Política: Após racha em Brasília, PDT baiano não seguirá orientação nacional do partido

/ Política

O partido segue dividido na Bahia. Foto: Blog Marcos Frahm
O partido segue dividido na Bahia. Foto: Blog Marcos Frahm

O destino dos partidos aliados ao governo federal, cujos membros discordam sobre permanecer na base ou partir para uma posição ”independente”, tem gerado expectativas a nível estadual. Depois da bancada de 19 deputados federais do PDT ter anunciado a saída da base de Dilma, entre eles Félix Mendonça Jr, presidente do partido na Bahia, nos bastidores afirma-se que a sigla a nível nacional também avalia terminar a aliança, o que deixaria os caminhos abertos para o PDT baiano caminhar ao lado do prefeito ACM Neto (DEM). Embora a decisão dos parlamentares federais tenha grande reflexo nas decisões das siglas, o secretário geral do PDT no Estado, Alexandre Brust, reiterou que a legenda a nível estadual ainda permanece na base e não deve seguir a decisão dos pedetistas na Câmara. “O PDT tem várias instâncias partidárias, como qualquer legenda. Em 2005, depois da morte de Brizola, Lula chamou o PDT, e Lupi como presidente convocou o diretório nacional e apoiamos a volta do partido à base do governo. A bancada definiu a independência, o que é diferente da base”, afirmou, lembrando ainda que os pedetistas têm o Ministério do Trabalho nas mãos de Manoel Dias. Na Bahia, o impasse do PDT começou desde janeiro, quando o deputado federal e presidente do PDT baiano, Felix Mendonça Jr, concordou em ter um nome no governo estadual e outro no municipal sob a justificativa de ser um partido independente. A ocasião criou rusgas com o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Marcelo Nilo (PDT) e, desde então, a legenda ficou dividida no Estado. Leia

Itiruçu: Em meio à crise, prefeito pede afastamento do cargo para dar lugar a vice

/ Política

Wagner vai novamente se afastar
Wagner vai novamente se afastar. Foto: Blog Marcos Frahm

O prefeito de Itiruçu, Wagner Novaes (PSDB), protocolou um pedido de afastamento temporário do cargo para tratar de assuntos pessoais no exterior. De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Itiruçu, Robson Mauro (DEM), o Poder Legislativo recebeu nesta segunda-feira (10/8) o pedido de afastamento, que será levado à apreciação dos vereadores do município. Wagner pediu licença sem remuneração e, durante o período em que o tucano estiver fora do cargo, 17 dias, de 25 de agosto a 11 de setembro, o Executivo local terá no comando a vice-prefeita de Itiruçu, Rita de Cássia Novaes (PDT). Acordo ou não, Wagner repete a decisão tomada em 2013, quando na ocasião deixou o cargo, durante 21 dias, sendo substituído pela vice Rita que, novamente, passará a exercer o cargo interino oficialmente a partir do próximo dia (25). O prefeito se afastará do poder em plena fase de crise econômica, quando os municípios mais necessitam das atenção dos seus mandatários.

Lava Jato: Testemunha diz que Negromonte Jr. ameaçou Luiz Argolo para evitar delação

/ Política

Negromonte Jr. nega ameaça a Argolo. Foto; Reprodução
Negromonte Jr. nega ameaça a Argolo. Foto; Reprodução
Uma ata obtida com exclusividade pela reportagem do site Bocão News, de Salvador, que foi encaminhada pelo Ministério Público Federal (MPF) para a Procuradoria Geral da República (PGR), relata que uma testemunha afirmou, em depoimento prestado na última segunda-feira (3), que o deputado federal Mário Negromonte Júnior (PP-BA) ameaçou o ex-parlamentar Luiz Argolo (ex-SD e ex-PP) e sua família. O Bocão News também informou que obteve, com exclusividade, do depoimento prestado na Justiça Federal do Paraná. No vídeo, a testemunha identificada como Aricarlos Rocha Nascimento, que é assessor de Luiz Argolo, conta que foi abordado pelo deputado Mário Negromonte Júnior, em um restaurante do Shopping Salvador, que mandou um recado ameaçando o ex-parlamentar e a sua família. ”Ele [Mário Negromonte Jr.] me disse que se Luiz ficasse pianinho, quietinho, assim que ele saísse de Curitiba, ele logo, logo seria ajudado para ter um retorno breve à vida política. Mas se não tivesse já sabia o destino do delator”, afirmou a testemunha. Em entrevista ao Bocão News, o deputado Mário Negromonte Jr. negou as ameaças. “Não. Nada disso.Eu me encontrei com ele, mas não teve ameaça. As pessoas falam o que querem”, afirmou. Questionado se a testemunha mentiria em juízo, o deputado respondeu: ”não sei”. O pai de Mário Negromonte Júnior, o conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA), Mário Negromonte, foi indiciado, em março de 2015, pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na Operação Lava Jato. No dia 14 de julho deste ano, o gabinete e a casa do conselheiro foram alvos dos mandados de busca e apreensão da Operação Politeia, um desdobramento da Lava Jato. O irmão do conselheiro também foi alvo da operação.

Marcelo Nilo diz que registro do PL será resolvido na próxima segunda-feira

/ Política

na segunda-feira já resolvemos isso”,
”Na segunda-feira já resolvemos isso”, diz Nilo. Foto: Divulgação

O principal articulador para a recriação do Partido Liberal na Bahia, o deputado estadual Marcelo Nilo (PDT), minimizou o arquivamento do pedido de registro da legenda pelo Tribunal Superior Eleitoral, nesta quinta-feira (6/8). A sigla necessitava de 480 mil assinaturas em todo o país, mas só conseguiu 67.924 assinaturas consolidadas e 99.703 certificadas, totalizando 167.924 assinaturas. ”O Tribunal indeferiu até levarmos todas as assinaturas necessárias, mas na segunda-feira já resolvemos isso”, limitou-se o pedetista. Na Bahia, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia conseguiu angariar 67 mil assinaturas, mas apenas 11 mil foram validadas devido à greve do Judiciário. O responsáveis pela recriação ainda argumentaram que a Justiça Eleitoral tem permitido que as assinaturas sejam apresentadas concomitantemente à tramitação do pedido, o que foi negado. No entanto, Nilo já tinha apontado um limite para a recriação da legenda: 20 de agosto. E agora vai se esforçar mais ainda para conseguir o pleito. Isso porque o pedetista visa a presidência do partido no estado e sua candidatura ao Senado em 2018. Na Bahia, o deputado acredita que 50 prefeitos e nove deputados estaduais vão ingressar na sigla, que deve reforçar a base governista de Rui Costa. Com informações do Bocão News

Política Regional: Empresário Soya declara que vai disputar novamente à Prefeitura de Maracás

/ Política

Uilson Novaes - Soya é do PDT. Foto: Blog Marcos Frahm
Uilson Novaes – Soya é do PDT. Foto: Blog Marcos Frahm

Em Maracás, faltando pouco mais de um ano para a sucessão municipal, as eleições 2016 já estão em pauta nos bastidores da política local. E o empresário Uilson Venâncio Novaes, o Soya, do PDT, já se movimenta com o objetivo de viabilizar a sua pré-candidatura para enfrentar, novamente, o prefeito Paulo dos Anjos (PT), com quem disputou as eleições em 2012. Soya obteve 43,71% dos votos válidos, contra 56,07% de Paulo e acredita que a experiência adquirida nas eleições passadas lhe habilita a disputar no próximo ano o cargo de Chefe do Executivo da Cidade das Flores. Principal aposta da oposição, o empresário revelou ao Blog Marcos Frahm que, manter a união do grupo, que deu sustentabilidade a sua candidatura, estratégia que segundo ele vem dando certo, é o que tem fortalecido sua base eleitoral em Maracás. Apesar de ter optado pela candidatura de Paulo Souto (DEM), na disputa pelo governo estadual, Soya conta com o apoio de dois influentes deputados governistas, ou seja, aliados do governador Rui Costa (PT), que são: Euclides Fernandes (PDT) e Antônio Brito (PTB). O empresário afirma ter projetos de políticas públicas definidas para a terra do Vanádio e que hoje é incentivado pela grande maioria da população que demonstra clamor  por mudanças.

Brasília: Jorge Viana anuncia esforço do Senado para votar reforma política até setembro

/ Política

Senador Jorge Viana -PT. Foto: Agência Senado
Senador Jorge Viana-PT.  Foto: Divulgação/Agência Senado

O presidente da Comissão Temporária da Reforma Política, senador Jorge Viana (PT-AC), anunciou, nesta segunda-feira (3/8), que haverá um esforço da Casa para votar todos os projetos da reforma política até setembro para que as mudanças aprovadas possam valer para as eleições municipais de 2016. A informação foi dada em entrevista ao programa Conexão Senado, da Rádio Senado. A comissão temporária fará reunião nesta terça (4), às 14h30, para discutir seu plano de trabalho. E o Plenário do Senado deve voltar a discutir projetos da reforma política também nesta terça. Os senadores encerraram o semestre aprovando sete propostas sobre o tema, mas outras seis — de um total de 13 em análise — tiveram sua discussão adiada por falta de acordo e entraram na pauta desta semana. Isso aconteceu para que as propostas, que tramitam em regime de urgência, sejam comparadas com o projeto aprovado pela Câmara dos Deputados (PLC 75/2015) para mudar as regras eleitorais e partidárias.Jorge Viana explicou no Conexão Senado que a comissão que preside fará um esforço para votar as matérias que vieram da Câmara e aquelas que têm origem no Senado. De acordo com o senador, o colegiado deve ter a primeira reunião de organização dos trabalhos ainda nesta terça-feira (4). ”Nós vamos ter que atuar em duas frentes: seguir com a comissão, discutindo aquelas matérias que possam ganhar consenso e com isso serem recepcionadas pelo Plenário do Senado e pelo da Câmara e ao mesmo tempo apreciar as matérias que já chegaram da Câmara”, explicou. O projeto já aprovado pelos deputados sobre o tema (PLC 75/2015) sugere alterações em três leis: a dos partidos (9.096/1995); a das eleições (9.504/1997) e o Código Eleitoral (4.737/1965). Entre as mudanças propostas, o texto diminui o tempo das campanhas eleitorais, modifica os critérios para a distribuição do tempo de cada partido na propaganda eleitoral e visa reduzir os gastos das campanhas. Leia na íntegra

 

Política Regional: Fora do PT, o vice-prefeito de Jequié, rachado com a prefeita, vai para o PSB

/ Política

Tânia e Sérgio estão politicamente ''rompidos''
Tânia e Sérgio da Gameleira estão politicamente ”rompidos”

Vice-prefeito de Jequié, o empresário Sérgio da Gameleira, está de malas prontas para filiar-se no PSB. Sérgio antecipou ao site Jequié e Região que, depois de deixar a legenda partidária, pela qual foi eleito vice na chapa liderada pela prefeita Tânia (PP), em 2012, vai ingressar no Partido Socialista Brasileiro. Segundo Gameleira, haverá uma reunião com filiados de Jequié para discutir a situação do partido, contudo, ”certo é que o controle ficará comigo”, destacou o político ao site local. Sérgio da Gameleira deixou o PT recentemente depois de 15 anos como militante do Partido dos Trabalhadores. Sérgio está politicamente rompido com a prefeita Tânia. Antes da ruptura, Gameleira já caminhava ressentido pela falta de espaço na administração. Apesar de sua saída, antigos aliados de Sérgio, como João Magno, Marcelo Aguiar e Carlos André, permanecem no PT e no Governo Tânia Britto, ocupando, respectivamente, cargos de secretários municipais de: Educação, Agricultura e Governo.

Política: Marcelo Nilo diz que o PSD será seu destino, caso o PL não seja criado

/ Política

Nilo revela que pode ir para o PSD. Foto: Divulgação
Nilo revela que pode ir para o PSD. Foto: Divulgação

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo, já deixou claro que não fica no PDT. Empenhado na criação do Partido Liberal (PL) na Bahia, o parlamentar já estuda um plano B, caso a refundação da legenda não se concretize. Na semana passada, o legislador disse que conseguiu homologar 11 mil assinaturas na Bahia, embora a meta fosse 50 mil solicitadas pelo comando nacional do processo de criação. Nacionalmente, a legenda em formação é liderada pelo ministro Gilberto Kassab, atualmente presidente do PSD, capitaneado na Bahia pelo senador Otto Alencar. Em entrevista à Rádio Metrópole FM, nesta segunda-feira (3/8), Nilo falou sobre o destino partidário. ”Se não conseguirmos criar o PL, eu provavelmente irei para o PSD”, anunciou o ainda pedetista.  Nilo reforçou que sua permanência no partido fundado por Leonel Brizola não tem mais sustentação por conta dos atritos que teve com o presidente da sigla na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Júnior. ”Ele não tem tradição na política”, criticou. Nota do Bocão News

Política Regional: PP de Jequié deverá ter Eduardo Barbosa como candidato a prefeito em 2016

/ Política

Eduardo Barbosa é ex-secretário de Tânia. Foto: Divulgação
Eduardo Barbosa é ex-secretário de Tânia. Foto: Divulgação

Mesmo sem contar com o apoio da prefeita Tânia Britto (PP), que já teria decidido não dar apoio direto a nenhuma candidatura à sua sucessão, o PP de Jequié, sob a liderança do deputado federal Roberto Britto, deverá marchar com o nome do ex-secretário municipal de governo, Eduardo Barbosa da Glória, encabeçando chapa majoritária nas eleições do próximo ano. A hipótese foi admitida pelo deputado federal, em entrevista ao programa A Semana em Revista (93 FM), na manhã de sábado (1º/8), apresentado pelo jornalista e deputado estadual Euclides Fernandes. Britto espera permanecer até o pleito com a mesma aliança partidária do momento, que reúne PP/PT e PDT dentre outros partidos. As dissidências recentes do vice-prefeito Sérgio da Gameleira e do vereador Deyvison Batista, em sua opinião não irão alterar a relação do diretório municipal e estadual petista com o governo da Dra. Tânia.  Na avaliação do parlamentar a disputa sucessória de Jequié em 2016 deverá  polarizar entre três ou quatro chapas majoritárias, a grande maioria de pretendentes ao cargo de prefeito que vem sendo apontada ele considera que deverá  ir ”perdendo o fôlego”,  na medida que o cenário começar a ser definido. Por Wilson Novaes

Campanha de Dilma pagou gráfica sem funcionário

/ Política

Presidente Dilma. Foto: Felipe Costa / Futura Press
Presidente Dilma Rousseff. Foto: Felipe Costa / Futura Press

A campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição pagou R$ 6,15 milhões a uma gráfica que não tem nenhum funcionário registrado, de acordo com informações publicadas nesta quinta-feira pelo jornal Folha de S. Paulo. A Rede Seg Gráfica e Editora, de São Paulo, aparece como a oitava fornecedora que mais recebeu dinheiro da campanha petista no ano passado à presidência. Documentos obtidos pelo jornal apontam como presidente da gráfica o motorista Vivaldo Dias da Silva, que em 2013 recebia R$ 1.490. A situação da gráfica foi descoberta após funcionários do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cruzarem informações da empresa com o banco de dados do Ministério do Trabalho. Com isso, surgiu a suspeita de que a empresa não tinha estrutura necessária para entregar os serviços pelos quais foi remunerada pelo partido. As contas da campanha da presidente Dilma foram aprovadas com ressalvas pela Justiça Eleitoral em dezembro. A Secretaria de Comunicação Social da Presidência informou que a campanha de Dilma recebeu propostas de prestação de serviços e selecionou as empresas que apresentaram preços mais baixos. Não foi informado qual serviço foi entregue pela gráfica. Leia na íntegra

Bem na foto: Aprovação de Rui é 57,1%, diz pesquisa

/ Política

Rui é avaliado positivamente
Rui é avaliado positivamente pelos baianos. Foto: Divulgação

No terceiro levantamento do instituto Paraná Pesquisas junto ao eleitorado baiano, divulgado ontem, a gestão do governador Rui Costa (PT) foi avaliada positivamente por 57,1% dos entrevistados em 68 municípios espalhados por sete regiões do estado. Trata-se da primeira sondagem sobre o atual governo, sete meses após o petista assumir o cargo. De acordo com a pesquisa, 36,7% desaprovaram o governo, enquanto 6,4% não responderam. Os números indicam que, na percepção do eleitorado, há um descolamento entre as gestões de Rui Costa e Dilma Rousseff. A administração da presidente foi bem avaliada por apenas 13,2% dos baianos, enquanto o índice de reprovação foi 84,4%. Percentual considerado alto para um reduto do partido. O instituto também mediu o grau de satisfação dos eleitores em relação à expectativa que tinham sobre o governo Rui Costa. Indagados se achavam a atuação do petista acima, abaixo ou dentro do que esperavam, a maioria, 55%, considerou a performance do governador igual ao imaginado. Para 19,7%, a administração é pior do que pensavam, enquanto 18,6% acreditam que ela é melhor. Informações do Correio

Política Regional. Presidente da Câmara declara que vai disputar à Prefeitura em Lajedo do Tabocal

/ Política

Marquinhos do PRB é líder do Legislativo
Marquinhos fala de sua pretensão. Foto: Blog Marcos Frahm

As eleições municipais de 2016 já estão em pauta nos bastidores da política em Lajedo do Tabocal. E o presidente da Câmara Municipal, o vereador Antônio Marcos – o Marquinhos resolveu avançar e declarar pré-candidatura à Prefeitura de Lajedo. Exercendo o seu primeiro mandato como parlamentar, aos 34 anos, Marquinhos foi candidato único ao cargo do líder do Poder Legislativo, para o qual foi conduzido pela maioria dos vereadores e se apresenta como opositor ao prefeito Adalício Almeida o Licinho do PDT. Como um dos nomes cogitados para a disputa sucessória de 2016, Marquinhos falou ao Blog Marcos Frahm, nesta quarta-feira (29/7), sobre sua pretensão de disputar as eleições e disse querer avançar na consolidação de sua pré-candidatura. ”O que nos leva a colocar o nome a disposição do partido e da população, são os problemas enfrentados em nosso município, principalmente pelo homem do campo, que sofre com a falta de atenção em várias localidades. Temos problemas na saúde, posto sem funcionar no povoado de Fazenda Nova, estradas em condições ruins, dificultando o trabalho e a vida de quem mora na zona rural. Hoje, Lajedo não tem um hospital que ofereça conforto aos pacientes. Inclusive, por conta desses problemas, nós estamos levando as sessões itinerantes a zona rural, pra ouvir melhor as pessoas, sobre esses problemas”, declara. Indagado sobre como avalia a atuação do prefeito Licinho, Marquinhos diz não querer desqualificar o chefe do Executivo, mas afirma que vê o prefeito como centralizador. ”Eu acho que ele centraliza, administra de uma maneira que parece ser uma perseguição, não dar autonomia aos seus secretários e numa cidade pequena isso é muito ruim, porque as pessoas são muito carentes e a todo o momento estão procurando os secretários, para resolver um problema na saúde, na educação e eu vejo que tudo isso necessita de uma mudança”, alfineta. Além de Marquinhos, nomes como o do atual gestor, Adalício, que em recente entrevista ao Blog Marcos Frahm disse que não abre mão da candidatura, e da empresária Mariane Fagundes, filha do ex-prefeito Álvaro Fagundes, estão cogitados para 2016 em Lajedo. Mas o presidente da Câmara diz não querer saber quem vai enfrentar. ”Eu prefiro não querer comenta sobre quem vai ser ou não ser candidato. Estou colocando o meu nome porque, amigos, moradores da sede e da zona rural, tem nos incentivado e por conhecer os problemas que o município enfrenta”, concluiu. O presidente sairá pelo PRB e deverá contar com o apoio da ex-prefeita Mariângela Borges.

Visionário com o PL, Marcelo Nilo quer eleger 50 prefeitos pelo novo partido em 2016

/ Política

Presidente Marcelo Nilo. Fotos: Juarez Matias
Presidente Marcelo Nilo. Fotos: Juarez Matias / Bocão News

Até o dia 20 de agosto o Partido Liberal deve ser criado. Esta é a expectativa do articulador do PL na Bahia, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo (PDT), que conseguiu angariar 65 mil assinaturas, mas apenas 11 mil foram validadas, devido a greve no Judiciário. Em entrevista ao site Bocão News, nesta terça-feira (28/7), o parlamentar foi visionário acredita que elegerá no próximo pleito 50 prefeitos pelo PL. Nilo deve ser o presidente da sigla no estado. Já conta com nove deputados estaduais na lista, além dos prefeitos que seguem os parlamentares. ”O PL já nasce forte na Bahia. Óbvio que os prefeitos ligados aos deputados também irão. Creio que até dia 20 de agosto já esteja criado. Em torno de 50 prefeitos entrarão no partido, mas nas eleições no próximo ano quero eleger 50 prefeitos”, aposta. O ainda pedestista não quis citar nomes, mas  um levantamento que o site Bocão News diz ter feito revela quem são: os pedetistas, Euclides Fernandes, Roberto Carlos, Vitor Bonfim, Paulo Câmera (secretário de Agricultura); Alan Castro e Alex Lima do PTN; Alex da Piatã do PMDB e Nelson Leal do PSL. Para recriação do PL são necessárias 484 mil assinaturas em todo o território brasileiro. Além de Nilo, os ex-deputados federais Clóvis Ferraz (PSD) e Edson Pimenta (PSD) estão à frente da refundação da legenda na Bahia. A nível nacional, o presidente nacional do PSD e atual ministro das Cidades, Gilberto Kassab, é quem comanda o registro. Caso o PL não se viabilize, Marcelo Nilo tem outros planos. A briga de braço entre o presidente da Alba e o atual presidente do PDT no estado, deputado federal Félix Mendonça Jr. chegará ao fim nos próximos dias. A saída de Nilo do PDT é certa e ele já mira 2018. A disputa pelo Senado será sua nova investida. ”Vou trabalhar para ser senador. Eu antecipo os meus projetos. Quando quis ser governador eu disse logo. E agora sou pré-candidato ao Senado”.

Jaguaquara: Na lista negra do TCM, ex-prefeito diz ser pré-candidato e alfineta atual gestor

/ Política

 

Ademir reconhece que Martinelli era desconhecido
Ademir reconhece que Martinelli era desconhecido. Foto: BMF

Em meio à divulgação na imprensa baiana da lista dos prefeitos e ex-prefeitos sujeitos a inegibilidade por terem suas contas reprovadas pelo TCM, e pelas câmaras municipais, o ex-chefe do Executivo de Jaguaquara, Ademir Moreira, até então PMDB, e que aparece na lista negra do Tribunal de Contas dos Municípios, parece não ter visto com bons olhos a possibilidade levantada pelo Jornal Tribuna da Bahia, na segunda-feira (27/7) de que poderá ficar impedido de disputar cargo eletivo nas próximas eleições. Ademir, afastado dos bastidores da política local, desde que deixou o cargo após apoiar a candidatura do atual prefeito do município, Giuliano Martinelli (PP), atua como assessor de gabinete do ex-deputado e vice-governador João Leão (PP), em Salvador. Nos meios políticos de Jaguaquara, as informações são de que a relação do ex-prefeito com o atual ”azedou”, depois de que os vereadores aliados de Giuliano reprovaram as contas de Ademir, referentes aos exercícios financeiros de 2011 e 2012, o que já configura inegibilidade. O ex- mandatário, apesar demonstrar-se insatisfeito e ter classificado na época da rejeição da Câmara, em entrevista a Rádio Povo AM, única emissora de rádio da cidade, que a reprovação de suas contas teria sido ”uma traição”, vinha mantendo o silêncio sobre a administração de Martinelli. Mas nesta terça-feira, após repercussão negativa do seu nome na lista dos sujeitos a inegibilidade, o ex-prefeito resolveu desabafar. Moreira falou para o programa Primeira Página, da Rádio Povo. Ele diz ser pré-candidato a prefeito, afirma que ainda não foi julgado e que os seus advogados estão lhe garantindo condições plenas de disputar a sucessão municipal de Jaguaquara em 2016. ”Estou junto com a assessoria jurídica aqui em Salvador, que está acompanhando, me dando tranquilidade e me garantiu que existe uma brecha no TSE que pode deixar esses prefeitos elegíveis. Eu não tenho um pingo de dúvida e sou candidato. Jaguaquara pode esperar, pode ter certeza disso. Eu estou vendo a tristeza do povo, a falta que o povo de Jaguaquara está sentindo de um abraço. Infelizmente, eu incomodo muita gente, porque sou o mais forte daí. Tenham certeza, de que sou mais amado do que odiado. Todo mundo sabe que as minhas contas foram rejeitadas porque empreguei o povo de Jaguaquara, e quando eu vou voltar, vou dar emprego ao povo e as minhas contas vão ser rejeitadas de novo. Não vou deixar o povo desempregado. Até que saia a decisão da justiça, que eu não fui julgado ainda, sou candidato”, acredita o ex-prefeito, que já se inseriu na disputa, mesmo não tendo a certeza que poderá concorrer a cargo eletivo. E continua: ”Quem rejeitou minhas contas, o povo de Jaguaquara sabe, foi quem eu mais ajudei. Quem rejeitou minhas contas, foi uma meia dúzia de vereadores, comungando com alguém aí, e o povo de Jaguaquara sabe que esses vereadores foram os que eu mais ajudei, mas nós vamos dar a resposta nas eleições”, alfineta Ademir os vereadores ligados ao prefeito Giuliano, que opinaram pela reprovação de suas contas. O ex-gestor ainda aproveitou para cutucar Giuliano: ”O prefeito que está aí, todo mundo sabe que fui eu que fiz ele prefeito. Ninguém conhecia, ninguém sabia quem era. Botei debaixo do braço e fiz prefeito, como fiz vários vereadores”, afirma Ademir, que tachou Martinelli de desconhecido. Curioso é que, ambos, Ademir e Giuliano, são membros de um só grupo, liderado pelo cacique do PP, João Leão. Comenta-se que as declarações de Ademir fazem parte de uma estratégia da articulação política de Leão para fortalecer a base na maior cidade do Vale do Jiquiriçá a fim de fragilizar os adversários. Nomes como o do ex-prefeito Osvaldo Cruz, ainda sem partido, e que circula bem na área da saúde, além do empresário e ex-candidato a prefeito, derrotado em 2012 por uma pequena diferença de votos, Ricardo Leal do PT, que mesmo enfrentando processo eleitoral que o torna inelegível diz ser pré-candidato, são as apostas das oposições para 2016. *Por Marcos Frahm