”Bolsonaro faz com as mãos e o governo estadual desfaz com os pés”, diz Roma sobre Rui

/ Política

Roma é candidato a governador pelo PL. Foto: Divulgação

O candidato ao governo da Bahia João Roma (PL) criticou a postura adota pelo governo do estado ao ”dificultar” que as ações federais fossem efetivadas na Bahia. Durante sabatina realizada no Aratu Notícias, da TV Aratu, na noite desta segunda-feira (29), ao responder sobre moradia, Roma disse que ”Bolsonaro faz com as mãos e o governo do estado desfaz com os pés”.

”O caso da Bahia, é fundamental que nós possamos avançar numa sintonia maior entre o governo federal e estadual. É fundamental uma Bahia de mão dadas com o Brasil para que possa avançar em temas como esse, que atinge diretamente a população mais necessitada. Quando Bolsonaro me chamou para o Ministério da Economia, ele me disse: ‘Roma, faça o que é certo e faça de tudo para ajudar mais os necessitados’. E foi dessa forma que nós criamos o auxílio Brasil, que hoje chega para 2, 4 milhões de baianos colocarem o que comer dentro de casa”, disse.

Ainda de acordo com Roma, ter um governador alinhado com o presidente, segundo ele, irá superar quesitos burocráticos e ampliará a ações para moradia.

”Assim como nós fizemos isso para os mais necessitados junto com o presidente Jair Bolsonaro, iremos cada vez mais trabalhar diferente da postura que é o governo atual, porque o Bolsonaro faz com as mãos e o governo do estado desfaz com os pés. Haja vista todos os investimentos que vem chegando para a Bahia. O governo se quer recebeu o ministro de desenvolvimento regional para entrega de casas. Tendo um governador alinhado com o governo federal, nós poderemos ampliar ainda mais isso, superando os quesitos burocráticos, quesitos cartoriais que dificultam o andar de todas essas ações para aqueles mais necessitados”.

Pesquisa IPEC: Estável, ex-presidente Lula mantém liderança e venceria eleição presidencial no 1º turno

/ Política

IPEC diz que Lula lidera disputa presidencial. Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera as intenções de voto na corrida presidencial de 2022, de acordo com números da nova pesquisa do Ipec, contratada pela TV Globo e divulgada nesta segunda-feira (29). O petista se manteve estável, mantendo os 44% de preferência que obteve no levantamento divulgado no último dia 15 de agosto.

Jair Bolsonaro (PL), atual presidente da República, também se manteve estável, com 32% das intenções de voto. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) subiu um ponto percentual e chegou a 7% da preferência, enquanto a senadora Simone Tebet (MDB) saiu de 2% para 3%.

Felipe D’Ávila (Novo), que não pontuou na pesquisa anterior, chegou a 1% nesta semana. Já Vera Lúcia (PSTU), que teve 1% há 14 dias, agora não conseguiu pontuar. Os demais candidatos ficaram com 0%.

Brancos e nulos eram 6% e agora somaram 7%, enquanto os indecisos eram 7% e são 6% no novo levantamento. Conforme os números divulgados nesta segunda-feira pelo Ipec, Lula venceria a eleição presidencial no primeiro turno caso ela acontecesse hoje, pois a soma da pontuação dos adversários (43%) não ultrapassa os 44% alcançados pelo petista.

O Ipec entrevistou 2.000 eleitores entre os dias 26 e 28 de agosto em 128 municípios do Brasil. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o código BR-01979/2022. Com informações do site Bahia Notícias

Eleitores indecisos se frustram com poucas propostas dos presidenciáveis, mostra Datafolha

/ Política

Os eleitores indecisos, não convictos ou dispostos a votar em branco consideraram o primeiro debate presidencial opaco em propostas e frustrante devido à troca de ataques pessoais entre candidatos e ao machismo do presidente Jair Bolsonaro (PL).

A observação é de uma pesquisa qualitativa do Datafolha realizada durante o evento de domingo (28), que ouviu 64 pessoas indecisas sobre o voto do pleito de outubro. O levantamento não é representativo da população brasileira e visa a mostrar a percepção do grupo.

O debate organizado por Folha de S.Paulo, UOL e TVs Bandeirantes e Cultura reuniu por quase três horas os candidatos Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Bolsonaro, Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Luiz Felipe d’Avila (Novo) e Soraya Thronicke (União Brasil) na sede da Band, em São Paulo.

O universo de pessoas que pretendem votar em branco ou nulo é de 6%, segundo a última pesquisa Datafolha, realizada de 16 a 18 de agosto. Há, ainda, 2% que não sabem em quem votar. O debate foi considerado importante para a decisão eleitoral por 80% dos entrevistados pelo instituto. Já 67% disseram ter mudado de voto.

Os eleitores foram divididos em três salas virtuais com mediadores do Datafolha durante o debate. A cada bloco, avaliaram por meio de um aplicativo o desempenho de cada candidato e a satisfação em relação às suas respostas. Tebet foi a melhor classificada, seguida de Ciro Gomes.

Bolsonaro, candidato à reeleição, registrou o pior desempenho entre os entrevistados, distante dos demais postulantes no quesito. Parte da insatisfação veio dos ataques que ele dirigiu às mulheres, segmento que ele precisa conquistar na campanha.

No segundo bloco, nervoso com uma pergunta da jornalista da TV Cultura Vera Magalhães, disse que ela era uma “vergonha para o jornalismo brasileiro”. Também atacou Tebet e fez aferições de cunho machista.

”Bolsonaro gosta de reduzir as oportunidades de trabalho das mulheres, sempre cita salão e cozinha”, disse um entrevistado. ”Bolsonaro foi meio grosso com a jornalista” e ”ele gosta de deixar claro que lugar de mulher é em salão, cozinha e em casa”, afirmaram outros.

Outras observações foram: ”Bolsonaro está dando um tiro no pé. Em vez de mostrar suas propostas, ele só ataca os outros candidatos” e ”Bolsonaro começou a atacar muito, desrespeitou muito, toda hora chamando o Lula de presidiário. Podia ter um pouco mais de respeito, né? Bate, mas tem que ter um pouco de respeito”.

O desempenho do ex-presidente Lula também ficou aquém do esperado. Para os presentes, ele demonstrou preocupação em combater Bolsonaro e não apresentou propostas.

”Lula está muito focado em querer combater o Bolsonaro e está se perdendo em mostrar propostas concretas”, disse um eleitor. “Lula não convence mais, precisamos de sangue novo”, concluiu outro. As trocas de farpas entre os primeiros colocados nas pesquisas e o desvio às questões centrais não foram bem-vindos.

”Bolsonaro, Lula e Ciro estão com sérias dificuldades de responder às perguntas de maneira direta, nunca respondendo às perguntas sem citar o passado ou adversários.” Diante dos ataques, candidatos menos conhecidos nas pesquisas receberam mais atenção. Um dos entrevistados, antes dividido entre Lula e Bolsonaro, disse que o debate lhe permitiu conhecer Tebet.

”Gostei muito dela, achei que ela foi muito certeira no que queria falar… Então abriu um pouco mais a minha mente para os outros candidatos”.

A candidata, quarta nas pesquisas de intenção de voto, com apenas 2% na última pesquisa Datafolha, apresentou propostas como crédito para saúde e uma poupança para jovens estudantes de R$ 5.000 anuais, projeto considerado irreal por muitos dos entrevistados. ”Esse papo de R$ 5.000 para estudante é sem nexo”, disse um deles. Foi elogiada, entretanto, pela sua atuação na CPI da Covid.

De modo geral, os eleitores sentiram falta de planos para segurança pública, saúde, segurança, saúde, saneamento e meio ambiente. Muitos ainda seguem indecisos ou não convictos sobre a escolha em outubro. Entre aqueles que mudaram de opinião sobre os candidatos, as justificativas foram as propostas apresentadas pelos menos conhecidos. Disseram que gostaram de ouvir ‘vamos esquecer do passado e pensar no futuro”.

Os que não mudaram de opinião após o debate justificam que o debate ficou concentrado no passado. Na avaliação por blocos, Tebet ficou na liderança, acompanhada de Ciro, com valores próximos na escala de satisfação dos eleitores.

Bolsonaro apresentou o pior desempenho para o grupo. Foi o único que teve mais avaliações negativas (ruim e péssimo) nas suas respostas do que positivas (ótimo e bom). As respostas de Lula foram mais bem avaliadas no primeiro bloco, com mais da metade de avaliações positivas, e passaram a declinar. No terceiro, o petista teve seu mais baixo percentual de avaliações positivas, atrás apenas do atual presidente.

A metodologia da pesquisa reuniu cerca de 30 eleitores não convictos dos três presidenciáveis mais bem posicionados nas pesquisas, indecisos de outros candidatos e cerca de 20 que pretendem votar branco ou nulo.

A amostra agregou homens e mulheres de 22 a 69 anos de todas as regiões, escolaridade variada e renda familiar mensal entre dois e dez salários mínimos —o salário mínimo no Brasil, em 2022, é de R$ 1.212. Havia eleitores assalariados, autônomos, profissionais liberais, funcionários públicos, desempregados e estudantes.

Paula Soprana/Renata Galf/Folhapress

Em Jequié, Patrick Lopes reúne vice-prefeita, prefeitos e apoiadores durante inauguração de comitê

/ Política

Vice-prefeita Poliana apoia candidatura de Patrick. Foto: Divulgação

Em Jequié, candidato a deputado Patrick Lopes (Avante) inaugurou o seu comitê de campanha na última sexta-feira (26) e o evento político contou com a presença do prefeito de Jitaúna, Marcelo Pecorelli, da prefeita Rosa Baitinga de Teolândia, da vice prefeita de Jequié, Poliana Leandro; Danilo prefeito de Nova Itarana; Sampaio prefeito de Irajuba; João Véi prefeito de Lafaiete Coutinho; Tinho do Vale prefeito de Ubatã; vereadores de Jitaúna e dos municípios da região.

Durante seus discursos, os políticos destacaram a importância do nome de Patrick para a consolidação do Médio Rio das Contas e do Vale de Jiquiriçá, falando em mudanças e transformações estruturais para as cidades que compõem esses territórios.

Patrick Lopes, ao lado de apoiadores, lideranças e familiares agradeceu a presença do público e das autoridades políticas e reafirmou suas propostas políticas, caso seja eleito deputado estadual. ”Em toda minha caminhada Jequié foi a cidade em que mais aprendi sobre perseverança. Este dia, será um dia muito importante para mim, vai muito além da abertura do comitê na cidade sol, é a abertura de uma nova página da minha vida na cidade que tanto me ensina e apoia. Foi incrível sentir o apoio de grandes líderes da região e de tantas pessoas”, disse o candidato.

Em debate, Jair Bolsonaro se irrita com pergunta e ataca jornalista: ”Você é uma vergonha”

/ Política

”Você é uma vergonha para o Jornalismo”, disse. Foto: Reprodução/UOL

No primeiro debate entre os candidatos à presidência nas eleições deste ano, o segundo bloco do encontro foi marcado por ataques do atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), à jornalista da TV Cultura, Vera Magalhães. O chefe do executivo do Brasil se irritou com uma pergunta sobre a campanha de vacinação no país e o descrédito sobre os imunizantes.

”Vera, você dorme pensando em mim, você tem uma paixão por mim. Você não pode tomar partido em um debate como esse e fazer acusações mentirosas a meu respeito. Você é uma vergonha para o Jornalismo brasileiro”, afirmou Bolsonaro.

A discussão gerou a solidarização das candidatas Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (União). A senadora do União Brasil chegou a afirmar que Bolsonaro é “tchuca tchuca” com outros homens, mas que, normalmente, costuma ir para cima de mulheres.

”Quando homens são ‘tchuca tchuca’ com outros homens, mas vem pra cima da gente como tigrão, eu fico extremamente incomodada. Lá no meu estado tem mulher que vira onça, e eu sou uma delas. Eu não aceito esse tipo de comportamento e de xingamento”, disse Soraya. Com informações do Bahia Notícias

Hassan, Zé Cocá e Leur Lomanto mobilizam apoiadores durante carreata histórica em Jequié

/ Política

Carreta percorreu as principais ruas de Jequié. Foto: Divulgação

O candidato a deputado estadual, Hassan, e o candidato a deputado federal, Leur Lomanto, realizaram na tarde deste domingo (28), uma carreata no município de Jequié. O evento, coordenado pelo presidente da UPB e prefeito de Jequié, Zé Cocá, contou com a presença do prefeito de Aiquara, Delmar Ribeiro, vereadores e de milhares de pessoas que participaram em carros e motos. O percurso, iniciado pelo bairro Cidade Nova, seguiu na pelas ruas e avenidas de vários bairros da cidade. O encerramento ocorreu no comitê de campanha, no Centro, após mais de três horas de carreata.

Zé Cocá reafirmou o propósito da mudança que o projeto liderado por ACM Neto tem, na Bahia, e disse que, tanto Hassan quanto Leur Lomanto farão parte deste momento de reconstrução das políticas públicas no Estado.

”A demonstração do povo confirma o desejo de mudança que o governador ACM Neto trará ao estado e que faremos na nossa região, com ênfase no Médio Rio das Contas e Vale do Jiquiriçá, por intermédio dos mandatos de Leur e Hassan.”, afirmou Zé Cocá.

Hassan afirmou que a carreata foi um momento marcante e ressaltou o carinho das pessoas com o seu nome e o de Leur. ”Jequié nos abraçou e provou que está ao lado de quem quer a transformação social e que trará segurança pública de volta às cidades baianas e irá recuperar a nossa Educação. O povo mostrou que confia em nosso projeto, que será responsável por uma intensa fase de desenvolvimento no Estado e trabalhará para que todos tenham acesso à Saúde, além de oportunidades de emprego. Com fé em Deus, remos retribuir a confiança que a população nos demonstrou hoje.”, destacou Hassan.

Deputado Dal confirma visita de ACM Neto ao município de Jaguaquara no próximo sábado

/ Política

Dal e Ademir preparam recepção a ACM Neto. Foto: Rede social

O deputado estadual e candidato a federal Dal Barreto (UB) confirmou a visita do candidato a governador da Bahia ACM Neto (UB) ao município de Jaguaquara, no próximo sábado (3).

A visita de Neto ao maior colégio eleitoral do Vale do Jiquiriçá chegou a ser cancelada em outra ocasião, mas desta feita, já em período oficial da campanha o postulante ao Palácio de Ondina estará na capital do hortifrutigranjeiro para ato político a partir das 09h de sábado, com a concentração no Trevo da Onça, entrada da cidade.

Segundo o deputado Dal, Neto participará de uma carreata organizada pelo ex-prefeito Ademir Moreira e presidente local do União Brasil: ”Agora está confirmada a visita de ACM e será uma oportunidade para discutirmos o cenário político local e as perspectivas de novos rumos para Jaguaquara e toda a região a lado de Ademir e todo o grupo que nos apoia o nosso candidato  e que deu as caras defendendo a bandeira de Neto em todos lugares. Será também um momento especial para falarmos sobre que pensamos em relação ao futuro de Jaguaquara, disse o parlamentar.

Prefeito de Jiquiriçá destaca qualidades de Euclides; ”cumpre o que diz e tem palavra”

/ Política

Cascalho faz efusivos elogios a Euclides. Foto: Blog Marcos Frahm

O prefeito de Jiquiriçá, João Fernando, o Cascalho (PSB) destacou, durante inauguração do comitê de campanha do deputado estadual Euclides Fernandes (PT) o que ele classifica de principais virtudes do parlamentar, ao afirmar que Euclides ”cumpre o que diz e que é um político que trabalha e tem palavra”.

Cascalho fez efusivos elogios ao deputado e desejou-lhe rápida recuperação do processo cirúrgico ao qual foi submetido, depois de ser atingido por um coice de um cavalo ao participar de uma cavalgada no último (7) de agosto em Nova Cannã.

Se recuperando, Euclides compareceu ao ato político na noite de sexta-feira (26) de cadeira de rodas e se emocionou ao ser ovacionado por apoiadores, entre eles o prefeito de Jiquiriá, que nas eleições de 2018 transferiu mais de 52% dos votos válidos a Euclides para estadual e Josias Gomes (PT) federal.

Mais três prefeitos da oposição se aliam ao candidato Jerônimo Rodrigues nas eleições 2022

/ Política

Prefeitos declaram apoio a Jerônimo. Foto: assessoria Jerônimo

Depois dos prefeitos de Taperoá e Gandu, no começo do dia, os prefeitos Irmão Enoc (PP), de Camamu, Manoel Ribeiro (PP), de Igrapiúna, e Rosa (PP), de Teolândia, anunciaram apoio ao candidato a governador Jerônimo Rodrigues (PT). A legenda apoia a candidatura de ACM Neto (União Brasil) pelo Palácio de Ondina.

”Camamu tem lado, estamos do lado do trabalho, do lado do governador que mais trabalhou pela Bahia, do lado de Jerônimo Rodrigues”, afirmou o prefeito de Camamu. “Camamu é Jerônimo, Camamu é Rui, Camamu é Lula. É 13 lá e 13 cá”, complementou a vice-prefeita Professora Juciaria,que é do PT.

A prefeita de Teolândia destacou que Jerônimo é o nome do governador Rui Costa e que terá o apoio de Lula (PT) para fazer com que a Bahia avançasse ainda mais. ”Nós confiamos em Jerônimo, nós confiamos em Rui e estamos com esse time que trabalha muito. É Lula lá e Jerônimo cá”, garantiu Rosa.

O candidato petista assinalou que o investimento em Saúde será uma das marcas do seu governo. Ele confirmou a construção de um novo Hospital Regional em Valença, para atender o Baixo Sul e o Litoral Sul, caso seja eleito.

”Ao lado de Lula, eu farei mais e melhor do que o nosso governador Rui Costa. Eu vim do povo, não nasci em berço de ouro e chão de mármore, eu sei do que a população precisa. Nós vamos avançar ainda mais com a Bahia, consertar o que precise ser consertado e continuar o trabalho desse time”, afirmou Jerônimo.

Neto afirma que o governo não se compromete com a industrialização do interior há 16 anos

/ Política

Candidatos visita cidades do Sul baiano. Foto: assessoria/ACM Neto

O candidato a governador ACM Neto (União Brasil) afirmou neste sábado (27), em Pau Brasil, que pretende liderar um novo ciclo de industrialização do interior da Bahia, a fim de recuperar os empregos nos menores municípios. Disse ainda que nos últimos 16 anos os governos petistas não estiveram comprometidos com o tema, e que por isso diversas empresas se mudaram para estados vizinhos.

”Quando a gente olha para o interior da Bahia, percebe que nos últimos 16 anos não houve investimentos para que o interior crescesse. Com isso, as empresas deixaram a Bahia e foram para outros estados. E com elas, os empregos também foram embora. Tudo isso sob olhar complacente do governo do estado”, discursou.

Neto destacou que o seu plano de governo traz propostas para reindustrializar a Bahia de forma regionalizada, ou seja, explorando o potencial de cada porção do estado. ”No passado, nós vimos a Bahia ter um ciclo de desenvolvimento industrial no interior, e é isso que eu quero recuperar. Vamos levar fábricas para o interior, dar oportunidade de emprego para as pessoas vencerem na vida”, completou.

Em Pau Brasil, o candidato do União Brasil participou de uma carreata e depois de um comício, nos seu primeiros eventos públicos ao lado da prefeita Babi de Prado (PSD), que deixou a base governista em julho e declarou apoio ao candidato de oposição. A agenda também contou com Cacá Leão (PP), candidato ao Senado da coligação Pra Mudar a Bahia.

Em seu discurso, Babi de Prado pediu para que Neto ajudasse a criar empregos na microrregião de Pau Brasil, pois essa é a maior necessidade dos que nascem e crescem no município. ”Prefeita, tendo ouvido o seu discurso, não posso deixar de destacar que, infelizmente, a Bahia está em primeiro lugar do Brasil em número de desempregados”, respondeu Neto.

”A prefeita pediu que, caso eu seja eleito, ajude a trazer uma indústria para Pau Brasil. E eu quero dizer que isso é possível. Mas, é preciso ter vontade política e é preciso ter um governador comprometido com a geração de empregos, coisa que a Bahia não teve nos últimos 16 anos”, completou o candidato.

Mudar de verdade

ACM Neto afirmou que o maior desafio do próximo governador será fazer a Bahia ”mudar de verdade”. Ou seja, fazer com que a qualidade de vida do povo mude para além da realização de obras às vésperas da eleição e da realidade mostrada pela propaganda.

”A gente não vai mudar de verdade com um governador que chega aos municípios apenas faltando alguns dias para a eleição e traz obras eleitoreiras, com o objetivo de enganar as pessoas. A gente só vai mudar de verdade se tiver um governador que trabalhe em todos os quatro anos de mandato, um governador que encare os graves problemas do estado”, discursou.

Sobre isso, Neto lembrou que a Bahia é campeã nacional de violência desde 2012 e é último lugar no país no ranking de qualidade da educação. Além do desemprego, já citado, também destacou o drama vivido pelos baianos na longa espera na fila da regulação.

”Hoje existe um sistema que existe na saúde do estado que se chama QI, ou seja, ‘quem indica’. Se é amigo do governador, se é deputado ligado ao governador, então passa na frente da fila e consegue internamento. Mas, comigo vai ser diferente. Comigo, todos os baianos terão direitos iguais de acesso à rede de saúde”, disse.

Agenda

Nestr domingo, oito cidades receberão a comitiva da coligação Pra Mudar a Bahia, sempre em carreatas. São elas Apuarema, Itamari, Nova Ibiá, Piraí do Norte, Presidente Tancredo Neves, Teolândia, Wenceslau Guimarães e Gandu.

Durante comício na cidade de Itacaré, Rui diz que Jerônimo não é ”nenhum candidato nutella”

/ Política

Comitiva do PT na cidade de Itacaré. Foto: Ascom Jerônimo Rodrigues

Depois de visitar cinco cidades do Baixo Sul da Bahia, o candidato a governador do Estado pelo PT Jerônimo Rodrigues encerrou o giro pela região, no sábado (27), em Itacaré, cidade do Litoral Sul baiano. Além dele, o candidato ao Senado Otto Alencar (PSD) e o governador Rui Costa (PT) foram acompanhados por milhares de pessoas, que percorreram as principais ruas do centro da cidade e participaram de um comício, entre elas, prefeitos, vice-prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e lideranças políticas da região.

”Eu me junto a pessoas humanas, que não costumam esquecer do povo. Jerônimo representa a continuidade dessa proposta, iniciada por [Jaques] Wagner e tocada por Rui [Costa]”, discursou o prefeito de Itacaré, Antônio de Anísio (PT). Além de Anísio, acompanharam Jerônimo, os gestores de Taperoá, Kitty Guimarães (PP); de Gandu, Léo de Neco (PP); de Camamu, Enoc Silva (PP); de Igrapiúna, Manoel Ribeiro (PP); de Teolândia, Rosa Santana (PP); de Piraí do Norte, Ulysses Veiga (PP); de Presidente Tancredo Neves, Toin do Bó (PP); de Jussari, Antônio Valete (PSD); e de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD).

O governador Rui Costa (PT), que obteve 83,33% dos votos dos eleitores itacareenses nas eleições de 2018, afirmou que Jerônimo não é ”nenhum candidato nutella”. ”Cada um tem uma personalidade e um jeito, mas na alma, Jerônimo é igual a mim. Tem a cabeça de quem nasceu no interior, eu na favela, ele é filho de um vaqueiro, sempre estudou em escola pública, se tornou professor, foi meu secretário da Agricultura e me ajudou a elaborar o melhor programa do país, premiado pelo apoio dado aos pequenos agricultores baianos. Por saber que o cabra é bom e me deu muito orgulho, coloquei ele na Educação e hoje, a Bahia é o Estado que mais investe em educação no Brasil, ganhando até para São Paulo”, discursou Rui.

”Vamos manter esse ritmo e dou a minha palavra, firmo um compromisso em praça pública, de que tudo que Rui Costa não conseguir realizar até o dia 31 de dezembro, a partir do dia 3 de outubro, com fé em Deus e a vontade do povo da Bahia, iremos começar a transição do novo governo e iremos sentar com os prefeitos e prefeitas, com os consórcios [intermunicipais], e tudo aquilo que não deu tempo, os compromissos firmados, todos eles serão cumpridos por mim”, discursou Jerônimo.

Neste domingo (28), o candidato participa de gravações para o seu programa eleitoral. Na segunda (29), Jerônimo retorna a Vitória da Conquista, onde se reúne com empresários da região.

”Este ano nós daremos a resposta”, diz Roma em comício com Bolsonaro em Vitória da Conquista

/ Política

Roma e Bolsonaro em motociata em Conquista. Foto: Max Haack

O candidato a governador da Bahia, João Roma (PL), ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL), declarou, em um  comício em Vitória da Conquista na manhã deste sábado (27), que ‘nesses 200 anos [de celebração da Independência do Brasil], a Bahia vai se levantar e vai caminhar de mãos dadas com o Brasil”.

Sobre a virada que espera na Bahia, o ex-ministro da Cidadania fez outro prognóstico: ”Bolsonaro é um presidente que é atacado todos os dias e não foi o mais votado nas últimas eleições na Bahia, mas este ano nós daremos a resposta”.

Já a candidata do PL ao Senado, Raíssa Soares, que discursou antes, disse que Roma vai mudar o nosso estado. ”Porque é um homem justo, com conhecimento e é um homem da confiança de Bolsonaro”.

Para Roma, o povo baiano entenderá que é Bolsonaro que vem trazendo os maiores investimentos em infraestrutura para o estado após 16 anos de descaso petista com o estado.

”O PT não entregou sequer um quilômetro de BR duplicada na Bahia”, lembrou o candidato a governador do PL, observando que, com Bolsonaro, os recursos federais passaram a ser destinados a obras no Brasil e não mais serviram para financiar projetos em ditaduras apoiadas pelo PT em Cuba ou na Venezuela, por exemplo.

O ex-ministro ainda destacou que o Brasil, após a pandemia e uma guerra na Ucrânia, é a única nação do mundo a registrar deflação, uma economia pujante e atração de investimentos.

”Quem vota em Bolsonaro, vota em Roma na Bahia”. As últimas palavras de João Roma precederam a fala do presidente Jair Bolsonaro, que abriu o discurso fazendo a convocação popular para a celebração dos 200 anos da Independência do Brasil no Sete de Setembro.

”No próximo dia sete, todos nas ruas. Todos de verde e amarelo. Vamos mostrar ao mundo que estamos unidos no mesmo ideal. Mostrar cada vez mais que somos um só povo, uma só raça, um só país, querendo cada vez mais ocupar o lugar que merece em todo o mundo”.

Ressaltando que o estado é laico, mas o presidente acredita em Deus, Bolsonaro enfatizou a defesa da família, da lealdade ao povo e o respeito aos militares. Assinalou que o Brasil hoje apresenta os melhores números da economia mundial. ”O mundo hoje olha para o Brasil, porque sem o Brasil o mundo passa fome”, disse e destacou a sua posição contrária ao aborto, à ideologia de gênero e à liberação das drogas. ”Defendemos a família verde-amarela!”.

Ao reagir ao coro da multidão de ”Lula Ladrão, seu lugar é na prisão”, Bolsonaro afirmou: ”Nós sabemos de quem esse cara é candidato. Ele é o candidato da Globo!”, acrescentando: ”Nós venceremos a tudo e a todos para o bem da grande maioria de nosso povo, que acredita em Deus, na família e na liberdade”.

Na estreia de programa eleitoral na rádio, Neto ataca PT e Jerônimo Rodrigues se agarra em Lula

/ Política

Candidatos iniciam programas de rádio e TV. Foto: Reprodução

O primeiro programa eleitoral de rádio foi ao ar às 7h desta sexta-feira (26) e marcou o início dos embates dos candidatos ao Governo da Bahia. Nesta estreia, apenas ACM Neto (União) e Jerônimo Rodrigues (PT) participaram. João Roma (PL) e Kleber Rosa (PSOL) não se apresentaram.

O primeiro dos postulantes ao Palácio de Ondina a exibir seu programa foi o ex-prefeito de Salvador. Nos 4 minutos e 39 segundos reservados para ele, Neto adotou um tom leve simulando um programa de rádio, a Rádio 44. O candidato apareceu como um entrevistado, teceu críticas aos 16 anos de governo do PT e atacou áreas como segurança pública, saúde, educação e também o desemprego no estado.

Já o candidato do PT, em boa parte dos seus 3 minutos e 39 segundos buscou colar sua imagem a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Jerônimo teve menos inserções no próprio programa do que Lula, que participou duas vezes, contra uma do ex-secretário de Educação. Além disso, buscando um contraponto a Neto, Jerônimo enfatizou a origem pobre de menino do interior e a superação com os estudos e também citou as conquistas dos governos de Jaques Wagner e Rui Costa.

Ausentes nesta estreia, Roma conta com 1 minuto e 12 segundos de horário eleitoral e Kleber com 27 segundos. No rádio, o primeiro guia eleitoral começa às 7h da manhã, terminando às 7h25. Depois, às 12h (meio-dia), inicia-se a segunda edição do horário eleitoral, encerrando-se às 12h25. Já na televisão, a primeira apresentação do horário eleitoral começa às 13h e termina às 13h25. Durante a noite, às 20h, o segundo guia eleitoral vai ao ar, terminando às 20h25.

Às segundas, quartas e sextas, às emissoras de TV e rádio transmitem as propagandas eleitorais de candidatos a governador (10 minutos), senador (5 minutos) e deputado estadual (10 minutos). Às terças, quintas e sábados, será a vez dos postulantes a presidente da República (12 minutos) e deputado federal (13 minutos) (saiba mais aqui). Com informações do site Bahia Notícias

Bolsonaro faz discurso em tom de desabafo e recheado de palavrões a empresários em SP

/ Política

Bolsonaro fez um discurso em tom de desabafo. Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PL) fez um discurso em tom de desabafo e recheado de palavrões na manhã desta sexta-feira (26) em São Paulo. Em fala a empresários, o chefe do Executivo federal afirmou, entre outras coisas, que ocupar a cadeira presidencial ”é uma merda” e que ministros de governos anteriores ”não sabiam porra nenhuma”.

Bolsonaro também afirmou, sem citar o nome de Lula, que, se o Brasil voltar a ser governado pela esquerda, ela ‘não sai mais”. ”Esses caras vivem disso. Vivem do sangue da viúva. Achar que um dia um carrapato ou um verme vai sair por livre e espontânea vontade da vaca para virar vegetal, [quem acredita nisso] é um otário”, disse.

A Folha contou ao menos sete palavrões ao longo da fala de improviso. A plateia muitas vezes interrompeu a fala de Bolsonaro aos risos e com aplausos. O grupo de convidados era pequeno, com empresários ligados ao setor do comércio e aliados políticos, como o candidato ao Governo de SP, Tarcísio de Freitas, e os deputados Eduardo Bolsonaro e Gil Diniz.

O chefe do Executivo passará o dia em agenda em São Paulo. O primeiro compromisso foi essa cerimônia de inauguração do auditório da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), no centro da capital paulista.

À tarde, dará entrevistas ao programa ”Pânico”, da rádio Jovem Pan, e ao podcast ”Ironberg”, voltado ao público fisiculturista. À noite, Bolsonaro viaja a Barretos, no interior paulista, onde visita a tradicional festa rodeio da cidade.

Bruno B. Soraggi/Folhapress