MPF vê ”indícios” de ligação de irmão de Geddel Vieira com bunker de R$ 51 milhões

/ Política

Polícia fez buscas no gabinete de Lúcio. Foto: Agência Câmara

A Procuradoria-Geral da República aponta indícios do envolvimento do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB/BA) ‘no recolhimento e guarda’ da fortuna de R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrada em um apartamento no bairro da Graça, em Salvador, no dia 5 de setembro. A pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, autorizou buscas no gabinete de Lúcio na Câmara e na residência dele, em Salvador, localizada em um prédio vizinho ao do irmão Geddel Vieira Lima, preso na Papuda, em Brasília, na Operação Tesouro Perdido. Nesta segunda-feira, 16, a PF fez buscas em quatro endereços ligados a Lúcio e ao secretário parlamentar dele, Job Ribeiro Brandão. A PF apreendeu documentos e mídias. A Operação Tesouro Perdido, inicialmente, estava sob responsabilidade da 10.ª Vara Criminal Federal em Brasília. Mas acabou sendo deslocada para competência do Supremo por causa do suposto envolvimento do deputado, que detém foro privilegiado na Corte máxima – segundo o empresário Silvio Antonio Cabral da Silveira, foi Lúcio quem pediu emprestado o apartamento no bairro da Graça, em Salvador, para estocar a fortuna. Segundo a Procuradoria-Geral, ‘o envio do caso ao STF deu-se em consequência de os investigadores terem encontrado indícios de envolvimento do parlamentar, que é irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima no recolhimento e guarda do dinheiro’. Ao todo, a PF cumpriu quatro mandados de busca e apreensão. “As medidas cautelares são um desdobramento das investigações que apuram a origem e a responsabilidade por R$ 51 milhões apreendidos, em Salvador, no dia cinco de setembro. Dos quatro endereços vistoriados pelos policiais federais, três são ligados a Lúcio Vieira e um, a seu secretário parlamentar, Job Ribeiro Brandão.” As cautelares foram solicitadas por Raquel Dodge, ‘após as investigações iniciadas na primeira instância, no âmbito da Operação Cui Bono, terem sido enviadas ao Supremo Tribunal Federal, na parte referente às investigações do crime de lavagem de dinheiro’. “O envio do caso ao STF deu-se em consequência de os investigadores terem encontrado indícios de envolvimento do parlamentar, que é irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima no recolhimento e guarda do dinheiro”, assinala a Procuradoria. Além das cautelares, a procuradora-geral pediu que as investigações relativas à Operação Cui Bono, que apura irregularidades na Caixa Econômica Federal, continuem sob competência da primeira instância. A ordem para as medidas cautelares foram dadas pelo ministro Edson Fachin como desdobramento da Operação Tesouro Perdido.

ONU vai deixar para 2018 decisão final sobre o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

/ Política

Lula apresentou queixa ao Comitê da UNO. Foto: Ricardo Stuckert

A ONU vai deixar para 2018 a decisão final sobre o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em julho de 2016, a defesa do brasileiro apresentou uma queixa ao Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas contra o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância. Segundo os advogados do petista, o magistrado estaria violando seus direitos de defesa em processos penais no âmbito da Lava Jato. Aos 71 anos de idade, Lula foi condenado em julho pelo juiz a 9 anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O caso passou a ser examinado pela ONU em outubro do ano passado.À reportagem, a assessoria de imprensa do Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos confirmou que a próxima reunião do Comitê das Nações Unidas, a ser iniciada na segunda-feira, 16, não incluiu o caso de Lula na pauta. A decisão sobre o ex-presidente, então, deve ficar para 2018, já que o próximo encontro dos peritos do colegiado está marcado para março do ano que vem.A entidade não vai avaliar o conteúdo da queixa, mas somente se cabe à ONU examinar o caso e fazer suas recomendações. Para que o tema seja aceito, a entidade em Genebra precisaria concluir que o sistema judicial brasileiro não tem a capacidade ou garantias suficientes de independência para tratá-lo.Apenas com essa etapa superada é que, então, o caso iria aos 18 peritos independentes do Comitê de Direitos Humanos, que se reúnem três vezes por ano.Em meados deste ano, os advogados de Lula voltaram à ONU e prometeram apresentar novos dados e documentos, tentando reforçar a tese de que existe um processo que viola os direitos de defesa de Lula. O informe foi apresentado por Geoffrey Robertson, chefe da equipe legal de Lula no exterior.O Comitê vive um acúmulo inédito de casos, com mais de 500 queixas em apreciação e uma capacidade de tratar apenas 30 delas a cada reunião dos peritos. Apenas casos que se mostrem emergenciais – como uma pena de morte – são autorizados a driblar a longa fila.

Com queda de Doria nas pesquisas, DEM foca em candidatura de Luciano Huck, diz coluna

/ Política

Tucano João Doria despenca em pesquisas. Foto: Reprodução

De acordo com a coluna do Estadão, a última pesquisa divulgada pelo Instituto Datafolha acabou com a animação do DEM em relação a uma possível candidatura do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), ao Palácio do Planalto. A publicação diz que membros da legenda se reuniram diversas vezes com o prefeito e abriu as portas para ele, mas o discurso mudou. Caso Doria continue caindo nas pesquisas, demistas afirmam que não irão entrar num ”projeto kamicaze” de comprar briga com o PSDB, um aliado histórico, e com Geraldo Alckmin para lançar o prefeito ao Planalto. Agora, o foco do partido se voltou para Luciano Huck, com quem a sigla mantém encontros frequentes. Um integrante do DEM chegou a afirmar que se Doria iniciar uma tendência de queda irreversível nas pesquisas ”nem ele será candidato se tiver juízo”. Outra possibilidade é a do DEM apoiar a candidatura de Geraldo Alckmin ao Palácio do Planalto, caso o tucano escolha o secretário Rodrigo Garcia para ser seu candidato ao governo de São Paulo.

ACM Neto pode desistir de candidatura e colocar o vice Bruno Reis na cabeça de chapa, diz site

/ Política

Site diz que Neto pode recuar e empurrar Bruno. Foto: Bocão News

O prefeito ACM Neto fez da ponte aérea Salvador – Brasília sua ”morada”. Toda semana desembarca na capital federal, mas não deixou, até o momento, o vice-prefeito tomar conta da capital baiana nestes primeiros 10 meses de gestão. Bom, se esta não é uma novidade para os observadores da política soteropolitana, a que vem a seguir é: começa a ganhar força nos bastidores do Palácio Thomé de Souza a possibilidade de Neto não sair para o governo e colocar Bruno Reis na cabeça de chapa. Duvida?

Nota do Bocão News

”Esses a população não perdoa”, afirma Alice sobre deputados que votarem a favor de Temer

/ Política

Para Alice, o povo não aguenta Temer. Foto: Blog Marcos Frahm

A deputada federal Alice Portugal (BA), líder do PCdoB na Câmara, afirmou que acredita que a ”pressão pública” fará os deputados votarem pelo envio da denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco ao Supremo Tribunal Federal (STF). ”Os deputados estão sendo constrangidos em suas bases. O povo não aguenta mais o governo Temer”, disse, em entrevista ao site Bahia Notícias. Nesta terça-feira (10), o relator da ação, deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), apresentou seu relatório na Comissão de Constituição e Justiça da Casa, pedindo o arquivamento do processo. Sobre o fato, a baiana demonstrou poucas esperanças de um resultado desfavorável ao presidente no colegiado, que deve apreciar o parecer do tucano na próxima semana. ”Nós sabemos que a comissão é um jogo de cartas marcadas. Um parecer que, lamentavelmente, não separou os três casos e que não inocenta eles a medida em que critica o MP”, criticou. Questionada se a oposição teria força para vencer ”no debate”, como ela mesma disse, a votação no plenário, já que o governo tem feito inúmeras promessas aos parlamentares da base por votos favoráveis, Alice aparentou confiança na possibilidade de virar o jogo para a oposição. ”Temos um mês para trabalhar. Espero que essa pressão das bases repercuta. Tem motivos de grande porte para liberar o STF para julgar Temer. O deputado que, diante de tantos elementos, se mantém estático por causa de favores, esse a população não vai perdoar”, declarou.

Lula diz que está ”lascado” com processos e quer pedido de desculpa do juiz Sérgio Moro

/ Política

Lula volta a criticar Sérgio Moro. Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu na noite desta segunda-feira (10), em discurso inflamado, que está ”lascado” com a quantidade de processos que são abertos contra ele a cada dia e disse não querer absolvição, mas um pedido de desculpas do juiz federal Sérgio Moro. ”Eu sei que eu tô lascado, todo dia tem um processo. Eu não quero nem que o Moro me absolva, eu só quero que ele peça desculpa. Eles estão mexendo com uma pessoa que tem como legado respeitar as pessoas, eu sempre respeitei os de baixo e os de cima”, declarou, acrescentando que não tem medo. ”Agora, não tenho medo, e não posso aceitar as mentiras que a Polícia Federal contou a meu respeito, não posso aceitar as mentiras que o Ministério Público contou e não posso aceitar o juiz Moro ter aceito as mentiras e ter feito o julgamento que fez”. Além da ação referente ao tríplex do Guarujá, pela qual ele foi condenado a nove anos de prisão, Lula é réu em outros seis processos. As falas de Lula aconteceram durante o Seminário da Educação Pública, organizado pela Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT. Lula voltou a defender que as ordens judiciais tem como objetivo impedir sua candidatura à Presidência da República em 2018. ”O objetivo é não deixar o Lula ser candidato? Eu não acho que o Brasil deveria sofrer por conta disso, eu não acho que eles deveriam levar 210 milhões de pessoas a sofrer, a voltar o desemprego só para prejudicar o Lula. Eles acham, e estão fazendo todo santo dia com a certeza de que nós vamos desistir da disputa”, argumentou. Lula apontou também que o problema ”deles” é o desenvolvimento de uma consciência política da população e desafiou seus opositores no que diz respeito a sua força política como cabo eleitoral. ”O problema deles não é o Lula, porque o Lula é feito de carne e osso e desaparece a qualquer momento. O problema deles é que neste país tem milhões e milhões de jovens, de adultos, de velhos como eu, de crianças que já aprenderam a ter consciência política. Então, se eles acham que me tirando da disputa está resolvido o problema deles, façam, e vamos ver o que acontece neste país. Eles chegam a dizer: ah, se o Lula não for candidato, ele não vai ter força como cabo eleitoral. Testem.”

pré-candidato à Presidência da República, Bolsonaro acredita em existência de complô para eliminá-lo

/ Política

Jair Bolsonaro fala em complô contra ele. Foto: Reprodução

Reportagem da revista ”Veja” desta semana revela mais uma faceta pitoresca do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato à Presidência da República. Em entrevista à publicação, o parlamentar relata que, certo dia, presenciou um assalto em que o ladrão disparou um tiro para cima, e pensou que o episódio poderia ser ”um alerta” para ele. ”Bolsonaro suspeita da existência de um ‘sistema’ interessado em eliminá-lo ”pelo fato de ser um outsider”, diz a revista. ”O patinho horroroso está ficando bonito. Por isso querem me tirar. Mas vão ter de tirar na mão grande”, desafiou o deputado.

João Doria diz não ver relação entre viagens e piora de sua avaliação em pesquisa

/ Política

Avaliação de João Doria cai em pesquisa. Foto: Folha de SP

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que não vê relação na piora de sua avaliação, conforme mostrou pesquisa publicada neste domingo (8), do Instituto DataFolha, com as viagens que tem feito no Brasil e para outros países. “Eu não creio que haja relação embora seja um direito das pessoas fazerem o seu juízo. Eu sou prefeito de uma cidade global, a capital do Brasil”, respondeu ele, a jornalistas, em evento, em São Paulo. Segundo Doria, ao fazer viagens, também faz políticas públicas, como, por exemplo, na área da saúde, na qual tem feito acordos operacionais com outras prefeituras para a compra de medicamentos em escala em troca de redução de custos. “No exterior, temos buscado financiamento e investimentos para o amplo programa de desestatização da cidade de São Paulo que começa a ser implementado no último trimestre do ano “, explicou o prefeito. Disse ainda que como “bom gestor” precisa olhar São Paulo como uma “cidade global” uma vez que é a maior do País e da América Latina. “O que for necessário vamos fazer ainda que isso possa provocar um momentâneo desgaste. Estou fazendo isso pelo bem da cidade e de seus cidadãos”, garantiu ele, que tem recebido críticas por suas viagens terem relação com uma pré-campanha para disputar a Presidência do Brasil. Conforme levantamento do Instituto Datafolha, publicado hoje, dia 08, pelo jornal Folha de S. Paulo, 49% dos paulistanos acreditam que suas viagens pelo Brasil trazem mais prejuízos do que benefícios à cidade. No entanto, 35% dos entrevistados aprovam a iniciativa. A maioria (77%) vê benefício pessoal a Doria enquanto 14% acreditam que São Paulo é beneficiado. Há, contudo, uma divisão de opiniões quanto à frequência de viagens do prefeito. Enquanto metade dos paulistanos consultados acredita que Doria viaja mais do que deveria, 40% consideram a frequência adequada. Neste sábado, 7, Doria estava em Belém (PA) para acompanhar o Cirio de Nazaré e essa semana ele viaja para a Itália. O prefeito disse que vai aproveitar o feriado no Brasil para “viajar e trabalhar enquanto muitos estarão descansando e orando”. A viagem à Itália, a convite do prefeito de Milão, segundo ele, visa à assinatura de um “amplo” acordo operacional nas áreas de cultura, revitalização urbana, educação e empreendedorismo, e com o prefeito de Veneza, na área cultural para a Bienal de Veneza e de São Paulo. Doria afirmou ainda que apresentará o programa de desestatização da cidade às empresas e indústrias italianas.

Ministério Público Federal pede aumento de pena para Lula em caso do tríplex no Guarujá

/ Política

MPF quer aumentar pena contra Luiz Inácio. Foto: Ricardo Stuckert

O Ministério Público Federal (MPF) entrou com um recurso junto à Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) nesta sexta-feira (6) pedindo um aumento da pena contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo caso do tríplex na cidade do Guarujá. No documento, divulgado pelo site O Antagonista, o MPF sustenta que Lula cometeu três crimes de corrupção, um para cada contrato da OAS com a Petrobras. Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a nove anos e meio de prisão em julho deste ano por um crime de corrupção e um de lavagem de dinheiro. A denúncia do MPF indicava que o ex-presidente recebeu R$ 3,7 milhões em vantagens indevidas pagas pela OAS. A maior parcela, de R$ 1,1 milhão, correspondeu ao valor do tríplex, cujas obras foram concluídas pela empreiteira.

Governador Rui Costa lidera pesquisa encomendada por Zé Ronaldo em Feira de Santana

/ Política

Rui lidera uma pesquisa em Feira de Santana. Foto: Divulgação

O governador Rui Costa (PT) lidera uma pesquisa encomendada pelo prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (DEM), para avaliar as intenções de voto na sua cidade em 2018. De acordo com o levantamento realizado pelo instituto Ipex Bahia, o petista aparece em primeiro, com 17%, na consulta espontânea, quando não são listados os nomes dos candidatos. O segundo colocado é o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que tem 9%, seguido do próprio gestor feirense, que aparece com 6%. De acordo com informações de fontes ligadas ao Palácio de Ondina, como a soma dos dois democratas juntos é de 15%, os dados, coletados no dia 10 de setembro, não serão oficialmente divulgados, mas foram vazados em grupos de WhatsApp. Além de Ronaldo, outro que não deverá concorrer ao comando do Executivo baiano, o senador Otto Alencar (PSD), é a opção de 2% dos entrevistados. As informações são do Bahia.ba

Folha de S. Paulo: Geddel Vieira Lima vendeu avião no valor de R$ 700 mil à J&F em 2012

/ Política

Geddel Vieira Lima vendeu avião à J&F em 2012. Foto: Facebook

A J&F, holding que controla a JBS e outras companhias dos irmãos Joesley e Wesley Batista, comprou um avião do ex-ministro Geddel Vieira Lima em 2012, no valor de R$ 700 mil. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, a transação foi realizada no período em que Geddel ainda era vice-presidente de pessoa jurídica da Caixa Econômica Federal, responsável, portanto, por liberar empréstimos a empresas, incluindo as do grupo. As investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal aponta que Geddel, entre 2011 e 2013, atuou para liberar crédito à J&F em troca de propina. O avião vendido por Geddel à J&F é uma Piper Seneca prefixo PT-WNP – a aeronave foi declarada pelo político como um de seus bens do político nas eleições de 2006 e 2010. Com dois motores, o modelo é destinado à aviação executiva. Segundo Folha, documentos apontam que a aeronave foi comprada em 2003 pelo peemedebista por R$ 210 mil. Deste modo, quando foi revendida em 2012 à J&F, registrava uma valorização de 90%, eliminada a inflação. Após a operação, o avião mudou de propriedade outras três vezes: em janeiro de 2013 para a empresa Rodopa Alimentos por R$ 651 mil, quatro meses depois de um ex-diretor da JBS, Sérgio Longo, ter comprado a Rodopa Alimentos. No ano seguinte, a JBS arrendou fábricas desta companhia com autorização do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Em setembro de 2014, a aeronave foi recomprada pela J&F por meio da JBS. Em março do ano passado, a JBS vendeu o avião para a Vegas Constutora, sediada no interior de São Paulo. Já Geddel adquiriu a aeronave da Politec, empresa do setor de tecnologia da informação, em valor considerado baixo por especialistas no mercado de aviação – à Folha, eles afirmam que um avião deste modelo custaria em torno de R$ 800 mil. O valor desembolsado pela J&F, no entanto, estaria dentro dos padrões do mercado. A Politec é citada em contratos suspeitos com o poder público e foi denunciada na Operação Caixa de Pandora, que apurou irregularidades em contratos no governo do Distrito Federal. A empresa também foi investigada na CPI dos Correios. Em 2009, ao ser questionado sobre o avião, Geddel disse que foi uma doação de seu pai, o ex-deputado Afrísio Vieira Lima. Nessa mesma época, a reportagem revelou que o piloto do avião integrava o gabinete de um aliado do peemedebista na Câmara dos Deputados. Além do avião, o ex-ministro tem outras relações com a JBS: dono de fazendas na região de Itapetinga, no médio sudoeste baiano, ele vende gado para a JBS, que possui um frigorífico no município.

Otto afirma que votará a favor do afastamento de Aécio, mas pede que Senado adie decisão

/ Política

Otto defende afastamento de Aécio. Foto: Agência Senado

O senador Otto Alencar (PSD-BA) defendeu o adiamento da votação do Senado sobre o afastamento de Aécio Neves, após a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal decidir afastar o político do cargo. Porém, durante o discurso em plenário, Otto revelou seu voto e disse que votará a favor do afastamento do senador tucano.  ”Venho dar meu depoimento com muita coragem, senhor presidente, tenha prudência, não coloque isso pra votar, espere a decisão deixe para votar dia 11. Se votado hoje, eu não tenho como esconder minha posição  será favorável a decisão do Supremo Tribunal Federal, porque decisão judicial não se discute, cumpre-se”, afirmou. Otto Alencar qualificou à gestão de Aécio Neves enquanto governava Minas Gerais e disse que doía muito o julgar. ”O caso dele não é caso de prisão é um recolhimento a noite na sua residência, portanto, é se esperar o dia 11 para essa decisão. Faço isso de forma dolorosa.  Não sou da geração dele, eu tenho 70 anos de idade. Vi a renúncia de um amigo meu, senador ACM, sendo acusado de violação do painel do Senado Federal. Não foi ele que fez. Dói muito em mim saber que eu tendo e vendo na figura do senador Aécio Neves, grande governador de Minas Gerais, que fez seu sucessor, e ele teve um momento que encarnava o sentimento de uma gestão nova, de um Brasil novo, pra frente. Dói em mim saber que ele esta envolvido em um caso grave”. ”Venho com muita tranquilidade. Sempre tive cuidado em respeitar a lei e não fazer nada que pudesse macular a minha imagem. Essa Casa nunca tomou a iniciativa de dizer ”vamos ler o pedido de impeachment do ministro do Tribunal. Me perdoe, mas por falta de decisão e coragem de não se colocar de frente ao Supremo. Quero pedir que vossa excelência tenha prudência, equilíbrio, essa luta já vem de tempo. Não vai ser agora que essa turma toma uma decisão apertada, que nós vamos agora depois de tanto se ajoelhar, dizer agora não, agora vamos tomar uma decisão para testar a decisão judicial. Decisão judicial não se discute, cumpre-se”. O senado analisa o requerimento para adiamento da votação do Ofício 70/2017, que trata das medidas cautelares decididas pelo STF contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Ministério Público Eleitoral pede a cassação do prefeito e nova eleição em cidade baiana

/ Política

Sosthenes, blusa azul, é prefeito de Pedrão. Foto: Reprodução

O Ministério Público Eleitoral pede a cassação do prefeito e vice-prefeito do município de Pedrão, interior da Bahia, Sosthenes Campos e Gildásio Vieira, além de determinar novas eleições para o preenchimento dos cargos. Na peça, assinada pelo promotor André Mota, o MP ainda aplica a sanção de inelegibilidade por oito anos de Sosthenes Campos e o ex-prefeito Jacob Pereira da Silva. A ação foi movida pela coligação ”Com a vontade do povo”. Há acusações contra o ex-prefeito Jacob da Silva, que apoiou a candidatura de Sosthenes Campos de abuso de poder público e econômico. Ele teria usado servidores públicos e fornecedores da prefeitura em beneficio da campanha politica, ”efetuando pagamentos indevidos como se tivesse doando bens nos meses junho, julho, agosto e setembro e deixando e repassar o duodécimo da câmara, numa tentativa neutralizar os vereadores de oposição”. Contra Sosthenes pesa a acusação de recebimento irregular de salário. Mesmo tendo se desincompatibilizado do cargo de secretario de saúde em junho de 2016 para disputar a Prefeitura de Pedrão, ele ficou recebendo mensalmente o salário de R$ 2,4 mil. Há ainda a acusação de que a empresa de Sosthenes, a Serravale Campos & Cia Ltda continuou a vender mercadoria para a prefeitura nos meses de junho, julho e agosto de 2016. As informações são do Bocão News

Mesmo se for condenado Lula tem potencial de influenciar na eleição 2018, diz Datafolha

/ Política

Lula pode influenciar os votos. Foto: Ricardo Stuckert

De acordo com um levantamento do Datafolha o ex-presidente Lula pode influenciar os votos de metade dos eleitores de baixa renda e menor escolaridade. Os dados mostram que Lula tem potencial para ser um cabo eleitoral nas eleições de 2018, mesmo que tenha condenação por corrupção confirmada e fique fora da disputa pela presidência. A pesquisa eleitoral conduzida na última semana mostrou que, entre eleitores que completaram apenas o ensino fundamental, 41% responderam que votariam “com certeza” no candidato a presidente apoiado por Lula. Outros 14% disseram que ”talvez” fizessem essa escolha. No grupo com renda de até dois salários mínimos, que representa quase metade do eleitorado brasileiro, 35% afirmaram que votariam no candidato apoiado pelo ex-presidente e 17% responderam que talvez optassem por esse nome.