Projeto de Euclides Fernandes coíbe a prática de tiro desportivo por menores de 18 anos na Bahia

/ Política

O deputado Euclides Fernandes (PDT) apresentou, na Assembleia Legislativa, um projeto de lei que proíbe a prática de tiro desportivo por menores de 18 anos na Bahia e sugere punição para associações, clubes e similares que burlarem a proibição. As sanções vão desde multa de até 50 salários-mínimos vigentes no país à suspensão do funcionamento em caso de reincidência.

O projeto foi motivado por recente notícia do assassinato de uma adolescente com um tiro na cabeça por uma amiga de 14 anos praticante de tiro desportivo. A menor infratora admitiu que a arma usada ”no ato infracional análogo a crime de homicídio” era utilizada nas suas atividades desportivas e que o disparo aconteceu sem intenção. ”Com intenção ou não”, analisou Fernandes, ”percebe-se que o cerne da questão está diretamente relacionado com a prática de tiro desportivo realizada por menores de idade”. O pedetista afirmou que seu projeto, ”além de buscar evitar novas situações como a aqui mencionada, também tem o escopo de afastar o público infantojuvenil do contato direto com armas de fogo”.

Ele cita o Estatuto da Criança e do Adolescente, especificamente o inciso I, do art. 81, que ”proíbe a venda de armas ou correlatos para crianças e adolescentes” e o art. 79 que veda a revistas ou publicações destinadas ao público infantojuvenil disponibilizarem ”ilustrações, fotografias, legendas, crônicas ou anúncios de armas e munições, e deverão respeitar os valores éticos e sociais da pessoa e da família”.

Para o autor da proposição, não faz nenhum sentido que os meios publicitários sejam impedidos de oferecer esses conteúdos, ”situação que é absurdamente menos nociva, e os jovens possam praticar tiro desportivo com armas de fogo”.

Em que pese à prática de tiro ser considerada como desportiva, ”entende-se que tal esporte não deve ser oferecido aos baianos com menos de 18 anos”, considera Fernandes.

 

Os comentários estão fechados.