Em passagem pelo Recôncavo baiano, Jerônimo defende fortalecimento de universidades baianas

/ Política

”Eu acredito que o desenvolvimento da Bahia”, disse. Foto: Divulgação

Durante carreata, realizada no Recôncavo da Bahia, o candidato ao governo Jerônimo Rodrigues (PT) ressaltou a necessidade de fortalecer o ensino universitário baiano. Em seu discurso, o postulante ao Palácio de Ondina prometeu atuar ativamente na criação de oportunidades para que os jovens possam se desenvolver e ampliar os programas de assistência estudantil e garantir a sua permanência na universidade.

”Eu acredito que o desenvolvimento da Bahia e de todo o Brasil passa por fortes investimentos na Educação. A nossa gestão irá atuar em parceria com nossas Universidades Estaduais, garantindo a ampliação de programas de assistência estudantil para auxiliar a permanência do estudante na universidade e vamos agir ativamente na questão de criação de oportunidades. Vamos garantir que nossos jovens tenham oportunidade no mercado de trabalho, essa integração é essencial para nossa economia, para o futuro profissional do jovem e para a formação acadêmica”, disse Jerônimo, neste domingo (23).

Na ocasião, Rodrigues disse aos presentes que já debateu a pauta com o candidato à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e afirmou que, caso seja eleito no dia 30, sua gestão na educação será marcada por investimentos em infraestrutura, valorização dos professores, implementação do ensino em tempo integral, oferta do ensino profissionalizante e por uma atuação coordenada com os municípios para fortalecer a educação baiana desde a base.

”Nós vamos atuar para ampliar a oferta do ensino em tempo integral na Bahia, a valorização dos professores, realização de concursos, nossos programas de assistência estudantil e nossos investimentos em infraestrutura são fatores essenciais para o desenvolvimento da educação baiana. Outro ponto muito importante que nós vamos atuar e na oferta do ensino profissionalizante, vamos atuar na criação de oportunidades para garantir que os nossos jovens tenham oportunidades, possam ser inseridos no mercado de trabalho, se desenvolver e fortalecer a economia baiana”, declarou Jerônimo.

O candidato do Time de Lula na Bahia agradeceu ainda a votação expressiva do ex-presidente Lula, do senador reeleito Otto Alencar (PSD), dos deputados e deputadas do time e sua própria votação.

ACM Neto volta á Jequié participa de carreata na cidade articulada pelo prefeito Zé Cocá

/ Jequié

Zé Cocá e apoiadores recepcionam ACM Neto. Foto: Divulgação

Candidato ao governo da Bahia, ACM Neto (UB), esteve em Jequié na manhã deste domingo (23), sendo recepcionado por apoiadores, pelo prefeito Zé Cocá (PP), pelo deputado federal Leur Lomanto (UB), pelo deputado estadual Sandro Régis (UB) e pelo deputado estadual eleito Hassan Iossef (PP), além de lideranças das cidades vizinhas.

Neto e o grupo de políticos que o apoiam fizeram o percurso em carro aberto. ”Vir a Jequié é sempre uma grande alegria e a emoção desse encontro representa o compromisso que temos com a população dessa cidade, do Médio Rio das Contas e do Vale do Jiquiriçá e é uma demonstração histórica de que a Bahia quer a mudança, após 16 anos de um projeto político que já se esgotou há anos e não representa os anseios do nosso povo!”, comentou Neto diante de uma multidão, ao final da carreata.

”Essa grande demonstração de força dos jequieenses enche o nosso coração de alegria e de felicidade. ACM Neto é a esperança de que a Bahia terá um governador capaz de transformar a nossa realidade e fazer o estado crescer e avançar, melhorando a vida de todos os baianos.”, afirmou o deputado estadual eleito, Hassan Iossef.

”Estamos felizes pela gigantesca festa que o povo de Jequié preparou para recepcionar o nosso governador, ACM Neto. Essa histórica carreata mostra que os jequieenses querem a mudança e a mudança representa ACM Neto, governador!”, comemorou Zé Cocá, prefeito de Jequié.

Justiça Eleitoral da Bahia pune ACM Neto por utilizar propaganda da Prefeitura de Salvador em campanha

/ Justiça

A Justiça Eleitoral da Bahia (TRE-BA) expediu liminar contra campanha do candidato ao governo, ACM Neto (União Brasil), para retirada de peças publicitárias que utilizam trechos produzidos pela comunicação da atual Prefeitura de Salvador, oriundos de verbas públicas. A decisão assinada pela juíza Carina Cristiane Canguçu Virgens determina a suspensão imediata das peças, ”sob pena de multa diária de R$ 2.000 por cada propaganda irregular veiculada”.

”A propaganda eleitoral do candidato [Acm Neto] faz uso das imagens como se fossem por ele produzidas, sem dar o devido crédito para a administração pública municipal, que, certamente, utilizou recursos públicos para a realização da publicidade”, diz a decisão, segundo o Bahia.ba.

Conforme a determinação eleitoral, publicada no sábado (22), a propaganda utilizada pela Coligação Pela Bahia, Pelo Brasil, confunde o eleitor e mostra que as ações divulgadas aparentam ser as mesmas que foram realizadas na gestão do ex-prefeito.

”As imagens aludem, em ambas as inserções televisivas, aos feitos do candidato e aos do atual prefeito de Salvador, como se fossem os mesmos atos de gestão”, avalia a juíza. ”Nesta perspectiva, tudo indica que a identidade das imagens usadas em ambas as propagandas favorece o candidato, pois possui aptidão para fazer o eleitor acreditar tratar-se a publicidade institucional de propaganda eleitoral do candidato representado.” A sentença também determina que as emissoras de televisão sejam informadas da decisão, ”para ciência e devido cumprimento”.

Pesquisa Atlas Intel: Jerônimo lidera disputa na Bahia com quase 10 pontos sobre ACM Neto

/ Política

ACM Neto e Jerônimo disputam o 2º turno. Foto: Reprodução

A uma semana para o segundo turno das eleições, a nova pesquisa Atlas Intel sobre a disputa pelo governo da Bahia, contratada pelo jornal A Tarde e divulgada neste domingo (23), aponta que Jerônimo Rodrigues (PT), lidera com quase 10 pontos de vantagem sobre o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União).

De acordo com o estudo, Jerônimo tem 54,8% das intenções de votos válidos, isto é, sem os brancos e nulos, enquanto ACM Neto aparece com 45,2%. As pessoas que não souberam responder representam 1,4%.

A pesquisa contou com 2 mil entrevistas feitas em todo o estado da Bahia entre os dias 18 e 22 de outubro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. TRE-BA BA-06502/2022. Com informações do site Bahia Notícias

Alexandre de Moraes diz que Jefferson descumpriu medidas impostas pelo STF para ordenar prisão

/ Justiça

Roberto descumpriu as medidas impostas pelo STF. Foto: Estadão

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirma na decisão em que ordenou a prisão preventiva de Roberto Jefferson que o ex-deputado descumpriu as medidas impostas pelo STF.

Além de transformar a prisão domiciliar com tornozeleira em preventiva, Moraes também ordenou a realização de busca e apreensão na residência de Jefferson. Jefferson é alvo de ação da Polícia Federal neste domingo (23). Ele reagiu à abordagem, atirou e lançou granadas na direção dos agentes, segundo a PF. Dois agentes foram feridos por estilhaços.

O ex-parlamentar foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República em agosto de 2021 por incitação ao crime por estimular a população a invadir o Congresso e a atacar instituições como o STF. Ele chegou a ser detido em uma penitenciária, mas Moraes concedeu prisão domiciliar com uso de tornozeleira. O ministro também elencou medidas restritivas que ele deveria cumprir.

Entre elas, não dar entrevistas, não receber visitas e não se valer das redes sociais para se comunicar. Moraes elenca na decisão ao menos três burlas de Jefferson as medidas impostas.

Segundo ele, Jefferson recebeu visita e repassou orientações a dirigentes do PTB, concedeu entrevista à rádio Jovem Pan e divulgou notícias fraudulentas contra ministros do STF.

No último dia 21, Jefferson descumpriu novamente as medidas ao atacar a ministra Cármen Lúcia e compará-la a “prostitutas”, ”arrombadas” e ”vagabundas”. A fala foi em um vídeo publicado por sua filha Cristiane Brasil (PTB) nas redes sociais.

”Diante do exposto, em face do reiterado desrespeito às medidas restritivas estabelecidas, restabeleço a prisão de Roberto Jefferson, a ser efetivada pela Polícia Federal, nos termos do art. 282, § 4º, do Código de Processo Penal, devendo ser recolhido, imediatamente, ao estabelecimento prisional”, afirma a Moraes.

Segundo a coluna Mônica Bergamo, da Folha, o STF recebeu informações de que o ex-deputado bolsonarista aumentaria o tom de seus ataques às instituições. Em prisão domiciliar, Jefferson manteria ainda um arsenal de armas em sua casa de forma irregular.

A decisão de prendê-lo foi tomada porque, a partir de terça-feira (25), ele não poderia mais ser detido, como determina a lei eleitoral. Segundo esta regra, ninguém pode ser preso a não ser em flagrante cinco dias antes das eleições.

A certeza de que Jefferson coordenaria ataques para desestabilizar o pleito levou a Corte a pedir a sua prisão neste domingo. Jefferson foi preso em agosto de 2021 em operação da PF autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes no âmbito da investigação que apura suposta organização criminosa atuando nas redes sociais para atacar a democracia.

Em junho, o STF decidiu, por nove votos a dois, tornar o ex-deputado réu sob acusação de calúnia, incitação ao crime de dano contra patrimônio público e homofobia. Os ministros decidiram abrir a ação contra o ex-deputado a pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República), devido a uma série de entrevistas nas quais Jefferson atacou o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), os senadores da CPI da Covid, o Supremo e as pessoas LGBTQIA+.

O político já havia sido condenado no escândalo do mensalão. O ex-deputado se lançou à Presidência da República neste ano, mas teve a candidatura barrada pelo TSE, que o considerou inelegível. Jefferson foi substituído por Padre Kelmon (PTB).

*por Fabio Serapião, Folhapress

Policial civil morre em troca tiros com suspeitos após deixar delegacia no bairro da Calçada, em Salvador

/ Polícia

Investigador morreu durante um troca de tiros. Foto: Redes Sociail

Um investigador da Polícia Civil morreu durante uma troca de tiros na manhã deste domingo (23), no bairro da Calçada, em Salvador.

Fábio Malvar de Moraes, de 55 anos, era lotado no Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc), conforme detalhou a Polícia Civil. Ele havia finalizando o plantão e tinha acabado de sair da unidade, acompanhado de outro policial, quando avistou três homens em atitude suspeita, na Rua Nilo Peçanha.

O policial abordou os suspeitos, mas o trio resistiu e houve troca de tiros. Fábio foi atingido no tórax e no braço esquerdo. Ele foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde já chegou sem vida. Não há informações se o colega do investigador também ficou ferido.

As guias para remoção e perícia foram expedidas. Equipes da Polícia Civil estão realizando diligências para tentar identificar e localizar os suspeitos. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) vai investigar a morte do policial. As informações são do G1

Casos de campanha eleitoral dentro de templos religiosos só chegou à Justiça em sete estados do País

/ Brasil

A campanha política dentro de templos religiosos só chegou à Justiça Eleitoral em sete estados do país, de acordo com Procuradorias, tribunais regionais e dados de Diários Oficiais.

As informações são de matéria da Folha S. Paulo. As decisões com punição a candidatos ou pastores foram dadas apenas quando houve, na avaliação dos magistrados, pedido de voto. A multa prevista para esses casos pode variar de R$ 2.000 a R$ 8.000, de acordo com a legislação.

Ainda de acordo com a Folha, o valor mínimo foi aplicado ao ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato ao Governo de São Paulo, e ao senador eleito Marcos Pontes (PL-SP) por decisões do TRE-SP. Há registro de ações semelhantes em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Pernambuco, Santa Catarina e Goiás. As ações podem ser propostas tanto pelo Ministério Público como por candidatos adversários.

Bolsonaro chama Roberto Jefferson de criminoso e bandido ao anunciar sua prisão pela PF

/ Brasil

Bolsonaro chama ex-aliado de de criminoso e bandido. Foto: Rede social

O presidente Jair Bolsonaro (PL) chamou o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), preso neste domingo (23), de criminoso e bandido.

O chefe do Executivo anunciou sua prisão em vídeo divulgado nas redes sociais. Jefferson, seu apoiador, já estava em prisão domiciliar e resistia ao novo mandado de prisão nesta tarde, após chamar a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Carmen Lúcia de ”prostituta”.

”Como determinei ao ministro da Justiça, Anderson Torres, Roberto Jefferson acaba de ser preso. O tratamento dispensado a quem atira em policial é o de bandido. Presto minha solidariedade aos policiais feridos no episódio”, afirmou.

Jefferson resistiu à prisão, disparou mais de 20 tiros de fuzil e lançou duas granadas contra policiais federais. Dois deles ficaram feridos.

Nas redes sociais, mais cedo, Bolsonaro havia repudiado as declarações do ex-deputado, e determinado que o ministro fosse ao local acompanhar o episódio.

Roberto Jefferson disparou mais de 20 tiros de fuzil e lançou duas granadas contra PF, diz investigação

/ Polícia

Sobre os tiros, um dos vídeos mostra o para-brisa do veículo. Foto: PF

O político de extrema direita Roberto Jefferson disparou mais de 20 tiros de fuzil e lançou duas granadas contra policiais federais, na manhã deste domingo (23). A Polícia Federal foi ao endereço do ex-deputado para cumprir uma ordem de prisão do STF (Supremo Tribunal Federal). O ministro Alexandre de Moraes afirma em sua decisão que Jefferson descumpriu medidas impostas anteriormente pelo tribunal. Fontes que participam da apuração do caso afirmam que os disparos foram realizados logo no momento da chegada do carro no local.

A ordem do ministro e a operação ocorrem um dia após Jefferson xingar a ministra Cármen Lúcia, ministra do STF (Supremo Tribunal Federal), e a comparou a ”prostitutas”, ”arrombadas” e ”vagabundas” em um vídeo publicado por sua filha Cristiane Brasil (PTB) nas redes sociais.

Após reagir e atacar os policiais, Jefferson divulgou vídeos para afirmar que não se entregaria à polícia e confirma ter atirado contra os policiais. ”Eu não vou me entregar. Eu não vou me entregar porque acho um absurdo. Chega, me cansei de ser vítima de arbítrio, de abuso. Infelizmente, eu vou enfrentá-los”, diz Jefferson em vídeo gravado dentro da casa do ex-deputado, em Comendador Levy Gasparian (140 km do Rio).

Sobre os tiros, um dos vídeos mostra o para-brisa do veículo da PF aparece estilhaçado. ”Mostrar a vocês que o pau cantou. Eles atiraram em mim, eu atirei neles. Estou dentro de casa, mas eles estão me cercando. Vai piorar, vai piorar muito. Mas eu não me entrego”, afirma.

*por Camila Mattoso e Fabio Serapião, Folhapress

Ex-deputado Roberto Jefferson foi preso após trocar tiros com agentes da Polícia Federal

/ Brasil

Roberto Jefferson foi preso neste domingo (23). Foto: Reprodução

O ex-parlamentar Roberto Jefferson foi preso neste domingo (23) após um confronto com a Polícia Federal. Ele reagiu ao mandato de prisão expedido pelo ministro Alexandre de Moraes e dois agentes foram baleados na ação (veja aqui).

Informações preliminares que chegaram ao comando da Polícia Federal em Brasília dizem de que o ex-deputado reagiu com tiros de fuzil e também teria lançado uma granada contra a equipe da corporação que foi até a sua casa.

Roberto teve o pedido de prisão domiciliar revogado por Alexandre de Moraes após os ataques contra a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF). O ex-parlamentar também estava proibido de usar as redes sociais.

O ex-deputado saiu acompanhado pelo advogado e será encaminhado à Superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro, antes de passar por exame de corpo delito no Instituto Médico Legal, quando então deve retornar ao regime fechado de prisão. Com informações do site Bahia Notícias

Potes de temperos têm mais bactérias que latas de lixo, diz estudo da Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos

/ Mundo

Um novo estudo feito na Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, mostra que potinhos de temperos podem ter mais microrganismos do que tábuas de carne e latas de lixo. Segundo o Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, o estudo foi encomendado pelo Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) e foi publicado em setembro na revista científica Journal of Food Protection.

Os pesquisadores da Escola de Ciências Biológicas e do Meio Ambiente da universidade norte-americana fizeram testes com 371 adultos que deveriam cozinhar uma receita de hambúrguer de peru em diferentes modelos de cozinha.

Os cientistas contaminaram propositalmente a carne usada no preparo com o bacteriófago MS2, um tipo de vírus que infecta bactérias mas é inofensivo para os seres humanos. O intuito era avaliar a circulação dos microrganismos em superfícies e utensílios dispostos em diferentes posições.

Eles ficaram surpresos em descobrir que 48% dos frascos de tempero estavam contaminados e continham mais microrganismos do que as tábuas de carne e as tampas de lixeiras, que apareceram na sequência. As torneiras abrigavam a menor quantidade de bactérias.

Licença-maternidade começa a contar a partir da alta hospitalar, decide Supremo Tribunal Federal

/ Saúde

O plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta sexta-feira (21) garantir o início da licença-maternidade a partir da alta hospitalar da mãe ou do recém-nascido, no caso de internações que passarem de duas semanas, e não da data do parto. Segundo O Tempo, o caso chegou ao Supremo por meio de uma ação protocolada pelo partido Solidariedade, e a decisão tem efeito imediato, valendo para as gestantes e mães que possuem contratos de trabalho formais.

Pelas regras da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), o afastamento da gestante ocorre entre o 28º dia que antecede o parto e a data de nascimento do bebê. A licença dura 120 dias, garantido para a mulher o salário-maternidade.

O caso foi julgado no plenário virtual, modalidade de votação na qual os votos são inseridos em um sistema eletrônico e não há deliberação presencial.

Deputados do PDT são únicos da oposição a apoiar CPI no Congresso sobre institutos de pesquisa

/ Brasília

Dois deputados do PDT, partido de oposição ao presidente Jair Bolsonaro (PL), foram os únicos da esquerda a assinar o pedido para criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que busca investigar suposto uso político de institutos de pesquisa para influenciar o resultado das eleições.

Flávia Morais (GO) e Pompeo de Mattos (RS) estão entre as 179 assinaturas protocoladas junto com o pedido de criação da comissão —para ser aceito, o requerimento precisava contar com pelo menos 171. Todas as demais são de partidos de direita, como Novo, centro-direita, como PSDB, União Brasil, MDB e PSD, e do centrão (PP, PL e Republicanos, que somam 135 assinaturas).

A Folha procurou ambos para saber o motivo do apoio. O deputado Pompeo de Mattos disse que precisava consultar sua assessoria para saber se havia assinado a lista —a coleta de assinaturas foi feita por bolsonaristas como Carlos Jordy (PL-RJ) e Eduardo Bolsonaro (PL-SP).

”Via de regra eu assino CPIs”, disse, antes de acrescentar novamente que precisaria checar esse caso específico. ”Eu tenho projetos de lei regulamentando a questão da pesquisa. Acho que, do jeito que está, não dá mais para ficar. Agora quanto a uma CPI tem que examinar bem, inclusive com meu partido.”

Pompeo é autor de dois projetos (um de 2000 e outro de 2008) que buscam proibir a publicação de pesquisas eleitorais nos 15 dias que antecedem as eleições. A deputada Flávia Morais não se manifestou. Procurado, o presidente do PDT, Carlos Lupi, disse que o partido ainda não discutiu a criação da CPI.

Para ser instalada, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), deverá analisar se há fato determinado e qual será o prazo de funcionamento do colegiado, que terá poderes de investigação de autoridades judiciais, como determinar diligências e quebrar sigilo bancário.

*Danielle Brant, Folhapress