Dois adolescentes são mortos a tiros e outros dois baleados em frente a escola em Conquista

/ Polícia

Crime ocorreu em frente a escola municipal. Foto: Blog do Anderson

Dois adolescentes foram mortos a tiros e outros dois baleados, na tarde desta quarta-feira (13), na frente do Colégio Municipal Ridalva Correia Melo, localizado na cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. O caso ocorreu na Avenida Jequié, no bairro Ibirapuera, segundo informações da Polícia Militar. De acordo com informações iniciais, dois homens que chegaram ao local à pé efetuaram os disparos que atingiram os jovens. Segundo a polícia, a informação inicial era que quatro estudantes foram baleados na frente da instituição de ensino. No entanto, ao chegar no local, a polícia foi informada pela diretoria da escola que duas das vítimas são estudantes da instituição e as outras duas não. A unidade de ensino não detalhou se os alunos da escola são os mortos ou os feridos. Depois dos disparos, os suspeitos, ainda não identificados, fugiram do local. Policiais militares da 78ª CIPM e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados e constataram as mortes de Teônio Santos de Jesus, de 17 anos, e Flávio Silva Santos, de 14 anos. As outras duas vítimas, uma de 15 anos e outra de 16, foram socorridas e encaminhadas para o Hospital de Base de Vitória da Conquista. Conforme a polícia, o estado de saúde do jovem de 15 anos é considerado estável, já o adolescente de 16 anos, atingido por cinco tiros na região do ombro, tórax, abdômen e pernas, tem estado grave. A PM informou que a guarnição isolou a área e acionou o Serviço de Investigação em Local de Crime (Silc) para que seja feita perícia e remoção dos corpos. Ainda não há informações sobre o que motivou o ataque. A polícia disse, também, que, até o momento, não foram encontrados nenhum antecedente criminal dos jovens mortos e feridos. A Polícia Civil vai investigar o crime. Após o ocorrido, a direção do Colégio Municipal Ridalva Correia Melo suspendeu as aulas programadas para esta quarta-feira.

Maracás: Major Caldas deixa o comando da 93ª Companhia Independente de Polícia Militar

/ Polícia

Caldas à direita, ao lado do Cel. Anselmo. Foto: Blog Marcos Frahm

O Major Alexandro Nascimento Caldas está deixando o comando da 93ª Companhia Independente de Polícia Militar, sediada em Maracás. O decreto de exoneração assinado pelo governador Rui Costa, está publicado no Diário Oficial do Estado, edição de terça-feira (12). Para assumir a vaga, foi nomeado o Major Horoney Silva Santana. Caldas, que irá assumir o comando da 47ª CIPM, em Salvador, estava à frente da 93ª desde 2016, quando substituiu o Major Fabrício Silva. Sua passagem por Maracás foi destacada pela criação, na instituição, do Pelotão de Emprego Tático Operacional – PETO, intensificação do PROERD, palestras em escolas públicas da região e aumento da produtividade policial. Além de Maracás, a unidade é responsável pelo policiamento nos municípios de Planaltino, Lagedo do Tabocal, Itiruçu e Lafaiete Coutinho, área da abrangência da 93ª.

Cruel: Pedreiro é preso acusado de estuprar e assassinar a própria mãe, em Valença

/ Polícia

Reginaldo da Boa Morte é suspeito de matar a mãe. Foto: Polícia

O pedreiro Reginaldo da Boa Morte Santos, de 60 anos, foi preso em flagrante acusado de estuprar e assassinar a própria mãe de 75 anos, na madrugada desta terça-feira (12), na cidade de Valença, no Baixo Sul da Bahia. O delegado José Raimundo Néri Pinto, coordenador da 5ª Coordenadoria Regional de Polícia Civil (Coorpin / Valença), afirmou que o pedreiro alegou que cometeu o crime por estar alcoolizado. ”Ele estuprou e assassinou por asfixia a própria mãe, que iria fazer 76 anos, nesta quarta-feira (13), na casa onde morava com ela. Durante o interrogatório Reginaldo alegou que a bebida o fez cometer o crime”, explicou o coordenador. Para ocultar o crime, o pedreiro limpou o local onde tudo aconteceu e tentou enterrar a vítima, mas foi impedido pela ação rápida polícia. O coordenador explicou que a idosa chegou a entrar em luta corporal com o agressor para tentar se defender. Ele foi autuado por estupro seguido de morte e segue preso à disposição da Justiça.

PF comunica STF sobre ameaças de empresário que diz ser dono dos R$ 51 mi de Geddel

/ Polícia

A Superintendência da Polícia Federal na Bahia comunicou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, que o empresário Carmerino de Souza tem feito ameaças aos advogados de Geddel Vieira Lima. Carmerino se apresenta como proprietário da empresa Polocal Holding e Participações e alega ser o dono, também, dos R$ 51 milhões encontrados no bunker do ex-ministro. De acordo com o colunista Lauro Jardim, de O Globo, Carmerino começou a procurar o escritório desde o julgamento que aceitou parte da denúncia contra Geddel por e-mail e telefone, chegando a efetuar mais de 20 chamadas por dia. O empresário ainda foi à sede do escritório e ameaçou as funcionárias. Daniel Madruga, superintendente da PF na Bahia, encaminhou a Fachin o pedido do advogado para que fossem tomadas as providências necessárias, inclusive no que diz respeito à propriedade do dinheiro.

Ilhéus: Para se defender de suposta agressão, policial civil atinge policial militar com tiro

/ Polícia

Um investigador da Polícia Civil baleou um policial militar, na madrugada deste sábado (9), no município de Ilhéus. De acordo com informações do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindipoc-BA), o disparo ”acidental” foi uma forma de defesa contra um ataque sofrido por Joseval Cupertino. Cerca de 10 oficiais da Polícia Militar embriagados teriam agredido o investigador com socos e pontapés em uma casa noturna, na qual ele estava acompanhado pela esposa e filhos. O motivo da agressão, declarada em depoimento, é desconhecido. O PM foi socorrido para o Hospital de Ilhéus, onde deve passar por procedimento cirúrgico. Já o policial civil foi conduzido à 1ª DP, onde registrou Boletim de Ocorrência e realizou exame de corpo e delito. Foi instaurado inquérito para apurar os fatos. As informações são do Bahia Notícias

Caetité: Pastor é preso por pedofilia e diz que estava sendo ”possuído pelo demônio”

/ Polícia

Gilmar Silva Porto foi preso nesta quinta. Foto: Reprodução

Um pastor evangélico foi preso na manhã desta quinta-feira (7) no município de Caetité, acusado de pedofilia. De acordo com informações da polícia, as vítimas dos abusos são garotos com idades entre 13 e 17 anos, de diversas cidades do país. O pastor, identificado como Gilmar Silva Porto, tem 35 anos e utilizava um perfil nas redes sociais e aplicativos de mensagem pelos quais trocava fotos com os adolescentes. A investigação, realizada pelo Serviço de Inteligência das policias Civil e Militar, durou cerca de 40 dias e foi iniciada após o tio de uma das vitimas, o menino de 13 anos que mora no Rio Grande do Sul, denunciar o caso ao Conselho Tutelar.  O pastor foi detido na residência dele, após um mandado de busca e apreensão. Na ação foram apreendidos um veículo Fiat Palio, computadores, pendrives e cartões de memória com fotos e vídeos de meninos nus. Em depoimento à polícia, Gilmar disse que ”estava possuído pelo demônio”. Ele foi indiciado e deve cumprir pena prevista para 3 a 6 anos de prisão. De acordo com o site Sudoeste Bahia, o caso segue sendo investigado e a polícia acredita que novas vítimas possam aparecer depois que a prisão do suspeito foi divulgada. Com informações do site Bahia Notícias

 

Condenado no mensalão tucano, ex-governador Azeredo se entrega à Polícia de Minas

/ Polícia

Eduardo Azeredo se entrega à polícia. Foto: Agência Brasil

O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo se entregou às 14h50 desta quarta-feira (23) à Polícia Civil do estado. Segundo a assessoria do Gabinete da Polícia Civil, Azeredo se apresentou espontaneamente à 1ª Delegacia Sul de Belo Horizonte, que fica no bairro Santo Antônio, após negociação entre sua defesa e a polícia. Ele estava acompanhado de advogados. Na terça-feira (22), o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou o último recurso apresentado pela defesa do ex-governador e ex-senador por Minas Gerais e determinou sua prisão imediata. O tucano foi condenado pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro pela primeira vez em dezembro de 2015, quando foi sentenciado a 20 anos e 10 meses de prisão por participação no chamado mensalão tucano. De acordo com a Secretaria de Administração Prisional (Seap), o ex-governador será encaminhado à Academia de Bombeiros Militar (ABM) para cumprimento do mandado de prisão. ”Conforme decisão judicial, em virtude do cargo exercido, Eduardo Azeredo ficará em uma sala de Estado Maior. O local tem 27 metros quadrados, possui uma cama e uma mesa de apoio e um banheiro com chuveiro elétrico. O ex-governador ficará sob custódia da Secretaria de Estado de Administração Prisional, com escolta de agentes penitenciários”, informou, em nota, a Seap. A secretaria acrescentou que Azeredo terá direito a quatro refeições diárias, com cardápio supervisionado por nutricionistas do sistema prisional. Ele poderá receber visitas, desde que previamente cadastradas pela Superintendência de Atendimento ao Indivíduo Privado de Liberdade da Seap. Antes de se apresentar, Azeredo chegou a ser considerado foragido da Justiça pela Polícia Civil de Minas Gerais, que, desde ontem (22), tentava cumprir o mandado de prisão expedido pelo TJMG. Em 2014, o então deputado Eduardo Azeredo (PSDB) renunciou ao mandato tão logo a Procuradoria-Geral da República pediu ao STF sua condenação a 22 anos de cadeia. Azeredo desprezou o foro privilegiado no Supremo e fugiu dos holofotes, apostando na lentidão da Justiça comum de Minas Gerais. Na época, não havia permissão para prisão após o julgamento em segunda instância – fato que determinou nessa segunda-feira a expedição de seu mandado de prisão. Mesmo assim, ele conseguiu, com a manobra da renúncia, arrastar o processo, referente a 1998 e iniciado em 2005, por mais quatro anos. Ex-governador de Minas, ex-prefeito de Belo Horizonte, ex-senador e ex-deputado, Azeredo é o primeiro tucano de alta plumagem a ter de acertar em presídio as contas com a Justiça. Com informações da Agência Brasil

Dono de funerária em Poções é preso suspeito de matar homem e preparar enterro da vítima

/ Polícia

Jadson Neves foi morto com 11 tiros em Poções. Foto:Facebook

O dono de uma funerária na cidade de Poções, no sudoeste da Bahia foi preso na segunda-feira (21), suspeito de matar com 11 tiros, o funcionário público Jadson Neves, na última sexta-feira (18). A informação é da Polícia Civil. Conforme o G1, um funcionário do suspeito também foi preso, após ser flagrado com uma arma que pode ter sido usada no homicídio. O empresário nega o crime. De acordo com a delegada Alessandra Pereira, responsável pelo caso, o motivo do crime teria sido uma dívida de R$ 18 mil, referente à compra de uma caminhonete. O suspeito de matar Jadson é o empresário Caio Souza. Ele foi indiciado pelo homicídio e já teve prisão preventiva solicitada, já que cumpre prisão temporária. A polícia informou que antes de Caio Souza ser preso e apontado pelas investigações como autor do crime, a funerária dele foi contatada pela família de Jadson Neves para preparar o sepultamento do homem e Caio ainda teria ido ao enterro da vítima no último sábado (20), também em Poções. Além da dívida que a vítima tinha com o suspeito, a polícia aponta que outro motivo que leva Caio a ser suspeito é que a arma que pode ter sido usada para matar Jadson foi foi apreendida na casa de um funcionário do empresário. Identificado como Alex Venâncio Sampaio, o homem foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma. Sobre a dívida que Jadson tinha com Caio, a delegada Alessandra Pereira detalhou que o funcionário público comprou um carro, modelo S10, do empresário e ainda não havia feito o pagamento integral da caminhonete. Caio, segundo apurou a polícia, pediu R$ 53 mil pelo carro, mas Jadson só pagou R$ 35 mil, pois estava esperando Caio trocar a titularidade do veículo. A delegada disse, ainda, que, insatisfeito com a falta do pagamento, Caio atraiu a vítima para uma estrada vicinal onde desferiu os 11 tiros contra ele. A arma achada com Alex Venâncio passará por exame de balística no Departamento de Polícia Técnica (DPT), para comprovar as suspeitas da polícia. Os dois suspeitos presos estão presos à disposição da Justiça.

Material apreendido em operação contra pedofilia choca policiais baianos: ”É muito pesado”

/ NOTÍCIAS, Polícia

Polícia Civil detalha operação na Bahia. Foto: Almiro Lopes

Material pornográfico com bebês e crianças pequenas, além de bonecas infantis e bonecas infláveis foram apreendidos nesta quinta-feira, 17, em Salvador, região metropolitana e oito cidades do interior da Bahia, durante a Operação Luz da Infância 2, que mobilizou as policias civis e a Polícia Federal em 24 estados e Distrito Federal (DF), em uma mega ação coordenada contra a pedofilia em todo o país. Na Bahia, foram presas 10 pessoas, sete pela Polícia Civil e três pela Polícia Federal.  O teor das imagens contidas no material apreendido chocou até os investigadores. ”É muito pesado. A prática de sexo com crianças pequenas ou a imagem delas de forma pornográfica, são condutas que realmente chocam”, destacou a titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra à Criança e o Adolescente (Dercca), delegada Ana Crícia Macedo. ”A gente trabalha com violência contra crianças mas esse tipo é uma das condutas que mais chocam. A gente sabe que por trás daquela imagem tem uma criança que está sendo abusada e explorada, e isso tem que ser definitivamente coibido”, afirma Ana Crícia Macedo. As prisões foram realizadas em flagrante após cumprimento de 26 mandados de busca e apreensão. As investigações vêm acontecendo desde janeiro. A Polícia Civil baiana explica que os mandados foram direcionados às residências dos titulares dos planos de internet. ”Temos informação do titular da conexão que fez acesso a esse tipo de conteúdo pornográfico”. Agora, as investigações vão ser desenvolvidas para determinar quem foi que acessou esses conteúdos, se o titular dos planos ou alguém utilizando seus dados. As informações são do Correio

Filho de prefeito que espancou ex assumiu agressões e disse que pensou que tinha sido traído

/ Polícia

Clara denunciou ter sido ter sido torturada pelo ex. Foto: Instagram

O filho do prefeito da cidade de Salinas da Margarida, Filipe Pedreira, suspeito de espancar, cortar os cabelos e torturar a ex-mulher, Clara Emanuele Santos Vieira, de 20 anos, confessou em depoimento à polícia, que agrediu a ex-mulher. Conforme publicação do site G1, a delegada responsável pelo caso, Patrícia Jackes, informou, nesta quarta-feira (16), que Filipe se apresentou no dia 9 de maio, um dia após o espancamento e registro do caso na delegacia. Acompanhado de um advogado, o homem foi na unidade de polícia em Santo Antônio de Jesus, cidade onde ele morava com Clara. ”Ele assume as agressões e diz que foi motivado por ciúmes. Disse que Clara Emanuele havia traído ele e, por isso, ele se descontrolou. No entanto, ele conta também que Clara haveria atentado contra ele com uma faca”, detalhou a delegada. Clara Emanuele está sob uma medida protetiva que estabelece que Filipe tem que permanecer a uma distância de, no mínimo, 100 metros da vítima e do filho deles. Pelo período de três meses, ele não poderá ver o filho, conforme determinação da Justiça. O advogado de Filipe, Eldo Lago, informou que foi orientado pela Justiça a não comentar o caso, mas disse que o cliente está cumprindo toda e qualquer determinação judicial. Disse ainda que Filipe é acompanhado por um psicólogo. Oito dias após o caso, nesta quarta-feira (16), Clara ainda possui hematomas pelo corpo e diz que está com medo do ex-marido. Ela teve um derrame no olho e disse que sente os dentes moles por conta dos murros que recebeu de Filipe. Apesar de tantas marcas, a lesão corporal de Clara é apontada como leve, conforme o laudo pericial do Departamento de Polícia Técnica (DPT) entregue nesta quarta-feira pelo órgão à polícia. ”Verificamos as lesões para que fosse tipificado o crime e pedida a prisão preventiva, mas o laudo aponta lesões corporais leves e o crime leve tem uma pena de três anos de detenção. Nós só podemos requererer prisão preventiva com penas a partir de quatro anos. No entanto, no decorrer das investigações, analisando a possibilidade de outros crimes, com base nas novas investigações, pode haver a possibilidade de pedir a prisão preventiva dele”, explicou a delegada Patrícia Jackes. A delegada destacou, ainda, que Clara e os familiares estão sendo monitorados e, caso Filipe descumpra a medida protetiva, ele será preso. ”Ele mora em Salinas da Margarida e ela mora em Muniz Ferreira com pai ela. Ela está sendo monitorada e está orientada sobre como agir caso ele descumpra a medida”, disse a delegada.

Filho de prefeito acusado de espancar a esposa presta depoimento e é liberado em Santo Antônio de Jesus

/ Polícia

Filipe Fernandes teria agredido Clara Emanuelle. Foto: Reprodução

O delegado Edilson Magalhães, coordenador da Polícia Civil de Santo Antonio de Jesus-BA, está responsável pelo caso de violência doméstica contra a estudante de Direito, Clara Emanuele Santos Vieira. O acusado, Filipe Fernandes Pedreira, filho do prefeito de Salinas da Margarida, que é casado com a vítima, já prestou depoimento e foi liberado. Clara, que é filha do prefeito de Muniz Ferreira, contou que estava separada de Felipe há 15 dias por conta de outra agressão que tinha sofrido durante uma festa em Milagres. Em seu depoimento a polícia, ela explicou que foi agredida pelo marido e ele teria atirado na parede da casa para assustá-la. Já no dia 8, Clara explicou que estava em casa estudando e o suspeito chegou a acusando de ter outro. Segundo a jovem, o marido a espancou com socos e chutes, feriu seus dedos das mãos com uma faca e cortou seus cabelos. Durante as agressões, ele a teria xingado e ameaçado de morte. Uma vizinha, que ouviu os pedidos de socorro, chamou a polícia. Ainda de acordo com o depoimento de Clara, assim que a PM chegou, ela foi obrigada a negar as agressões e disse à polícia que estava tudo bem. Após a guarnição sair, ela continuou sendo agredida com socos por todo o corpo. Além disso, Filipe a mordeu várias vezes, até que ela conseguiu fugir e se abrigar na casa da vizinha, onde esperou o pai ir buscá-la. Mais tarde, o suspeito foi até a casa da família de Clara, onde agrediu o pai da vítima e usou spray de pimenta, que atingiu o filho do casal. O menino precisou ser socorrido ao hospital. Clara explicou que vivia um relacionamento abusivo durante três anos, entre namoro e casamento, e que sempre apanhava do marido, mas nunca tinha coragem de denunciar. A jovem prestou queixa na delegacia de Santo Antônio de Jesus e conseguiu uma medida protetiva, que ele não pode se aproximar dela e do filho, por três meses. A delegada da 4ª Coorpin de Santo Antônio de Jesus, Patrícia Jaques, comentou sobre o caso. De acordo com o site Voz da Bahia, a delegada, que é responsável pelos casos de violência doméstica na região, já foi decretado as medidas de proteção a vítima, ”nós estamos no intercorrer das investigações, a autoria, materialidade comprovada através de exames, vistoria no imóvel que estou aguardando o laudo da Polícia Técnica, para me informar a respeito dos detalhes dessa ocorrência. Hoje fui intimada pelo oficial de justiça de que foi concedida as medidas protetivas para a senhora Clara Emanuelle, dentre elas a proibição do acusado se aproximar 100 metros da vítima, dentre outros. Clara veio aqui atermar outras declarações, hoje ela se sente mais confortável após a decretação das medidas protetivas e também agradeceu nossa atuação”. De acordo a delegada, ”a justiça pode decretar prisão, mas hoje, a consequência maior será se o acusado ferir as medidas de proteção, vai ser preso em flagrante. A motivação da violência foi ciúmes por parte do agressor”.

Filho do prefeito da cidade de Salinas é acusado de agredir e cortar cabelos da esposa

/ Polícia

Clara Emanuelle Santo Vieira o próprio marido. Foto: Facebook

A jovem estudante de direito Clara Emanuelle Santo Vieira, de 20 anos, filha do prefeito de Muniz Ferreira, acusou o marido, o filho do prefeito de Salinas, de agredi-la há três anos, descrevendo um histórico de humilhação, violência física e psicológica. Clara relatou que na última sexta-feira (11), o marido chegou em casa acusando-a de ter outro e cortou os cabelos dela, ”falando o tempo que ia me deixar careca porque homem nenhum mais iria me querer”, contou a jovem. Segundo a vítima, ela apanhava desde a gravidez, e quando ameaçava deixar o marido, ele a agredia ainda mais. Segundo informações do site Voz da Bahia, foi uma vizinha que ouviu a discussão e as agressões e resolveu ligar para a polícia. A vítima contou também que no decorrer do relacionamento, já apanhou e perdoou, mas não queria falar sobre o assunto porque sentia vergonha. ”Não é a primeira vez que ele me bate, mas dessa vez minha vizinha, ouviu e ligou para a polícia e eu consegui fugir para a casa da vizinha e ele foi atrás da minha família, bateu em meu pai, arrombou as portas”, contou a jovem. ”Ele sempre foi muito ciumento, inclusive na Semana Santa ele me deu uma surra, porque eu liguei a luz do quarto e ele me bateu muito”, disse. O agressor conta que não sabia que o cabelo dela havia sido cortado e garante que também ficou machucado durante a briga. ”Fiz o exame de corpo e delito e muita gente no meu lugar não daria as costas escutando o que eu escutei e deixando para traz depois do que aconteceu. Eu fui espancado por cinco homens, desmaiei e me amarraram. Isso envolve dinheiro e política e eu não esperava isso da Clara Emanuelle. Tudo isso aconteceu depois que eu descobri o ato de traição da parte dele”, contou ele. A delegada da 4ª Coorpin de Santo Antônio de Jesus, Dr. Patrícia Jaques conta que já foram decretadas medidas de proteção à vítima. ”A justiça pode decretar prisão, mas hoje, a consequência maior será se o acusado ferir as medidas de proteção, vai ser preso em flagrante. A motivação da violência foi ciúmes por parte do agressor”, explicou a delegada.

PRF apreende na BR-116 quase meia tonelada de droga em veículo roubado com placas clonadas

/ Polícia

Veículo Ford/Focus levava droga na mala. Foto: Divulgação/PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, na madrugada de hoje (15) em Vitória da Conquista/BA, uma grande quantidade de maconha que era transportada em um veículo roubado. O flagrante ocorreu por volta das 0h30 no KM 856 da BR 116, trecho localizado na região sudoeste da Bahia. Após denúncia, os policiais realizaram procedimentos para abordar dois veículos, um Ford/Focus e um Honda/Civic, que viajavam juntos. Durante a abordagem ao Ford, o seu condutor empreendeu em fuga. O passageiro que o acompanhava foi preso pelos policiais. Ao notar a fiscalização, o condutor do Honda tentou fugir e, após acompanhamento tático, perdeu o controle do veículo saindo da pista. Dentro do automóvel foram encontrados 464 kg de maconha. Os policiais constataram também que o Honda/Civic era roubado e que as placas utilizadas foram ”clonadas”, umas vez que as originais são MIJ-1000. Ao serem questionados, os envolvidos relataram que transportavam a droga de São Paulo/SP com destino a Fortaleza/CE. Também foi informado que o condutor do Ford/Focus viajava sempre na frente, passando informações ao motorista do Civic com droga sobre fiscalizações ao longo da rodovia. Durante a ocorrência, os PRFs receberam apoio da Companhia Independente de Policiamento Especializado (CIPE Sudoeste) da Polícia Militar. Os dois homens foram levados para a delegacia de polícia judiciária local.

Jequié: Polícia Civil conclui processo de incineração de drogas apreendidas na região entre 2016 e 2017

/ Polícia

Polícia incinerou mais de uma tonelada de drogas. Foto: 9ª Coorpin

A 9ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior-Coorpin concluiu, na quinta-feira (10), o processo de incineração de mais de uma tonelada de drogas – maconha, crack e cocaína, que constavam de instruções de procedimento criminal. A delegada Alessandra Pimentel, esteve acompanhando o processo de incineração tendo explicado que esse material foi destruído em cumprimento a Lei 11.3434/06, após os procedimentos de apreensão, conclusão dos inquéritos e demais procedimentos legais. O material incinerado foi apreendido entre os anos de 2016 e 2017 em Jequié e municípios da região, inclusive Jaguaquara, pela Polícia Civil, Policia Militar, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Rodoviária Estadual. Informações do Jequié Repórter