Ministério Público da Bahia lança aplicativo para mapear casos de racismo no estado

/ Bahia

O Ministério Público estadual (MP-BA) lançará o aplicativo ”Mapa do Racismo”, que pretende delimitar casos de violações de direitos no estado. A ferramenta vai informar o usuário e ajudar as pessoas a identificar casos de racismo. Por meio do app, será possível fazer o registro de denúncias anônimas de discriminação racial, intolerância religiosa, injúria racial e racismo institucional. Para contribuir com a investigação dos casos, será possível enviar fotos, áudios, textos, vídeos e digitalizar documentos. A ferramenta estará disponível para download no próximo dia 19. Segundo a promotora de Justiça Lívia Vaz, o aplicativo permitirá a rápida distribuição das notícias registradas pelos cidadãos aos membros com atribuição nas respectivas comarcas do estado para adoção das medidas cabíveis. Os usuários do aplicativo terão total segurança para realizarem as denúncias, pois seus dados pessoais e os relatos registrados serão mantidos em sigilo. Assim que um cidadão fizer uma denúncia, o sistema vai emitir automaticamente um código numerado e registrar a ocorrência. Após análise, a denúncia será encaminhada para o promotor de Justiça com atribuição no combate a crimes de racismo e intolerância religiosa no local da ocorrência do fato. Os dados estatísticos dos registros por município estarão disponíveis ao público, o que tornará possível o georreferenciamento dos casos de racismo.

Bahia apresenta sistema de controle de investimentos em assistência social durante evento

/ Bahia

Representantes de todo o Brasil estão reunidos até quarta-feira (14), em Salvador, durante o 3º Encontro Técnico do Fundo Nacional e Fundos Estaduais de Assistência Social, no Hotel Vila Velha. Sediado pela primeira vez na Bahia, o estado é o que mais tem famílias beneficiadas pelo Programa Bolsa Família, 53% da população, e registra anualmente 2,8 mil famílias atendidas pelos Centros de Referência em Assistência Social (Cras). Durante o encontro, a Bahia vai apresentar sua experiência e seu sistema de controle de investimentos do Fundo de Assistência Social. Segundo o secretário da Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Cezar Lisboa, os estados possuem um fundo para promover a assistência social. “Nós vamos apresentar nossa experiência do acompanhamento de aplicação desse fundo, um sistema de gestão que desenvolvemos ao longo do tempo e que permite acompanhar a prestação de contas e também o desenvolvimento dos planos de trabalho em cada município onde nós mantemos o cofinancimento dos serviços de assistência social nos Creas”. Lisboa afirma que a Bahia tem uma particularidade. “É um dos poucos estados do Brasil que mantém um sistema de cofinanciamento para quase todas as ações do Sistema Único de Assistência Social e o fundo é bastante atuante para esses municípios, em ações preventivas, especializadas com crianças, adolescentes, idosos, mulheres vítimas de violências, entre outras”. A diretora-executiva do Fundo Nacional de Assistência Social, Dulcelena Martins, afirma que a Bahia tem contribuído histórica e ativamente para o fortalecimento do contexto da assistência social. “A Bahia é um estado grande, que temos como referência da organização da gestão dos serviços em assistência social. Este é um encontro entre técnicos, onde será elaborado um documento que vai ser transformado em uma portaria ministerial, institucionalizando os encontros, para agregar todos os estados da federação em um trabalho de nivelação de conhecimentos, monitoramento técnico aos municípios e aprimoramento das ações”. Para a superintendente de Assistência Social do Estado, Leíza Souza, a Bahia é um estado privilegiado. “A Bahia coloca o ser humano em primeiro lugar. E pela importância de investir no social, todas as unidades de assistência social são cofinanciadas”. Segundo Leíza, a Bahia é ainda o único estado que tem um sistema para que os municípios façam a sua prestação de contas, informe quantos atendimentos são realizados no mês.

Homem é preso suspeito de atuar ilegalmente como médico em hospital no Oeste da Bahia

/ Bahia

Um homem foi preso em flagrante suspeito de atuar ilegalmente como médico em Barra, no oeste da Bahia. Ele era investigado desde maio de 2017. A prisão ocorreu no município de Ibotirama, que fica a 160 quilômetros de Barra. De acordo com a polícia, o suspeito atuava como clínico geral no Hospital Santa Rita, que é administrado pela Fundação da Associação Baiana de Medicina de Pesquisa e Extensão na Área de Saúde (Fabamed). Na quinta-feira (8), quando a polícia chegou à unidade de saúde em Barra, o suspeito percebeu a presença da polícia, pulou o muro do hospital e fugiu em um carro. Equipes da polícia fizeram barricadas na região para localizar o homem. O suspeito foi encontrado na altura de Ibotirama e levado para a delegacia de Barra, onde está preso pelo crime de exercício ilegal da medicina e de falsidade ideológica. Ainda segundo a polícia, o homem, que é natural do estado de Rondônia, estudou cinco anos de medicina na Bolívia e retornou ao Brasil para fazer o internato, mas não conseguiu se formar porque o internato não foi reconhecido pelo Ministério de Educação da Bolívia. Há dois anos, ele atua como médico. O suspeito chegou a trabalhar no Hospital Santa Rita, em maio do ano passado, quando a polícia recebeu as primeiras denúncias contra ele. Mas, em pouco tempo, o homem deixou de atuar na cidade. Ele retornou na quinta-feira, quando foi preso. g1

Presidente do Sindicato dos Servidores é morto em emboscada no interior da Bahia

/ Bahia

Aroldo Pereira foi morto na cidade de Central. Foto: Rede social

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da cidade de Central, no norte da Bahia, foi assassinado a tiros na manhã desta quinta-feira (08). Segundo informações da Polícia Civil, Aroldo Pereira de Souza, de 47 anos, foi vítima de uma emboscada, no momento em voltava para a roça dele, no povoado de Larguinha. A vítima e o autor do crime, que ainda não foi identificado, estavam a bordo de motocicletas. O presidente foi atingido na cabeça e no braço. A vítima chegou a ser socorrido para o Hospital Municipal de Central e depois encaminhado para o Hospital Geral de Irecê, mas não resistiu e morreu. Autoria e motivação do crime são investigadas pela delegacia do município.

Prefeitos têm bens bloqueados por suspeita de fraude de R$ 12 milhões em recursos da educação, diz MPF

/ Bahia

A Justiça Federal determinou liminarmente o bloqueio de bens dos prefeitos das cidades baianas de Bom Jesus da Lapa e Serra do Ramalho, na região oeste, por suspeita de fraudar licitações que resultaram em prejuízo de R$ 12 milhões em recursos da área da Educação, informou o Ministério Público Federal (MPF). Além dos gestores, quatro servidores públicos, dois particulares e duas empresas também tiveram seus bens bloqueados, três servidores foram afastados e cinco ficam impedidos de frequentar as prefeituras. A decisão da Justiça veio após pedido do MPF em Bom Jesus da Lapa (BA). O site G1 publicou a matéria informou que não conseguiu contato, na manhã desta quarta-feira, com os prefeitos citados à época. Eures Ribeiro Pereira, prefeito de Bom Jesus da Lapa e também presidente da União dos Municípios da Bahia, e Ítalo Rodrigo Anunciação da Silva, de Serra do Ramalho, foram acusados pelo MPF de fraudar recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate). De acordo com a ação de improbidade administrativa, ajuizada pelo procurador da República Adnilson Gonçalves da Silva, as ilegalidades ocorreram entre 2013 e 2016. Nesse período, o MPF aponta que houve fraudes e superfaturamentos em diversas licitações no município de Bom Jesus da Lapa. À época dos fatos, Ítalo Rodrigo Anunciação era empresário e controlador das empresas suspeitas de envolvimento no esquema, tornando-se prefeito de Serra do Ramalho em 2017, com apoio de Eures Ribeiro. Na ação, o procurador diz que há inúmeras evidências das ilegalidades cometidas que comprovam o esquema fraudulento. O MPF disse que se baseou na análise dos documentos relacionados aos procedimentos licitatórios irregulares, em informações do Departamento Estadual de Trânsito, da Junta Comercial do Estado da Bahia e do Ministério do Trabalho e Emprego; de relatórios da Polícia Federal e da Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara de Vereadores do Município de Serra do Ramalho; de depoimentos de motoristas, testemunhas e informantes; de dados bancários e fiscais (sigilosos). O MPF requer, além dos pedidos liminares deferidos pela Justiça, a condenação dos envolvidos por enriquecimento ilícito, prejuízo ao erário e violação aos princípios da Administração Pública. O órgão ainda disse que pediu o afastamento dos dois prefeitos e afirma que os gestores poderão atrapalhar as investigações, com a destruição ou a ocultação de documentos e a intimidação de testemunhas. A Justiça, porém, não acolheu o pedido de afastamento, por entender que não há prova atual de que os prefeitos possam atrapalhar o andamento da ação de improbidade. Essa decisão, no entanto, ainda cabe recurso.

Em Luís Eduardo Magalhães, vereadores ensaiam boicotar empréstimo para pavimentação de ruas

/ Bahia

Por toda Bahia assistimos atos orquestrados pela oposição, isso é normal. O que o Sudoeste da Bahia desconhecia, era o fato que ocorre em Luís Eduardo Magalhães, no Oeste do Estado. Neste município, 4 vereadores tentam influenciar os demais, através da população, para uma manobra que sabota toda uma cidade somente para prejudicar o então prefeito eleito, que disputou as eleições de 2016 contra a união de 4 candidatos somados ao poder da máquina na mão do ex-prefeito. O empréstimo de R$40 milhões que beneficiará 5 bairros, pavimentará mais de 20 ruas e construirá a sede da Prefeitura, soou como alarde aos ouvidos do grupo de vereadores oposicionistas. Segundo um blog da região, os vereadores Keny Henke, Márcio Rogério, Fernandes e Ney Vilares se posicionaram contra e antes mesmo do período de apreciação do projeto terminar, já se usaram das redes sociais para divulgar antecipadamente seus votos, provando mais uma vez que o movimento é puramente midiático. A população jamais aceitará ficar sem asfalto em sua rua, ainda mais em se tratando de localidades que clamam por melhorias.  Tentamos entrar em contato com a ASCOM da prefeitura para divulgar as ruas que serão beneficiadas, mas nossa redação não obteve resposta. Amanhã, levaremos essa informação para dar ampla publicidade e assim, mostrar aos vereadores do Sudoeste da Bahia como não se fazer legislatura em um município.

Assassinado por eleitor de Bolsonaro, Moa do Katendê é homenageado na Semana da Igualdade Racial

/ Bahia

Moa foi morto após uma discussão política. Foto: Reprodução

Uma série de ações serão realizadas em Salvador em homenagem ao mestre Moa do Katendê, morto após uma discussão política no fim do primeiro turno das eleições presidenciais deste ano (lembre aqui). As ações referentes à Semana da Igualdade Racial Mestre Moa do Katendê acontecem a partir desta terça-feira (6) e vão até sexta (9), no Hotel Sol Victória Marina, em Salvador. Entre os participantes do evento, estarão membros do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN); representantes do Fórum de Gestores Municipais de Promoção da Igualdade Racial; membros da Comissão para a Sustentabilidade dos Povos e Comunidades Tradicionais (CESPCT); Grupo Intersetorial para Quilombos (GIQ);  integrantes da Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa; além de convidados dos três Poderes e de organizações  da sociedade civil. As discussões girarão em torno do debate e levantamento de proposições acerca das políticas afirmativas na Bahia. As atividades integram as atividades no Novembro Negro da Bahia. Ao longo deste mês serão realizadas atividades, caminhadas, seminários, rodas de diálogo, campanhas, além de projetos apoiados pelo edital da Década Internacional Afrodescendente, lançado pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi). As informações são do Bahia Notícias

Policial motorista de aplicativo é encontrado morto após levar passageiro em Salvador

/ Bahia

Automóvel é encontrado destruído. Foto: Reprodução/Bocão News

Um policial militar e motorista do aplicativo de transporte 99 POP, identificado como Marcos Antônio, foi assassinado por homens enquanto trabalhava pelo aplicativo, na noite desta sexta-feira (2). De acordo com informações da polícia, a vítima desapareceu com o veículo após levar um passageiro no bairro de Pau da Lima, em Salvador, por volta das 23h. O carro do policial, que trabalhava no quartel dos aflitos, foi localizado após o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA) ser acionado para combater um incêndio na Avenida 2 de julho, na Via Regional. Além disso, os seguranças da obra, próximo ao local do incêndio, informaram que ouviram gritos de socorro e disparos em seguida. O corpo da vítima foi encontrado, nas imediações, amarrado, com marcas de disparos e corte no pescoço. As informações são do Bocão News

Prefeito Eures teria mandado assessor queimar casa de testemunha para evitar denúncias, diz MPF

/ Bahia

Eures é acusado de liderar esquema. Foto: Blog Marcos Frahm

Apontado como líder de um esquema de fraude a licitações que teria desviado mais de R$ 12 milhões nos municípios de Bom Jesus da Lapa, São Félix, Serra do Ramalho e Coribe, o prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro (PSD), teria ameaçado testemunhas que tentam denunciá-lo desde 2011.  O escândalo que envolve superfaturamentos e a contratação ilícita de uma empresa para transporte escolar pertencente a Ítalo Silva (PSD), prefeito de Serra do Ramalho e aliado do gestor, foi revelado nesta sexta-feira (2)pelo Bahia Notícias (lembre aqui). De acordo com os pedidos de afastamento dos gestores do PSD, apresentados pelo Ministério Público Federal em 15 de outubro, Eures utiliza o seu assessor, Mário Abreu Filardi, e o comando da Polícia Militar (PM) de Bom Jesus da Lapa para intimidar ou tentar impedir quem fala em fiscalizá-lo ou denunciá-lo pelos supostos esquemas de desvio e concessões ilegais da prefeitura. Nos depoimentos, Mário Filardi é descrito como articulador, perigoso, violento e ”operador financeiro” do esquema que já dura, pelo menos, 5 anos nas cidades, segundo as investigações. Homem de confiança de Eures, Filardi teria recebido ordem do gestor para incendiar a casa de um homem em 2011. Na época, o atual prefeito de Bom Jesus da Lapa era deputado estadual, enquanto Mário Filardi ocupava cargo no seu gabinete na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). ”Mário é uma pessoa perigosa e foi um agente de Eures para tentar incendiar minha casa”, relatou Edimar. A tentativa teria ocorrido após o depoente ter feito representação na Polícia Federal e no Ministério Público Federal, além de dar entrevista em uma rádio local sobre um ”hospital fantasma” não construído em Bom Jesus da Lapa em 2011.  Ainda segundo o informante, a maioria dos moradores do município tem medo de denunciar irregularidades envolvendo Eures Ribeiro e Mário Filardi por temer ameaças de morte. ”O prefeito [Eures] se considera o todo-poderoso, intocável, e pensa estar às margens da lei”, declarou uma testemunha. O atual presidente da União dos Municípios da Bahia é colocado, pelo que se apurou, como “coronel” que utiliza o poder do cargo para operar o esquema. Em outro caso que revelaria o comportamento intimidatório de Eures, o MPF relata que ele chantageou professores que ingressaram com ação judicial questionando direitos que entendiam legítimos. O gestor também teria tentando embaraçar a fiscalização de órgãos de controle e de políticos da cidade. O vereador Romeu Thessing (PCdoB) teria sido impedido de fiscalizar a reforma da escola Jonas Rodrigues e estaria sendo impedido de acompanhar os pregões, apontados como ilegais pelo MPF. Quem insiste em fiscalizar as licitações, segundo a denúncia, é intimidado com a ameaça de registro criminal. Fato que pode ter acontecido com o vereador Neto Magalhães (DEM) quando o mesmo tentou ter acesso a um documento. Procurado para repercutir as denúncias, Eures não quis atender a reportagem.

O CASO

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal o afastamento imediato e o bloqueio de bens do prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro (PSD), e do prefeito de Serra do Ramalho, Ítalo Rodrigo Anunciação (PSD). O MPF solicitou o bloqueio de R$ 12 milhões em bens dos prefeitos, outras três pessoas e uma empresa envolvida no esquema. O pedido está em sigilo, mas o Bahia Notícias teve acesso ao documento. Os prefeitos do PSD são investigados pelo envolvimento em um esquema de enriquecimento ilícito na fraude de licitações e superfaturamento na contratação do transporte escolar, reforma e construção de escolas, fornecimento de materiais escolares e de combustíveis no município de Bom Jesus da Lapa. Do Bahia Notícias

MPF pede afastamento e bloqueio de R$ 12 milhões do prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da UPB

/ Bahia

Eures é alvo do Ministério Público. Foto: Blog Marcos Frahm

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal o afastamento imediato e o bloqueio de bens do prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro (PSD), e do prefeito de Serra do Ramalho, Ítalo Rodrigo Anunciação (PSD). O MPF solicitou o bloqueio de R$ 12 milhões em bens dos prefeitos, outras três pessoas e uma empresa envolvida no esquema. O pedido está em sigilo, mas o Bahia Notícias teve acesso ao documento. Os prefeitos do PSD são investigados pelo envolvimento em um esquema de enriquecimento ilícito na fraude de licitações e superfaturamento na contratação do transporte escolar, reforma e construção de escolas, fornecimento de materiais escolares e de combustíveis no município de Bom Jesus da Lapa.  O afastamento imediato do cargo foi pedido, segundo o MPF, em razão da ação dos gestores para tentar atrapalhar, com intimidação e chantagem, as investigações que apuram desvio de recursos públicos. No esquema, que teria iniciado em 2013, Eures e Ítalo contrataram irregularmente, de acordo com o MPF, a empresa Prestação de Serviços, Transporte e Locação Ltda (PSTL), com sede em Serra do Ramalho. A empresa é a responsável pelo transporte escolar do município de Bom Jesus da Lapa.

 

Ao longo das investigações, foram colhidas, segundo o órgão, ”robustas evidências” da existência de um esquema organizado na contratação de veículos e motoristas inadequados para o serviço escolar. Entre as irregularidades, são apontadas contratações de empresas de fachada e pagamentos por serviços não realizados, especialmente praticadas pelo prefeito Eures Ribeiro. O presidente da UPB teria direcionado a licitação para enriquecer ilicitamente. Gelson Dourado Filho, atual Controlador Interno do Município de Serra do Ramalho e representante da empresa contratada, também é investigado.  Além de Eures e Ítalo, são investigados e foram alvos dos pedidos de bloqueio de bens o ex-secretário de Transportes e atual secretário de Infraestrutura e Serviços do município, o vereador licenciado Fábio Nunes Dias, e Marcondes Barbosa Ferreira, pregoeiro e presidente da Comissão Permanente de Licitação.  Estão envolvidos ainda, no esquema, o ”assessor dos dois prefeitos”, Mário Abreu Filardi, e o secretário de Administração de Bom Jesus da Lapa, Eudes Matos Dias. Eles são apontados, respectivamente, como operadores financeiro e administrativo da operação fraudulenta.  Eures já é réu em outra ação de improbidade, que investiga a omissão do gestor na declaração de dados quanto à gestão do lixo na cidade. O MPF pediu afastamento dos prefeitos pelo prazo de 180 dias, que pode ser prorrogado. Caso a solicitação seja atendida pela Justiça Federal, eles ficam proibidos de frequentar ou acessar as dependências das prefeituras municipais de Bom Jesus da Lapa e de Serra do Ramalho, como também as respectivas secretarias, sob pena de multa pessoal de R$ 100 mil por cada ato de descumprimento. Com informações do Bahia Notícias

Grupo invade loja de eletrodomésticos em Lauro de Freitas e faz 28 pessoas reféns, entre elas uma bebê

/ Bahia

Policiais atuaram durante a negociação com suspeitos. Foto: SSP-BA

Uma loja da Magazine Luiza foi invadida por assaltantes e 28 pessoas que estavam no local, entre clientes e funcionários, foram feitos reféns nesta quinta-feira (1º), na Estrada do Coco, município de Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador. Uma das vítimas é uma bebê. Ninguém ficou ferido. Quatro homens foram presos. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), a ação durou mais de três horas. Durante esse tempo, as vítimas foram mantidas no subsolo, onde funciona o depósito do estabelecimento. Conforme a SSP, os homens planejavam roubar mercadorias, mas foram surpreendidos por policiais civis e militares que foram acionados após denúncias. Durante a ação com as pessoas reféns, os criminosos usaram uma arma dos seguranças da loja para ameaçar as vítimas. Os reféns foram liberados aos poucos, após negociação com policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais da PM e da Coordenação de Operações Especiais da Polícia Civil. Um vídeo feito pela polícia mostra parte da conversa. Segundo a SSP, o primeiro grupo, com 21 vítimas, entre elas a bebê, foi liberado pelos criminosos por volta das 15h35. As outras sete pessoas, no entanto, continuaram reféns até por volta das 16h, quando o último suspeito da ação se entregou. Ele foi identificado como Antônio Jorge Peluso de Oliveira, de 40 anos, que é baiano. Os outros três presos foram capturados no momento em que tentavam fugir do estabelecimento com um caminhão e um veículo com produtos roubados, cerca de 30 minutos antes. Eles foram identificados com Adenilson Gomes da Silva, 23 anos, Fábio Alves da Silva, 24, que são baianios, e o sergipano Wesley Bispo Alves, 33. A arma usada na ação, um revólver calibre 38, foi apreendida. Os criminosos, a arma e as vítimas foram encaminhadas para a 23ª Delegacia Territorial (DT), em Lauro de Freitas, onde o caso foi registrado. Algumas vítimas foram liberadas e deverão ser ouvidas na próxima semana, mas um grupo ficou na unidade policial, para prestar depoimento ainda nesta quinta-feira, segundo a polícia. Os suspeitos também deverão ser ouvidos nesta quinta. Após depoimento, eles serão levados para audiência de custódia. Cada um deles tem um advogado diferente.

Professora da Uefs é denunciada por fraude em licença para doutorado e receber bolsa

/ Bahia

A professora da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Débora Araújo Leal, foi denunciada à Justiça pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) por fraudar uma licença para realização de doutorado, manutenção do salário. De acordo com o promotor de Justiça Tiago Quadros, a professora obteve vantagem indevida dos cofres públicos durante dois anos, período em que gozou de licença remunerada para realizar curso do Programa de Doutoramento da Universidade Federal do Ceará (UFC), sem que sequer tenha sido matriculada no referido programa. Segundo a denúncia, entre março de 2014 e março de 2016, a professora esteve afastada das suas funções e recebeu integralmente a sua remuneração e valor referente a bolsa auxílio. O promotor afirma que a prática é um ato considerado como enriquecimento ilícito. De acordo com ele, Débora Leal violou os princípios da moralidade e da legalidade, previstos na Constituição Federal, e da honestidade, materializado na Lei de Improbidade. Para conseguir o afastamento e garantir o recebimento da remuneração, ela apresentou documentos falsos sobre o Programa de Doutoramento. Esse crime, explica Tiago Quadros, será apurado em ação própria. Ele pede que a professora seja condenada à perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao seu patrimônio, em montante a ser liquidado no curso do processo; ressarcimento integral do dano, quando houver; perda da função pública; suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos; pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial; e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, pelo prazo de dez anos.

Incêndio de grande proporção atinge uma fábrica de isopor em Santo Antônio de Jesus

/ Bahia

Fábrica fica às margens da BR-101. Foto: Leitor BMF/WhatsApp

Um incêndio de grande proporção atinge uma fábrica de isopor desde a manhã desta quinta-feira (1°) em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo. Segundo o Corpo de Bombeiros da cidade, o órgão foi acionado às 11h30. Segundo o site Bahia Notícias, por volta das 13h45 foi informado que o fogo foi controlado. A fábrica fica em um distrito industrial, às margens da BR-101 sentido Varzedo, município da mesma região. A operação de controle das chamas está sob a condução do coronel Matias. Duas viaturas de grande porte de Santo Antônio de Jesus, uma da Ilha de Itaparica e outra de Feira de Santana trabalham no controle do fogo. Cerca de 30 bombeiros estão na área. Conforme a corporação, ainda não há condição de apontar as causas e o prejuízo causado. Uma perícia, feita após o controle do fogo, deve revelar o que motivou o incêndio.

Esquema de segurança para 2º turno das eleições terá mais de 25 mil policiais na Bahia

/ Bahia

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) prepara uma operação especial para o segundo turno das eleições presidenciais de 2018, com a participação de mais de 25 mil policiais militares e civis em toda a Bahia. O esquema de segurança acontece a partir das 7h deste domingo (28) e prevê policiamento nas proximidades dos 9.576 locais de votação em todo estado. Segundo a SSP, o patrulhamento realizado pela PM será intensificado nas áreas onde foram registradas ocorrências durante o primeiro turno. Além da prevenção e combate a crimes eleitorais, os policiais ainda realizarão a escolta de urnas até as zonas eleitorais para garantir a inviolabilidade e também serão responsáveis pelo encaminhamento de presos em flagrante para as Delegacias Territoriais e Polícia Federal. Ao final da votação, às 17h, os agentes farão a escolta de todo material usado pelos eleitores e mesários para os polos de informática, cartórios eleitorais, locais de apuração e transmissão de resultados. A Polícia Civil, os departamentos de Inteligência (Dip), de Polícia Metropolitana (Depom) e de Polícia do Interior (Depin) atuarão em regime especial com efetivo formado por delegados titulares, coordenadores regionais, escrivães e investigadores, além de unidades especiais. O Centro Integrado de Comando e Controle, instalado no Centro de Operações e Inteligência, situado no CAB, acompanhará todo o esquema através do videomonitoramento.