Partido de Bolsonaro, PSL criou candidata laranja para usar verba pública de R$ 400 mil, diz jornal

/ Política

Grupo de Luciano Bivar criou candidata laranja. Foto: Divulgação

O grupo do atual presidente do PSL, Luciano Bivar, partido de Jair Bolsonaro, criou uma candidata laranja da sigla no estado de pernambuco, que recebeu R$ 400 mil de dinheiro público na eleição de 2018, de acordo com uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo, divulgada neste domingo (10). Ela obteve 274 votos, porém, foi a terceira maior beneficiada com verba do PSL em todo o país. O valor foi superior ao repassado para a campanha do presidente Jair Bolsonaro para a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), que teve mais de 1 milhão de votos no pleito de outubro. A matéria da Folha afirma ainda que a direção do PSL mandou dinheiro para a conta da candidata no dia 3 de outubro, quatro dias antes da eleição. Na época, o PSL era dirigido interinamente pelo atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebiano. Secretária administrativa do PSL em Pernambuco, a prestação de contas de Lourdes Paixão mostra que 95% dos R$ 400 mil foram gastos para impressão de cerca de 9 milhões de santinhos e 1,7 milhão de adesivos. Todo o serviço foi registrado às vésperas da eleição, que aconteceu no dia 7 de outubro. Lourdes, por sua vez, afirmou que não se lembra do nome do contador, da gráfica ou do volume de material. Ela também não explicou o motivo de ter sido escolhida como candidata e recebido um dos maiores recursos da legenda. ”Recebi um valor expressivo do partido, mas acontece que quando eu vim a receber já era campanha final, entendeu, e não deu tempo para eu meu expandir”, ressaltou. A ata de uma reunião extraordinária do PSL em Pernambuco, realizada no dia 7 de agosto, mostra que a candidata foi escolhida de última hora para preencher vagas remanescentes para adequação à cota de gênero, que exige 30% dos candidatos do sexo feminino.

Os comentários estão fechados.