesta com produtos agrícolas produzidos no município. Vale destacar que Ponto Novo tem uma forte produção agrícola, que é uma das principais fontes da economia local.

Congresso vota projeto que facilita gastos com a pandemia da Covid na próxima semana

/ Brasília

As lideranças do parlamento planejam votar na próxima semana o Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 2/2021, que visa abrir espaço no orçamento deste ano para a aprovação de créditos extraordinários visando o combate ao novo coronvaírus. A proposta muda a Lei de Diretrizes Orçamentárias que balizou o orçamento deste ano para dispensar o poder executivo de indicar de onde vai tirar o dinheiro para cobrir estas despesas.

Nesta segunda-feira (19) e na terça-feira, Câmara e Senado fazem sessão conjunta do Congresso, mas para decidir se mantém ou derruba vetos do presidente Jair Bolsonaro.

A LDO em vigor (Lei 14.116, de 2020) determina que, para aumentar os chamados gastos discricionários (não obrigatórios), uma proposta legislativa deve indicar ”medidas de compensação’ no corte de outras despesas ou da elevação de receitas. De acordo com o projeto, apenas as propostas que elevam as despesas obrigatórias de caráter continuado (nos próximos anos) precisam respeitar a meta fiscal.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), confirmou a votação do projeto na próxima semana.”O PLN 2/2021 corrige um dispositivo da LDO, justamente para se permitir que possam ser implementados no Brasil os programas de suspensão dos contratos de trabalho e de redução de jornadas, com a participação do governo e do estado, para a manutenção de empregos no Brasil, o que interessa muito a bares e restaurantes. E também o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), que pode ser viabilizado e reeditado a partir dessa alteração singela da LDO”.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária autoriza novo ensaio clínico de vacina contra covid-19

/ Bahia

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou hoje (19) que aprovou, na última sexta-feira (16), um novo ensaio clínico de vacina contra a covid-19.

A vacina candidata terá duas doses com intervalo de 22 dias entre elas. O desenvolvimento clínico está sendo patrocinado pela empresa Sichuan Clover Biopharmaceuticals, sediada na China.

O ensaio clínico aprovado é controlado por placebo, para avaliar a eficácia, imunogenicidade e segurança da vacina, em participantes a partir de 18 anos de idade.

Nesta fase, devem ser incluídos até 22 mil voluntários distribuídos entre países da América Latina, além da África do Sul, Bélgica, China, Espanha, Polônia e Reino Unido.

No Brasil, serão 12,1 mil voluntários, distribuídos nos estados do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro.

Santo Antonio de Jesus: Boletim registra mais 3 óbitos por Covid-19; vacina esgotou neste domingo

/ Bahia

O boletim da prefeitura de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo, deste domingo (18) registrou mais três óbitos por Covid-19. De acordo com a prefeitura, as vítimas foram uma idosa, de 84 anos, e duas mulheres, de 53 e 41 anos. Todas tinham comorbidades, doenças que agravam a Covid-19. A de 84 anos tinha hipertensão arterial, a de 53, doença cardiovascular crônica e a de 41, obesidade.

Com as últimas perdas, o município chega a 111 mortes em decorrência da Covid-19. No mesmo boletim, a prefeitura informou que houve o registro de mais 36 casos confirmados de novo coronavírus, o que chega ao acumulado de 8.888 casos durante a pandemia. Houve também leve crescimento dos casos ativos – aqueles em condição de passar o vírus para outra pessoa – saindo de 142 no sábado (17) para 147 neste domingo. No município, 15 pessoas estão internadas devido à doença e 132 permanecem em isolamento domiliciar.

VACINAS
Em relação a vacinas contra a doença, o município informou que as doses que tinha esgotaram ao meio-dia deste domingo. Devido ao problema, a prefeitura informou que aguarda a chegada de nova remessa para seguir na imunização dos moradores contra a Covid-19.

O município já começou a imunizar idosos a partir de 60 anos. Pelo vacinômetro da prefeitura, já foram vacinadas na primeira dose 14.614 moradores e na segunda, 4.594. *Bahia Notícias

Número de casos de Covid se estabiliza no Brasil, mas segue entre maiores do mundo

/ Brasil

Ainda que continue num dos patamares mais elevados do mundo, o volume de novos casos e de óbitos por Covid-19 parou de crescer no Brasil nas últimas semanas.

Desde o último dia 7, o país está no estágio estável no Monitor da Aceleração da Covid-19, da Folha, que considera o volume de contaminações nos últimos 30 dias, com mais peso para o período mais recente.

Esse patamar significa que houve estabilização do crescimento de novos casos, ainda que siga em patamares elevados, de acordo com o modelo desenvolvido por especialistas da USP. Até o início do mês, o Brasil estava no nível acelerado, o que significa aumento rápido de novas contaminações.

O Brasil tem registrado agora 67 mil novos casos por dia, considerando a média móvel de sete dias, volume que se mantém desde meados de março. Nos meses anteriores, esse número vinha crescendo rapidamente. Em 8 de janeiro, por exemplo, houve acréscimo de 10 mil novos casos apenas nesse dia (considerando a média dos seis dias anteriores).

O país não faz testagem ou sequenciamento genético suficientes para se identificar exatamente a razão da explosão. Epidemiologistas dizem que algumas das causas podem ter sido a diminuição do isolamento social durante as festas de fim de ano e o espalhamento da variante P.1, identificada primeiramente em Manaus.

Entre janeiro e fevereiro, o Brasil ficou como acelerado no monitor da Folha por 24 dias seguidos; chegou a entrar em estável, mas depois voltou a ficar acelerado entre 7 de março e 7 de abril, quando passou a estável.

Oito unidades da Federação saíram de acelerado para estável nas últimas duas semanas (AC, AL, AP, DF, GO, MS, RO, TO). Dois estados, Amazonas e Paraná, estão no patamar desacelerado, com ritmo de novos casos em queda.

Entre as capitais, Belém, Brasília e Goiânia deixaram o estágio acelerado e foram para o estável. São Paulo e Rio, as duas maiores, seguem como acelerado. Entre os paulistas, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Campinas deixaram o acelerado.

Em relação aos óbitos, houve crescimento forte no país entre 21 de fevereiro e 1º de abril, quando o número de novas mortes diárias subiu de 1.038 para 3.118 (média móvel). Em março, estados e prefeituras aumentaram as medidas de restrição de circulação.

Desde o começo deste mês, o número fica na casa dos 3.000. Os dados foram contabilizados na sexta (16) —aos fins de semana tende a haver queda artificial no registro de mortes e de casos, devido a esquemas reduzidos de profissionais nas Secretarias de Saúde que coletam as informações.

Pesquisador em saúde pública da Fiocruz e coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes afirma que a situação não pode ser vista como de tranquilidade, dado que o patamar segue alto. Ele também destaca que o sistema hospitalar ainda está sobrecarregado e terá dificuldades de absorver novas subidas (e mal consegue atender a situação atual).

Segundo especialistas, as medidas restritivas que vem sendo aplicadas com diferentes intensidades pelo país são as principais responsáveis pela estabilização dos casos.

Além disso, o avanço da vacinação em idades mais avançadas também pode ter alguma contribuição, afirma Ethel Maciel, epidemiologista e professora na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Os profissionais de saúde foram outro público já amplamente vacinado no país.

UTIs de 17 capitais brasileiras e o Distrito Federal estavam semana passada com mais de 90% da ocupação —no começo do mês eram 21. A desaceleração atual de infecções e de óbitos não é suficiente para tirar o Brasil da relação de países em que a pandemia está mais grave atualmente.

O Brasil tem o terceiro maior número de novos casos e a maior quantidade de novas mortes entre as 30 nações mais populosas do mundo. A Índia é a que possui hoje o maior número de novos casos, seguida dos Estados Unidos.

Todos os estados do Sudeste brasileiro, região mais populosa do país, estão no estágio acelerado de novos casos. Mesmo assim, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou na sexta (16) distensão nas medidas de isolamento social, liberando a reabertura de parte do comércio e liberação de cultos.

No Rio, o governador, Cláudio Castro (PSC), permitiu desde o início do mês a abertura de shoppings e de restaurantes e bares até as 21h.

Os especialistas ouvidos pela Folha se dizem preocupados com a flexibilização de medidas de restrição de circulação. O temor é que, com isso, a situação dramática atual continue sem ceder.

Outra possibilidade é que as contaminações voltem a crescer, o que somado a um sistema de saúde já saturado —inclusive com escassez de remédios para intubação— pode tornar o quadro futuro tão ou ainda mais letal que o atual.

”Precisamos fazer alguma coisa para diminuir a transmissão, mas enquanto isso não for suficiente para desafogar o sistema não dá para pensar em diminuir restrição”, afirma Gomes, pesquisador da Fiocruz, que classifica como inaceitável o patamar de mortes atual.

Segundo o pesquisador, o momento crítico atual se originou em erros ainda no ano passado, quando a situação não foi controlada. Em um contexto com menos casos ativos, fechamentos de atividades poderiam ser mais curtos e, ao mesmo tempo, mais efetivos. No cenário atual do país, é necessário um período restritivo maior pelo grande quantidade de infecções.

”Nós nos colocamos na situação em que estamos. O remédio sabemos qual é”, diz Gomes, defendendo medidas mais duras de restrição. ”É amargo, mas não fazer também é.”

Uma dificuldade para se adotar essas medidas restritivas é a oposição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), aliado ao desemprego alto e dificuldade financeira dos empresários.

Maciel diz que as medidas de restrição usadas até o momento podem não ter sido suficientes para ter impacto considerável na curva de casos e que a situação se torna ainda mais complexa considerando a variante P.1.

”Se estivéssemos conseguindo vacinar muito rápido, até poderíamos pensar em flexibilização”, diz Maciel.

Apesar do elevado número total de doses de vacina contra a Covid aplicadas, o Brasil tem sofrido, como outros países, flutuações importantes no número de imunizantes disponíveis e na velocidade de aplicação, inclusive com paralisações no uso de primeiras doses por falta de vacina.

Rosana Richtmann, médica infectologista do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, afirma ser necessária a flexibilização das restrições, mas mantida atenção e cautela.

”Estou comemorando a estabilidade de novos casos, mas tenho medo. Tenho muito receio de como as pessoas vão interpretar isso”, afirma a especialista.

Segundo ela, existe o risco da população entender que a situação está sob controle e diminuir ainda mais os cuidados contra a doença.

Por fim, Gomes ainda ressalta outro risco de permanecer nos altíssimos patamares atuais. O descontrole da pandemia, com dezenas de milhares de casos por dia, é um cenário fértil, uma ”bomba-relógio”, segundo o pesquisador, para o surgimento de novas variantes, com risco inclusive de mutações que levam ao escape vacinal.

Os especialistas alertam que a população deve ter calma e paciência, porque a pandemia ainda está longe de acabar.

COMO FUNCIONA O MONITOR
O monitor da Folha tem como base um modelo estatístico desenvolvido por Renato Vicente, professor do Instituto de Matemática da USP e membro do coletivo Covid Radar, e por Rodrigo Veiga, doutorando em física pela USP.

A situação em cada local avaliado recebe uma classificação. Há cinco possibilidades: inicial, acelerado, estável, desacelerado e reduzido. A fase inicial é aquela em que surgem os primeiros doentes. O Brasil já não tem nenhuma cidade com mais de 100 mil habitantes nessa situação.

A etapa acelerada é aquela em que há aumento rápido do número de novos casos. Na estável, ainda há número significativo de pessoas sendo infectadas, mas a quantidade de novos casos é constante.

Quando o número de novos casos cai ao longo do tempo de maneira considerável, tem-se a fase de desaceleração. Já na etapa reduzida há poucos casos novos (ou nenhum), levando em consideração o histórico da epidemia naquele lugar.

*por Leonardo Diegues, Diana Yukari, Phillippe Watanabe e Fábio Takahashi, Folhapr

Presidente Jair Bolsonaro diz que Fiocruz entregará 18 milhões de vacinas em abril

/ Brasília

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse ontem18), por meio de uma rede social, que a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) vai entregar 18 milhões de vacinas contra a covid-19 até o final de abril. Desse total, segundo o presidente, serão entregues 4,6 milhões de doses ainda nesta semana e mais 6,7 milhões na outra semana.

Na sexta-feira (16) a Fiocruz já havia repassado mais 2,8 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). Além dos 2,8 milhões liberados na sexta-feira, 2,2 milhões já haviam sido entregues na última quarta-feira (14).

O presidente disse ainda que a previsão é que o volume de entrega de imunizantes cresça nos próximos meses. Segundo ele, no segundo semestre de 2021, a Fiocruz deve entregar 110 milhões de doses da vacina.

Segundo Bolsonaro, o Brasil tem a maior parte de suas escolas fechadas por determinação de ”governadores e prefeitos” e o país é ”um dos com o maior tempo” de fechamento de instituições de ensino do mundo.

Medidas para evitar maior circulação de pessoas, como o fechamento de escolas e outras atividades não essenciais, têm sido adotadas durante a pandemia por governadores e prefeitos, como o objetivo de evitar o aumento no número de infectados pelo vírus, que já chega a quase 14 milhões, com mais de 370 mil mortos, desde o início da pandemia, no início do ano passado. Da Agência Brasil

Bahia registra 2.574 casos e 75 mortes por covid-19 em 24h, diz boletim da Secretara de Saúde

/ Bahia

A Bahia registrou, nas últimas 24 horas, 2.574 casos de coronavírus e 75 mortes em decorrência da covid-19, segundo boletim divulgado hoje (18) pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). Ao todo, a Bahia tem 862.334 casos confirmados e 17.303 óbitos desde o início da pandemia.

O número total de mortes pela doença no estado representa uma letalidade de 2,01%. Dentre os óbitos, 55,45% ocorreram no sexo masculino e 44,54% no sexo feminino. O percentual de casos com comorbidade foi de 65,6%.

Ao todo, 828.606 pessoas já estão curadas da doença. Na Bahia, 46.580 profissionais da saúde foram confirmados para covid-19.

No estado, dos 1.564 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS), exclusivos para coronavírus, 1.295 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de UTI adulto de 83%. Vale lembrar que o número de leitos é flutuante, representando o quantitativo exato de vagas disponíveis no dia.

País registra mais 2,9 mil óbitos; total atinge 371 mil, diz Conselho Nacional de Secretários

/ Brasil

Com uma média desde março de três mil óbitos diários, o Brasil confirmou mais 2.929 mortes neste sábado. O número diário fez o total passar da marca de 370 mil (371.678). Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Conforme a entidade, o país soma mais 67.636 infectados, alcançando 13,9 milhões durante toda a pandemia

Em todo o mundo, o novo coronavírus fez 140 milhões de infectados, com 3 milhões de vidas perdidas. O país e o terceiro em número de casos e segundo em vítimas fatais. Com informações do iG e do Terra

Zé Cocá afirma que empenho de prefeitos faz ”vacinação” na Bahia ser a mais rápida do Brasil

/ Bahia

Cocá diz que tem prefeito indo buscar vacina na Sesab. Foto: UPB

O presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Zé Cocá, comemorou os dados divulgados pelo portal LocalizaSUS, do Ministério da Saúde (MS), que apontam a Bahia como o estado que aplica com maior velocidade as doses da vacina do coronavírus enviadas aos municípios.

São 12,2 dias, em média, gastos entre a entrega pelo MS e a aplicação do imunizante na população. A média nacional é de 17,8 dias. Os números foram coletados de 1° de março a 13 de abril deste ano.

Zé Cocá, que também é prefeito de Jequié, no Sudoeste baiano, creditou o fato ao empenho dos prefeitos e a parceria com o Governo do Estado da Bahia para a logística de distribuição das doses.

”Nós temos prefeitos indo buscar pessoalmente as vacinas que a Sesab faz chegar nos aeroportos e postos de entrega das cidades pólo. O acompanhamento é feito de perto, com os gestores mobilizando campanhas, carros som e visitas porta em porta para convocar a população pra se vacinar”, disse.

”Não tenho dúvidas que nossos prefeitos têm carregado essa missão com a responsabilidade e o máximo de compromisso que lhes foram exigidos”, explica o presidente da UPB. Zé Cocá também ressalta a importância da coordenação conjunta de União, estados e municípios.

”Formamos uma rede. O governador Rui Costa tem feito questão de ouvir os prefeitos durante todo o processo da pandemia e também agora na distribuição da vacina. Torço que tenhamos sucesso na chegada da Sputnik-V, que está sendo adquirida pelo governo da Bahia para acelerar ainda mais, não só o ritmo da aplicação, mas o percentual da população vacinada, que hoje o estado oscila entre primeiro e terceiro lugar”, completou.

Pedido de vistas de Alexandre de Moraes suspende julgamento sobre decreto das armas

/ Justiça

Um pedido de vistas do ministro Alexandre de Moraes suspendeu o julgamento no Supremo Tribunal Federal sobre quatro decretos do presidente Jair Bolsonaro que flexibilizam a compra de armas. O placar estava 2×0 a favor da tese da ministra Rosa Weber.

Relatora, a magistrada suspendeu parte das medidas, atendendo a um pedido formulado pelo PSB. A análise foi submetida ao plenário, que julga se referenda ou derruba a decisão. O julgamento acontece no plenário virtual, sistema pelo qual os ministros cadastram o voto sem estarem reunidos. O ministro Edson Fachin já havia informado que acompanha o voto de Rosa Weber.

Rosa Weber suspendeu trechos como o que prevê a possibilidade de aquisição de até seis armas de fogo por civis e oito por agentes estatais, a previsão de um porte nacional e a possibilidade de portar duas armas simultaneamente.

Na decisão, a ministra cita conclusões da CPI das Organizações Criminosas do Tráfico de Armas, como que mostra que a maioria das armas de fogo utilizadas no crime foi desviada de pessoas que as adquiriram legalmente. ”Mais de 55% das armas apreendidas possuíam registro anterior antes de serem furtadas”. Fonte:R7

Covid: Governo prorroga toque de recolher e proibição de shows e festas em toda a Bahia

/ Bahia

O Governo do Estado decidiu prorrogar as medidas restritivas em toda a Bahia. O toque de recolher noturno e a suspensão de shows, festas e atividades esportivas coletivas continuam até o dia 26 de abril. A prorrogação das medidas, que têm o objetivo de conter a disseminação da Covid-19, será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) deste sábado (17).

A restrição de locomoção noturna vale das 20h às 5h, sendo vedado a qualquer indivíduo a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas. Os shows e as festas, públicas ou privadas, continuam proibidos, independentemente do número de participantes, em todo território baiano.

Excepcionalmente, desde que respeitados os protocolos sanitários, os eventos exclusivamente científicos e profissionais podem ocorrer com público limitado a 50 pessoas. A exceção fica por conta de 99 municípios, onde permanecem suspensos eventos e atividades independentemente do número de participantes, ainda que previamente autorizados, que envolvam aglomeração de pessoas.

Também fica proibida a venda de bebida alcoólica em quaisquer estabelecimentos, inclusive por delivery, das 18h de 23 de abril até as 5h de 26 de abril, em toda a Bahia.

Transporte

A circulação dos meios de transporte metropolitanos segue suspensa das 20h30 às 5h, até 26 de abril. A circulação dos ferry boats deve ser suspensa das 20h30 às 5h de 19 de abril a 23 de abril, ficando vedado o funcionamento nos dias 24 e 25 de abril.

Já a circulação das lanchinhas permanece suspensa das 20h30 às 5h, até 26 de abril, limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade da embarcação nos dias 17, 18, 24 e 25 de abril.

Cinco pessoas morrem durante grave acidente entre carro, moto e caminhões na BR-101

/ Trânsito

Veículo ficou destruído após acidente. Foto: Reprodução/Radar 64

Cinco pessoas morreram após um acidente envolvendo um carro de passeio, uma motocicleta, e dois caminhões, na manhã desta sexta-feira, na cidade de Eunápolis, sul baiano.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a colisão aconteceu após um dos caminhões apresentar falha nos freios, no trecho da BR-101. Ainda conforme o órgão, na tentativa de desviar, o motociclista acabou batendo com um dos veículos envolvido do acidente.

Entre as vítimas, estão os quatro integrantes do carro de passeio, e o condutor da motocicleta. Nenhum dos envolvidos teve a identidade revelada. Os corpos foram encaminhados à sede do Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Eunápolis, onde passarão por perícia. * A Tarde

Polícia Militar anuncia prisão de suspeito no interior de escola no Entroncamento de Jaguaquara

/ Jaguaquara

A Polícia Militar informou ter efetuado, na noite esta sexta-feira (16), a prisão de um suspeito de envolvimento com crime numa escola municipal localizada no distrito Stela Dubois – Entroncamento de Jaguaquara.

Ainda segundo a PM, a ocorrência foi registrada na Escola Everaldo Souza, após denúncia anônima revelar a presença do suspeito no local. A nota divulgada pela 3ª Cia diz que o conduzido atuava como vigilante da unidade escolar.

Leia abaixo a informação policial

Por volta das 22h30, a guarnição de serviço recebeu denúncias de populares, de que uma pessoa ligada à ORCRIM BDM, estaria nas proximidades da Escola Municipal Everaldo, portando arma de fogo e traficando drogas. A guarnição deslocou ao local indicado na denúncia, tendo o suspeito avistado a guarnição e tentado adentrar ao estabelecimento de ensino supracitado, momento em que foi alcançado. Foi realizada busca pessoal e encontrada, em poder do conduzido, uma arma de fogo. Foi realizada, ainda, busca no interior da Escola, que o autor afirmou trabalhar como vigilante, sendo encontrada uma certa quantidade de drogas, foi dada voz de prisão e o detido, juntamente com o material apreendido, foi apresentado à Autoridade Competente para adoção das medidas cabíveis.

Material Apreendido:
▪️01 Revólver Cal. 32, sem numeração, contendo 06 cartuchos intactos;
▪️R$ 405,00, em espécie;
▪️03 porções médias de material análogo à cocaína;
▪️01 porção média de substância análoga à maconha; e
▪️02 aparelhos celulares;