PT registra candidatura de Lula à Presidência com Fernando Haddad de vice no TSE

/ Política

PT tem até setembro para troca de candidato. Foto: Estadão

O PT registrou na tarde desta quarta-feira 915), último dia do prazo, a candidatura à Presidência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato, com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad na vice. O documento foi entregue ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por volta das 17h20. Com a candidatura registrada, o partido agora tem até dia 17 de setembro para troca de candidato, caso o ex-presidente seja impedido de concorrer com base na Lei da Ficha Limpa. Ao TSE, o petista declarou ter patrimônio de R$ 7,988 milhões. ”O registro da candidatura de Lula é um ato de obediência à vontade do povo e à Constituição Federal”, disse Haddad em nota divulgada no site oficial da campanha. A campanha eleitoral começa oficialmente na quinta-feira (16), e os prazos para pedidos de impugnação começam a contar a partir do dia 18. É possível a candidatura de Lula seja julgada em 7 de setembro.

”Repudiamos a conduta dele”, diz presidente do PSL sobre Kannário ser candidato a deputado

/ Política

Cantor Igor Kannário (PHS) será candidato a federal. Foto: CMS

O PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, não digere bem a candidatura do vereador de Salvador, Igor Kannário (PHS) a deputado federal na coligação com o PRTB e PPS.  A legenda tem recebido manifestações contrárias à presença no grupo do cantor conhecido como ”Príncipe do Guetto”. ”Repudiamos a conduta dele”, disse ao site bahia.ba a presidente do PSL na Bahia, Dayane Pimentel. A dirigente diz que a legenda busca conversar com o PHS, mas entende que ele é apto a se candidatar. ”E nós vamos lutar para que os votos dele eleja alguém de bem. Ele é nosso concorrente”, disse ela. Embora fechada nacionalmente junto ao PRTB, no estado, a coligação que incluiu o PPS e PHS passou pela retirada da candidatura do vice de João Henrique, que era do PSL e acabou sendo substituído por um membro do próprio PRTB. Além disso, o PSL baiano também ainda não definiu quem irá apoiar no pleito ao Palácio de Ondina, mesmo com o ex-prefeito de Salvador dizendo que se tornaria ”favorito” com o apoio de Bolsonaro.

Levantamento mostra o deputado Paulo Magalhães como candidato à reeleição mais rico; veja ranking

/ Política

Deputado Paulo declarou R$ 16.683.655,72. Foto: Blog Marcos Frahm

O deputado federal Paulo Magalhães (PSD) é o candidato à reeleição que declarou o patrimônio mais robusto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Conforme levantamento feito pelo site Bahia Notícias, baseado no sistema Divulga Cand, o parlamentar declarou R$ 16.683.655,72. Seguida aparece Lucio Vieira Lima (MDB), com bens de R$ 11.235.928,92. Cláudio Cajado aparece logo atrás, com R$ 11.124.956,55. Chama atenção é que, dos quatro com menor patrimônio, dois são do PRB.  A presidente da legenda na Bahia, Tia Eron, aparece com R$ 38,3 mil, e Marcio Marinho, com R$ 309.028,06, ambos da Igreja Universal do Reino de Deus.

Confira abaixo a lista completa:

1 – Paulo Magalhães (PSD): R$ 16.683.655,72;
2 – Lucio Vieira Lima (MDB): R$11.235.928,92;
3 – Claudio Cajado (PP): R$11.124.956,55;
4 – José Rocha (PR): R$7.286.824,48;
5 – Aleluia (DEM): R$ 6.257.041,86;
6 – José Nunes (PSD): R$4.285.968,31;
7 – Jonga Bacelar (PR): R$3.719.709,13;
8 – Elmar Nascimento (DEM): R$3.092.652,53;
9 – Carletto (PP): R$2.931.612,84;
10 – Felix Mendonça (PDT): R$2.414.766,83;
11 – Mario Negromonte JR (PP): R$2.281.417,64;
12 – Antonio Brito (PSD): R$2.178.108,34;
13 – Arthur Maia (DEM): R$ 1.789.813,86;
14 – Paulo Azi (DEM): R$1.671.368,80;
15 – Imbassahy (PSDB): R$1.670.429,09;
16 – Alice Portugal (PCdoB): R$1.217.987,08;
17 – Benito Gama (PTB): R$1.063.155,77;
18 – Waldenor Pereira (PT): R$1.011.070,73
19 – Sergio Brito (PSD): R$1.000.901,58;
20 – Daniel Almeida (PCdoB): R$939.020,00;
21 – José Carlos Araújo (PR): R$858.741,83;
22 – Cacá Leão (PP): R$819.034,57;
23 – Jorge Solla (PT): R$646.715,27;
24 – Pelegrino (PT): R$600.000,00;
25 – Caetano (PT): R$ 476.500,00;
26 – Bacelar (Podemos): R$413.246,77;
27 – Josias Gomes (PT): R$400.412,38;
28 – Afonso Florence (PT): 385.743,71;
29 – Marcio Marinho (PRB): R$309.028,06;
30 – Uldurico Junior (PPL): R$145.577,65;
31 – Erivelton Santana (Patriota): R$56.700,00;
32 – Tia Eron (PRB): R$38.347,10.

Eleições 2018: Paraná pesquisas aponta Bolsonaro na frente, seguido de Marina, Ciro e Alckmin

/ Política

Jair Bolsonaro, candidato à Presidência pelo PSL. Foto: Estadão

O deputado Jair Bolsonaro, candidato à Presidência pelo PSL, segue na liderança na corrida presidencial, segundo uma sondagem nacional divulgada pela Paraná Pesquisas nesta quarta-feira (15), JB tem 23,9% das intenções de voto, no cenário sem a participação de Lula, que deve prevalecer com a provável decisão do TSE sobre a inelegibilidade do ex-presidente. Atrás de Bolsonaro, vêm Marina Silva, do Rede, com 13,2%; Ciro Gomes, do PDT, com 10,2%; Geraldo Alckmin, do PSDB, com 8,5%; Alvaro Dias, do Podemos, com 4,9%; e Fernando Haddad, do PT, com 3,8%. A Paraná Pesquisas ouviu 2.002 eleitores em 26 Estados e no Distrito Federal, entre os dias 9 e 13 de agosto, e já capta o impacto do debate na Band entre os presidenciáveis. A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa foi registrada no TSE sob o nº BR-02891/2018. Praticamente desconhecido até a realização do debate da Band com os presidenciáveis na semana passada, o Cabo Daciolo, do Patriota, lidera o pelotão dos nanicos na corrida presidencial, no cenário sem a participação de Lula. Segundo o mesmo levantamento, Daciolo tem 1,2% das intenções de voto. Como a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, ele está tecnicamente empatado com João Amoêdo, do Novo, com 1,1%; Henrique Meirelles, do MDB, e Vera Lúcia, do PSTU, com 0,9%; Guilherme Boulos, do PSOL, com 0,7%; José Maria Eymael, do DC, com 0,6%; e João Goulart Filho, do PPL, com 0,4%. A Paraná Pesquisas ouviu 2.002 eleitores em 168 municípios de 26 Estados e no Distrito Federal, entre os dias 9 e 13 de agosto. A sondagem já capta o impacto do debate na Band entre os presidenciáveis, realizado na semana passada. A pesquisa foi registrada no TSE sob o nº BR-02891/2018. (BR18)

Jequié: Empossado vereador, Chico assume mandato e discurso é marcado por elogios a Antônio Brito

/ Política

Chico de Alfredo assume mando na Câmara. Foto: Marcos Frahm

Suplente de vereador, Chico de Alfredo (PSD) foi oficialmente empossado para o cargo na Câmara de Jequié, durante sessão ordinária realizada na tarde desta terça-feira (14), conduzida pelo presidente Emanuel Campos (PV), que deu posse ao novo integrante. Chico não é novato e retorna a casa onde já exerceu o cargo de parlamentar, até dezembro de 2016, quando não obteve êxito ao tentar a reeleição, ficando na suplência. Além disso, Chico passa a ser o novo membro da base do prefeito Sérgio da Gameleira (PSB). Ele assume a cadeira em lugar de Soldado Gilvan (PPS), que se licenciou para se dedicar a sua campanha de deputado estadual. Em troca, Chico apoiará a candidatura de Gilvan, na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa da Bahia. Apesar de aliado do prefeito, o vereador empossado foi logo sinalizando que não está nem um pouco satisfeito com o tratamento que a gestão municipal tem dado a comunidade onde reside, no bairro Curral Novo, sua principal base eleitoral. Disse que as melhorias são apenas na troca de lâmpadas e relembrou que, as últimas obras na localidade, pavimentações de ruas, ocorreram quando o atual governador Rui Costa (PT) exercia o cargo de deputado federal e destinou emendas para as obras através da intervenção do deputado estadual Euclides Fernandes (PDT). Mas o discurso do vereador foi marcado mesmo por elogios direcionados ao deputado federal e correligionário político Antônio Brito (PSD). Chico enalteceu Brito, fazendo afirmação de que o aliado é o deputado que mais tralha por Jequié e não escondeu que arregaçará as mangas para angariar votos para Gilvan e Brito. ”Vamos trabalhar para eleger Gilvan deputado estadual e Antônio Brito federal. Cadê as emendas do deputado, são várias. Antônio Brito trouxe a Santa Casa, que hoje é realidade, com um trabalho importante”.

Patrimônio de Zé Ronaldo duplicou nos últimos 5 anos; bens incluem apartamento de R$ 6 mil

/ Política

Bens de Zé Ronaldo chegaram a R$ 2,1 milhões. Foto: Democratas

Desde que assumiu pela terceira vez a prefeitura de Feira de Santana, em 2013, o candidato ao governo do estado José Ronaldo (DEM) viu o seu patrimônio duplicar nos últimos 5 anos. Em 2012, o prefeito era dono de mais de R$ 1 milhão em bens. O patrimônio cresceu e, quando Ronaldo se licenciou para disputar o governo em 2018, os seus bens chegaram a R$ 2,1 milhões de acordo com os dados disponibilizados pelo candidato para o registro do seu nome no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O que mais chama a atenção na declaração de bens do ex-prefeito são seus imóveis. Em 2016, José Ronaldo se disse dono de um apartamento no Edifício Valério, na Pituba. Apesar de estar localizado em um dos bairros com metro quadrado com custo alto em Salvador, a casa foi avaliada, na declaração de Ronaldo, em R$ 6 mil. Dos cerca de R$ 60 mil que o candidato afirma ter em imóveis, 4 fazendas estão incluídas. Uma delas, com mais de 158 hectares, foi avaliada em R$ 8 mil. De acordo com a declaração de 2018 do gestor, maior parte da sua fortuna está concentrada em aplicações e investimentos, um total de R$ 600 mil. Com informações do Bahia Notícias

Patrimônio de Rui Costa cresce 255,8% aproximadamente em quatro anos

/ Política

Avaliação dos bens é de R$ 674.317,43. Foto: Diego Mascarenhas

O patrimônio de Rui Costa (PT) cresceu em 255,7% nos últimos 4 anos, desde que o petista assumiu o governo do Estado em 2014. De acordo com a declaração de bens do governador, anexado ao registro da sua candidatura a reeleição no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a avaliação de bens de Rui foi de R$ 189.544,79 em 2014 para R$ 674.317,43 em 2018. A principal diferença entre as declarações está na anexação de um apartamento aos bens do gestor. Em 2010, quando foi eleito para o posto de deputado federal, Rui declarou ser dono de um total de R$ 192.993,56 em bens. De lá para cá, o patrimônio do gestor, que é formado em economia, ficou composto em parte de aplicações e investimentos e do apartamento avaliado em R$ 632 mil. Informações do Bahia Notícia

TRE-BA determina que Coronel deixe de veicular propaganda antecipada pelo WhatsApp

/ Política

Coronel foi denunciado por Jutahy Magalhães. Foto: Facebook

A desembargadora Carmen Lúcia Santos Pinheiro, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), determinou que o candidato a senador Angelo Coronel (PSD) deixe de reproduzir e encaminhar no WhatsApp um material considerado propaganda eleitoral antecipada. A magistrada atendeu pedido feito pelo PSDB, que tem como candidato ao Senado o deputado federal Jutahy Magalhães Jr. Ainda segundo a desembargadora, caso a decisão seja desrespeitada, Coronel terá que pagar multa diária de R$ 1 mil. Segundo a representação ajuizada pelo partido, o candidato a senador pelo PSD fez circular, antes de ser registrado candidato, uma mensagem que dizia ”sou candidato a senador-PSD”, trazendo, ainda, o número que ele adotará nas urnas: “Angelo Coronel 555”. Para a desembargadora, o ato teve ”intenção eleitoreira, porquanto, ainda que não haja pedido expresso de votos, há flagrante referência à eleição vindoura”. ”A mensagem foi encaminhada em afronta à legislação eleitoral, posto que somente a partir do dia 16 de agosto da eleição vindoura é que estará autorizada a realização de propaganda eleitoral”, defendeu a magistrada. Com informações do Bahia Notícias

Quase candidato ao governo do Estado, deputado federal João Gualberto desiste da reeleição

/ Política

Deputado João Gualberto desiste da reeleição. Foto: Reprodução

O deputado federal João Gualberto (PSDB) desistiu de ser candidato à reeleição, conforme informado por ele mesmo ao Bahia Notícias, nesta terça-feira (14). Quase postulante ao governo da Bahia, quando se colocou ao pleito após o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), desistir de concorrer ao Palácio de Ondina, o tucano alegou cansaço do Congresso Nacional. ”Não vou ser mais candidato a deputado. Não é de hoje. Fui prefeito, gostei, mas Câmara… É ambiente ruim, chato, horroroso. Fiquei contrariado lá. Foi para o meu extremo. Contribui para a sociedade, de fato, para mostrar que é possível”, afirmou, ao BN. Ainda de acordo com Gualberto, ele não vai deixar a presidência estadual do PSDB e ainda vai contribuir para campanha de Geraldo Alckmin à presidência da República. ”Vou participar, continuar participando, contribuir, mas deputado não quero mais. Não volto, não gostei. Por que eu demorei para anunciar? É muito difícil essa decisão. Vai tentando, vai remoendo”, completou.

Pré-candidato a governador da Bahia, João Henrique está na lista de prováveis inelegíveis

/ Política

João Henrique está na lista dos fichas sujas. Foto: Reprodução

O ex-prefeito de Salvador por dois mandatos e candidato ao governo nas eleições deste ano, João Henrique Carneiro (PRTB) deve ficar inelegível para o pleito de outubro já que possui quatro processos na lista de gestores e ex-gestores com contas reprovadas, entregue ontem pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), José Edivaldo Rotondano. Reprovação pelos tribunais de contas é um dos critérios considerados pela Justiça Eleitoral para fins de inelegibilidade com base na Lei da Ficha Limpa. Para isso, contudo, é preciso que o pleno do TRE considere que houve dolo. Em 2010, quando João Henrique teve sua primeira reprovação de contas, o TCM detectou que a prefeitura gastou mais do que arrecadou em 2009, aplicou recursos abaixo do obrigatório no setor da educação, contratou empresas sem licitação e pagou altas multas por causa do atraso na quitação de contas, entre outras irregularidades. Tanto o presidente do TCM, conselheiro João Andrade Netto, quanto o do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Gildásio Penedo, entregaram a lista dos gestores com contas reprovadas entre os anos de 2010 e 2018 à Justiça Eleitoral na tarde de ontem. São 486 processos d 349 gestores na lista do TCE e outros 1206 processos do TCM.

Bolsonaro afirma que assessora que vende açaí em Angra dos Reis pediu demissão nesta segunda

/ Política

Candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro. Foto: Estadão

O candidato à Presidência da República pelo PSL nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, afirmou que sua assessora parlamentar Walderice Santos da Conceição pediu demissão nesta segunda-feira (13). De acordo com o deputado federal, Walderice solicitou o desligamento por causa da exposição envolvendo seu nome. Ela foi apontada em reportagens do jornal Folha de S. Paulo como uma assessora fantasma do parlamentar, que trabalhava em sua residência em Angra dos Reis e vendia açaí na cidade, no ”Açai da Wal”. O caso foi lembrado pelo candidato do PSOL, Guilherme Boulos, no debate entre os presidenciáveis realizado na última sexta-feira, na Band. ”O crime dela foi dar água para os cachorros”, disse Bolsonaro a jornalistas, sobre os serviços prestados pela funcionária em sua residência no litoral do Rio de Janeiro. Pelo site da Câmara dos Deputados, Walderice recebe atualmente salário bruto de R$ 1.351,46. ”Tenho aquela casa há 25 anos e contratei ela há uns 12 anos. Como de vez em quando estou lá, muita gente me procura e ela é encarregada de filtrar e passar pra mim, só isso”, disse. Bolsonaro disse ainda que pode ser um dos alvos dos protestos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). O movimento iniciou uma marcha à Brasília para dar apoio à inscrição junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na próxima quarta-feira, 15, da chapa que tem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como candidato a presidente. ”Estou sabendo que MST vai estar aqui (em Brasília) a partir de hoje (segunda). Ações acontecerão em Brasília e, a princípio, eu sou uma pessoa que interessa para eles”, disse ele a jornalistas.

Em carta aos baianos, Rui propõe colaboração e cobrança mútuas entre governo e sociedade

/ Política

Rui Costa registra candidatura no TRE. Foto: Diego Mascarenhas
”Quando envolvemos as pessoas, as instituições, seja no que for, fica mais fácil governar”. A premissa é defendida pelo candidato à reeleição ao governo da Bahia, Rui Costa (PT), na carta em que apresenta aos baianos o conjunto de diretrizes e propostas de construção coletiva, que culminaram no Programa de Governo Participativo – PGP 2018. O documento de 60 páginas é fruto do esforço realizado por mais de 40 mil pessoas de todos os cantos do estado, empenhadas em pensar a Bahia mais inclusiva, competitiva e eficiente. ”Chegamos até aqui mais unidos e isso já é uma vitória. Depois desse PGP, estamos melhores do que em 2014, com boas propostas para trabalhar mais quatro anos”, garante o candidato. O PGP 2018 repete a experiência exitosa do primeiro mandato, que ostenta o crédito de ter sido o governo que mais cumpriu promessas no Brasil, segundo o maior portal de notícias do país. Traduz o compromisso de manter alinhamento com o conjunto de princípios que fundamentam a trajetória da democracia nas políticas públicas. Avança no combate à pobreza, no acesso à educação, na regionalização da saúde, no enfrentamento à violência, além da promoção da igualdade racial e autonomia das mulheres. Na carta aos baianos, Rui firma o pacto de ainda mais seriedade, dedicação e competência, com colaboração e cobrança mútuas entre governo e sociedade. ”Não criamos este método por uma gentileza ou um gesto educado de escuta, mas por termos a participação como um princípio, um alicerce, um norte”, sintetiza.
 
SAIBA MAIS SOBRE O PGP 2018 – O Programa de Governo Participativo – PGP 2018 tem estrutura formada como uma exposição transparente e objetiva das proposições programáticas, considerando as escolhas estratégicas e responsáveis diante do cenário político e econômico para o próximo quadriênio. Divide-se por três eixos: ”Desenvolvimento com igualdade, equidade e justiça social. Por uma Bahia mais feliz”; ‘Desenvolvimento econômico com ciência, tecnologia, inovação e gestão do conhecimento. Por uma Bahia mais forte”; e ”Participação popular, controle social e gestão pública eficiente”. Após quatro anos de elaboração do primeiro programa de governo, uma caravana circulou pelo estado, mobilizando e escutando proposições para a construção de um novo cenário. O conteúdo ganhou forma pelas mãos do povo dos 27 Territórios de Identidade da Bahia, que ofereceu contribuições a partir de redes sociais, do site (www.pgpbahia.com.br), em colaboração programática dos partidos da coligação, plenárias nos territórios das caravanas e reuniões setoriais realizadas em Salvador, com grupos focais nas diversas dimensões do desenvolvimento. Participaram representações dos partidos políticos da coligação, da sociedade civil, empresários, comerciantes, gestores públicos, dirigentes de organizações, movimentos sociais e sindicais, dirigentes de colegiados territoriais, consórcios públicos, lideranças políticas, parlamentares e público em geral.
COLIGAÇÃO – Quatorze partidos compõem a coligação da chapa majoritária: PT, PSB, PSD, PP, PC do B, PR, PDT, PRP, PMB, PTC, PMN, Podemos, Avante e Pros. Os números dos candidatos serão 13 para Rui Costa e João Leão, 130 para Jaques Wagner e 555 para Angelo Coronel.
   

Mulher é presa após atacar manobrista com barra de ferro em posto de gasolina em Salvador

/ Política

Aline da Silva Santana será levada ao presídio. Foto: Polícia Civil

Uma mulher foi presa na manhã desta segunda-feira (13) após ter golpeado um manobrista com uma barra de ferro em um posto de gasolina, localizado na Avenida Antônio Carlos Magalhães, no bairro da Pituba, em Salvador. O caso aconteceu no dia 05 de agosto.  De acordo com a Polícia Civil, Aline da Silva Santana foi presa por policiais da 16ª Delegacia Territorial (DT) que cumpriram um mandado por tentativa de homicídio. No momento da prisão, ela estava em sua residência, no bairro de Brotas. Em depoimento,  Aline afirmou que a agressão teria sido motivada por um desentendimento. Ela será encaminhada para o sistema prisional. A vítima permanece internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Hospital Geral do Estado (HGE). As informações são do Bocão News

Capacidade do PT de fazer campanha deve levar Fernando Haddad ao 2º turno diz economista

/ Política

Fernando Haddad deve substituir Lula. Foto: Cláudio Kbene

Dentre as siglas de esquerda, a experiência e a capacidade do Partido dos Trabalhadores (PT) em fazer campanha deverá levar o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (vice na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva, que deve ser impedido de concorrer em razão da Lei da Ficha Limpa) ao segundo turno da eleição presidencial deste ano. A avaliação foi feita nesta segunda-feira, 13, pela economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif, depois de ter feito palestra para um grupo de cerca de 60 investidores da EU Investimentos. “A dificuldade que vejo com a esquerda de uma maneira geral é a falta de diagnósticos tão claros. Eu acho muito improvável o PT conseguir fazer a repetição do primeiro mandato de Lula”, disse. De acordo com a economista da XP Investimentos, Lula ganhou a eleição com muito apoio popular, se afastou da agenda petista e implementou uma agenda ortodoxa na política macro e liberal e na política pública de modo geral. Sobre Jair Bolsonaro, candidato do PSL, Zeina chamou a atenção para o fato de ele ainda não ter um plano econômico concreto. De acordo com ela, são apenas afirmações vagas. Sobre o apreço que parte do mercado tem para com o economista Paulo Guedes, responsável pelo capítulo econômico de Bolsonaro, Zeina disse que qualquer um que fale que é preciso deixar a economia respirar com menos intervencionismo terá a simpatia de uma parcela do setor produtivo e do mercado financeiro. Mas isso, de acordo com ela, não é suficiente. Dilma, lembrou Zeina, ganhou a eleição e colocou o Joaquim Levy, um economista ortodoxo da escola de Chicago, como ministro e deu no que deu. “Não está claro o que é a convicção do Bolsonaro e nós estamos com medo de uma repetição do Dilma 2”, afirmou, reiterando que é preciso ter a convicção do presidente já que se trata de uma agenda de governo e não do ministro da Fazenda. Além disso, a economista ressalta que tem a questão política: “E o Bolsonaro não parece ter habilidade. Ele não conseguiu ser candidato de uma sigla importante, não conseguiu aglutinar uma base consistente, está muito isolado politicamente e isso, obviamente, traz uma grande preocupação.” O investidor, de acordo com Zeina, é pragmático. Para ele não importa o nome do candidato, se ele é de esquerda ou direita. “Qualquer um que venha com uma agenda consistente, que condiz com as urgências do País, mostre senso de urgência e capacidade política, é isso que o investidor vai olhar”, afirmou. “É reformista ou não é, tem plano e capacidade de entrega? É isso que importa no final do dia”, avaliou.