Chico César faz homenagem a Moa do Katendê, morto após dizer que era contra Bolsonaro

/ Bahia

Moa do Katendê foi morto a facadas. Foto: Divulgação

O cantor e compositor paraibano Chico César usou as redes sociais para fazer uma homenagem ao mestre de capoeira Moa do Katendê, de 63 anos. O mestre foi morto em Salvador, na segunda-feira (8), depois de dizer a um eleitor que era contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). Em vídeo, Chico César cantou versos que escreveu em homenagem a Moa do Katendê: ”Quando morre uma capoeira / Morto assim à traição / Fica íngreme a ladeira / E mais pesado o caixão / Mesmo que a gente não queira / Trinca o dente e o coração / Moa nem de brincadeira / Vamos te esquecer irmão”. Romualdo Rosário da Costa, o Moa, foi esfaqueado nas costas em um bar da localidade do Dique Pequeno, que fica no Engenho Velho de Brotas, quando a vítima se mostrou contrária à posição política do suspeito, que se aproximou do grupo em que ele estava para dizer que era eleitor de Bolsonaro. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) da Bahia, o suspeito, Paulo Sérgio Ferreira de Santana, reagiu com violência após o mestre de capoeira afirmar que o grupo com o qual estava votava no PT, foi em casa, pegou uma faca e depois esfaqueou o capoeirista pelas costas. Paulo foi preso em seguida. Ele teve a prisão preventiva decretada, confessou o crime, mas disse que reagiu após ser ofendido. O compositor, dançarino capoeirista, percussionista, artesão e educador na propagação da cultura afro-brasileira completaria 64 anos no dia 29 de outubro. Chico César também prestou condolências à família de Moa e também usou outra postagem para homenagear o capoeirista com uma foto dele. ”Minhas homenagens a todo o povo da capoeira e à família do Mestre Moa do Katendê, assassinado pela covarde intolerância fascista em Salvador da Bahia”, escreveu.

Deixar uma Resposta