”Foi uma decepção pessoal”, diz ACM Neto sobre prisão do senador Delcídio do Amaral

/ Política

Neto não imaginava prisão de Delcídio
Neto não imaginava prisão de Delcídio. Foto: Vagner Souza

Não apenas os políticos que transitam no Congresso Nacional foram surpreendidos com a prisão do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), o prefeito ACM Neto (DEM) também entrou no rol dos surpreendidos. Segundo ele, depois da trajetória de Delcídio na CPI dos Correios, a prisão do petista ”foi uma decepção pessoal”. ”Primeiro é uma grande decepção pessoal, eu não imaginava jamais que o senador Delcídio, depois de ter tido papel fundamental, na CPI dos Correios fosse se envolver em uma coisa tão absurda”, assinala. Neto, entretanto, enalteceu as instituições ”fortes”, como Supremo Tribunal Federal (STF) e o Senado. ”A prisão dele é uma demonstração de que o país tem instituições fortes como STF, quando determinou a prisão dele e o Senado, que manteve a prisão”. Delcidio foi preso pela Polícia Federal na quinta-feira pela manhã, em Brasil. A procuradoria Geral da República, com a chancela do STF, acusa o petista de tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. Em uma conversa gravada pelo filho de Nestor Cerveró, Delcídio se propõe a dar fuga ao ex-diretor da área internacional da Petrobras, além de prometer pagar uma mesada de $ 50 mil à família do ex-executivo da estatal petrolífera. Apesar de toda a crise política, moral e econômica em que o país atravessa, o prefeito ACM Neto tem outro olhar sobre o episódio. ”A política mudou para melhor. Era quase impossível imaginar que um senador fosse para a cadeia, ele está preso e terá que responder pelos erros que cometeu”, afirmou. Bocão News

Prefeito de Uauá desiste de disputar a reeleição: ”nem se fosse candidatura única”

/ Política

Prefeito Olímpio Cardoso Filho (PDT)
Prefeito Olímpio Cardoso Filho. Foto: Matutouaua.com

O prefeito de Uauá, Olímpio Cardoso Filho (PDT), afirmou que não pretende se candidatar à reeleição em 2016, “nem se for candidato único”. Aos 78 anos, Olimpinho está em seu terceiro mandato, mas reconhece a dificuldade de manter a oferta dos serviços básicos à população uauaense. ”Amigos têm me provocado para sair candidato, tenho dito que não sou masoquista [risos]. Não aconselho a nenhum amigo sair candidato”, disse em entrevista ao site Calila Notícias. Apesar da desistência em continuar à frente do Município, o prefeito diz que pretende apoiar alguém. ”Embora não aconselhe ninguém a se candidatar, mas vai aparecer alguém pra o grupo apoiar e eu também vou dar apoio e não quero perder”. Este ano, a prefeitura deve ficar sem pagar o 13º salário dos servidores. A previsão é que a prefeitura só tenha dinheiro em caixa para pagar o funcionalismo público após o dia 10 de janeiro. “Para piorar, o crescimento dos gastos não deve ser acompanhado de uma melhora na arrecadação de impostos, uma vez que as perspectivas são de que a economia brasileira só comece a dar sinais de recuperação no segundo semestre [de 2016]”, lamentou. Uauá tem cerca de 30 mil habitantes e R$ 45 milhões anual em arrecadação, o que dá uma média de R$ 3,5 milhões ao mês. Uauá é um município economicamente sustentado e movido pela economia de subsistência, caracterizado pelo manejo da caprinovinocultura. A cidade é conhecida nacionalmente como “Capital do Bode”. O título é uma referência a exposição de caprinos e ovinos que acontece anualmente e pela fama de ter a carne de bode mais saborosa da região. O bode representa 1/3 do PIB do município.

Corpo do ex-governador Lomanto será transferido para Jequié, nesta quarta-feira

/ Política

Corpo de Lomanto é velado. Foto: Gilberto Jr.
Corpo de Antônio Lomanto é velado. Foto: Gilberto Jr.

O corpo do ex-governador da Bahia, Antônio Lomanto Júnior, velado no Palácio da Aclamação, em Salvador, desde as primeiras horas desta terça-feira (24/11), será transladado da capital para Ipiaú, numa aeronave, que deve desembarcar por volta das 09h, em razão da interdição do Aeroporto Vicente Grillo, de Jequié, e seguirá para a Catedral de Santo Antônio na Cidade Sol, para a despedida final dos jequieenses ao ex-prefeito, maior liderança política da história do município. A missa de corpo presente será celebrada pelo bispo diocesano de Jequié, dom José Rui, e o sepultamento acontecerá às 17 horas no Cemitério São João Batista.

Política: Cacá garante que investigação do pai Leão não interferirá no processo de Cunha

/ Política

Cacá na defesa do pai Leão
O deputado Cacá na defesa do pai Leão. Foto: Reprodução

A posição do deputado federal Cacá Leão (PP) em relação ao processo de cassação do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), é a única que ainda está em aberto entre os parlamentares da bancada baiana. O pepista garantiu que a acusação que paira sobre o seu pai, o vice-governador João Leão, investigado por suspeita de participação no esquema da Petrobras, não vai interferir na decisão do voto contra ou a favor de Cunha, também acusado de envolvimento no desvio de recursos da estatal. Entre a cruz e a espada, entre a razão e o coração, Cacá Leão, em entrevista ao site Bocão News, negou estar em dúvida em relação à cassação do presidente da Câmara Federal. O filho do vice-governador, que ficou licenciado 20 dias por causa de um acidente de cavalo, alegou que só agora terá tempo para analisar o processo. ”Não estou indeciso. Estava fora e retornei agora. Hoje que acessei ao processo e tive a oportunidade ouvir os advogados. Agora, a gente vai ter condições de tomar um posicionamento. Não tem nada a ver uma coisa com a outra [sobre João Leão responder o mesmo processo]. O que se está julgando aqui no conselho, é se houve ou não a quebra de decoro. Não é dever da Câmara julgar o processo de Cunha”, justificou Cacá Leão. O parlamentar do PP anunciou que, em breve, o voto será anunciado e prometeu não agir motivado pelo coração. ”Vou ler. Até a próxima terça terei uma posição. Já teve o voto do relator e vou analisar com calma essa questão para não julgar pela emoção”, garantiu. Levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo aponta que os deputados Paulo Azi (DEM) e José Carlos Carlos Araújo (PSD) devem votar contra Cunha ao passo que, Erivelton Santana (PSC) e Sérgio Brito (PSD) devem votar favorável ao presidente da Câmara. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, foi denunciado no processo da Lava Jato sob a acusação de ter recebido, entre junho de 2006 e outubro de 2012, pelo menos US$ 5 milhões para viabilizar a contratação de dois navios-sonda para a Petrobras.

“Aprendi a admirar quando criança”, lembra João Leão sobre ex-governador Lomanto

/ Política

Vice-governador lamenta morte de Lomanto
Leão lamenta morte de Lomanto. Foto: Blog Marcos Frahm

O vice-governador da Bahia, João Leão (PP), esteve presente do velório do ex-governador Lomanto Júnior, realizado nesta terça-feira (23), no Palácio da Aclamação. ”Foi uma figura maravilhosa que eu aprendi a admirar quando criança. Eu menino na Barra e via as coisas acontecerem no estado da Bahia e via Lomanto como aquela figura do homem do feijão da Lapela. Era uma figura que dizia: ‘O povo da Bahia vai ter ter feijão na Lapela, amanhã vai ter feijão no prato’. Era uma figura maravilhosa” lembra. Ressaltando a carreira política do também ex-senador, Leão afirmou que se inspira em Lomanto. ”Para mim, é um exemplo. Eu, como vice-governador do estado, procuro seguir o empreendedor que foi Lomanto”, disse em entrevista ao Metro1.

Rui Costa e ACM Neto lamentam morte de ex-governador Lomanto Júnior

/ Política

Lideranças lamentam morte de Lomanto. Foto: Raul Golinelli/ GovBA
Lideranças lamentam morte de Lomanto. Foto: Raul Golinelli

O governador da Bahia, Rui Costa, e o prefeito de Salvador, ACM Neto, lamentaram nesta terça-feira (24/11) a morte do ex-governador Antônio Lomanto Júnior. Lomanto faleceu aos 90 anos na noite desta segunda (23), no Hospital Português, em Salvador. “Expresso o meu respeito e meu pesar. Filho de Jequié, foi um homem público que atuou nos mais variados cargos políticos pela escolha do povo da Bahia, atuando sempre como defensor do municipalismo. Que os familiares e amigos sejam confortados nesse momento de despedida e de dor”, diz Rui Costa na nota de pesar. Já o prefeito ACM Neto destacou a “ética, dignidade e transparência” de Lomanto Júnior durante a sua atuação em cargos públicos. Quero destacar que sua administração à frente do governo deixou marcas profundas no desenvolvimento da Bahia, além de lutar pelos interesses dos municípios. Aos amigos e familiares do ex-governador, os meus sentimentos. A Bahia e o Brasil perderam um político exemplar”, lamentou. O presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Paulo Câmara, também se pronunciou sobre o falecimento. “O ex-governador Lomanto Júnior deixou a sua marca na cena pública baiana e brasileira, atuando como vereador e prefeito de Jequié, deputado estadual, deputado federal, governador e senador, honrando todos os mandatos. A cena política perde um grande homem e a Câmara de Salvador está de luto”, afirmou. O governador decretou luto oficial de três dias, a partir desta quarta-feira (dia 25), em sinal de pesar pelo falecimento de Lomanto Júnior.

Corpo do ex-governador é velado em Salvador e será sepultado em Jequié, nesta quarta-feira

/ Política

Lomanto Júnior com os netos
Lomanto Júnior em momento social com os netos. Foto: Arquivo

O corpo do ex-governador da Bahia, Antônio Lomanto Júnior, falecido na noite desta segunda-feira (23/11), numa unidade hospitalar da capital, onde esteve internado na UTI desde o começo deste mês, após ser acometido por uma infecção respiratória, será velado nesta terça-feira no Palácio da Aclamação (Av. Sete de Setembro, n. 1330, ao lado do Passeio Público, próximo ao Campo Grande, em Salvador. Na quarta-feira, o corpo será transladado para sua terra natal, Jequié, e será velado na Catedral de Santo Antônio, cujo sepultamento será realizado às 17h, no Cemitério do São João Batista.

Político de destaque no estado, Lomanto Júnior passou por diversos cargos eletivos. Começou a carreira política em 1946, como vereador do município de Jequié, no sudoeste do estado, lugar onde nasceu. Em seguida, tornou-se prefeito da mesma cidade, alcançando projeção ao levantar a bandeira do municipalismo, fato que o levou a conquistar o governo do estado no ano de 1962, sendo eleito o governador mais jovem da história da Bahia, aos 37 anos. Exerceu também os mandatos de deputado estadual, deputado federal e senador da República, entre 1979 a 1987. Encerrou a trajetória na política como prefeito de Jequié, no final dos anos 90.

Político cumpridor de suas obrigações, sempre esteve voltado para atender os interesses da população, com honestidade, competência, dedicação e responsabilidade. Costumava dizer: ”Sou político para servir, não para ser servido”. Primou pela ética na política, característica tão difícil de encontrar nos dias atuais. Líder municipalista, enfrentava os poderosos com coragem cívica, buscando sempre o melhor para os municípios. Essa postura lhe valeu a presidência da Associação Brasileira de Municípios (ABM), a partir de 1959. Com muita habilidade para fazer amizades, Lomanto Junior transformou a sua vida privada e pública em um celeiro de grandes amigos, de todos os segmentos.

 Como governador, Lomanto Junior mudou a matriz econômica do Estado, que era eminentemente agrícola, passando a ser de base industrial, com a implantação do Centro Industrial de Aratu. Em Salvador, reconstruiu o Teatro Castro Alves e construiu a Avenida Contorno. Integrou o Extremo Sul do Estado, construindo todas as ligações dos municípios com a BR – 101.Fez a Ponte Ilhéus – Pontal, obra reivindicada desde o governo Getúlio Vargas, e construiu e inaugurou o maior estirão de asfalto, com 400 km, ligando Feira de Santana a Juazeiro. Além disso, eletrificou todo o Estado, integrando o Sistema Paulo Afonso ao de Funil.

 

Lomanto Junior foi o único governador, na história política da Bahia, a sair nos braços do povo, que o conduziu do Palácio Rio Branco ao Campo Grande, numa manifestação espontânea que demonstrou a aceitação e popularidade de seu governo.Foi também o deputado federal proporcionalmente mais votado do Estado. Lomanto Júnior foi um estadista, muito atuante em todos os cargos que exerceu. É considerado pelos seus familiares, amigos e todos aqueles que compartilharam de sua vida, um ser humano extraordinário, humilde e de espírito conciliador. A sua generosidade tornou-se uma marca exaltada pelos amigos e colegas. No Senado, alguns pares o chamavam de Coração Transbordante. Deixa esse patrimônio moral para seus 5 filhos, 10 netos e 10 bisnetos. Herdaram a sua vocação para a política, o filho Leur Lomanto, que exerceu por sete vezes o mandato de deputado federal, e o neto, Leur Lomanto Junior, deputado pelo terceiro mandato na Assembleia Legislativa da Bahia.

Cronologia dos cargos de Lomanto Junior. Vereador – Jequié – 1947 a 1950. Prefeito – Jequié – 1951 a 1955. Deputado estadual – Bahia – 1955 a 1959. Prefeito – Jequié – 1959 a 1963. Governador – Bahia – 1963 a 1967. Deputado federal – 1971 a 1975. Deputado federal – 1975 a 1978. Senador – 1979 a 1987. Prefeito – Jequié – 1993 a 1996

 

LUTO: Morre o ex-prefeito de Jequié e ex-governador, Antônio Lomanto Júnior, aos 90 anos

/ Política

Antônio Lomanto Júnior, de 90 anos
Antônio Lomanto Júnior, de 90 anos. Foto: Arquivo

Morreu nesta segunda-feira (23/11), o ex-governador do estado  Antônio Lomanto Júnior, de 90 anos. Lomanto estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratar uma infecção respiratória desde o começo do mês. Ele passou a apresentar deficiência renal e precisou fazer hemodiálise. Lomanto Júnior nasceu na cidade de Jequié em 1924 e sempre sonhou em ser governador da Bahia. Foi vereador com apenas 22 anos, de 1947 a 1950. Elegeu-se prefeito, exercendo o cargo de 1951 a 1955. Bem sucedido, conseguiu se eleger deputado estadual, atuando de 1955 a 1959. Depois da experiência na Assembleia Legislativa, Lomanto resolveu voltar para Jequié e sagrou-se, novamente, prefeito.

Lomanto, o determinado

Em 1962, candidata-se ao governo do estado e consegue a vitória, tomando posse em 7 de abril de 1963. No começo, enfrentou uma séria crise econômica, reflexo do governo João Goulart, mas conseguiu realizar obras importantes como: a estrada federal Rio-Bahia, 1963, a estrada Feira de Santana-Juazeiro, o Teatro Castro Alves e a ampliação da usina hidrelétrica de Paulo Afonso. Idealizado pelo ex-governador Antônio Balbino, o Teatro Castro Alves só foi recuperado – após um incêndio – graças à determinação de Lomanto Júnior.  As obras de recuperação foram abandonadas pelo ex-governador Juracy Magalhães, opositor de Balbino, logo que assumiu o governo, sendo retomadas por Lomanto. Na verdade, o teatro foi praticamente reconstruído pelo governo Lomanto Júnior. Totalmente reconstruído, o Castro Alves foi inaugurado em 4 de março de 1967 com a presença do presidente da época, Humberto de Alencar Castelo Branco. Sobre Lomanto, Joaci Góes disse certa vez: ”Outro feito de destaque de Lomanto foi inaugurar na Bahia a neurolinguística na política. Uma vertente da neurolinguística é a capacidade de a pessoa criar uma ideia e conseguir concretizá-la, tendo como base a própria vontade de fazer acontecer”. Lomanto Júnior deixou o governo da Bahia em 1967, quando foi sucedido por Luiz Viana Filho. Em 1979 foi eleito senador, cargo que ocupou até 1987. Em 1993, consegue eleger-se, novamente, prefeito de Jequié. Considerado um dos maiores homens públicos da Bahia,  Lomanto Júnior é pai do ex-deputado federal Leur Lomanto e avô do deputado estadual Leur Lomanto Júnior (PMDB).

Brasília: Cunha diz que oposição não tem força para obstruir votações na Câmara

/ Política

Presidente da Câmara, Cunha. Ailton de Freitas / Agência O Globo
Presidente Eduardo Cunha. Ailton de Freitas / Agência O Globo

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta segunda-feira não temer o movimento da oposição de obstruir as próximas votações dos trabalhos na Casa. Nesta terça-feira, deverá ser lido no Conselho de Ética da Câmara o relatório do deputado Fausto Pinato (PRB-SP) pela abertura da investigação contra Cunha, adiado depois de manobra feita pelo pelo peemedebista. Cunha disse que não se constrangerá com essa possibilidade de obstrução dos trabalhos, e que não foi eleito com a ajuda de oposicionistas e nem tampouco do PT. ”Eles (partidos de oposição) já obstruem, você acha que já não tem processo de obstrução aqui na Casa? Todos eles juntos não têm numero suficiente para impedir que a Casa funcione. Não ficará paralisada” afirmou Cunha: ”Não estou pensando em contar com apoio nem de A nem de B. A Casa vai funcionar. Até porque, quem não comparecer, vai ser descontado. Se quiserem ficar aqui em obstrução o tempo inteiro e tiver número para obstruir, significa que a Casa não quer votar. Então não vote. Isso é um problema da Casa, eu não vou me constranger com essa possibilidade”, disse o presidente da Câmara, se dizendo “absolutamente tranquilo”: ”Estou absolutamente tranquilo, porque tive uma maioria para ganhar (a eleição da presidência da Câmara) em primeiro turno que independeu do PT, do PCdoB, do PSDB, do PPS, do PSOL”. O presidente da Câmara negou que haja qualquer desgaste adicional em seu mandato. Segundo ele, o que há é uma “campanha” feita por seus adversários contra ele desde que foi eleito. Com informações de O Globo

Teixeira de Freitas: Vereador quer reduzir número de colegas e cortar em 50% salários da Câmara

/ Política

Vereador Gilberto do PT. Foto: Câmara de Teixeira de Freitas
 Gilberto do PT. Foto: Câmara de Teixeira de Freitas

Se depender do vereador Gilberto Lemos Soares, o Gilberto do PT, o número de legisladores e o salário pago a eles em Teixeira de Freitas, Extremo-Sul, vão diminuir. Pela iniciativa, o número de legisladores cairia de 19 para 13, e o salário, que atualmente é de R$ 10.021,2, teria redução de 30%, caindo para pouco mais de R$ 7 mil. Até agora, a iniciativa conta com apenas três assinaturas, das sete necessárias, para dar início à tramitação do projeto. Além de Gilberto do PT, empunharam o nome, Edinaldo Rezende (PT), Aílson Cruz (PROS) e Erlita Freitas (PT).  Ainda segundo o edil, caso o projeto vingue a economia no legislativo de Teixeira de Freitas poderia superar a faixa de R$ 1 milhão. Para o legislador, é natural a resistência da maioria dos vereadores ao projeto, por conta da intenção de muitos de disputar a eleição do ano que vem. Para valer para a próxima legislatura, a proposta terá que ser aprovada até 60 dias antes da eleição de 2016, marcada para 2 de outubro.  A proposta foi apresentada na sessão da última quarta-feira (18/11). Com informações do Bahia Notícias

Ministro Jaques Wagner convoca deputados petistas insatisfeitos com Eduardo Cunha

/ Política

Wagner tenta salvar Cunha. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Wagner tenta salvar Cunha. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Depois do desembarque da oposição, da perda de apoio entre aliados e do desconforto no PMDB, cresce a insatisfação na bancada do PT com a política de boa vizinhança mantida pelo Palácio do Planalto e pela direção petista com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O ministro Jaques Wagner (Casa Civil) convocou uma reunião com deputados do PT descontentes para a noite de hoje. Já o peemedebista, fiel ao seu estilo de se defender atacando, afirmou ontem que é ”furado” acharem que ele vai cair antes de decidir sobre o pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, o que promete fazer antes do recesso parlamentar, que começa em 22 de dezembro. Cunha disse ainda que ”não existe qualquer hipótese” de se afastar do cargo. ”Furado é achar que vou cair. Mais furado ainda é achar que não vou decidir (sobre o impeachment)”, afirmou Eduardo Cunha ao Globo, por meio de mensagem de texto. Ele disse que na semana passada arquivou sete outros pedidos e que faltam outros sete para avaliar, o que pode fazer a qualquer momento: ”Não sei (se será na próxima semana). Vai ser na medida do meu convencimento. O peemedebista ironizou as avaliações segundo as quais ele, isolado, pode cair antes e dar um refresco para a presidente Dilma. ”Todos os dias, faz quatro meses, esses mesmos articulistas falam que vou cair e estou aqui”, respondeu. Leia na íntegra

Depois de sete deputados, o Partido da Mulher Brasileira tem a primeira deputada

/ Política

Brunny Gomes recebeu 45 mil votos.
Brunny Gomes recebeu 45 mil votos. Foto: Reprodução

Depois do anúncio de que sete deputados federais se filiaram ao recém-criado Partido da Mulher Brasileira nesta semana, o partido ganhou finalmente a assinatura de uma parlamentar: Brunny, deputada federal por Minas Gerais eleita pelo PTC. Com 26 anos, Brunny usa o roxo na divulgação de seu trabalho e até mesmo no gabinete — é uma referência à cor que predominava no programa que a tornou conhecida em Governador Valadares, ”Brunny & Vc”. Aluísio Mendes, eleito pelo PSDC e Marcelo Aro, pelo PHS, também acabaram de se filiar ao PMB.

Justiça condena ex-prefeito de Nova Redenção por fraudes em licitações

/ Política

Ivan Alves, ex-prefeito de Nova Redenção. Foto: Reprodução
Ivan Alves, ex-prefeito de Nova Redenção. Foto: Divulgação

A Justiça Federal condenou o ex-prefeito de Nova Redenção, Ivan Alves Soares, por fraudes em licitações. Além dele, foram condenados Andresson Teles da Silva, Wesley Soares Andrade, Maria Conceição Silva Carvalho (membros da Comissão de Licitação), Gileno Benedito da Silva, Lázaro Moreira Martins e Edimar Mendes da Silva por improbidade administrativa. O ex-gestor e os três membros da Comissão de Licitação foram condenados ao ressarcimento de R$ 167.394,38, total dos gastos com contratações irregulares, com juros e correção monetária, além de multa civil de 10% do valor do dano, para cada um, proibição de contratar com o Poder Público por 5 anos e suspensão dos direitos políticos por 8 anos. Gileno Benedito da Silva foi condenado ao ressarcimento de R$ 112.394,38.

 

Os réus Edimar Mendes da Silva e Lázaro Moreira Martins foram proibidos de contratar com o Poder Público e tiveram suspensos seus direitos políticos por 5 anos. Deverão ainda ressarcir o dano no valor, respectivamente, de R$ 25 mil e R$ 30 mil, e pagar multa civil atualizada de 10% do valor do dano, solidariamente com os quatro primeiros réus. Nos autos ficou comprovada irregularidade em carta convite para aquisição de material didático e expediente para as Secretarias de Nova Redenção no valor estimado de R$ 75.198,50. Teriam participado do procedimento licitatório três empresas, sendo que a firma Gileno Benedito da Silva sagrou-se vencedora. A licitação foi direcionada pois as outras duas empresas não foram intimadas para participarem do procedimento licitatório. As rubricas atribuídas às duas supostas concorrentes não pertenciam aos seus dirigentes.

O juiz Gilberto Pimentel Gomes registrou sua estranheza pelos integrantes da Comissão de Licitação não identificarem os responsáveis pelo recebimento do edital, supostamente presentes na sessão de julgamento. ”Se eram representantes das empresas convidadas, porque tamanha discrepância entre suas assinaturas e as dos integrantes dos atos constitutivos? E o gestor municipal chancelou tal omissão sem qualquer questionamento? Tamanha falta de diligência não pode ser admitida no trato com a coisa pública, mormente tratando-se de procedimento licitatório, meio legal imposto à Administração para efetuar de forma mais vantajosa as contratações de que necessite”, afirmou. Em outra carta convite para locação de veículos, ocorreu simulação e fraude. O concurso tinha por objeto três itens distintos e cada um dos convidados apresentou cotação para apenas um deles, de modo que cada um foi vencedor como ofertante único em cada proposta e a licitação não atingiu sua finalidade de selecionar a proposta mais vantajosa, não havendo competitividade e isonomia. O juiz afirma: ”Não há como se deixar de concluir que os réus tenham querido, ou ao menos assumido o risco do resultado lesivo aos cofres públicos federais, no importe correspondente ao valor dos serviços prestados por meio de licitação viciada”. Bocão News

 

Aécio Neves muda discurso afirma que PSDB vê com ”simpatia” projetos do governo

/ Política

Tucano investe discurso. Foto: Divulgação/Twitter/Aécio Neves
Tucano muda o discurso. Foto: Twitter/Aécio Neves

Durante um evento no diretório estadual do partido tucano em Belo Horizonte-MG, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que a legenda está disposta a apoiar projetos defendidos pelo governo da presidente Dilma Rousseff (PT), mudando o tom dos discursos do mineiro, que pediam o impeachment da presidente. Aécio afirmou que continua convicto de que Dilma cometeu crime de responsabilidade ao recorrer às chamadas pedaladas fiscais – manobra que a oposição apostou como motor para a abertura de um processo de impeachment que não se concretizou. ”Mas não podemos ter como exclusiva agenda das oposições a questão do afastamento da presidente”, disse ele a jornalistas. De acordo com o tucano, o PSDB vai preparar um conjunto de propostas sociais para minimizar os efeitos da crise econômica. O partido segue contra a recriação da CPMF, mas vê com simpatia outras propostas apoiadas pelo governo, como a da desvinculação das receitas da União (DRU). ”Isso pode ajudar a melhorar, mesmo que minimamente, a execução do orçamento da área da saúde, na área da educação. E nós estamos admitindo nessa questão específica votar favoravelmente. Isso é uma demonstração de que o PSDB não é oposição ao Brasil”, declarou o senador. Confira aqui