Policial militar e mulher são encontrados mortos em apartamento na Paralela, em Salvador, diz polícia

/ Polícia

Casal foi encontrado na cama. Foto: Eduardo Oliveira/TV Bahia

Um policial militar e a esposa dele foram encontrados mortos na tarde desta terça-feira (14), em um apartamento no bairro do Trobogy, em Salvador. Conforme o comandante de Policiamento Especializado (CPE) da Polícia Militar, coronel Humberto Sturaro, informações preliminares apontam que o homem matou a esposa e depois cometeu suicídio.

Segundo o coronel Sturaro, o casal foi encontrado na cama, por volta das 16h30, por uma equipe da 50ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Sete de Abril), após uma vizinha ouvir o cachorro dos dois latir insistentemente e chamar a polícia. A arma usada no crime foi estava perto dos corpos.

Uma equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi para o local para fazer a perícia e remoção dos corpos. O caso vai ser investigado pela Polícia Civil.

Em nota, a Polícia Militar da Bahia informou que o soldado Anísio Borges Ferreira Neto, de 45 anos, era lotado no Batalhão Especializado em Polícia Turística (Beptur) e há 13 anos integrava as fileiras da corporação. O militar deixa dois filhos. As informações são do G1

Operação contra furtos e roubos de cargas na BR-116 cumpre mandados em Milagres e Brejões

/ Polícia

Operação prendeu suspeitos em Milagres e Brejões. Foto: Divulgação

A Polícia Civil de Milagres, no Vale do Jiquiriçá, cumpriu, nesta terça-feira (7), mandados de prisão preventiva contra suspeitos e investigados por roubos, assaltos, furtos e saques de cargas de caminhões na BR-116. Segundo a Polícia Civil, uma quadrilha composta por 11 pessoas, sendo 02 integrantes de Milagres, age na rodovia quando os se envolvem em acidente.

De acordo com o delegado Thiago Costa, a ação teve o apoio da Delegacia de Brejões, onde também foram cumpridos mandados. ”Com essas informações a delegacia de Milagres levantou os locais e endereços e deu apoio a delegacia de Brejões, cumprindo esses dois mandatos na cidade de Milagres. A operação ocorreu simultaneamente,  sendo cumpridos quatro mandados de prisão na cidade de Brejões e dois em Milagres, onde foram expedido  dois mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva. Na ocasião, foram apreendidos uma arma de fogo, uma réplica de pistola,  munições, um veiculo, uma carga de bebidas, além de celular e R$ 1.500,00 em dinheiro entre outros produtos supostamente proveniente de saques, furtos e roubos”, diz a nota pública emitida pela Delegacia de Milagres.

Polícia baiana fará reconstituição do miliciano Adriano da Nóbrega, morto em fevereiro

/ Polícia

Ainda sem data marcada, a polícia civil da Bahia vai realizar a reconstituição do miliciano Adriano da Nóbrega, morto no dia 9 de fevereiro, quando revidou investida da polícia na tentativa de cumprir um mandato de prisão, em um sítio na cidade de Esplanada, interior da Bahia.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), a data para a simulação ainda não pode ser confirmada devido a pandemia do covid-19, o novo coronavírus.

Adriano era um dos principais acusados no envolvimento no assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018.

Policiais militares prendem suspeito com drogas durante ação no bairro Palmeira, em Jaguaquara

/ Polícia

Ação ocorreu nesta segunda, na Palmeira. Foto: Divulgação/PM

Durante rondas ostensivas de rotina no Bairro Palmeira, na tarde desta segunda-feira (22), policiais militares do 19º Batalhão, de serviço em Jaguaquara abordaram um indivíduo, conhecido por antecedentes na prática do crime de tráfico de drogas, e encontraram em posse do mesmo, uma sacola contendo várias trouxas de maconha, crack e cocaína.

Com ele também foram encontrados, um aparelho celular, uma motocicleta e a quantia de R$ 1.725, em espécie. O suspeito e todo material apreendido, foram conduzidos e apresentados na Delegacia onde ficaram a disposição da autoridade competente para a adoção das medidas legais.

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz é preso pela Polícia Civil no interior de SP

/ Polícia

Queiroz é investigado por esquema de rachadinha. Foto: Reprodução

O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), Fabrício Queiroz, foi preso nesta quinta-feira (18), em uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público de São Paulo.

Segundo informações do portal G1, ele estava em um imóvel do advogado do parlamentar, no interior de SP. Queiroz é investigado por participação em suposto esquema de ‘rachadinha’ na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) à época em que Flávio era deputado estadual.

Também foram cumpridos mandados, expedidos pela justiça do Rio de Janeiro, em um imóvel que consta como bem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em Bento Ribeiro, Zona Norte da capital fluminense.

As investigações envolvem um relatório do Coaf (Conselho de Atividades Financeiras), que apontou operações bancárias suspeitas de 74 servidores e ex-servidores da Alerj. Recursos usados para pagar funcionários na Alerj voltavam para os próprios deputados estaduais.

Na conta de Queiroz foi identificada uma movimentação atípica de R$ 1,2 milhão, que teria ocorrido entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

Vazamento PF

Um dos apoiadores mais próximos durante a campanha presidencial de Jair Bolsonaro, o empresário Paulo Marinho, 68, relatou recentemente que Flávio, filho do presidente, soube com antecedência da Operação Furna de Onça, deflagrada pela Polícia Federal em 14 de dezembro de 2018 e que tinha como alvo Fabrício Queiroz.

Segundo Marinho, em outubro de 2018, um delegado da PF avisou assessores de Flávio que documento em posse da operação, à época ainda na fase de investigação sigilosa, havia detectado suspeitas sobre Queiroz. Nenhum dos dois era alvo da apuração.

Após aposentadoria, cão K9 Holmer da PRF é recepcionado com alegria em seu novo lar

/ Polícia

No início da noite de ontem (15), o Grupo de Operações com Cães (GOC) da PRF Bahia, realizou a entrega do cão policial Holmer a seu novo lar, localizado em uma propriedade rural no município de Santa Terezinha, na região do Piemonte do Paraguaçu.

O cão farejador K9 Holmer, especialista no faro de armas e drogas, ingressou no GOC BA em abril 2018 e participou de diversas operações, entre elas integrou as equipes de policiamento e fiscalização durante o evento sul-americano da Copa América 2019.

Recentemente, o cão foi diagnosticado com uma enfermidade que comprometeu seu sistema de saúde. Passou por um longo período de tratamento e apresentou melhora significativa, porém não recuperou totalmente a vitalidade para o trabalho policial, sendo necessária sua aposentadoria com apenas 4 anos de idade.

Já distante da rotina de treinos e operações, Holmer continuou aos cuidados dos policiais do GOC BA e teve início os procedimentos de adoção, seguindo critérios que comprovassem proporcionar qualidade de vida ao animal.

Uma nova família foi escolhida e o cão passou aos cuidados dos seus tutores. Seu novo lar fica situado em uma ampla propriedade rural onde já residem 30 cães, todos vivendo em harmonia e bem tratados, no que tange à alimentação, a saúde, aos cuidados veterinários, mas, principalmente ao amor e atenção dos seus cuidadores.

Como parte do processo de adoção, visitas regulares a Holmer estão programadas e serão realizadas com frequência pelos policiais do GOC-BA, até a completa ambientação do cão à nova casa.

Ao final, o PRF Mato Grosso, guia de Holmer, fez uma apresentação e simulação, demonstrando a obediência e as habilidades do cão. Em seguida, foi o momento da despedida do companheiro, um gesto silencioso e singelo que emocionou a todos os presentes.

PF faz busca e apreensão contra aliados de Bolsonaro em investigação sobre atos antidemocráticos

/ Polícia

Silveira é alvo de operação. Foto: Reila Maria/Câmara dos Deputados

A Polícia Federal cumpre nesta terça-feira (16) 21 mandados de busca e apreensão âmbito do inquérito que investiga a origem de recursos e a estrutura de financiamento de grupos suspeitos da prática de atos contra a democracia.

Autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), a operação acontece em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Santa Catarina e no Distrito Federal.

Pelas redes sociais, o deputado federal Carlos Silveira (PSL-RJ) e o blogueiro Allan dos Santos, do site ”Terça Livre”, disseram que policiais federais estiveram em suas casas nesta manhã. Os dois são apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

”Polícia Federal em meu apartamento. Estou de fato incomodando algumas esferas do velho poder. E cada dia estarei mais firme nessa guerra”, escreveu o deputado Daniel Silveira no Twitter.

Em nota, o ”Terça Livre” disse que a Polícia Federal está novamente em sua sede, a casa de Allan dos Santos.

A ação ocorre um dia após a prisão de Sara Winter, líder do grupo 300 do Brasil, denominação que tem fomentado manifestações a favor do fechamento do STF (Supremo Tribunal Federal) e do Congresso.

Homem é preso após receber encomenda de papel moeda em Jequié, para fabricar dinheiro falso

/ Polícia

Homem comprou o material através da internet. Foto: Polícia Civil

Um homem foi preso após ser flagrado por policiais recebendo uma encomenda de papel moeda, em Jequié, cidade do sudoeste da Bahia, na quinta-feira (4). A informação foi confirmada pela Polícia Civil.

Segundo a polícia, o homem confessou, durante o flagrante, que comprou o material através da internet. O papel seria usado para a produção de dinheiro falso.

O homem foi preso e levado para a delegacia da cidade, onde está à disposição da Justiça. O caso será investigado pela Polícia Federal.

Itatim: Operação da Polícia prende dois homens e apreende drogas, armas e dinheiro

/ Polícia

Uma megaoperação no município de Itatim, na região Piemonte do Paraguaçu, liderada pela 12ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin Itaberaba), com apoio da Polícia Militar (PM-BA), desarticulou uma organização criminosa. Espingarda, pistola, revólveres, maconha, colete balístico e sete veículos foram apreendidos nesta quinta-feira (4).

As equipes cumpriram sete mandados de busca e apreensão contra a quadrilha envolvida com tráfico de drogas, roubos, furtos, homicídios, porte ilegal de arma de fogo e corrupção de menores.

Nos imóveis os policiais apreenderam uma pistola calibre 380, dois revólveres calibre 38, uma espingarda, carregador, munições, seis motocicletas, um carro modelo Palio, um colete balístico, toucas, 61 porções de cocaína, cinco balanças, 646 reais em espécie e celulares.

Durante as diligências, dois homens foram presos, um adolescente apreendido e outro traficante acabou atirando contra as equipes, foi atingido, socorrido, mas não resistiu.

O resultado da operação foi registrado na Delegacia Territorial (DT) de Itatim. ”Seguimos trabalhando para reduzir as mortes ligadas ao tráfico de drogas. Conseguimos uma grande diminuição no mês de maio e o objetivo é manter em junho”, enfatizou o diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), delegado Flávio Góis.

Participaram da operação equipes da 12ª Coorpin, da DT de Itatim, do CPR e Rondesp Chapada, dos Pelotões de Itatim e Milagres, além do Ceto.

Liminar suspende cobrança de contribuição previdenciária de policiais e bombeiros

/ Polícia

O desembargador Ivanilton Santos da Silva, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), suspendeu, em decisão liminar, a cobrança das contribuições previdenciárias de policiais militares e bombeiros até 90 dias após a data de publicação da reforma da Previdência da categoria, sancionada pelo governador Rui Costa no dia 23 de maio. Por meio de nota, a Secretaria de Administração do Estado (Saeb) informou que a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) ”adotará as medidas judiciais cabíveis”.

Segundo o magistrado, ”as autoridades coatoras não atendem ao princípio da legalidade na medida em que cobram e descontam contribuição para a pensão militar sem previsão em lei estadual”. Na decisão, o desembargador determina multa de R$ 1 mil por ocorrência, em caso de descumprimento.

O magistrado afirma que também buscou preservar o Tesouro estadual. ”Isso porque, se houver a suspensão dos descontos indevidos, cessará o aumento do indébito tributário. Entretanto, caso não haja a suspensão, será aumentado a cada mês, e enquanto não for instituída a lei estadual, bem como encerrado o processo, o Estado terá que devolver todo o valor descontado indevidamente sem previsão legal”, diz.

O pedido foi impetrado pela Associação dos Policiais e Bombeiros Militares e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), da qual o deputado Soldado Prisco (PSC) é coordenador geral. De acordo com a entidade, o governo do Estado desrespeitou o artigo 195, parágrafo 6º da Constituição Federal, segundo o qual as contribuições sociais ”só poderão ser exigidas após decorridos noventa dias da data da publicação da lei que as houver instituído ou modificado”.

Policiais e bombeiros militares baianos contribuíam inicialmente com uma alíquota de 12%, passando para 14% com a sanção da Lei nº 14.031, em dezembro de 2018. Com a reforma da Previdência do governo federal e aprovação da Lei Federal 13.954, de dezembro de 2019, a União determinou que os estados deveriam criar um regime próprio de previdência para os militares.

No entendimento da Aspra, a partir de então deveria ter sido suspensa a cobrança de contribuição dos PMs e bombeiros. No entanto, desde a edição da lei federal, passou a ser cobrada contribuição de 9,5%. ”Somente em maio o Executivo estadual apresenta projeto de lei visando a criação do sistema de previdência próprio dos militares. Contudo, vem cobrando de forma abusiva, sem previsão em lei estadual, as contribuições, como se já existissem no âmbito do estado da Bahia”, afirmou Prisco, ainda antes da aprovação do texto.

A Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) aprovou, no dia 22 de maio, o Sistema de Proteção Social de Policiais e Bombeiros Militares (SPSM), com alíquota de contribuição de 9,5% e, a partir de janeiro de 2021, de 10,5%.

Conforme a Saeb, a edição da Lei Federal n° 13.954/2019, em consonância com a Emenda Constitucional n° 103/2019, ”compeliu todos os Estados a aplicarem a seus Policiais e Bombeiros militares as alíquotas de contribuição pertinentes às forças armadas”.

”Neste mesmo sentido, a Secretaria de Previdência do Ministério da Economia editou as Orientações Normativas n° 05 e 06, em janeiro de 2020, determinando que todos os Estados deveriam aplicar imediatamente a alíquota de 9,5% para todos os policiais e bombeiros militares. Portanto, o Estado da Bahia, assim como todas as demais unidades da Federação, estão aplicando a alíquota de 9,5% determinada pela legislação federal”, diz a nota. Com informações do A Tarde

Operação contra empresa que deixou de entregar respiradores prende três pessoas

/ Polícia

Operação Ragnarok prendeu três pessoas. Foto: Polícia Civil/DF

A polícia baiana deflagrou, na manhã desta segunda-feira (1), a operação Ragnarok, que cumpriu três mandados de prisão e 15 de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal, contra quadrilha que fraudou a venda de equipamentos hospitalares.

O grupo foi descoberto graças à denúncia do Consórcio Nordeste, que tentou adquirir 300 respiradores para o combate ao Coronavírus com a empresa. O estabelecimento se apresentava como revendedor dos produtos. De acordo com as investigações, a empresa tentou negociar de forma fraudulenta com vários setores no país, entre eles os Hospitais de Campanha e de Base do Exército, ambos em Brasília.

A operação, coordenada pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia, através da Superintendência de Inteligência, conta com a participação da Polícia Civil da Bahia, através da Coordenação de Crimes Econômicos e Contra Administração Pública, da Polícia Civil de SP, do Distrito Federal e do Ministério Público da Bahia. Mais de 150 contas bancárias vinculadas ao grupo foram bloqueadas pela Justiça.

Detalhes sobre a operação policial serão apresentados em coletiva virtual pela plataforma Zoom, em horário a ser definido. A Secretaria de Comunicação fará a convocação para a entrevista nas próximas horas.

Operação da Polícia Federal contra fake news mira oito deputados bolsonaristas

/ Polícia

Deputada Carla Zambelli é alvo de operação da PF. Foto: Reprodução

A operação da Polícia Federal contra fake news mira oito deputados bolsonaristas. Eles não são alvo de mandados de busca e apreensão, mas o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou que sejam ouvidos em dez dias e que suas postagens em redes sociais sejam preservadas.

Trata-se dos deputados federais Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Daniel Lúcio da Silveira (PSL-RJ), Filipe Barros (PSL-PR), Junio do Amaral (PSL-MG), Luiz Phillipe Orleans e Bragança (PSL-SP), além dos deputados estaduais Douglas Garcia (PSL-SP) e Gil Diniz (PSL-SP).

A Polícia Federal cumpre 29 mandados de busca e apreensão no chamado inquérito das fake news, que apura ofensas, ataques e ameaças contra ministros do STF. O ex-deputado Roberto Jefferson, o empresário Luciano Hang (dono da Havan), assessores do deputado estadual paulista Douglas Garcia (PSL) e ativistas bolsonaristas estão entre os alvos.

O principal foco da operação é um grupo suspeito de operar uma rede de divulgação de notícias falsas contra autoridades, além de quatro possíveis financiadores dessa equipe. As ordens foram expedidas pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do caso, e estão sendo executadas no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina. A investigação corre em sigilo.

Um dos alvos é o ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB e novo aliado do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com as investigações, o ex-parlamentar fez ameaças à democracia ao publicar uma foto com um fuzil ”os traidores”.

Ex-aliado de Fernando Collor de Melo e um dos condenados no escândalo do mensalão, Jefferson preside um dos partidos do centrão e passou a defender efusivamente Bolsonaro nos últimos tempos. Outros alvos da operação são os bolsonaristas Allan dos Santos (blogueiro) e Sara Winter (ativista). Allan dos Santos é apoiador de Bolsonaro e editor do site Terça Livre. Ele prestou depoimento à CPMI das Fake News, no ano passado, e negou receber verba oficial do governo para manter a página.

Já a ativista Sara Winter lidera um grupo denominado 300 do Brasil, que formaram um acampamento para treinar militantes dispostos a defender o governo Bolsonaro. Em entrevistas recentes, ela reconheceu que alguns de seus integrantes estão armados.

Também é alvo o humorista Rey Bianchi, que postou em suas redes sociais um vídeo com o mandado de Moraes, no qual critica a operação. A operação mira ainda quatro supostos financiadores de fake news. A Folha mostrou no dia 25 de abril que as investigações identificaram indícios de envolvimento do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente, no esquema de notícias falsas.

O inquérito busca elementos que comprove sua ligação e sustente seu possível indiciamento dele ao fim das apurações. Outro filho de Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL de SP, também é suspeito.

Nesta manhã, em meio à operação da Polícia Federal, Carlos escreveu em rede social. ”O que está acontecendo é algo que qualquer um desconfie que seja proposital. Querem incentivar rachaduras diante de inquérito inconstitucional, político e ideológico sobre o pretexto de uma palavra politicamente correta? Você que ri disso não entende o quão em perigo está.”

Roberto Jefferson, Luciano Hang e ativistas bolsonaristas são alvos de operação da PF

/ Polícia

Hang está incluso no inquérito das fake news. Foto: Reprodução

A Polícia Federal cumpre 29 mandados de busca e apreensão nesta quarta-feira (27) no chamado inquérito das fake news, que apura ofensas, ataques e ameaças contra ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). O ex-deputado Roberto Jefferson, o empresário Luciano Hang, assessores do deputado estadual paulista Douglas Garcia (PSL) e ativistas bolsonaristas estão entre os alvos.

O principal foco da operação é um grupo suspeito de operar uma rede de divulgação de notícias falsas contra autoridades, além de quatro possíveis financiadores dessa equipe.

As ordens judiciais estão sendo cumpridas no Distrito Federal, nos estados do Rio de Janeiro, em São Paulo, no Mato Grosso, no Paraná e em Santa Catarina.

O inquérito criminal para apurar “notícias fraudulentas”, ofensas e ameaças que ”atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares” foi aberto em março de 2019, pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli. Toffoli nomeou Moraes como instrutor do processo.

A abertura de inquérito ”de ofício” e a ausência de sorteio do relator, escolhido por Toffoli, geraram críticas no Ministério Público Federal e no meio jurídico – dez ações foram apresentadas ao Supremo contra o inquérito e aguardam julgamento.

O Supremo diz que o regimento da Corte permite a abertura de investigações para apurar crimes cometidos dentro da instituição – no caso, os ministros são a instituição em qualquer lugar que estejam, defende o STF. E diz que o regimento permite a designação de juiz para conduzir a apuração.

O inquérito deveria ter terminado em janeiro de 2020, mas foi prorrogado por seis meses.

(Com informações do portal G1 e do jornal Folha de S. Paulo)

PF encontra contrato de empresa investigada com primeira-dama do Rio, que vira alvo de operação

/ Polícia

Helena Witzel passa a ser alvo de operação. Foto: Reprodução

A primeira-dama do Rio, Helena Witzel, também é alvo da operação da manhã desta terça (26), autorizada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

A Polícia Federal encontrou um contrato do escritório de advocacia dela com uma empresa investigada.

A ação é a segunda fase da operação Favorito, deflagrada no dia 14 de maio, que mira um suposto esquema de desvios de recursos públicos na área da saúde.

A PF cumpre 12 mandados de busca e apreensão, um deles no Palácio das Laranjeiras, residência oficial em que mora o governador Wilson Witzel (PSC).