Comandante-geral rebate críticas de que PM da Bahia faz política de extermínio

/ Polícia

Anselmo Brandão em entrevista ao Portal A TARDE. Foto: Raphael Muller

O comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Anselmo Brandão, reagiu nesta sexta-feira, 21, às críticas de que a corporação adota uma política de extermínio. Os padrões operacionais da instituição têm sido questionados nos últimos dias, após a PM realizar uma ação que culminou na morte do miliciano Adriano da Nóbrega, no último dia 9 de fevereiro, em Esplanada, Litoral Norte do estado.

As críticas ao modus operandi da polícia vieram dos mais variados espectros políticos. Desde a direção nacional do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), que divulgou nota pedindo esclarecimentos sobre as circunstâncias da operação, até o presidente Jair Bolsonaro, que acusou a “PM da Bahia do PT” de ser responsável pela morte do ex-capitão da PM do Rio. O governador Rui Costa e o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, têm defendido, reiteradamente, a forma como a ação ocorreu. Para Brandão, as opiniões contrárias à política operacional da polícia baiana “não correspondem ao real”. “Nós temos uma das polícias mais respeitadas do Brasil, tanto que aqui você não vê criminosos dominando os bairros, você não vê toques de recolher, instituições financeiras sendo assaltadas quase todos os dias, porque nós temos todo o controle”, defendeu, em entrevista ao Portal A TARDE, durante visita ao Camarote.com.

Assim como Rui e Barbosa, o comandante-geral sustentou que os policiais que participaram da operação contra Adriano agiram “dentro da normalidade”. “Eu confio nos meus policiais, confio na versão que eles contaram. De antemão, a ação, para mim, foi legítima. Tenho a consciência de que nós temos homens preparados e, neste momento, estou ao lado deles”, afirmou.

Major Denice

O comandante-geral falou, ainda, sobre a possibilidade de a comandante da Ronda Maria da Penha, major Denice Santiago, ser candidata a prefeita de Salvador pelo PT. Ela é a aposta do governador Rui Costa para concorrer ao cargo pelo partido e aguarda a escolha da sigla, que tem outros quatro pré-candidatos: o ex-ministro da Cultura Juca Ferreira, a secretária estadual de Promoção da Igualdade Racial Fabya Reis, a socióloga Vilma Reis e o deputado estadual Robinson Almeida. Brandão evitou opinar sobre a virtual candidatura da major, mas disse que, caso ela opte por se candidatar, provocará “uma perda” para a corporação. “Ela me comunicou que foi sondada, e eu disse ‘Siga seu caminho, siga seu coração’. Ela, como cidadã, tem direito de escolher que caminho seguir. Para a gente, é uma perda, se ela sair. É uma pessoa que tem condições profissionais de tocar os projetos que temos na corporação”, declarou. A Tarde.

Maracás: Indivíduo é preso acusado de matar o próprio pai e atear fogo no corpo da vítima

/ Polícia

A Polícia Civil de Maracás prendeu, na quinta-feira (20),um jovem de 26 anos, acusado de matar o próprio pai, José Adenaldo Sampaio de Almeida, e em seguida atear fogo no corpo e enterrar os restos mortais da vítima.

O caso, segundo informou a Polícia Civil, ocorreu no dia 19 de dezembro de 2019. Após as investigações, foi cumprido o mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça local. Ainda conforme a Polícia, o suspeito é usuário de drogas e já possui passagens por furtos e outros crimes.

A motivação do homicídio não foi informada. Os restos mortais da vítima, encontrados enterrados no quintal de casa, foram encaminhados à perícia em Jequié, e foram colhidos material para exame de DNA, cujos laudos estão sendo aguardados pela autoridade policial, para a conclusão dos trabalhos da Polícia Civil.

IML do Rio de Janeiro diz à Justiça que corpo do miliciano Adriano está ”apodrecendo”

/ Polícia

Um documento enviado pelo Instituto Médico Legal (IML) à Justiça do Rio alertou para as más condições do cadáver do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, que foi morto no último dia 9 após operação policial na cidade baiana de Esplanada.

Segundo o G1, o ofício obtido foi assinado pela perita legista Luciana Lima na última segunda-feira (17). No texto manuscrito, ela diz que o corpo já deu entrada, vindo da Bahia, ”após iniciados os fenômenos de putrefação”, já que ”o óbito ocorreu há mais de uma semana”.

O IML também explica que ”não dispõe de câmaras de congelamento de corpos” e que, por isso, é possível fazer apenas a refrigeração dos corpos, de forma a retardar a possível decomposição, mas não evitá-la totalmente. A Justiça baiana determinou um novo exame, mas, até esta quarta-feira (19), ainda não havia sido realizado.

Secretaria da Segurança da Bahia diz que acusações são falsas e que vídeo tem origem duvidosa

/ Polícia

Maurício Barbosa comenta polêmica. Foto: Jorge Cordeiro

O secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, rechaçou as acusações feitas a partir de um vídeo que circula na Internet, onde um corpo é apresentado como se fosse do miliciano Adriano da Nóbrega, morto em confronto. Segundo o secretário, ”a Secretaria da Segurança Pública da Bahia vai continuar com aquilo que nós começamos a fazer desde antes mesmo do dia do fato, que é o auxílio que nós prestamos à operação do Rio de Janeiro. [Vamos] agir com a máxima transparência, com a máxima intenção de ajudar instituições como o Ministério Público e a Justiça, e não trazer confusões e nem teorias políticas a respeito de um trabalho eminentemente policial”.

Barbosa destacou que o vídeo divulgado nas redes não é reconhecido como autêntico pela perícia baiana ou pela perícia do Rio de Janeiro. ”As imagens não foram feitas nas instalações oficiais do Instituto Médico Legal. Então, nós temos a clara convicção de que isso é para trazer algum tipo de dúvida, de questionamento, a um trabalho que ainda não foi concluído. Eu reforço aqui o posicionamento das nossas instituições, a transparência com que estamos agindo e não vamos deixar que, por uma questão política, ou por qualquer outro motivo, qualquer outro interesse que esteja por trás disso tudo, venham trazer qualquer tipo de questionamento prévio, sem antes termos a conclusão da nossa investigação, das nossas perícias, e que o Ministério Público e a Justiça se posicionem quanto a isso”.

O secretário também ressaltou a necessidade de se resguardar a honra das instituições, Polícia Militar e do Instituto de Perícia Técnica, que vêm fazendo o respectivo trabalho. ”Nós temos ainda um prazo para concluir a nossa investigação. Nós fomos instados a comentar o resultado da perícia, e foi claramente indicado pelo perito que não havia sinais de execução, nem sinais de tortura no corpo que foi avaliado”. Segundo ele, ainda há outras perícias a serem realizadas e outras pessoas estão sendo ouvidas pela autoridade policial. ”O que nós queremos é dar continuidade ao trabalho sério de investigação que a nossa polícia já faz, sem nenhum tipo de indagação ou questionamento prévio antes da conclusão da autoridade policial”.

A posição do perito legista

O perito médico legista e diretor do Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML), Mário Câmara, disse que foi surpreendido com essas imagens que estão circulando na internet e afirmou que não é possível analisar um vídeo que não foi autenticado pela perícia. ”Não sabemos se foi adulterado, onde foi feito, não sabemos se o corpo é realmente do senhor Adriano. Então não faremos comentários sobre o vídeo. O que eu posso dizer, é reiterar que o laudo pericial foi feito por um perito médico legal especialista na área, com formação e balística, muito experiente em casos como este”.

Segundo Mário Câmara, o caso de Adriano não é tecnicamente difícil. ”O laudo pericial descreve exatamente os orifícios de entrada, os orifícios de saída, a trajetória dos projéteis, a angulação, não há nenhum sinal de tortura no corpo, não há sinal, no corpo, de execução. Há sinais sim, pela angulação dos projéteis, de um confronto com a polícia. Agora é preciso complementar com outros laudos, com a investigação policial. Essa história toda, essas filmagens que estão aparecendo, não são técnicas, são argumentações de leigos que nos ofendem bastante”.

 

O diretor do Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML) destaca que a instituição tem mais de um século de existência e foi o primeiro instituto médico legal do Brasil. ”Daqui saíram os especialistas que formaram a medicina legal em São Paulo, no Rio de Janeiro. Todos os nossos peritos são pós-graduados, têm mestrado, doutorado, não é gente que não tem experiência no assunto. Ninguém tem mais experiência para fazer esse tipo de procedimento do que o perito médico legista. Então, nós estamos seguros do que nós fizemos e responderemos perante o juiz como sempre fizemos, vamos esclarecer ao juízo eventuais dúvidas que por acaso apareçam”

 

 

Policiais civis se reúnem nesta quarta e reforçam possibilidade de paralisação no Carnaval

/ Polícia

Nesta quarta-feira(19), a partir das 9h, policiais penais e civis realizam Assembleia Extraordinária Unificada, na Faculdade Visconde de Cairu, nos Barris, em Salvador, ocasião em que deliberarão sobre a intensificação da ”Operação Legalidade” das duas categorias, ações e mobilizações que serão promovidas durante o Carnaval, com possibilidade de paralisação durante a festa momesca.

A meta inicial é traçar estratégias que visem abrir o diálogo com o Governo do Estado, mas já antecipam que a operação ocorrerá e o número de policiais, consequentemente, será reduzido. Após a Assembleia, os policiais sairão em caminhada em direção à praça da Piedade.

”Vamos intensificar a Operação Legalidade durante o carnaval, isso significa fazer só o que a Lei manda e da forma como a Lei manda. É trabalhar obedecendo a legalidade. Os apenados só serão atendidos se tivermos a proporção de efetivo estabelecida pelo Procedimento Operacional 02 da SGP/ SEAP. O Policial Penal deve trabalhar orientado pela Lei de Execução Penal (LEP), pelos Procedimentos Operacionais da SGP/ SEAP, pelo Estatuto dos Servidores Penitenciários do Estado, em obediência irrestrita a esses instrumentos normativos e outras legislações vigentes”, esclareceu Reivon Pimentel, presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários(SINSPEB).

Conforme ele, o movimento existe diante da necessidade de sanar com urgência o déficit que existe de Policial Penal e a necessidade, em caráter emergencial, de abertura de Concurso Público para corrigir o baixo e insuficiente quantitativo de Policiais Penais que trabalham no Sistema Prisional baiano.

O sindicalista salienta que o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP) recomenda que na construção de unidades prisionais destinadas à custódia de presos provisórios ou condenados ao regime fechado, seja obedecida uma proporção de cinco presos para cada Policial Penal, quantitativo de servidores que as Unidades Prisionais deveriam possuir.

”Infelizmente, na Bahia, temos, atualmente, 12.318 apenados nas condições supracitadas e para cumprirmos a recomendação do Conselho Nacional seriam necessários 2.464 Policiais Penais por plantão de 24 horas. Mas, infelizmente, temos menos de 10% desse quantitativo” lamentou Pimentel, justificando a Operação Legalidade. *Por Fernanda Chagas/Política Livre

Folião é detido no pré-carnaval de Salvador usando fantasia com folha da maconha em brasão da PM

/ Polícia

Indivíduo foi preso pela PM no Furdunço. Foto: Reprodução

Um homem foi detido usando uma fantasia com a logo da Polícia Militar da Bahia (PM-BA) durante o Furdunço, evento pré-carnavalesco que aconteceu neste domingo (16), no circuito Orlando Tapajós, entre Ondina e a Barra, em Salvador. O folião usava um colete com a folha da maconha no lugar do brasão da PM-BA.

Além disso, o traje continha um adesivo com a frase ”Permitido Maconha, Bora Apertar” fazendo alusão à sigla PM-BA.

Em nota enviada à reportagem, a Polícia Militar informou que ”por volta das 19h45, policiais militares da 11ª CIPM que realizavam patrulhamento na rua Barão de Itapuã, na Barr, observaram um homem trajando vestes que fazem  apologia à maconha e usando indevidamente uma insígnia alterada da Polícia Militar da Bahia”.

Ainda segundo a nota, a patrulha fez a condução do homem até o posto policial da Polícia Civil, no circuito da festa. As informações são do site BNews

 

Dois homens são presos com mais de 4kg de drogas após carro em que estavam capotar na BR-030

/ Polícia

Polícia encontrou maconha e cocaína no carro. Foto: Polícia Militar

Dois homens foram presos e mais de quatro quilos de droga apreendidos após o carro em que os suspeitos estavam capotar, na manhã deste sábado, em Palmas de Monte Alto, no sudoeste da Bahia.

De acordo com a Polícia Militar (PM), por volta das 6h, os policiais receberam a informação de um acidente na BR-030. Ao chegarem ao local, os policiais localizaram o veículo que havia capotado e iniciaram uma averiguação no interior do automóvel. No carro, foram encontrados 3,788 kg de maconha e 522g de cocaína.

Os dois suspeitos, de 30 e 19 anos, moradores de Carinhanha, foram socorridos por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com ferimentos leves e levados para o Hospital de Palmas de Monte Alto.

Na unidade de saúde, eles ficaram sob a custódia da Polícia Militar, para serem apresentados na delegacia por tráfico de drogas. As drogas apreendidas foram apresentadas na sede da Coordenadoria de Polícia do Interior em Guanambi.

Homens são presos pela PRF com 70 Kg de maconha em ônibus interestadual na BR-116

/ Polícia

Dois homens foram presos em flagrante por tráfico de drogas, após agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrarem 70 kg de maconha escondidos nas malas de viagem em um ônibus de turismo que ia de São Paulo para Natal. O caso aconteceu durante uma fiscalização da PRF no km 828 da BR-116, em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano.

De acordo com a PRF, agentes abordaram um ônibus que saiu de São Paulo (SP) com destino a Natal (RN). Eles abordaram os ocupantes do ônibus, quando perceberam um ”nervosismo incomum em dois passageiros que estavam sentados próximos”.

O órgão informou que durante conversa com os policiais, os suspeitos apresentaram informações inconsistentes sobre o destino e motivo da viagem, o que levou a equipe a aprofundar a fiscalização no ônibus.

Na bagagem de um dos passageiros, foram encontrados 45 quilos de maconha. Aos PRFs, ele disse que conseguiu a droga em Uberlândia (MG) e entregaria na rodoviária de Recife (PE). O suspeito ainda informou que receberia R$ 2 mil pelo transporte do entorpecente.

Durante a vistoria, também foram encontrados na bagagem do segundo passageiro mais 26 pacotes da droga. Questionado, o suspeito, natural de Ibipeba, na Bahia, disse que também receberia R$ 2 mil para levar a droga de Uberlândia até a capital pernambucana.

Os suspeitos receberam voz de flagrante delito e a ocorrência foi apresentada com o produto apreendido na Delegacia de Polícia Civil em Vitória da Conquista (BA), para adoção das providências cabíveis. Eles responderão na Justiça pelo crime de tráfico de drogas.

Casa onde miliciano foi morto é arrombada e mala de ex-tenente do Bope roubada, diz site

/ Polícia

Quarto onde Adriano estava dormindo. Foto: Marina Silva/Correio

Para o site Correio da Bahia, mistérios ainda cercam a morte do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, 43 anos, baleado por policiais baianos no último domingo (9), na cidade de Esplanada, no Nordeste baiano. Um deles é o paradeiro da mala do ex-integrante do Bope do Rio de Janeiro e chefe do Escritório do Crime.

A bagagem foi dada como desaparecida na manhã desta quinta-feira (13), após a constatação do arrombamento do sítio onde Adriano foi localizado e, posteriormente, teria reagido ao cerco policial, conforme publicou o Correio.

”Estive aqui ontem (quarta) e deixei tudo como estava após a ação da polícia. Não limpei nada. A mala estava no quarto usado por ele (Adriano) e hoje quando cheguei cedo, encontrei a porta escancarada e a mala não estava”, disse ao Correio um amigo do proprietário do imóvel, o vereador da cidade Gilson Lima (PSL), irmão do vice-presidente da Assembleia Legislativa (Alba), deputado estadual Alex Lima (PSB).

Cipe Central recupera em Jequié automóvel Ford Facus que foi tomado de assalto no Mandacaru

/ Polícia

Ford Focus foi encontrado no bairro KM 4. Foto: Divulgação

A Companhia Independente de Policiamento Especializado – Cipe Central recuperou, em Jequié, um automóvel modelo Ford Focus de placa JLI-4610 que havia sido tomado de assalto.

Conforme a Cipe, o carro foi encontrado quando a guarnição realizava patrulhamento na região do bairro KM 4 e o Focus estava parado nas proximidades das obras da Ferrovia Oeste Leste, nesta quarta-feira.

Ainda de acordo com a Cipe, o carro havia sido tomado de assalto no último dia (08/02) no bairro Mandacaru e foi apresentado na Delegacia de Jequié. Os autores não foram encontrados.

Mais de mil comprimidos de ecstasy e 20 kg de maconha são apreendidos em ônibus na BR-116

/ Polícia

Jovem receberia R$ 3 mil para transportar a droga. Foto: PRF

Um jovem de 19 anos foi preso com 1,5 mil comprimidos de ecstasy e cerca de 20kg de maconha na tarde de quarta-feira (12), na BR-116, trecho da cidade de Vitória da Conquista.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o jovem seguida em um ônibus que saiu de Florianópolis (SC) para Fortaleza (CE), quando o veículo foi abordado pelos agentes na rodovia.

Durante a fiscalização, os policiais perceberam o nervosismo do jovem e informações desencontradas. Após os policiais realizarem uma revista minuciosa nas bagagens foram encontrados 37 tabletes de maconha e os comprimidos de ecstasy.

Questionado, o passageiro informou aos agentes que recebeu a droga em Florianópolis e que foi contratado por R$ 3 mil para fazer o transporte dos entorpecentes até a capital cearense.

Diante da situação, foi dada voz de prisão em flagrante e o jovem foi apresentado na Delegacia de Vitória da Conquista. Inicialmente, ele responderá pelo crime de tráfico de drogas, que tem pena prevista de cinco a 15 anos de prisão.

Miliciano Adriano da Nóbrega foi atingido por dois disparos, diz laudo da Polícia Técnica

/ Polícia

Adriano Magalhães Nóbrega era procurado. Foto: Reprodução

O laudo necropsial do corpo do miliciano Adriano Magalhães Nóbrega – morto no domingo (9), no município Esplanada -, aponta que o foragido da Justiça foi atingido por dois disparos. De acordo com o Departamento de Polícia Técnica (DPT), ele foi baleado na região do tórax e entre o pescoço e clavícula.

Adriano da Nóbrega é apontado como chefe do Escritório do Crime, grupo de milicianos que controla a comunidade de Rio das Pedras, no Rio de Janeiro. Ele também era suspeito de envolvimento com a morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 2018. Ele foi morto durante uma operação conjunta entre as polícias baiana e fluminense e, desde então, as circunstâncias da morte são refutadas junto à SSP-BA.

”“Os resultados dos outros laudos, assim que finalizados, serão entregues ao Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), que apura o caso”, completou o diretor da pasta, Élson Jeffesson.

O perito criminal acrescentou ainda que o DPT analisa um escudo do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) que acabou danificado durante a ação. Em depoimento, militares afirmaram que Adriano disparou duas vezes com uma pistola austríaca calibre 9mm, mas que o equipamento de proteção preservou a guarnição.

A perícia da Coordenação de Engenharia Legal vai atestar, segundo Jeffesson, qual material causou os danos no escudo.

”Olhando preliminarmente enxergamos duas marcas provenientes de impactos relevantes. As equipes agora analisarão se existem fragmentos de chumbo ou cobre, presentes em projéteis”, concluiu o diretor do DPT.

Policia investiga se miliciano tinha esquema de lavagem de dinheiro em cidades baianas

/ Polícia

A polícia da Bahia investiga se o miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, morto em ação policial na Bahia, participava de algum esquema de lavagem de dinheiro em Mata de São João, na região metropolitana de Salvador, e também em Esplanada. A informação foi divulgada pela Secretária de Segurança Pública (SSP-BA), nesta quarta-feira (12).

Também nesta quarta, a funerária da cidade de Alagoinhas, a cerca de 100 Km de Salvador, onde o corpo de Adriano estava, afirmou que o corpo foi transferido para o Rio de Janeiro em um voo que decolou por volta das 23h de terça-feira (11).

De acordo com a SSP, o objetivo da investigação, coordenada pelo Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), é apurar se houve algum tipo de investimento, compra ou transação que caracterize o crime investigado, além de outros tipos de ato ilícito.

Adriano foi morto em um confronto com policiais militares no domingo (9), em um sítio na zona rural de Esplanada, a cerca de 168 km de Salvador. O sítio pertence a um vereador do PSL na Bahia, que em nota afirmou não conhecer Adriano.

O vereador Gilson Neto disse ainda que solicitou à Secretaria de Segurança Pública da Bahia brevidade nas investigações e destacou que está à disposição das autoridades competentes ”para colaborar para que os fatos sejam esclarecidos com máxima brevidade”.

Após investigações do serviço de inteligência do Rio de Janeiro, o segurança do miliciano, Leandro Abreu Guimarães – solto nesta quarta-feira (12), após pagar uma fiança no valor de R$3 mil- foi achado pela polícia em uma casa distante alguns quilômetros do sítio.

Segundo Maurício Barbosa, secretário de Segurança Pública da Bahia, que conversou com a imprensa na segunda-feira (10), o segurança contou aos policiais que não sabia do histórico de crimes do miliciano.

Secretário de Segurança defende ação contra miliciano e pede respeito à Polícia da Bahia

/ Polícia

Secretário Maurício Barbosa. Foto: Alberto Maraux – Ascom SSP

O secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Teles Barbosa, destacou o profissionalismo das equipes envolvidas no confronto contra o miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega. O criminoso, procurado internacionalmente, foi localizado na cidade baiana de Esplanada, no domingo.

Em vídeo divulgado nesta segunda-feira (10), o secretário destacou que a SSP agirá com máxima agilidade e total transparência. Lamentou o fato de o caso estar sendo usado por alguns de forma política e exigiu respeito ao trabalho da polícia.

”Estávamos diante de uma pessoa de alta periculosidade, envolvidos em diversos crimes e com treinamento de tiro, pois chegou a ser um policial de operações especiais. Óbvio que queríamos efetuar a prisão, mas jamais iríamos permitir que um dos nossos ficasse ferido ou saísse morto do confronto”, enfatizou Barbosa.

O secretário acrescentou também que as equipes envolvidas agiram da melhor forma. ”Temos que reconhecer a coragem e técnica dos policiais militares baianos destacados nessa missão”, disse.

O chefe da pasta baiana falou ainda que o confronto, como qualquer outro que ocorre, é apurado pela Corregedoria e que o inquérito será divulgado assim que concluído.