Termina nesta sexta campanha da Coelba que oferece desconto de 30% para contas em atraso

/ Tecnologia

A Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) encerra nesta sexta-feira (16) a campanha ”Saldão 30%”, que oferece desconto para a quitação de contas de energia aos clientes com faturas atrasadas em mais de seis meses. A negociação é válida para clientes de todas as classes (residencial, comercial, industrial e poder público) e pode ser feita através do site de negociações da companhia.

De acordo com a Coelba, a iniciativa tem o objetivo de contribuir com os clientes durante o período da pandemia e, consequentemente, de crise econômica em todo país. As formas de pagamento digital oferecem possibilidade de quitação via PicPay, Pix, RecargaPay e débito em conta, além dos agentes bancários tradicionais.

Uso de internet cresce na Bahia, mas quase 30% da população ainda está offline, aponta o IBGE

/ Tecnologia

Em 2019, a Bahia se tornou o estado com o segundo maior aumento absoluto no número de usuários de internet, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) divulgados hoje (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Foram 860 mil novos usuários em apenas um ano, o maior aumento registrado no estado desde 2016. A alta está atrás apenas do índice registado em São Paulo, onde o número de pessoas que usaram a Internet aumentou em 1,4 milhão no mesmo período.

Entre os últimos trimestres de 2018 e de 2019, o número de baianos com 10 anos ou mais de idade que usaram a Internet, no estado, cresceu 10,3%, passando de 8,3 milhões para 9,2 milhões. Assim, de um ano para o outro, o percentual de internautas aumentou de 65,1% para 71,3%, um avanço de 6,2%.

O importante aumento no número de pessoas que usaram a Internet na Bahia fez o estado subir três posições no ranking proporcional de internautas na população de 10 anos ou mais de idade, de 20º lugar em 2018, para 17º em 2019, entre as 27 unidades da Federação. Mesmo assim, em 2019, três em cada 10 pessoas de 10 anos ou mais de idade na Bahia não acessavam a Internet de nenhuma maneira, nem pelo celular. Ou seja, 28,7% da população, o correspondente a cerca de 3,705 milhões de moradores, estavam ”offline”. Metro1

Nascidos em dezembro já podem atualizar dados cadastrais no aplicativo Caixa Tem

/ Tecnologia

A Caixa Econômica Federal convida os usuários do aplicativo Caixa Tem a atualizar os dados cadastrais no aplicativo. Clientes nascidos em dezembro podem fazer o procedimento a partir de hoje (31).

A atualização é feita inteiramente pelo celular, bastando o usuário seguir as instruções do aplicativo, usado para movimentar as contas poupança digitais. Segundo a Caixa, o procedimento pretende trazer mais segurança para o recebimento de benefícios e prevenir fraudes.

Ao entrar no aplicativo, o usuário deve acessar a conversa ”Atualize seu cadastro”. Em seguida, é necessário enviar uma foto (selfie) e os documentos pessoais (identidade, CPF e comprovante de endereço).

O calendário de atualização segue um cronograma escalonado, conforme o mês de nascimento dos clientes. O cronograma começou no último dia 14 para os nascidos em janeiro e encerra-se hoje (31), para os nascidos em dezembro.

Presidente Jair Bolsonaro sanciona lei que reduz efeitos da pandemia no setor elétrico

/ Tecnologia

O presidente Jair Bolsonaro sancionou ontem (1º), com vetos, a lei que modifica o arcabouço legal do setor elétrico e inclui mecanismos de remanejamento de recursos para redução do valor das tarifas. A medida ainda trata de reformas estruturais no setor e da adoção de medidas para viabilizar a organização do segmento de energia nuclear e da conclusão do projeto de Angra 3.

De acordo com o projeto aprovado pelo Congresso, o principal objetivo seria mitigar os efeitos econômicos da pandemia no setor, para desonerar as tarifas de consumidores de energia elétrica de todo o Brasil, mantendo atenção àqueles da Região Norte do País, atendidos por distribuidoras que eram da Eletrobras e que foram privatizadas.

Os consumidores dos estados do Norte, por exemplo, conforme a lei, não precisarão mais pagar pelos empréstimos fornecidos às distribuidoras na época em que elas estavam sob controle temporário da União, que precedeu a privatização.

O texto também determina a transferência para a União de todas as ações da ”Indústrias Nucleares do Brasil” e da ”Nuclebrás Equipamentos Pesados”, inclusive as que estão em posse da iniciativa privada. As duas estatais, que hoje atuam como sociedades de economia mista, serão transformadas em empresas públicas vinculadas ao Ministério de Minas e Energia.

O presidente vetou, por contrariar o interesse público, o parágrafo que estabelecia que o agente titular de outorga de autorização para geração de energia elétrica com prazo de 30 anos teria seu prazo de autorização contado a partir da declaração da operação comercial da primeira unidade geradora, com ajuste, quando necessário, do respectivo termo de outorga, após o reconhecimento pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) do atendimento ao critério estabelecido neste parágrafo. A determinação seria aplicada apenas aos agentes cuja usina estivesse em operação em 1º de setembro de 2020 e que não tivesse sido objeto de qualquer espécie de penalidade pela Aneel quanto ao cumprimento do cronograma de sua implantação.

Outro dispositivo vetado, também por contrariar o interesse público, foi o que estabelecia que a avaliação completa da Base de Remuneração Regulatória terá efeitos a partir da data de processamento do primeiro processo tarifário subsequente ao pedido de revisão pelo interessado e será aplicada até o terceiro processo tarifário após a assinatura do contrato de concessão.

Após atraso, resultados de pedido de reaplicação do Enem devem ser divulgados nesta segunda-feira

/ Tecnologia

Os resultados da análise dos pedidos de reaplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), devem ser divulgados hoje (15). Inicialmente, apenas os resultados referentes á versão digital da prova deveriam ser divulgados nesta segunda. Para a versão impressa, a liberação das análises deveria ter ocorrido na sexta-feira (12), o que, segundo relatos de estudantes, não aconteceu.

Tiveram direito a realizar o pedido os candidatos que tiveram diagnóstico de Covid-19 ou aqueles que foram prejudicados por problemas logísticos, como salas lotadas, na aplicação realizada nos dias 17 e 24 de janeiro. Cada caso foi analisado individualmente pelo Inep. O órgão não determinou um horário para a divulgação dos resultados.

A reaplicação está prevista em edital e ocorre em todas as edições. Para o Enem 2020, ela será em 23 e 24 de fevereiro. A data é a mesma da aplicação do exame para pessoas privadas de liberdade. A prova tem o mesmo nível de dificuldade que o exame original, mas com questões diferentes

Governo Bolsonaro pede explicações para WhatsApp sobre nova política de privacidade do aplicativo

/ Tecnologia

O WhatsApp e Facebook, dono da plataforma, terão que esclarecer as alterações na política de privacidade do aplicativo de mensagens. O pedido foi feito pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) na última sexta-feira (5). O órgão, vinculado ao Ministério da Justiça, enviou uma notificação para as duas empresas, que devem responder 10 questionamentos sobre as alterações programadas para vigorar a partir de maio.

O aviso sobre a atualização nos termos de uso foi feito através de notificação enviada aos usuários do Whatsapp no início deste ano. O prazo dado pela Senacon para o envio dos esclarecimentos é de 15 dias, a contar do recebimento da notificação.

A Secretaria quer saber, por exemplo, por que é diferente a política de privacidade para usuários da União Europeia, por exemplo, que tem permissão para escolher não compartilhar informações. O bloco europeu segue um conjunto de regras diferente do restante do mundo, por causa da lei de proteção de dados local.

A Senacon quer que o Facebook explique os seguintes pontos da nova política que valerá para o Brasil:

– Quais os impactos da nova política de privacidade comparado com versões anteriores;

– Quais dados são colocados à disposição de terceiros, incluindo as empresas do Facebook;

– Se o usuário poderá controlar quais dados pessoais poderão ser compartilhados;

– E se há a opção de continuar usando o WhatsApp caso o usuário não aceite a nova política.

Coelba doa refrigeradores científicos para vacinas da Covid-19 em 296 municípios

/ Tecnologia

A Coelba, em uma ação pioneira da sua controladora Neoenergia, será a primeira empresa do setor elétrico a contribuir com as prefeituras baianas na campanha de imunização contra a Covid-19. A concessionária fará a doação de refrigeradores científicos para armazenar as vacinas em 296 municípios baianos que têm IDHM até 0,61. A doação é parte de uma iniciativa da Neoenergia que irá beneficiar, no total, 658 municípios atendidos pelas suas distribuidoras: Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS).

A iniciativa levou em consideração as cidades com os menores Índices de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e faz parte do Programa de Eficiência Energética (PEE) regulado pela Agência Nacional de Eficiência Energética (Aneel). Apenas na Bahia, a doação desses equipamentos representa um investimento de mais de R$ 2,5 milhões, que somado aos valores das demais distribuidoras da Neoenergia, totaliza R$ 6 milhões. Se somada às outras ações já realizadas pela empresa, voltadas ao combate da pandemia, como a compra de testes em parceria com a Fiocruz e doação de respiradores, a Neoenergia já investiu um montante que já alcança R$ 20 milhões.

Os novos refrigeradores serão destinados aos municípios atendidos pelas distribuidoras do Nordeste que têm IDHM até 0,61 e, de São Paulo, com o índice até 0,74. Serão beneficiados 296 municípios na área de concessão da Coelba, 136 em Pernambuco, 95 no Rio Grande do Norte e 131 em São Paulo.

Responsáveis pela gestão dos programas de imunização, os governos estaduais da Bahia, Rio Grande do Norte e São Paulo, parceiros na ação, receberão, cada um, dois refrigeradores com capacidade de 280 litros e 420 litros respectivamente. Serão entregues à Secretaria de Saúde de São Paulo sete equipamentos de 280 litros.

A instalação de cada refrigerador científico deve injetar no sistema elétrico uma carga de 89 kW e consumo anual de 781 MWh, que será compensado com o recolhimento, em cada município, de dois equipamentos de refrigeração antigos e doação de lâmpadas eficientes para postos de saúde, hospitais e para consumidores residenciais baixa renda.

Os refrigeradores científicos têm temperatura programável e constante entre 2oC e 8oC, além de alarmes para avisar a em caso de interrupção de energia e baterias recarregáveis para suprir o frio caso ocorra eventual intercorrência no fornecimento, com autonomia de até 12 horas. Os equipamentos possuem sensores e de um sistema de alarme remoto a distância, que realiza chamadas telefônicas se houver uma queda de temperatura ou a bateria estiver em um nível baixo.

As câmaras de conservação que serão doados pela Neoenergia são de fabricação nacional e têm capacidade de 280 litros, suficientes para armazenar cerca de 18 mil doses de 0,5 ml.

WhatsApp baniu mais de mil contas por disparos em massa durante período eleitoral, diz TSE

/ Tecnologia

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou uma nota ontem (19) na qual informou que o aplicativo de mensagens WhatsApp baniu 1.004 contas após denúncias de disparos em massa entre 27 de setembro e 15 de dezembro.

O disparo de mensagens em massa é proibido e passível de punição no âmbito eleitoral porque a Justiça entende que tem potencial de afetar o equilíbrio da disputa entre os candidatos.

As contas banidas foram denunciadas na plataforma mantida pelo TSE e pelo WhatsApp, criada para tentar combater a disseminação de conteúdo falso, as chamadas fake news.

SAC Digital alcançou a marca de 2 milhões de usuários; plataforma teve crescimento

/ Tecnologia

O SAC Digital alcançou a marca de 2 milhões de usuários. A plataforma eletrônica de serviços públicos do Estado apresentou um crescimento exponencial, saltando de 249 mil usuários cadastrados em dezembro de 2019, para o total de 2 milhões, completados ontem (7). O aumento reflete a estratégia do Governo da Bahia, que investiu no modelo de serviços públicos ofertados pela internet, como parte da política de transformação digital do Estado.

A plataforma eletrônica disponibiliza 425 serviços públicos pela internet, sendo que 33 são totalmente digitais, ou seja, não geram a necessidade do usuário se deslocar até um órgão do estado para conseguir atendimento. Com o SAC Digital, os cidadãos podem ter acesso a serviços como a emissão de documentos públicos, a matricula escolar, o licenciamento de veículo, dentre outros.

O SAC Digital já realizou mais de 1,7 milhão de atendimentos, somando os serviços realizados de forma 100% digital, agendamentos ou aqueles semipresenciais (parte realizado pela internet e parte nas unidades físicas da Rede SAC). A plataforma permite que o cidadão tenha acesso aos serviços públicos usando apenas um computador com conexão à internet, ou até mesmo um celular.

A partir de maio, com o agravamento de pandemia e a paralisação total das atividades presenciais, o SAC Digital voltou a ter um crescimento excepcional. Outro fator preponderante para o aumento de usuários foi a entrada de serviços digitais que possuíam grande demanda como a emissão do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo Eletrônico (CRLV-e) e a ampliação do RG Expresso.

WhatsApp lançou um novo recurso que pode ajudar a combater a disseminação de fake news

/ Tecnologia

Na última semana, o WhatsApp lançou um novo recurso que pode ajudar a combater a disseminação de fake news. Mas, para isso, é preciso que muitas pessoas conheçam e, principalmente, utilizem essa função. Trata-se de uma lupa para pesquisar sobre o conteúdo de mensagens viralizadas.

Desde abril, o aplicativo limitou o compartilhamento das mensagens encaminhadas com frequência. Essas mensagens, sinalizadas com uma seta dupla ao lado da palavra “Encaminhada”, podem ser enviadas a apenas uma conversa por vez. Outras mensagens podem ser encaminhadas para até cinco pessoas (ou grupos) ao mesmo tempo.

Agora, o WhatsApp acrescentou uma lupa ao lado dessas mensagens viralizadas. Para usar o recurso, é só clicar em cima da lupa. Surge então uma mensagem perguntando se o usuário deseja pesquisar sobre o assunto. Basta clicar em “Buscar na internet”.

Automaticamente, através do navegador de internet instalado no celular ou no computador, é feita uma busca no Google com as palavras contidas na mensagem. Nos resultados mostrados, o sistema dá prioridade a páginas que fazem checagem de informações.

O ponto negativo é que o recurso funciona apenas para mensagens de texto. A lupa não aparece ao lado de fotos ou vídeos, mesmo que sejam mensagens sinalizadas com a seta dupla. Espero que em breve a pesquisa possa ser feita em fotos e vídeos também.

Mas a própria pessoa pode (e deve) checar as informações contidas em uma imagem ou vídeo encaminhado com frequência pelo WhatsApp. Faça uma pesquisa no Google sobre o assunto. Visite também sites de checagem como projetocomprova.com.br, piaui.folha.uol.com.br/lupa, aosfatos.org, g1.globo.com/fato-ou-fake e boatos.org.

Se encontrar um boato, ajude a espalhar a verdade. Por causa da sua criptografia de ponta a ponta, o WhatsApp ainda é o meio por onde mais circulam fake news criminosas. Ajude a combater isso.

Brasil tem 4,8 milhões de crianças e adolescentes sem internet em casa, diz pesquisa

/ Tecnologia

No Brasil, 4,8 milhões de crianças e adolescentes, na faixa de 9 a 17 anos, não têm acesso à internet em casa. Eles correspondem a 17% de todos os brasileiros nessa faixa etária. Os dados, divulgados na semana passada semana pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), fazem parte da pesquisa TIC Kids Online 2019, que será lançada na íntegra em junho.

O levantamento é feito pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Os dados foram solicitados pelo Unicef para medir, em meio à pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, quantas crianças e adolescentes estão sem acesso a aulas online e a outros conteúdos da internet que garantam a continuidade do aprendizado.

”A gente está em um momento de crise, uma crise aguda em função da pandemia, que vai ter impacto na vida das crianças e adolescentes, como um todo. Do ponto de vista da educação, a gente está com uma questão séria: o que é preciso fazer para que essas crianças e adolescentes tenham acesso a algum tipo de aprendizagem”, diz o chefe de Educação do Unicef, Ítalo Dutra.

Segundo Dutra, a pandemia evidencia desigualdades que já são enfrentadas no cotidiano em todo o país. Há escolas que têm infraestrutura adequada e de qualidade, e outras que não, o que já impacta o aprendizado das crianças.

”Com a pandemia, com as escolas fechadas, temos, obviamente, uma situação que é ainda mais aguda. Vemos com preocupação a situação em que nos encontramos e, principalmente, entendemos a necessidade de olhar para uma maneira de garantir o acesso de crianças, adolescentes e suas famílias à internet.” É parte da garantia de direitos de crianças e adolescentes, afirmou.

Desigualdade

A pesquisa mostra que, entre aqueles que não têm acesso à internet em casa, alguns conseguem acessar a rede em outros locais, como escolas, telecentros ou outros espaços. Isso antes da adoção de medidas de isolamento social no país. As informações foram coletadas entre outubro de 2019 e março de 2020.

Aqueles que não acessam a internet de nenhuma forma, no entanto, chegam a 11% da população nessa faixa etária. A exclusão é maior entre crianças e adolescentes que vivem em áreas rurais, onde a porcentagem daqueles que não acessam a rede chega a 25%. Nas regiões Norte e Nordeste, o percentual é 21% e, entre os domicílios das classes D e E, 20%.

Em ter os gerais, o acesso cresceu em relação ao último levantamento, de 2018, quando 14% das crianças e adolescentes não navegavam pela rede. As desigualdades regionais e de renda, no entanto,  permanecem, diz o coordenador de Projetos de Pesquisas do Cetic.br, Fábio Senne. “Os não usuários estão mais presentes nas regiões Norte e Nordeste e têm vulnerabilidade socioeconômica maior. Essas dimensões permanecem nas pesquisas, nos últimos anos, apesar do aumento constante de usuários.”

Mesmo entre aqueles que têm acesso à internet e contam com a rede em casa, a qualidade da conexão não é a mesma. ”A gente nota que, mesmo entre os que têm acesso, há diferença em relação à posse de um pacote de dados 3G ou acesso a wi-fi, o que limita o tipo de conteúdo que pode ser acessado”, diz Senne, que acrescenta: ”Há variações do ponto de vista da estrutura por regiões, principalmente na região Norte e em áreas rurais, onde é mais difícil, mesmo que se tenha acesso à internet, acessar conteúdos de streaming, que demandam muita quantidade de banda.”

Dificuldades

Junto com os colegas, a professora do 2º ano do ensino fundamental Neila Marinho, que leciona em uma escola particular da cidade do Rio de Janeiro, fez um treinamento para ministrar aulas online e passou a oferecer aos alunos atividades por meio de uma plataforma digital.

Mesmo com todo o preparo, nem tudo sai como o esperado e a conexão, às vezes é uma barreira. Um dos estudantes, por exemplo, está em um local que tem baixa qualidade da internet. ”Quando ele entra na sala, a gente tem muita dificuldade para ouvi-lo. Ele fala, e as falas picotam, [a internet] cai e não consegue voltar. Preciso enviar as atividades por mensagem para os avós”, conta Neila.

Sem wi-fi em casa, a trabalhadora autônoma Letícia Gomes, moradora do Complexo do Alemão, no Rio, divide com o filho, Marcos, que está no 3º ano do ensino fundamental, o pacote de dados do próprio celular. ”Ter um computador ia ser muito melhor, principalmente por conta da leitura. Ler no celular é muito ruim”, diz.

Cumprindo as regras de isolamento social e ficando em casa, Letícia reserva um momento do dia para fazer as tarefas com o filho. ”A professora envia matérias via Whatsapp e publica no Facebook. A gente tem que auxiliar a criança a fazer. Alguns conteúdos são difíceis de entender”, diz. Letícia conta que fica disponível para tirar dúvidas por mensagem. Da Agência Brasil

 

WhatsApp é principal rede de disseminação de fake news sobre o novo coronavírus

/ Tecnologia

Pesquisa desenvolvida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostra que 73,7% das informações e notícias falsas sobre o novo coronavírus circularam pelo aplicativo de troca de mensagens WhatsApp. Outros 10,5% foram publicadas no Instagram e 15,8% no Facebook.

Os dados fazem parte de trabalho das pesquisadoras da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) Claudia Galhardi e Maria Cecília de Souza Minayo, com base nas notificações recebidas entre os dias 17 de março e 10 de abril pelo aplicativo Eu Fiscalizo.

Segundo Claudia Galhardi, a partir de 17 de março o aplicativo registrou aumento significativo de denúncias sobre fake news relacionadas à área de saúde. “Recebemos denúncias de diversas fake news circuladas no WhatsApp, principalmente, mas também no Facebook e no Instagram. São publicações pessoais, como “não acredite no coronavírus”, coisas assim.”

A pesquisadora disse que contabilizou cerca de 30 notificações relacionadas à covid-19. “As mídias digitais têm sido muito utilizadas. Circulam muitas notícias falsas sobre receitas caseiras, álcool produzido em casa, inclusive usando o nome da Fiocruz como fonte da informação, como se a orientação fosse da fundação ou de outras instituições”, afirmou.

Do total de notícias falsas sobre o coronavírus que circularam pelo WhatsApp, 71,4% citam a Fiocruz como fonte. No Facebook, as atribuições à instituição de pesquisa caem para 26,6%. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) somam 2% das instituições citadas como fonte das informações falsas.

Os dados obtidos até o momento estão sendo organizados e, até o início de maio será lançado um relatório detalhando os tipos de fake news, se são mentiras inventadas ou informações distorcidas, informou a pesquisadora da Fiocruz.

Aplicativo
O aplicativo Eu Fiscalizo é um meio pelo qual os usuários podem notificar conteúdos impróprios em veículos de comunicação, mídias e redes sociais. A ferramenta foi lançada no dia 10 de fevereiro como projeto de pós-doutorado de Claudia Galhardi, com a supervisão da pesquisadora Cecília Minayo.

Por meio da ferramenta, o usuário pode notificar conteúdos que violem os direitos das crianças e adolescentes ou que propaguem fake news. São aceitas denúncias de peças veiculadas por TV aberta ou por assinatura, serviço de streaming, jogos eletrônicos, cinema, espetáculos, publicidade e mídias sociais.

“O aplicativo recebe notificações, mensagens, sugestões, elogios e denúncias de conteúdos nocivos nos meios de comunicação, entretenimento e mídias sociais. Podem denunciar conteúdos com relação a cenas de sexo, de violência. Incluímos publicidade, com a preocupação com o público infantil, a proteção em relação a publicidades enganosas e persuasivas.”

O aplicativo permite o envio de foto, vídeos e mensagens de texto e está disponível na Playstore e Apple Store. Da Agência Brasil

SAC Digital acaba de lança o serviço sem custo de acesso à Carteira de Trabalho Digital

/ Tecnologia

O SAC Digital acaba de lançar mais um serviço de utilidade pública para os cidadãos baianos. Através da plataforma, é possível solicitar a nova Carteira de Trabalho Digital (CTPS Digital), iniciativa do governo federal que reúne informações trabalhistas em um ambiente on-line. A consulta da CTPS Digital é uma parceria entre as secretarias estaduais da Administração (Saeb) e do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e da Superintendência Regional do Trabalho da Bahia (SRT – BA).

O serviço, completamente sem custo, já está disponível no endereço www.sacdigital.ba.gov.br e no aplicativo SAC Digital, que pode ser baixado nas lojas de app para celulares Android e iOS. Ao clicar na opção “Obter CTPS Digital”, o usuário é redirecionado para o site do Ministério da Economia, onde irá criar um cadastro com seus dados pessoais. Estas informações são utilizadas na conta de acesso único do governo federal, onde serão validadas. Os novos usuários ainda responderão questionário sobre sua vida laboral e previdenciária, recebendo senha provisória para o primeiro acesso.

Caso o usuário já possua a conta de acesso único, irá consultar a Carteira de Trabalho Digital informando o número do CPF e senha. As anotações trabalhistas são disponibilizadas pelos empregadores no Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhista (eSocial). Instituído pelo decreto federal nº 8373/2014, o sistema coleta informações que serão armazenados no Ambiente Nacional do eSocial, possibilitando aos órgãos participantes do projeto sua utilização para fins previdenciários, fiscais e de apuração de tributos e FGTS.

Quem possui a CTPS física pode guardar o documento, pois continua sendo uma forma de comprovar seu tempo de serviço em empresas e contratos anteriores. As informações sobre as novas contratações, férias, salários, entre outros, serão feitas eletronicamente e poderão ser consultadas pela internet. A Carteira de Trabalho Digital ainda pode ser acessada por meio de aplicativo, também disponível para celulares Android e iOS. Vale ressaltar que a CTPS Digital não tem validade como documento de identificação. Quaisquer divergências nos dados devem ser corrigidas pela empresa contratante junto ao eSocial.

Profissões em setores de tecnologia e internet estarão em alta em 2020, ponta levantamento

/ Tecnologia

Com a taxa de desemprego próxima dos 12%, nada mais importante do que saber quais setores estarão contratando em 2020. A rede social LinkedIn divulgou um levantamento de 15 funções que podem gerar empregos formais para milhões de brasileiros. Na primeira posição aparece a profissão de gestor de redes sociais, seguido de engenheiro de cibersegurança e representante de vendas.

No ranking geral, as profissões ligadas aos setores de tecnologia da informação e internet dominam a lista, com 13 de 15 cargos relacionados à chegada da Indústria 4.0 no mercado de trabalho. A incorporação da digitalização à atividade industrial resultou nesse conceito, em referência à quarta revolução industrial, onde há integração e controle da produção, com base em sensores e equipamentos conectados em rede e na fusão do mundo real com o virtual. Essa fusão cria os chamados sistemas ciberfísicos e potencializa o emprego da inteligência artificial.

O Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023, divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), reforça esse contexto. Profissões ligadas à tecnologia estão entre as que mais vão crescer nos próximos anos. O estudo também prevê que o Brasil terá de qualificar 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação profissional e aperfeiçoamento até 2023.