Ronaldo minimiza efeito MDB em votos em Feira e projeta transferência para Neto em 2° turno

/ Política

Apoiador de ACM, Zé comenta resultado em Feira. Foto: Rede social

O ex-prefeito de Feira de Santana e colocado como coordenador da campanha de ACM Neto, José Ronaldo (União), minimizou o balanço da eleição para governador no município, sobretudo à participação do MDB, partido do prefeito Colbert Martins Filho, opositor do PT (ver aqui), mas que neste ano está na coligação de Jerônimo Rodrigues.

Abertas as urnas feirenses, seu candidato, ACM Neto (União), teve 1,66 ponto percentual a frente de Jerônimo Rodrigues (PT) (saiba mais aqui). Ao Bahia Notícias, Ronaldo acredita que os votos conferidos na cidade ao terceiro colocado João Roma (PL), 14,68% dos sufrágios, devem migrar para Neto, por uma lógica de lado ideológico e partidário.

”Não vejo atrapalhação do MDB. Acho que foram circunstâncias que mesmo assim deram a Vitória a ACM Neto. Tradicionalmente, quem votou em João Roma em Feira, a vida inteira votou em Zé Ronaldo. Acho que nesses votos, a tendência é votar em ACM Neto. Espero que isso ocorra e estou trabalhando nesse objetivo”, disse o ex-prefeito de Feira de Santana.

O coordenador da campanha de Neto projeta uma situação difícil para o segundo turno, mas mostrou confiante em uma virada. ”Trabalho, dedicação e confiança total. É o que nós temos e vamos vencer. Tenho muita confiança. Já passei por esse filme antes, de disputar um segundo turno”, afirmou. José Ronaldo ainda acrescentou que a oferta de candidatos também facilitará a escolha para a candidatura de Neto.

”A eleição em Feira é uma eleição difícil. E alguns fatos aconteceram na campanha, como João Roma ter quase 50 mil votos em Feira. Acredito que a ampla maioria caminha para nos apoiar. Acredito também no crescimento da campanha. Você ter cinco candidatos na campanha é uma coisa, com dois, fica mais simples, mais prático, objetivo para se votar”, finalizou. *por por Maurício Leiro / Francis Juliano /  Bahia Notícias

Os comentários estão fechados.