A volta dos que não foram: aliados de João Leão começam a negociar retorno do PP à base petista

/ Política

João Le]ao prometeu ”dar um couro no PT”. Foto: Reprodução

O vice-governador João Leão (PP) fez uma aposta de milhões nestas eleições. Talvez uma das maiores deste pleito. Rompeu com o governador Rui Costa (PT) e migrou para o campo de ACM Neto (União). O prêmio, no entanto, foi de centavos. Ele – que além de vice-governador, tinha cargos e secretarias no governo – acabou ficando apenas com uma cadeira na Câmara dos Deputados e ainda corre o risco de perder a liderança do partido. Do período de campanha, restou somente a dúvida sobre o futuro do PP e a lembrança de um vídeo em que Leão aparece prometendo ”dar um couro no PT”.

Ao migrar para o lado de ACM Neto, Leão levou com ele os deputados do partido. Dez dias após o resultado das urnas, a dúvida que fica é quanto tempo os ex-aliados precisarão para se aproximar do governo de Jerônimo Rodrigues (PT). Ao Jornal da Metropole, o deputado federal Mário Negromonte Jr. (PP) confirmou que alguns correligionários da sigla defendem que essa aliança seja feita. De acordo com ele, já houve uma reunião da executiva do partido pós-eleição, mas a possibilidade ainda não foi colocada na mesa. O deputado acredita, porém, que o PP deve fazer uma ”reconstrução”, dialogando com sua base, para tomar a melhor decisão.

Presidente nacional do PP, o deputado Cláudio Cajado segue na mesma linha. Para ele, o partido ainda precisa se ajustar internamente. O parlamentar, contudo, faz uma ressalva sobre como ocorrerá a possível reaproximação, ”já que o interlocutor geralmente é o líder do partido”, neste caso João Leão. O governador eleito já indicou que vem dialogando diretamente com deputados, mas não abriu as portas para a sigla. ”Com o partido ainda é muito difícil porque o presidente está de uma forma que não dá pra gente poder conversar nesse momento”, disse Jerônimo na última terça-feira, durante a entrega de um colégio em Salvador.

Se os deputados ainda precisam de tempo para avaliar a aproximação com o governo de Jerônimo, parte dos prefeitos do partido já foi antes mesmo do resultado do pleito pelo Palácio de Ondina. Foram eles que protagonizaram, após o resultado do 1º turno, a debandada do lado de Neto. Prefeitos como Peba, de Itapebi; Djalma Anjos, de Novo Horizonte; Willian de Alemão, de Dário Meira; e Reges Aragão, de Ituberá, foram alguns dos nomes que declararam apoio à candidatura de Jerônimo Rodrigues. João Leão, por sua vez, radicalizou. Após 14 anos de aliança com o PT, ele chegou a dizer que era preciso ”expurgar” o partido da Bahia e ainda declarou apoio a Jair Bolsonaro (PL).

O rompimento e a mudança de postura de João Leão frente aos ex-aliados aconteceu em março deste ano, após o vice-governador tomar conhecimento, via imprensa, que o acordo que faria ele assumir o governo tinha caído por terra. Em entrevista à Rádio Metropole, o senador Jaques Wagner (PT) revelou que Rui Costa ficaria no governo até o final do mandato. Até então, o acordo era que o governador renunciaria ao cargo para disputar o Senado, abrindo caminho para Leão assumir o governo por 9 meses.

Dias depois, o PP anunciou o rompimento, ressaltando que considerava ”inaceitável” a quebra do acordo e destacando ainda a ”indelicada comunicação da decisão”. Na base de Neto, o partido chegou como grande aliado, figurando a candidatura ao Senado, com Cacá Leão. Somando 25,24% dos votos, o filho do vice-governador não conseguiu se eleger e perderá, a partir de fevereiro, sua cadeira na Câmara dos Deputados. O pai foi eleito, mas sem muita facilidade. Na ordem dos mais votados, ele foi o 30º dos 39 deputados federais eleitos. Nas eleições proporcionais, o partido conseguiu manter as 4 cadeiras na Câmara dos Deputados e as 6 na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba).

*Por: Mariana Bamberg

PF abre inquérito para apurar atuação do diretor-geral da PRF em bloqueios e fiscalizações

/ Polícia

A Polícia Federal abriu inquérito nesta quinta-feira (10) para investigar se o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Silvinei Vasques, realizou crimes de prevaricação e violência política durante bloqueios nas eleições.

A investigação foi aberta a pedido do Ministério Público Federal (MPF) e é mantida sob sigilo. Ela será comandada pela superintendência da Polícia Federal em Brasília, já que Vasques não tem foro privilegiado.

A PF vai apurar se a fiscalização de ônibus com eleitores durante o segundo turno das eleições, com ênfase desproporcional na região Nordeste e contrariando decisão do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE); se Silvinei Vasques cometeu crime de prevaricação, por omissão, ao não orientar medidas mais enérgicas para a PRF desobstruir rodovias bloqueadas por atos de caráter golpista após as eleições, nas últimas semanas. O crime de prevaricação acontece quando um funcionário público age contra a lei.

”Nunca vi mercado tão sensível como o nosso”, diz Lula em entrevista após tombo da Bolsa

/ Política

Lula ironizou a reação negativa do mercado. Foto: Reprodução

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ironizou a reação negativa do mercado financeiro a suas críticas ao teto de gastos e à política de austeridade fiscal. Ele afirmou nunca ter visto mercado ”tão sensível” como o brasileiro. Lula falou com apoiadores ao deixar o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), sede do governo de transição.

Descontentamento de investidores, temendo a agenda fiscal do futuro governo após as falas do presidente desta manhã, contribuiu para a queda de 4% do Ibovespa, índice referência da Bolsa de Valores brasileira, aos 108.964 pontos. O dólar comercial à vista disparou 4,08% e fechou cotado a R$ 5,3960, na venda.

”O mercado fica nervoso à toa. Nunca vi o mercado tão sensível como o nosso. É engraçado que esse mercado não ficou nervoso em quatro anos de [Jair] Bolsonaro (PL)”, respondeu Lula, após ser questionado por jornalistas sobre o desempenho da Bolsa e do dólar nesta quinta.

O petista também falou sobre a terceira vitória em eleições presidenciais. ”O povo brasileiro é extraordinário. Eu acho que esse povo está precisando um pouco de paz, um pouco de tranquilidade. Eu espero que a gente consiga restabelecer o sonho do país, só isso.”

Em 30 de outubro, no primeiro discurso após ser eleito, Lula mostrou disposição de buscar pacificação com a metade do eleitorado que votou em Bolsonaro. A campanha foi marcada por episódios de hostilidade, em um nível de rivalidade inédito.

”A partir de 1º de janeiro de 2023 vou governar para 215 milhões de brasileiros e brasileiras. Não apenas para aqueles que votaram em mim. Não existem dois Brasis. Somos um único país, um único povo, uma grande nação”, afirmou na ocasião.

Lula foi questionado por um apoiador sobre se haveria perdão da dívida para o Fies (fundo de financiamento estudantil) de 2014. ”Você tem que compreender que o Fies não é dívida, o Fies é um investimento social”, disse.

Segundo dados do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), mais de 1 milhão de contratos do Fies estavam com atraso no pagamento das parcelas. Desse total, cerca de 890 mil devedores podiam solicitar a renegociação das dívidas.

Em junho, Bolsonaro sancionou a medida provisória que prevê desconto na renegociação de dívidas do Fies. Os bancos são obrigados a conceder descontos que podem variar entre 12% e 99% para pagamento em parcela única. O saldo devedor pode ser parcelado em até 150 vezes, a depender da situação do estudante. A renegociação pode ser solicitada até o dia 31 de dezembro deste ano.

No discurso feito pela manhã, o presidente eleito questionou ”por que pessoas são levadas a sofrer para garantir a tal da estabilidade fiscal nesse país?”. ”Por que toda hora as pessoas dizem que é preciso cortar gasto, que é preciso fazer superávit, que é preciso ter teto de gastos? Por que a gente não estabelece um novo paradigma?”, completou.

Lula afirmou ainda que “algumas coisas encaradas como gastos nesse país vão passar a ser vistas como investimentos.”

”Não é possível que se tenha cortado dinheiro da Farmácia Popular em nome que temos de cumprir a meta fiscal, cumprir a regra de ouro. Sabe qual é a regra de ouro nesse país? É garantir que nenhuma criança vá dormir sem tomar um copo de leite e acorde sem ter um pão com manteiga para comer todo dia.”

 

Folha de S. Paulo

 

”Vergonha alheia”, diz ministro do STF sobre nota da Defesa que não descarta fraude

/ Justiça

O relatório do Ministério da Defesa sobre as urnas eletrônicas e a interpretação que a pasta deu a ele posteriormente em nota está sendo objeto de críticas e de ironias no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O documento não aponta a existência de fraudes ou de irregularidades nas eleições. Depois de publicado, porém, a Defesa afirmou em nota que o ”acurado trabalho da equipe de técnicos militares” não apontou, mas ”também não excluiu a possibilidade de existência de fraude” no sistema eleitoral.

”Vergonha alheia”, diz um ministro do STF sobre a nota da Defesa, que está sendo interpretada como uma tentativa de controlar a narrativa sobre o relatório, dando gás a bolsonaristas que têm ido às ruas em manifestações golpistas.

Outros magistrados também criticam o papel que os militares desempenharam nas eleições. Um deles afirma que, chamados a fiscalizar as eleições com outras entidades, eles se comportaram como o convidado de um jantar que chega na casa do anfitrião e ”vomita no tapete”. Em discurso nesta quinta (10), o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que o papel das Forças Armadas na fiscalização das urnas eletrônicas foi deplorável e o resultado, humilhante.

Lula cobrou pedidos de desculpa do presidente Jair Bolsonaro (PL). Primeiro, às Forças Armadas por usar os militares nesse processo, com uma série de mentiras e insinuações sem provas. Depois, aos brasileiros, por ter mentido, segundo o petista.

”Ontem [quarta-feira] aconteceu uma coisa humilhante, deplorável para as nossas Forças Armadas: um presidente da República, que é o chefe supremo das Forças Armadas, não tinha o direito de envolver as Forças Armadas a fazer uma comissão para investigar urnas eletrônicas, coisa que é da sociedade civil, dos partidos políticos e do Congresso Nacional”, disse o presidente eleito a parlamentares.

”O resultado foi humilhante, humilhante. Eu não sei se o presidente está doente, mas ele tem a obrigação de vir à televisão e pedir desculpas para a sociedade brasileira e pedir desculpas às Forças Armadas, por ter usado as Forças Armadas, que é uma instituição séria, que é uma garantia para o povo brasileiro contra possíveis inimigos externos, fosse humilhada, apresentando um relatório que não diz nada, nada, absolutamente nada daquilo que ele durante tanto tempo acusou”, continuou. As informações são da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo

Sargento Pincel de Os Trapalhões, Roberto Guilherme morre aos 84 anos no Rio de Janeiro

/ Entretenimento

O artista de 84 anos, que também era dublador. Foto: Reprodução

O ator Roberto Guilherme, conhecido pelo papel marcante e irreverente em ”Os Trapalhões”, da TV Globo, morreu na manhã desta quinta-feira (10), no Rio de Janeiro.

O artista de 84 anos, que também era dublador, estava internado na Clínica São Vicente, na Gávea, Zona Sul. O artista lutava contra um câncer havia alguns anos, e estava na segunda fase de quimioterapia contra a doença.

”Descansa em paz, melhor pai, marido, avô e amigo do mundo! Deus te receba nos braços. Amor eterno!”, diz publicação compartilhada nas redes sociais de Roberto.

Além disso, a família do ator divulgou uma série de fotos do ator com a seguinte legenda: A família divulgou uma série de fotos do ator com a seguinte legenda: ”Apenas momentos felizes é como ele gostaria de ser lembrado. Então algumas fotos da última viagem que ele fez com a família. Descansa em paz melhor pai, marido, avô, irmão e amigo do mundo. Te amamos para sempre! Aos fãs, obrigada por tanto carinho, ele sempre amou vocês”. Com informações do Bahia Notícias

Professora de escola pública é vítima de racismo e alunos acham suástica em escola em São Paulo

/ Brasil

Ana Paula Pereira Gomes, professora de uma escola municipal na zona sul de São Paulo, foi chamada de ”macaca” na lista de presença de uma das turmas para a qual dá aula. O caso aconteceu no último dia 24 de outubro, em uma turma do 2º ano do Ensino Médio na Escola Municipal Professor Linneu Prestes. O absurdo não para por ai. Duas semanas após o episódio com a professora, alunos encontraram dois símbolos nazistas desenhados em uma mesa: uma suástica e um SS, que se refere à polícia ligada ao Partido Nazista, líder nazista Adolf Hitler.

Ana Paula abriu um boletim de ocorrências na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância por conta do episódio. Na ocasião, ela foi avisada por um colega que alguém havia escrito a palavra ”macaca” no local destinado ao nome da professora na lista de presença dos alunos.

”Isso chegou ao conhecimento de uma colega. Ela entendeu que se referia a mim porque estava no local onde ficaria o meu nome na aula que seria dada no dia seguinte. Ela apresentou até a direção e aguardou que tomassem as providências”, explicou a professora ao portal Uol, ressaltando ainda que precisou convencer o coordenador pedagógico da escola para que o assunto fosse tratado com os alunos. De acordo com Ana Paula, o racismo não era algo novo na insituição.

Os símbolos nazistas foram encontrados, uma semana depois, por um integrante do Grêmio Estudantil. Ao Uol, o aluno contou que procurou Ana Paula, ”porque ela seria uma das únicas que dava atenção para esse tipo de pauta”. Procurada, a Secretaria Municipal da Educação informou que ”repudia qualquer ato de discriminação e racismo” e que a Diretoria Regional de Ensino ”instaurou apuração interna”.

Chuva volta a ganhar intensidade em Jaguaquara e provoca alagamentos na área central da cidade

Chuva alagou ruas do Centro da cidade. Foto: BMFrahm

A chuva voltou a ganhar intensidade nesta quinta-feira (10), no território do Vale do Jiquiriçá, atingindo fortemente o município de Jaguaquara. A chuva caiu com força por volta das 10h30 e provocou alagamentos em pontos da área central, que fica na parte baixa da cidade.

Em Jaguaquara, por conta da sua topografia, o Centro recebe águas de bairros diversos e registra alagamentos com qualquer volume de chuvas

Moradores têm feito algumas observações nas últimas chuvas, alegando que águas acompanhadas de terra e entulho invadem as ruas em volume maior, diante de algumas obras privadas que estariam levando mais transtornos às vias públicas do Centro.

A falta de canais de águas pluviais para despejo no Rio Casca, que corta o município é também um dos problemas apontados para o alagamento com facilidade das vias centrais.

Prazo para atualização de dados do CadÚnico para famílias inscritas termina nesta sexta-feira

/ Economia

As famílias inscritas no Cadastro Único têm até esta sexta-feira (11) para atualizar os dados do Cadastro Único (CadÚnico), data em que se encerra o prazo de revisão de dados. O prazo foi prorrogado devido às grandes filas que têm sido formadas em Centros de Referência em Assistência Socual (Cras) de todo o país.

Segundo o Ministério da Cidadania, neste ano, apenas as famílias com cadastros revisados pela última vez em 2016 ou 2017 foram convocadas para atualizar as informações junto aos municípios.

O processo de revisão cadastral foi escalonado devido dos impactos causados pela pandemia de covid-19. Com isso, as famílias que atualizaram dados pela última vez em 2018 ou 2019 serão convocadas nos próximos anos.

”As famílias inscritas no Cadastro Único devem atualizar os dados a cada dois anos ou sempre que houver alguma alteração. Quem for convocado para averiguação e revisão de dados deve comparecer a um Centro de Referência de Assistência Social  ou a um posto de atendimento do Cadastro Único do município”, informou o ministério em nota.

Segundo a pasta, a atualização cadastral é ”fundamental para assegurar a qualidade dos dados e garantir que as informações registradas na base do Cadastro Único estejam sempre de acordo com a realidade das famílias”.

A atualização do cadastro é obrigatória para a continuidade do recebimento de benefícios pagos via programas sociais como o Auxílio Brasil, o Benefício de Prestação Continuada (BPC), a Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) e a ID Jovem. Da Agência Brasil

Jequié: Vereador quer marcação e agendamentos de exames e consultas por meio digital na rede de saúde

/ Jequié

Proposta foi apresentada por Joaquim Caíres. Foto: Emanuel Jr.

Garantir aos cidadãos jequieenses a marcação e agendamentos dos exames e consultas por meio da rede mundial de computadores ON LINE em toda rede de saúde do município. Este é o objetivo da proposta de autoria do vereador Joaquim Caíres, aprovada pela Câmara Municipal de Jequié.

Em sua justificativa, o vereador afirma que é chegada a hora de o município implantar um sistema que atenda às demandas da população com maior comodidade e rapidez. ”As marcações de exames, consultas e exames de alta complexidade nas unidades básicas de Saúde do Município de Jequié de forma ON LINE fará com que os beneficiários tenham um canal na própria unidade de saúde onde, ao término da consulta ele já possa agendar os procedimentos solicitados pelo profissional da saúde sem que tenha a necessidade de enfrentar as longas filas ao ar livre para tentarem o seu intento, evitando assim os riscos provenientes e advindos por passar a noite em tempo aberto”.

Acrescenta Caíres: ”Essa proposta é de tamanha relevância para que os usuários do SUS, que dependem da rede pública para a realização de exames e consultas, sem que haja a interferência de terceiros para que se consiga o referido procedimento, fazendo assim que todos tenham um atendimento igualitário e possa assim acompanhar a fila virtual com total transparência”.

Transição da gestão Jerônimo irá focar em estrutura de governo e adia debate de nomes

/ Política

Jerônimo foca na forma que o governo terá. Foto: Divulgação

Apesar de muitos nomes já serem colocados como eventuais secretários da gestão de Jerônimo Rodrigues (PT), o novo governo tem focado na estrutura governamental. Informações obtidas pelo Bahia Notícias dão conta que o foco atual do grupo de transição (veja aqui) é na forma que o governo terá e não nos nomes que irão compor a gestão.

Interlocutores na nova gestão apontaram, em condição de anonimato, que até o final de novembro o grupo não irá debater sobre escolhidos. A ideia é ajustar quais secretarias serão criadas e quais podem ser desmembradas ou reorganizadas para que, assim, os novos secretários possam começar a ser debatidos para cada pasta.

Jerônimo tem indicado que o grupo vem desenhando a futura gestão com o auxílio do atual governo e “ainda com o que está sendo definido para o Governo Federal”. Para o novo governador, a ideia é realizar interlocução direta com a gestão federal para conseguir “espelhar” ao máximo o formato organizado por Luiz Inácio Lula da Silva, pensando em receber o maior número de investimentos de Brasília.

”Lula já avisou que vai investir em Turismo, por exemplo. Precisamos saber o que construir aqui para compor e aproveitar esse planejamento. Lula disse que vai criar um ministério dos povos originários, povos indígenas. Vamos ver como fazer esse intercâmbio de políticas públicas. E faremos isso sem deixar de nos preocupar com as pastas prioritárias, Segurança Pública, Saúde, Educação, entre outras”, indicou Jerônimo.

O novo governador tem atuado em Brasília para conseguir essa maior interlocução e já se reuniu em Brasília com a bancada baiana na Câmara dos Deputados, além de se encontrar com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP).

Prefeito passa por cirurgia para após problema cardíaco e diz que Deus não lhe deu missão para ser interrompida

/ Saúde

Rodrigo Andrade passa por cirurgia. Foto: Reprodução

O prefeito do município de Aurelino Leal, no Sul, Rodrigo Andrade (PP), passou por uma cirurgia para corrigir um problema de arritmia cardíaca. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (10) pelo site Políticos do Sul da Bahia, parceiro do Bahia Notícias. Andrade está há mais de 20 dias internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na capital baiana por conta do estado de saúde.

”A minha limitação é grande e quero sair do hospital bom, independentemente do que precisa ser feito. Mas em momento algum deixei de lado a prefeitura, nossa equipe está focada na gestão. Deus não me deu essa missão para ser interrompida agora, mas que seja feita a vontade dele”, declarou o prefeito.

Lula afirma que protestos são ”sem sentido” e que Jair Bolsonaro precisa reconhecer derrota

/ Brasília

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quarta-feira (9) que cabe a Jair Bolsonaro (PL), reconhecer a derrota e que os protestos de bolsonaristas ”inconformados com o resultado das urnas não fazem sentido”.

”Ninguém vai acreditar no discurso golpista de alguém que perdeu as eleições. Cabe ao presidente reconhecer a sua derrota, cabe a ele fazer uma reflexão, e se preparar para daqui a uns anos concorrer outra vez, assim é o jogo democrático”, disse após se reunir com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes.

O representante do PT lembrou que perdeu três eleições presidenciais e que, a cada uma, ficava triste e ia para casa lamentar. ”Eu nunca entrei em depressão porque corintiano não entra em depressão, mas eu ia lamentar, ficar quieto durante um tempo, pensar onde eu errei”, afirmou.

Caminhão tomba na BR-101 e carga de cimento cai em cima de motociclista que passava em rodovia

/ Trânsito

Acidente , próximo à cidade de Licínio de Almeida. Foto: PM

Um caminhão carregado de cimento tombou nesta quarta-feira (9), no entroncamento entre a BA-156 e a 026, próximo à cidade de Licínio de Almeida, no sudoeste baiano, segundo informações da Polícia Militar da região. A carga do veículo caiu sobre um motocilcista que passava pelo local e a vítima fraturou o joelho.

O motorista do caminhão informou às testemunhas que o veículo de carga ficou sem freios e ao entrar na curva tombou e atingiu a motocicleta do homem que ficou ferido.

Os ocupantes do caminhão tiveram ferimentos leves. Eles e o motociclista foram encaminhados para o Hospital Municipal Waldeck Ornelas, em Lícinio de Almeida. A via ficou sinalizada até a chegada do guincho para a retirada do veículo de carga. As informações são do G1

Aprovada Medida Provisória que garante crédito para ”auxílio” de R$ 600 até dezembro

/ Brasília

O plenário do Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (9) a medida provisória que liberou crédito extraordinário de R$ 27 bilhões ao Ministério da Cidadania. Esses recursos atendem ao financiamento, até dezembro, do aumento de R$ 400 para R$ 600 no valor do Auxílio Brasil, pago a mais de 21 milhões de famílias. O texto segue para promulgação.

O montante também atende ao financiamento, até dezembro, de outros programas sociais incluídos na Emenda Constitucional 123 – que permite ao governo gastar por fora do teto de gastos mais R$ 41,25 bilhões até o fim do ano para aumentar benefícios sociais e diminuir tributos do etanol.

A MP permitiu o pagamento de um acréscimo de R$ 200 no programa Auxílio Brasil (R$ 25,5 bilhões) e o aumento do valor do Auxílio Gás (R$ 1,04 bilhão).

Também serão destinados R$ 500 milhões ao Alimenta Brasil, programa social que garante o abastecimento alimentar das pessoas atendidas pela rede socioassistencial do governo por meio de alimentos produzidos pela agricultura familiar.

Há ainda a destinação de R$ 86,9 milhões ao Ministério da Economia para o pagamento de custos e encargos bancários relativos ao programa Auxílio Brasil.

Bancos inadimplentes

O Senado Federal também aprovou a medida provisória que estabelece compensação tributária para instituições financeiras que sofreram perdas no recebimento de créditos. O texto prevê que os bancos possam deduzir as perdas na hora de determinar o lucro real e a base de cálculo da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

A regra vale para operações inadimplidas (com atraso superior a 90 dias) e para operações com pessoa jurídica em processo falimentar ou em recuperação judicial. O tratamento tributário diferenciado pode ser aplicado a partir de 1º de janeiro de 2025. Administradoras de consórcio e instituições de pagamento ficam de fora do regime especial. O texto também segue para promulgação.

Nas operações inadimplidas, o valor da perda dedutível deve ser apurado mensalmente. Nos casos de recuperação judicial, o valor será igual à parcela que exceder o montante que o devedor tenha se comprometido a pagar. Na hipótese de falência, a perda dedutível é igual ao valor total do crédito.

*Com informações da Agência Senado