”Decisão da justiça é para ser cumprida”, diz prefeita de Teolândia ao cancelar Festa da Banana

/ Justiça

Rosa se pronuncia com discurso no palco. Foto: Reprodução/Instagram

A prefeita Maria Baitinga de Santana, a Rosa, do PP, comentou a decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, em suspender a realização da XVI Festa da Banana, em Teolândia, Município do Baixo-sul baiano.

No palco onde se apresentaria o cantor sertanejo Gustavo Lima, na noite deste domingo (5), artista contratado pela Prefeitura por R$ 704 mil, Rosa se pronunciou ladeada de secretários e correligionários e desabafou ao dizer que não teria nem o direito de falar com o público sobre a decisão. ”Gente querida, que mora no meu coração, boa noite. Quero dizer a vocês que não seria esse o meu discurso, mas a gente não pode ir contra a decisão da Justiça, a Justiça está aí para ser cumprida. Quero agradecer aos policiais, a todo o serviço de segurança, na pessoa do Tenente Coronel Castilho, que me permitiu vim aqui falar para vocês, porque, minha gente, nem esse direito eu teria”, disse a mandatária ao anunciar ao cancelamento da festa.

A Justiça teria sido acionada pelo Ministério Público da Bahia sob suspeita de irregularidades nos gastos com a realização do evento, inclusive em ralação ao cachê pago ao sertanejo Gustavo, que já estava na região para a apresentação, mas retornou com o seu ônibus em direção a Salvador. A festa, que teve início no sábado (4) se encerraria no dia (13) de junho com diversos shows musicais.

Na decisão, Humberto Martins esclareceu: ”Cuida-se de gasto deveras alto para um município pequeno, com baixa receita, no qual, como apontado pelo Ministério Público da Bahia, o valor despendido com a organização do evento chega a equivaler a meses de serviços públicos essenciais”.

Os comentários estão fechados.