Enquanto negociações não avançam, professores de Jequié aprovam paralisação de advertência

/ Jequié

APLB e PMJ não avançam para um desfecho. Foto: Divulgação

Enquanto as negociações não avançam para um desfecho, os professores da rede municipal de ensino de Jequié decidem manter a categoria em estado de mobilização. Em assembleia realizada na segunda-feira (2), promovida pela APLB, ficou acertado ainda sobre a paralisação de suas atividades por 48 horas.

Alega que os resultados das recentes reuniões não apresentaram muito avanço, sendo que, no último encontro, realizado no dia 12 de abril, foi apresentada uma proposta final pela APLB-Sindicato que atende ao referencial do gasto anual do FUNDEB (96%), determinado pelo prefeito, também promove a integralização do Piso Salarial dos professores de forma gradativa.

Segundo o sindicato, a gestão municipal ficou de estudar de forma técnica essa proposta junto com o consultor contábil da Prefeitura e encaminhar o quanto antes uma resposta ao sindicato para que essa situação de recomposição salarial do magistério se resolva o mais rápido possível.

A diretora da APLB-Sindicato, Caroline Moraes, afirmou que ”existe uma defasagem do Piso Salarial em Jequié, pois desde 2019 não se atualiza”, reclama.

Os comentários estão fechados.