Candidato à reeleição, deputado Antônio Brito faz caminhada em Jaguaquara com apoiadores

/ Jaguaquara

Brito fez corpo a corpo na Malvina. Fotos: Blog Marcos Frahm

Candidato à reeleição, o deputado federal Antônio Brito (PSD) fez caminhada nesta quinta-feira (20), na cidade de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá. Ladeado pelo vereador Edmilson Barbosa (PSD), pelo ex-vereador Bode da Saúde, ex-candidato a vereador Júnior Melo, o desportista Murcho e outras lideranças que apoiam a sua candidatura, a exemplo do prefeito da vizinha cidade de Itaquara, Marco Aurélio Costa (PSB) o deputado intensificou o corpo a corpo em vias dos bairros Malvinas I e II e conversou com eleitores.

Apoiador de Brito, prefeito Marco Aurélio de Itaquara marca presença

Ao final da caminhada, Brito usou o microfone em um carro de som e falou sobre condutas vedadas pela nova legislação eleitoral, que, segundo ele, tem exigido mais empenho dos candidatos na busca pelo voto. ”É uma eleição diferente das outras, porque só será votado pelo eleitor o político que tiver credibilidade e serviços prestados. Estou credenciado a pedir o voto, pois sou defensor do povo e provei isso no congresso, votando contra a reforma Trabalhista, me posicionando contra a reforma da Previdência e defendendo os interesses da população. Presidente da Frente Parlamentar da Tuberculose das Américas, Antônio Brito disse que sua campanha foca na saúde e citou a Santa Casa de Jequié, unidade mantida pela Fundação José Silveira, que tem a sua esposa Leila Youssef como superintendente, tendo enfatizado que o hospital beneficia não apenas Jequié, mas toda a região. ”Sou solidário com a causa saúde pública e continuarei sendo. A Santa Casa é uma bênção para toda a região e esse benefício é percebido por muita gente, inclusive daqui de Jaguaquara, que recorre aquela unidade, que agora passará a acolher mulheres com câncer através do nosso apoio”.

Aprovados no concurso da Polícia Civil da Bahia são convocados para a realização dos exames biomédicos

/ Bahia

Foi divulgada nesta quinta-feira (20) a convocação dos candidatos aprovados na 2ª Etapa do concurso da Polícia Civil da Bahia, para a realização de exames biomédicos, que será feita na sede da Faculdade Dois de Julho, localizado no bairro do Garcia. A data e os horários que os candidatos aprovados devem comparecer ao local estão indicados na convocação e no cartão informativo, disponível no site da empresa realizadora do concurso e no site do Portal do Servidor. Os aprovados devem se apresentar com antecedência de 60 minutos em relação ao horário. Na mesma ocasião, além dos candidatos serem submetidos e exames clínicos, também devem entregar exames laboratoriais e complementares. É necessário levar documento de identificação. Não serão admitidos retardatários, sob pretexto algum, após o fechamento dos portões. Também não haverá segunda chamada seja qual for o motivo alegado para justificar o atraso ou a ausência do candidato. O Resultado da 3ª Etapa (exames biomédicos) será conhecido pelos candidatos após a análise do exame clínico e dos exames laboratoriais e complementares.

Concurso

A primeira fase do certame foi realizado no dia 22 de abril deste ano. Fizeram as provas aproximadamente 38 mil candidatos, com percentual de abstenção de 21,78% – o equivalente a 10.444 faltosos. Das mil vagas ofertadas, 880 foram para investigador, 82 para delegado e 38 para escrivão. Os aprovados, quando nomeados, terão remuneração inicial para os delegados de polícia, regime de trabalho de 40 horas semanais, no valor de R$ 11.389,96. Já os investigadores e escrivães de polícia terão remuneração inicial de R$ 3.915,85, no regime de 40 horas semanais.

Jaguaquara: Obras do DNIT às margens da BR-420 exigem atenção redobrada dos motoristas

/ Jaguaquara

DNIT faz intervenções às margens da pista. Foto: Blog Marcos Frahm

Motoristas que trafegam em direção ao Vale do Jiquiriçá precisam redobrar a atenção no perímetro urbano do município de Jaguaquara. Obras estão sendo executadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), às margens da estrada, após erosão provocada pelas chuvas do mês de março ter comprometido o pavimento na rodovia federal. O DNIT realiza intervenção no local, entre os bairros: Popular e Malvina, com máquinas e operários atuando nos serviços. O órgão responsável pelas obras pede cautela aos condutores. O espaço para os pedestres ficou ainda mais estreito.

Prefeito de Jequié realiza visita técnica às obras de pavimentação asfáltica da Avenida São Bernardo

/ Jequié

Prefeito Gameleira visita obras na São Bernardo. Fotos: Divulgação

Iniciada na manhã da última segunda-feira, as obras de pavimentação asfáltica da Avenida São Bernardo, em Jequié, aguardada há muitos anos pelos moradores da comunidade da Caixa D’água, no Joaquim Romão, já estão bem adiantadas e próximas de serem finalizadas. A pavimentação contempla toda a via até cruzamento com a Avenida Tote Lomanto. O prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira, esteve em visita ao local, na manhã desta quinta-feira (20). A Prefeitura de Jequié vem executando as obras com recursos próprios e, no total, serão pavimentadas com asfalto Concreto Betuminoso Usinado a Quente, 9.958 (nove mil, novecentos e cinquenta e oito) metros quadrados, em todo o trecho da Avenida.

Prefeitura informa em nota que obras são com recursos próprios

As obras serão fiscalizadas pela Secretaria de Infraestrutura. ”Nós estamos finalizando mais uma vez, graças a Deus, o compromisso assumido no início do nosso governo, que é a pavimentação asfáltica da Avenida São Bernardo. A população está extremamente satisfeita! Foi feito aqui um trabalho de primeira qualidade. Aproveitando para agradecer aos nossos vereadores, que são oriundos aqui do bairro do Joaquim Romão e que lutaram muito pela execução destas obras. O nosso compromisso continua! Assumimos o compromisso de asfaltar grandes avenidas em Jequié, ao longo de quatro anos e, em apenas um ano e oito meses, já atingimos mais de 70% desse compromisso, e temos mais dois compromissos que são pavimentação da Avenida Exupério Miranda, no Mandacaru e a Avenida Nosso Senhor do Bonfim, no Jequiezinho. Ainda temos muitos outros projetos de pavimentação, calçamento e diversas outras intervenções e implementações de políticas públicas que irão ser executadas para melhorar a vida da nossa população.”, afirmou o prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira.

Preço em alta da gasolina nas bombas leva o consumidor a migrar para o álcool

/ Economia

O consumo de etanol nas bombas dos postos de combustíveis do Estado de São Paulo alcançou, pela primeira vez, neste mês de setembro a mesma proporção da gasolina. Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Paiva Gouveia, 50% das vendas foram de etanol e 50% de gasolina. Até hoje, o que se verificava era um escoamento médio de 60% de gasolina. O empresário informou que essa migração já vem ocorrendo desde “a greve dos caminhoneiros, em maio último {que levou ao desabastecimento} em paralelo com as subidas constantes da gasolina”. Ele informou que o consumo mensal nas cidades paulistas atinge 180 bilhões de litros somando a gasolina, o álcool e o diesel. E sempre que o valor do litro de álcool equivale a 70% do preço da gasolina, abastecer com o derivado da cana fica mais competitivo. O litro de gasolina está custando em média R$ 4,57 em São Paulo, enquanto o de etanol vale R$ 2,74 – 59% mais barato. Na avaliação da pesquisadora da Fundação Getulio Vargas em Energia, Fernanda Delgado , a greve dos caminhoneiros continuará ainda por algum tempo “reverberando na economia do país”. Ela, no entanto, pondera que o grande impacto sobre o preço da gasolina, que já subiu 15% desde maio último,  está associado mais à pressão das cotações no mercado internacional. O valor do barril de petróleo, passou, nesse período, de US$ 65 para US$ 75. A tendência, pontuou a pesquisadora, é de alta no mundo todo. Delgado defende que o Brasil poderia ser menos dependente dessa política de preços internacionais caso houvesse a quebra do monopólio da Petrobras,  que detêm 98% do refino dos derivados de petróleo. A questão, porém, explica, esbarra em criar um sistema que possa atrair os investidores.

Oferta de álcool

Em relação à vantagem competitiva de se abastecer o carro com álcool, a pesquisadora da FGV Energia disse que esse quadro é favorecido pela perspectiva de uma boa oferta do etanol  no mercado. Mas ela alerta sobre a possibilidade de uma mudança no mix de produção,  caso ocorra uma sinalização de alta dos preços do açúcar no mercado internacional. Isso poderia levar as usinas a destinarem uma maior parte da safra para essa commodity. Já o diretor técnico da Unica, entidade que congrega as usinas sucroalcooleiras da região Centro Sul, Antonio de Padua Rodrigues, descartou, nesta quinta-feira o risco de um desequilíbrio de preços do etanol em função da demanda mais aquecida. Ele informou que o setor está em plena safra e com estimativa de recorde na produção, podendo chegar a 32 bilhões de litros e um crescimento na oferta entre 4 a 5 bilhões de litros. Pádua reconhece, contudo, que algum ajuste de preço pode até ocorrer, mas se isto se confirmar será em margem bem pequena diante da boa oferta. “Nossa expectativa é que a distribuição para os postos passe da média de 1,8 bilhões de litros para 2 bilhões de litros”, afirmou, referindo-se ao próximo anúncio da Agência Nacional de Petróleo (ANP). Fazendo uma análise sobre a vantagem competitiva do álcool sobre a gasolina, Pádua observou que enquanto o derivado da cana vem se mantendo com preço estável pela boa safra que deve crescer em torno de 15%, a gasolina está sujeita às variações impostas  tanto pelos fatores externos quanto pela pressão cambial. Nos últimos dias, a moeda norte-americana tem oscilado acima dos R$ 4,00 e fechou nesta quinta-feira em R$ 4,07 um recuo de 1,27% sobre a cotação de ontem (19). No último dia 5 de setembro, o preço da gasolina nas refinarias havia alcançado R$ 2,2069, no maior valor desde junho do ano passado, quando a Petrobras mudou a política de preços e passou a acompanhar as oscilações do preço da commodity no mercado externo. Da Agência Brasil

Pesquisa do Instituto Ibope revela que gestão de Rui Costa é aprovada por 69% dos baianos

/ Política

Maioria dos baianos aprova gestão de Rui. Foto: Diego Mascarenhas

Pesquisa do instituto Ibope divulgada na terça-feira (18) sobre as intenções de voto para o governo da Bahia mediu também o grau de satisfação dos eleitores com a administração de Rui Costa (PT), que tenta se reeleger. Dos 1008 entrevistados entre os dias 15 e 17 últimos, 52% dos eleitores avaliaram o governo Rui como ótimo/bom; 29% como regular; 19% como ruim/péssimo. No total, o índice de aprovação dos baianos a Rui Costa é de 69%; reprovação chega a 18%; e 12% não souberam (ou não quiseram) avaliar.

Durante visita a Salvador nesta quinta-feira, candidato João Amoêdo critica polarização na política

/ Política

Presidenciável João Amoêdo visitou Salvador. Foto: Divulgação

O presidenciável João Amoêdo (Novo) participou de uma caminhada com correligionários na Cidade Baixa e visitou o Mercado Modelo, em Salvador, na tarde desta quinta-feira (20). Em coletiva com os jornalistas, ele defendeu o fim da polarização política. ”Os extremos não trazem bons resultados. Normalmente os bons resultados vêm do equilíbrio, da coerência, da transparência”, disse, fazendo referência a disputa entre os também presidenciáveis Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL). ”Nesse tipo de polarização, o nós contra eles, que é o que está acontecendo, você acaba não discutindo propostas”, completou. Com informações do Bocão News

Para Geraldo Alckmin, CPMF de Bolsonaro é tiro no pobre; Ciro Gomes fala em fascismo

/ Política

O tucano Geraldo Alckmin ataca Bolsonaro. Foto: Divulgação

Candidatos à Presidência da República criticaram as propostas tributárias apresentadas por Paulo Guedes, economista de Jair Bolsonaro (PSL). O tucano Geraldo Alckmin (PSDB) ironizou a ideia de unificar os impostos em um tributo único cobrado aos moldes da cobrança da CPMF, extinta em 2007, dizendo ser “fácil fazer ajuste passando a conta para o povo”; Ciro Gomes, mesmo sem citar a questão específica da CPMF, acusou Guedes de “instrumentalizar economicamente o fascismo”. Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB) também criticaram a proposta. Bolsonaro segue internado no Hospital Albert Einstein, zona sul de São Paulo, após ter sido atacado a faca por Adélio Bispo de Oliveira, dia 6 de setembro, em Juiz de Fora – nesta quinta, 20, a Polícia Federal (PF) prorrogou inquérito de agressor do presidenciável do PSL após ouvir 38 pessoas. Paulo Guedes afirmou ao Estado que o novo imposto incidiria sobre todas as transações financeiras. Para o tucano, o líder das pesquisas de intenção de voto deu seu primeiro tiro. “É fácil fazer ajuste passando a conta para o povo. O candidato da bala deu o primeiro tiro. Deu tiro no contribuinte, deu tiro na classe média, deu tiro no pobre, deu tiro na economia. O que ele quer é aumentar imposto”, disse Alckmin durante agenda de campanha na cidade de Guarulhos, na Grande São Paulo. Em busca de um ‘fato novo’ para crescer nas pesquisas, Alckmin se declarou contrário a qualquer aumento de impostos e aproveitou para dar a sua fórmula para o resgate da economia brasileira. “Nós vamos fazer exatamente o contrário. Ajuste fiscal pelo lado da despesa, cortar despesa, apertar o cinto, simplificar, destravar a economia, desburocratizar, pôr a economia para crescer”. Para o tucano, recriar a CPMF – instituída em 1997 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, para custear a saúde pública –, é decisão equivocada. “Nós somos contra aumentar impostos. Contra recriar a CPMF, um imposto em cascata, imposto ruim, que afeta a população de menor renda, a classe média, a economia”, afirmou. Em seguida, ressaltou sua proposta de reforma tributária baseada na transformação de cinco impostos (ICMS, ISS, PIS, Cofins e IPI) em um: o IVA (Imposto Sobre Valor Agregado). O IVA, segundo a campanha tucana, dará transparência à carga fiscal e vai redistribuir a carga tributária de maneira mais justa, pondo fim às guerras fiscais. Candidato do PT ao Planalto nas eleições 2018, Fernando Haddad classificou como um “pequeno desastre” a proposta do assessor econômico do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes, de unificar a alíquota do Imposto de Renda. “É um pequeno desastre porque vai fazer o pobre, que já paga mais imposto que o rico, pagar ainda mais”, comentou o petista. Ele ainda prometeu não recriar a CPMF, como tentou a presidente cassada Dilma Rousseff. Paulo Guedes, por sua vez, defendeu adotar um imposto sobre movimentações financeiras semelhante ao tributo. “Não vamos recriar a CPMF e vamos isentar de Imposto de Renda quem ganha até cinco salários mínimos”, reforçou Haddad. O candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) esteve na manhã dessa quinta-feira no Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB). No encontro, ele afirmou que o economista Paulo Guedes, um dos assessores do também candidato Jair Bolsonaro (PSL) “instrumentaliza economicamente o fascismo”. Ele fez críticas às ideias econômicas de Guedes sem citar especificamente a questão do imposto. Mas, na última terça-feira (18), Ciro comentou a proposta de Guedes. Segundo o candidato do PDT à Presidência a proposta do assessor econômico de Bolsonaro faz com que o concorrente do PSL caia em contradição. “Ele tem dito toda hora que vai diminuir os impostos e hoje anunciou-se com caráter oficial, com o Paulo Guedes, que vai fazer a unificação das alíquotas do Imposto de Renda. Isso vai fazer com que toda a classe média pague muito mais imposto do que paga e vai acabar diminuindo a dos mais ricos, que hoje pagam 27,5% e depois vão pagar 20%. Mais grave, tá falando em criar impostos e propondo a recriação da CPMF. Isso é uma contradição muito grave”, afirmou o candidato do PDT. Ciro também estuda a criação de um imposto semelhança à CPMF, com alíquota de 0,38% para transações bancárias acima de R$ 5 mil ao mês. A candidata da Rede à Presidência nas eleições 2018, Marina Silva, também se posicionou de forma contrária à implementação da CPMF, durante sabatina no Fórum Páginas Amarelas, da Revista Veja. “Eu sou contra recriar CPMF e nós temos uma proposta de reforma tributária”, disse. “Bebemos na fonte da proposta que foi apresentada pelo Centro de Cidadania Fiscal. Os princípios da nossa reforma tributária são a simplificação, descentralização, combate à injustiça tributária – porque os que são mais pobres acabam pagando mais – e o princípio da impessoalidade”, afirmou a candidata da Rede. Na mesma sabatina, Henrique Meirelles (MDB) se declarou contrário à medida: “É um imposto regressivo, que diminui a competitividade do País. Ele incide de maneira errática, pessoas pagam sem saber que estão pagando, o que prejudica mais aqueles de menor renda. Isso diminui a produtividade da economia”, disse o economista. Horário eleitoral. O Horário Eleitoral de Geraldo Alckmin, que vai ao ar na noite dessa quinta-feira, a proposta de Paulo Guedes de recriação da CPMF voltará a ser criticada. Logo no início do programa, o economista da equipe de Jair Bolsonaro é chamado de “banqueiro milionário”. Além disso, uma voz em off diz que o banqueiro já avisou o que pretende fazer “menos imposto para os ricos, mais imposto para os pobres”. E reforça: “Se Bolsonaro for eleito, prepare seu bolso”. O restante do programa é dedicado a acusar Bolsaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula de Silva de ‘fans’ do ex-presidente venezuelano Hugo Chavez. O clima político que antecedeu o surgimento do regime chavista é comparado ao do Brasil dos dias atuais. Alckmin surge na tela dizendo que Bolsonaro é “intolerante e pouco afeito ao diálogo, um despreparado, um salto no escuro”. Imediatamente depois, o tucano completa afirmando que o “PT é a própria escuridão”.

Neto chama Rui de cara de pau após ele dizer que combinou construção de centro de convenções

/ Política

ACM Neto dispara contra Rui. Foto: Max Haack/ Agência Haack

O centro de convenções de Salvador virou polêmica entre o governador Rui Costa (PT) e o prefeito ACM Neto (DEM). O governador e candidato à reeleição Rui Costa (PT) disse, em entrevista à Rádio Metrópole, na noite de quarta-feira (19), que ”combinou” com o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), a construção de um Centro de Convenções no bairro do Comércio. Em resposta, o gestor disse, em evento nesta quinta-feira (20), que o governador foi ”cara de pau”. O governador falou que o acordo foi firmado no Palácio de Ondina, antes mesmo de o atual complexo, no Stiep, desabar parcialmente. ”Ele se ofereceu para me ajudar e agilizar a área. Estava tudo certo e combinado com o município que a área era prioritária. […] De repente, eu vejo o anuncio de que o município ia construir um Centro de Convenções. [Não recebi] sequer um telefonema para conversar sobre isso. Eu não sei agir assim”, afirmou Rui. ”Ele teve a cara de pau de dizer que me chamou para tratar do centro de convenções. Ele teve coragem de dizer isso. Eu como todos os baianos assistimos uma novela sobre o centro”, disse o prefeito, que completou dizendo que o governador se estaria com inveja já que as obras do centro de convenções municipais começaram. Neto disse que aproveitou o discurso para fazer a declaração apenas porque teria sido provocado pelo governador. ”Eu não sou candidato, não estou no debate politico para poder responder. Então aqui estou respondendo, já que houve essa provocação  injusta, mentirosa, invejosa e fruto da incompetência de quem não sabe fazer”, acusou.

Ibope: Haddad lidera intenções de voto para presidente na Bahia; Bolsonaro vem em 2º

/ Política

Haddad é líder isolado na Bahia. Foto: Blog Marcos Frahm

O candidato do PT à Presidência da República é líder isolado nas intenções de voto na Bahia, segundo pesquisa Ibope divulgada na terça-feira (18). O petista aparece com 33% dos votos, seguido por Jair Bolsonaro (PSL), com 14%. Veja abaixo o resultado completo do levantamento:

Fernando Haddad (PT) – 33%
Jair Bolsonaro (PSL) – 14%
Ciro Gomes (PDT) – 9%
Geraldo Alckmin (PSDB) – 6%
Marina Silva (Rede) – 6%
Alvaro Dias (Podemos) – 1%
João Amoêdo (Novo) – 1%
Branco/nulo – 17%
Não sabe/não respondeu – 12%

Os candidatos Vera Lúcia (PSTU), José Maria Eyamel (DC), João Goulart Filho (PPL), Cabo Daciolo (Patriota) e Guilherme Boulos (PSOL) não pontuaram.

Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são citados pelos entrevistadores, Haddad também assume a liderança. O candidato possui 26% das intenções de voto, mas é seguido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que, mesmo preso, registra 13%. Em terceiro, vem Jair Bolsonaro, com 12%. Confira abaixo o resultado completo deste cenário:

Fernando Haddad (PT) – 26%
Jair Bolsonaro (PSL) – 12%
Ciro Gomes (PDT) – 4%
Geraldo Alckmin (PSDB) – 2%
Marina Silva (Rede) – 2%
Outros – 1%
Branco/ Nulo – 14%
Não sabe/Não respondeu – 25%

Os candidatos Vera Lúcia, José Maria Eyamel, João Goulart Filho, Henrique Meirelles, Cabo Daciolo, Alvaro Dias, Henrique Meirelles e Guilherme Boulos não pontuaram.

A pesquisa Ibope tem margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e nível de confiança de 95%. O instituto entrevistou 1.008 pessoas entre os dias 15 e 17 de setembro e protocolou o levantamento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o registro 01723/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o registro 03445/2018. Informações do Bahia Notícias

Prefeitura de Feira de Santana muda data de provas de concurso público da Guarda Municipal

/ Emprego

A data das provas do concurso da Guarda Municipal feito pela prefeitura de Feira de Santana foi alterada. A prova não será mais no dia 14 de outubro. A nova data é 21 de agosto [domingo]. Segundo o Acorda Cidade, os locais da prova serão divulgados no dia 2 de outubro. Já os gabaritos vão ser anunciados um dia após as provas, em 22 de outubro.  Ao todo serão 50 vagas disponíveis e 110 para cadastro de reserva. O salário oferecido é de R$ 1.081,58 mensais para 40 horas semanais de trabalho. Para concorrer às vagas é preciso ensino médio completo e ter altura mínima de 1,70m para homens e 1,65m para mulheres. Do total de vagas previstas no edital, 22 são para ampla concorrência, três destinadas para pessoas com deficiência, 10 para afrodescendentes e indígenas e 15 para oriundos de escola pública. O número de inscritos é de 6.225.

”The Economist”’ chama o candidato Jair Bolsonaro de ”a última ameaça da América Latina”

/ Política

Respeitada revista britânica traz Jair na capa. Foto: Reprodução

O candidato do PSL à Presidência nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, é o destaque da capa da edição desta semana da revista britânica The Economist. No seu artigo principal, a publicação destaca o deputado como  ”a última ameaça para a América Latina” e considera que um eventual governo de Bolsonaro seria desastroso para o País e a região. O texto compara o avanço de Bolsonaro e de suas propostas ao avanço do populismo nos Estados Unidos, com Donald Trump, na Itália, com Matteo Salvini, e nas Filipinas de Rodrigo Duterte. Para a Economist, Bolsonaro soube explorar a combinação de recessão econômica, descrédito com a classe política e aumento da violência urbana e apresenta visões conservadoras com uma proposta de economia pró-mercado. ”Os brasileiros não devem se enganar. Bolsonaro tem uma admiração preocupante por ditaduras”, diz o texto, que o compara ao ditador chileno Augusto Pinochet. ”A América Latina conheceu homens fortes de todo tipo e a maioria dessas experiências foi horrorosa. Provas recentes disso são a Venezuela e a Nicarágua.” A revista lembra ainda que o próximo governo precisará do apoio do Congresso e dificilmente Bolsonaro terá maioria parlamentar. ”Para governar, Bolsonaro poderia degradar o processo político ainda mais, potencialmente abrindo caminho para algo ainda pior’, diz o texto. ”Em vez de acreditar nas promessas vãs de um político perigoso na esperança de que ele resolva todos os problemas, os brasileiros precisam perceber que a tarefa de consertar sua democracia e reformar sua economia não será rápida nem fácil.”

Siamesa que precisa de cirurgia no coração tem procedimento adiado após quadro de hidrocefalia

/ Saúde

Pai das siamesas segura uma das filhas. Foto: Arquivo pessoal

A gêmea siamesa que nasceu com uma malformação no coração apresenta quadro de hidrocefalia, constatado por uma médica do Hospital Ana Nery, em Salvador. A informação foi publicada no G1 nesta quarta-feira (19). Segundo Viviane Menezes dos Santos, Débora tem um sangramento na região da cabeça que evoluiu do nível 2, para o nível 3. Por conta disso, a cirurgia corretiva no coração, que seria feita quando ela se recuperasse da operação de separação, foi adiada. ”Foi feita uma tomografia da cabeça, para ver como ela estava. Por conta desse sangramento, aumentou o tamanho da cabeça dela, que evoluiu para uma hidrocefalia. A médica explicou que, por conta desse problema, ela precisa ser avaliada novamente”, explicou Viviane. O procedimento da cardiopatia ainda não tinha data marcada, mas só será ser feito depois da pequena passar por novos exames. A solicitação já foi feita e, com a chegada dos resultados, Débora precisará ser analisada por um neurocirurgião. ”Além da situação do coração, ela vai precisar passar pelo neurocirurgião para ver a situação do sangramento. Se ele decidir que vai precisar fazer cirurgia, vai intervir com cirurgia. A operação do coração de Débora vai precisar esperar um pouquinho. Não vai poder ser realizada agora, enquanto ela não passar por essa análise, para que não cause problemas maiores”, ponderou. Viviane disse, ainda, que a situação da bebê já foi passada para administração do hospital, e a menina já foi colocada na regulação. ”Estamos aguardando saber para onde ela vai. A partir daí, ela volta para o [hospital] Ana Nery, para ver a situação do coração”, disse. As bebês Catarina e Débora são gêmeas e nasceram no Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia. Elas eram siamesas, unidas pelo tórax e abdômen. As meninas passaram por um procedimento cirúrgico que durou cerca de 4h30 e contou com a participação de 15 profissionais na mesma unidade médica. As irmãs nasceram com 37º semana de gestação e compartilhavam apenas o fígado. Juntas, as duas pesavam, no momento do nascimento, 4,785 quilos. Logo após o parto, elas foram encaminhadas para a UTI Neonatal. Nos dias 15 e 16, elas foram transferidas para duas unidades médicas de Salvador. Catarina, primeira a ser transferida para Salvador, passou por exames médicos nesta segunda-feira (17) e continua respirando com ajuda de oxigênio inalatório.

Rui defende que a Bahia continuou obras mesmo com presidente ”que não gosta” do Nordeste

/ Política

Rui quer priorizar os modais com energia limpa. Foto: Divulgação

O candidato à reeleição, governador Rui Costa, defendeu, em nota à imprensa, que a Bahia conseguiu manter as obras em execução, ainda com um presidente que supostamente ”não gosta do Nordeste’. Ele fez a avaliação ao comentar um levantamento do G1 que revelou que, em todo o país, 335 obras estão paradas, atrasadas ou que sequer foram iniciadas. ”Mesmo com toda a crise, muita dificuldade nos últimos anos, o governo federal remando contra, um presidente que não gosta do Nordeste, a Bahia não parou obras e seguiu mantendo os compromissos em dia, fruto da agenda com ênfase no equilíbrio fiscal, controle do gasto público, combate à sonegação fiscal e incremento da arrecadação própria”, disse o petista. Nos últimos quatro anos, a Bahia ampliou a extensão do metrô de Salvador e, junto com ele, inaugurou novas vias, viadutos e passarelas, novos anéis viários em cidades do interior. Infraestrutura e logística para alavancar investimentos seriam um compromisso prioritário para Rui. ”Vamos garantir a mobilidade sustentável, priorizar os modais com energia limpa, reduzindo o tempo de deslocamento das pessoas e criando novas rotas de acessibilidade nas cidades”, afirmou o candidato à reeleição.