Tempo de resposta para atendimento do SAMU em Jequié aumentou no período da pandemia

/ Jequié

Dr. Leonardo Simões, Coordenador do SAMU. Foto site Jequié News

O tempo de resposta nos atendimentos pelas equipes do SAMU de Jequié aumentou nesse período de convivência com a pandemia do coronavírus (Covid-19). Explicações às demandas dos usuários foram feitas pelo médico Dr. Leonardo Simões, coordenador do serviço, em entrevista na manhã desta quinta-feira (28), ao programa Primeira Página (Rádio Povo FM), ao comentar que vem ocorrendo nos últimos meses uma mudança na natureza das ocorrências, com a diminuição dos problemas relacionados aos traumas e o aumento significativo de solicitações de ordem clínica ou transferência hospitalar. O SAMU de Jequié tem sob sua responsabilidade, além da cidade de Jequié, outros 26 municípios pactuados, incluindo Jaguaquara, o mais populoso da região, depois de Jequié. Leonardo Simões disse que o maior número de ocorrências nos últimos meses são originários dos bairros  Jequiezinho e Joaquim Romão.

Retornando à questão do aumento do tempo de resposta aos chamados,  no período atual, o coordenador do SAMU explicou que a unidade dispõe de três equipes, uma das quais voltada para o atendimento aos pacientes com sintomas da Covid-19.  ”Os profissionais  e a ambulância destinada a essa equipe precisam adotar procedimentos de higiene, desinfecção, além dos equipamentos de proteção individual. A equipe pode estar retornando do encaminhamento de um desses pacientes ao hospital e aí tem que passar por todo o processo de higienização para atenderem a outro chamado e, isso demanda mais tempo-reposta”.  Leonardo Simões reconhece que a maioria das pessoas que liga para o SAMU [61 mil até este mês] é porque está necessitando de atendimento mas, admitiu que os 30% de trotes recebidos pelo órgão, são extremamente prejudiciais. ”As vezes não identificamos a ligação enviamos uma ambulância com a equipe e se trata de uma informação inverídica, perdemos tempo, que poderia ser utilizado para um paciente com necessidade real”, disse.

Mesmo afirmando que a prioridade do momento são os casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus, o médico afirmou que os chamados de urgência e emergência não deixam de ser atendidos. Também explicou a questão das entrevistas que são feitas pelos atendentes e o médico regulador e que às vezes irritam as pessoas, ”são normas estabelecidas pelo SAMU em todo o Brasil que nós podemos deixar de cumprir para encaminhar o atendimento a cada caso”.  O SAMU de Jequié conta com três equipes de atendimentos e igual número de viaturas, sendo uma motolância, uma ambulância  de suporte básico e uma de suporte avançado. Uma quarta ambulância foi cedida pela Secretaria de Saúde do município, em apoio ao atendimento a pacientes com a Covid-19. Simôes ainda sugeriu que as pessoas acometidas por problemas de grau leve devem evitar pedido de atendimento ao SAMU, principalmente à noite, por estarem tomando o lugar de um caso grave. Com informações do Jequié Repórter

Os comentários estão fechados.