Rui Costa decreta mudanças na Polícia Civil de Jequié; delegado Almir Fernandes vai para Irecê

/ Polícia

Almir Fernandes assumirá a 14ª Coorpin. Foto: Blog Marcos Frahm

O governador Rui Costa e o secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, promoveram mudanças na Polícia Civil de Jequié, apesar de terem mantido no cargo de coordenador o delegado Fabiano Aurich. O Diário Oficial desta quarta-feira (13) publicou decretos com mudanças na 9ª Coorpin. O delegado Almir Fernandes, por exemplo, foi exonerado da titularidade da Delegacia de Furtos e Roubos e nomeado coordenador regional em Irecê, onde a Delegacia Regional da Polícia Civil/ 14ª Coorpin responde também pelos municípios de América Dourada, Barra, Barra do Mendes, Barro Alto Bonito, Buritirama, Cafarnaum, Central, Gentio do Ouro, Ibipeba, Ibititá, Itaguaçú da Bahia, João Dourado, Jussara, Lapão, Morro do Chapéu, Mulungu do Morro, Presidente Dutra, São Gabriel, Uibai e Xique-Xique. A Delegacia de Furtos e Roubos em Jequié passará a ter como titular o delegado Ivan Rodrigues Lessa. Quem também deixará Jequié será o delegado Cristiano Mangueira. Ele ocupará o cargo de coordenador do Departamento de Polícia do Interior, em Salvador. Cristiano será substituído na 9ª Coorpin por Moabe Macedo Lima, que deixa a Delegacia Territorial de Brejões, no Vale do Jiquiriçá.

Itatim: Polícia flagra comércio clandestino de gás de cozinha e prende dois caminhoneiros

/ Polícia

Motoristas passavam carga para outro veículo. Foto: Polícia Civil

Os motoristas de caminhão Eliseu do Amor Divino Borges, de 52 anos, e Aurelino Carvalho da Silva, 53 anos, foram flagrados por uma guarnição da Polícia Militar realizando uma operação ilegal de compra e venda de botijões de gás de cozinha (GLP) durante uma ação conjunta das polícias Civil e Militar, em Itatim, nesta quarta-feira. O delegado Alex Wendel, titular da Delegacia Territorial (DT) de Itatim, que autuou os dois por crime contra a ordem econômica, disse que Eliseu Borges estava com o caminhão de uma distribuidora de gás, localizada em Santo Estevão, na margem da BR-116, passando a carga para uma pessoa ou organização clandestina. Apesar de estar regularizada, a distribuidora de Santo Estevão não poderia revender os botijões em lotes, o que levou o delegado a notificá-la e, em seguida, acionar a Agência Nacional de Petróleo (ANP). No caminhão de Eliseu havia 287 botijões, sendo 209 cheios e 78 vazios. Os dois motoristas estão custodiados na DT/Itatim, à disposição da justiça.

Itiruçu: Polícia Militar apreende maconha transportada em ônibus, na BA-250, e três são presos

/ Polícia

Maconha prensada era levada por adolescente. Foto: Divulgação/CIPM

Três suspeitos de envolvimento com o tráfico de entorpecente foram presos na noite desta quinta-feira (30), no município de Itiruçu, por policiais militares do Pelotão do Emprego Tático Operacional da 93ª CIMP. Segundo informações repassadas pela PM à imprensa, a prisão dos suspeitos ocorreu na Rodovia BA-250, após abordagem a um ônibus intermunicipal da viação Camurujipe, que fazia a linha de Vitória da Conquista para Maracás. A ação ocorreu após denúncia anônima informando que drogas estariam sendo transportadas no ônibus, que foi interceptado pelos militares, que ao adentrar no veículo perceberam um adolescente em atitude suspeita tentando se desfazer de uma sacola plástica que levava 1 kg de maconha e 25 gramas de sustância análoga a cocaína, tendo o menor revelado que os entorpecentes seriam entregues em Itiruçu, a dois indivíduos: Jonisvaldo, de 20 anos, e Hebert, de 19, que foram capturados posteriormente em Itiruçu, no local marcado para entrega da droga. A PM ainda apreendeu com os mesmos três aparelhos celulares e os suspeitos foram apresentados na Delegacia da Polícia Civil para adoção e medidas cabíveis.

Ex-detento do presídio de Valença é assassinado a tiros após sair do fórum da cidade de Camamu

/ Polícia

Homem ainda foi levado ao hospital. Foto: Site Camamu Notícias

Um ex-detento do Conjunto Penal de Valença foi assassinado a tiros nesta quinta-feira (30), momentos depois de deixar o fórum Dra Alvalysyas Ferreira, na cidade de Camamu, no Baixo-Sul da Bahia. De acordo com o site Diário de Camamu, José Luiz da Conceição Docílio teria sido beneficiado com liberdade condicional e as quintas-feiras se dirigia ao fórum para assinar um termo. Mas nesta quinta, quando deixar o órgão judicial foi surpreendido por dois indivíduos e que o aguardavam próximo ao seu carro e que deflagrara vários tiros de revólver que atingiram José no rosto e no abdômen. A vítima chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos a bala. Ainda segundo o site, testemunhas disseram que os atiradores fugiram a bordo de uma motocicleta. José Luiz era acusado de tráfico de entorpecente e homicídio.

Mulher é estuprada e morta em fazenda no interior da Bahia; suspeito é preso em Goiás

/ Polícia

Manoel Messias foi preso em Goiás. Foto: Divulgação/Polícia Civil

Uma mulher foi estuprada e morta dentro de uma fazenda, que fica no Povoado de Angico, zona rural do município de São Desidério, no oeste da Bahia. Segundo o G1, suspeito do crime, Manoel Messias Lima dos Reis, foi preso após fugir para a cidade de Jataí, em Goiás. De acordo com a polícia, Lusidalva Rosa Souza estava dentro da residência quando foi atacada por Manoel. O crime aconteceu no dia 26 de fevereiro, mas ele só foi preso na manhã de terça-feira (28), porque estava foragido. A polícia não informou como a vítima foi morta. Na época do crime, o suspeito chegou a ser preso por policiais militares. Ele confessou ter estuprado e matado Lusidalva, mas o prazo do flagrante já havia passado. Manoel foi ouvido e liberado. Ele deveria ter ficado à disposição da Justiça, no entanto, quando o mandado de prisão preventiva foi deferido, cinco dias após o crime, o suspeito não estava mais na Bahia. A partir daí, a polícia começou a investigar o paradeiro dele. Manoel não resistiu à prisão quando foi abordado pelos policiais baianos e goianos, conforme informou a polícia. Ele será levado para a delegacia de São Desidério, onde ficará custodiado à disposição da Justiça.

Jovem de 22 anos é presa em ônibus com quase 6 kg de maconha em bolsa na Chapada Diamantina

/ Polícia

Jovem levava maconha em uma bolsa, em um ônibus. Foto: PRF

Uma jovem de 22 anos foi presa dentro de um ônibus, por transportar 5,95 kg de maconha em uma bolsa, na cidade baiana de Seabra, Chapada Diamantina. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o caso ocorreu no domingo (26), quando agentes fizeram uma abordagem ao ônibus que a suspeita estava, no KM 420 da BR-242. Conforme a PRF, a bolsa com a droga estava no compartimento de bagagens que fica próximo aos passageiros. Ainda segundo a polícia, a jovem disse que recebeu o entorpecente na cidade de Anápolis (GO) e que a levaria para Salvador. A jovem foi autuada em flagrante e levada com a droga para a delegacia da região. Ela vai responder por tráfico de entorpecentes.

Maracás: Polícia Militar aperta o cerco contra o tráfico e detém mais um jovem com maconha

/ Polícia

Andrey Satriani foi preso portando maconha. Foto: Divulgação/PM

Em mais uma investida contra o tráfico de entorpecente em Maracás, policiais militares detiveram, por volta das 15h deste domingo (26), Andrey Satriani da Costa Castro, que de acordo com informações policiais teria demonstrado intenso nervosismo ao ser abordado quando visto em atitude suspeita na Rua Ângelo dos Anjos, tendo confessado que já havia sido preso sob acusação de tráfico de drogas na cidade de Itaberaba, na Chapada Diamantina. Com ele a PM apreendeu aproximadamente 200 gramas de sustância análoga a maconha, um aparelho celular e a quantia em dinheiro de R$ 134. Ele foi encaminhado com a droga para a Central Regional de Flagrantes, na cidade de Jaguaquara.

Maracás: Jovem é encaminhado a Delegacia de Jaguaquara após ser flagrado com drogas

/ Polícia

Elielson foi preso pela PM com maconha e crack. Foto: CIPM

Elielson Santos de Jesus, de 23 anos, natural de Feira de Santana, foi preso por policiais do Pelotão de Emprego Tático Operacional de Maracás sub suspeita de comercialização de entorpecentes. Segundo informações policiais, a guarnição teria sido acionada por volta das 13h de sábado após denúncia de que o suspeito teria adentrado em uma casa de propriedade de uma idosa, no Assentamento do Cumbe, portando uma sacola. Os militares foram até o imóvel e, o suspeito, ao perceber a chegada da viatura teria tentado esconder a sacola contendo substâncias análoga a maconha e crack, sendo preso em flagrante com 250g de substância análoga a maconha;  2 pedras grandes de substância análoga ao crack + 30 pedras embaladas e prontas para o uso da mesma substância totalizando aproximadamente 42g; uma balança de precisão; uma faca de cozinha utilizada para repartir as substâncias; um celular Samsung preto e várias embalagens iguais às utilizadas para embalar as drogas. O mesmo estava em liberdade condicional após cumprir pena por tráfico e foi encaminhado a Central Regional de Flagrantes, na Delegacia territorial de Jaguaquara.

Grupo que fraudava licitações realizava pregões em dia de ponto facultativo para eliminar concorrentes

/ Polícia

Polícia também cumpriu mandados em Jequié. Foto: Divulgação/PF

O grupo formado por políticos, empresários e servidores que fraudava licitações para desviar recursos públicos na Bahia também manipulava as sessões dos pregões, com o objetivo de impedir a participação de outros interessados. A informação é da Controladoria Geral da União (CGU), que em conjunto com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) deflagrou, nesta quinta-feira (23), a operação Lateronis, com objetivo de combater crimes de desvio de recursos públicos destinados à área da Educação. Na operação, 13 pessoas foram presas e 41 mandados de busca e apreensão foram realizados. Os contratos fraudados somam cerca de R$ 132 milhões, dos quais R$ 45 milhões teriam sido desviados. Segundo a CGU, o grupo investigado simulava até os pregões de licitações. Em 2014, por exemplo, a Prefeitura de Encruzilhada abriu pregões em dia de ponto facultativo, com o objetivo de impedir a participação de outros interessados na licitação. “Teve pregão marcado na Quarta-Feira de Cinzas e outro no dia 26 de dezembro, logo depois do feriado de Natal e em plena sexta-feira. O resultado disso era que só compareciam os representantes das cooperativas ou as empresas envolvidas no esquema. Era só uma simulação de competição”, explicou o superitendente da CGU, Ronaldo Machado. Por conta das fraudes, os estudantes de cidades do centro-sul baiano iam para a escola em veículos velhos, sucateados e, em alguns lugares, o ônibus não passava e os alunos precisavam andar de encontro ao veículo escolar. A operação tem por base fiscalizações da CGU. De acordo com levantamento, entre 2010 e 2016, o grupo investigado firmou contratos com 35 municípios da Bahia, tendo recebido um total de R$132 milhões nesse período. A Controladoria notou a existência de grupo empresarial em conjunto com agentes políticos e servidores públicos que atuava no direcionamento de licitações de transporte escolar para cooperativas e empresas de fachada. “Em Barra do Choça, o dono de uma empresa de informática revelou que um representante de uma cooperativa se ofereceu para pagar o aluguel mensal dele e, em contrapartida, a cooperativa poderia utilizar o endereço da empresa para receber correspondencias e usar de fachada”, explicou o delegado da PF, Rodrigo Kolbe. Além disso, a execução dos contratos ocorria por meio da irregular subcontratação integral do serviço. Os motoristas realizavam o transporte com os próprios veículos e não eram nem cooperados nem empregados, e com isso eles tinham que arcar com todos os custos do serviço. As empresas contratadas atuavam apenas como pessoas interpostas, sendo que o desvio de recursos ocorria mediante o superfaturamento dos valores cobrados do município. Em Itambé (BA), também alvo de fiscalização da CGU, constatou-se superfaturamento total de mais de R$ 1,5 milhão, nos exercícios de 2013 a 2015. “As linhas licitadas eram de 20 km e eram percorridos apenas 10km. Os estudantes que não estavam dentro da rota desses 10 km tinham que andar até o encontro ao ônibus. Eles tinham que fazer esforço extra para conseguir o direito ao transporte escolar básico que está sendo pago pela prefeitura”, disse Machado. O valor de R$ 45 millhões, que teria sido desviado, foi bloqueado das contas de investigados, de acordo com a CGU. Em uma das cidades, que não foi divulgada, o delegado da PF, Rodrigo Kolbe, disse que investigados chegaram a se esconder debaixo de uma mesa da prefeitura durante uma visita de agentes da CGU no processo de apuração de irregularidades. “Chegou ao absurdo de, quando a CGU chegou na prefeitura, como eles estavam reunidos, se esconderam. Ficaram escondidos debaixo da mesa, para que a CGU não visse eles juntos”, disse o delegado. Treze pessoas foram presas nesta quinta-feira. Quatro delas tem prisão temporária de cinco dias, conforme disse o delegado da PF, Rodrigo Kolbe. Além da prisão, 41 mandados de busca e apreensão foram realizados. Houve prisões de ex-secretários, ex-vereadores (entre eles um ex-presidente de câmara municipal), assessores de ex-vereadores, assessor de um deputado federal, servidores públicos e empresários. Outros dois ex-prefeitos de municípios da região sudoeste são investigados e serão ouvidos pela PF a partir de segunda-feira. Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos nas cidades baianas de Barra do Choça, Cândido Sales, Condeúba, Encruzilhada, Ribeirão do Largo, Gandu, Itambé, Jequié, Piripá, Vitória da Conquista, Tanhaçu, Ipirá, Salvador, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Formosa do Rio Preto. Em Minas Gerais, a operação ocorreu na cidade de Mata Verde. G1

PF prende ex-prefeito e ex-assessor de deputado; operação abrange municípios de Jequié e Gandu

/ Polícia

A polícia federal prendeu um ex-prefeito da cidade de Ribeirão do Lago, no sudoeste baiano, na manhã desta quinta-feira (23) na operação Lateronis. Outros dois ex-prefeitos prestaram depoimentos e foram liberados. Segundo informações da Polícia Federal, em coletiva de imprensa em Vitória da Conquista, ex-assessores de deputados também foram presos, além de ex-vereadores, incluindo um ex-presidente de Câmara Municipal. As identidades dos presos não foram reveladas. Cerca de 160 policiais federais e 16 auditores da CGU cumpriram nove mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária, 13 mandados de medidas cautelares e 41 de busca e apreensão na Bahia e em Minas Gerais. A ação da PF ocorreu em Barra do Choça, Cândido Sales, Condeúba, Encruzilhada, Ribeirão do Largo, Gandu, Itambé, Jequié, Piripá, Vitória da Conquista, Tanhaçu, Ipirá, Salvador, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Formosa do Rio Preto. Ao longo das investigações, iniciadas em 2013, foi apurado que três falsas cooperativas que pertenciam a um mesmo grupo, vencedoras de licitações recorrentes, desviavam recursos públicos obtidos através de contratos celebrados com diversos municípios, na área de transporte, sobretudo escolar. Com os dados obtidos, foi possível verificar que essas cooperativas serviam apenas de fachada, não havendo concorrência entre elas, uma vez que as vencedoras eram definidas previamente. Entre os anos de 2010 e 2016, o grupo criminoso obteve aproximadamente R$ 140 milhões em contratos, dos quais teriam sido desviados pelo menos R$ 45 milhões em razão das fraudes apuradas. Os envolvidos responderão pelos crimes de peculato, organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva e fraude à licitação.

Polícia Federal mira atuação de pastores evangélicos em golpes milionários contra fiéis

/ Polícia

A Polícia Federal identificou a participação de pastores evangélicos em golpes milionários que ocorreram contra pelo menos 25 mil pessoas em todo o país, incluindo fiéis de igrejas. A informação foi divulgada pelo jornalista Fausto Macedo, do Jornal Estado de S. Paulo. As investigações apontam a criação de narrativas para enganar as vítimas e tirar dinheiro delas. A Operação Ouro de Ofir foi deflagrada na terça-feira (21), contra grupo que prometia lucros estratosféricos às vítimas em negócios fictícios envolvendo ouro ”do tempo do Império” e antigas ”letras do Tesouro Nacional”. Sidiney dos Anjos Peró, alvo de prisão temporária, é apontado com um dos líderes e responsável por arregimentar pastores com o fim de ludibriar e tirar dinheiro dos fiéis. Os fiéis pagavam pelo menos R$ 1 mil esperando grandes lucros que nunca chegavam. ”A característica principal da fraude está em atingir a fé das pessoas e na sua crença em um enriquecimento rápido e legítimo, levando-as a crer, inclusive, que tal mecanismo seria um presente de Deus aos fiéis, ou seja, trazendo a fé religiosa para o centro da fraude. A maneira mais prática de explicar isso talvez seja a crença de que contra a fé não há fatos nem argumentos. Muitas vítimas não estão interessadas em entender, pensar ou se informar – só estão interessadas em acreditar. E é exatamente neste ponto que a fraude tomou proporções inimagináveis e ganhou território nos mais diversos Estados da Federação”, aponta o relatório do delegado Guilherme Guimarães Farias. Ainda segundo os investigadores, integrantes da organização criminosa usavam grupos no WhatsApp para ludibriar as vítimas e usavam frases como ”vocês tem que acreditar”, ”vocês foram os escolhidos” e ”aguardem que a benção virá” para estimular a participação das pessoas.

Após nova ordem de prisão, Albertassi, Melo e Picciani se apresentam à Polícia Federal

/ Polícia

Albertassi, Melo e Picciani se entregam a PF. Foto: Estadão

Os deputados estaduais Edson Albertassi, Paulo Melo e Jorge Picciani se apresentaram à Polícia Federal (PF), nesta tarde (21), após nova ordem de prisão expedida pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2). O primeiro a chegar foi Albertassi, seguido por Melo e depois Picciani. Da PF, os três seguiram para o Instituto Médico-Legal (IML), por volta das 17h15, para fazer exame de corpo de delito, e retornarão para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. Eles chegaram a ficar uma noite em Benfica, quando foram presos, na última quinta-feira (16), por ordem do TRF2, no âmbito da Operação Cadeia Velha. Eles são acusados de recebimento de propinas para favorecer empresas de ônibus. Os três tiveram bloqueados R$ 270 milhões, por ordem judicial, montante referente ao total supostamente recebido indevidamente das empresas de ônibus. Na decisão desta terça-feira, os desembargadores do TRF consideraram que a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) extrapolou suas competências constitucionais, ao ordenar a libertação dos três parlamentares, após votação na última sexta-feira (17), sem sequer comunicar o fato ao TRF2. O advogado Nélio Machado, que defende Picciani, considerou a decisão do TRF2 ”ilegal, inconstitucional e infeliz”. Ele disse que irá recorrer à instância superior. A defesa de Albertassi se manifestou em nota. ”O deputado Edson Albertassi já se apresentou à Polícia Federal para cumprir a determinação do TRF. Edson Albertassi confia na Justiça e estará sempre à disposição para esclarecer os fatos.”. Paulo Melo também se manifestou em nota. ”Mais uma vez vejo como injusta a decisão do Tribunal Regional Federal. Não cometi nenhum crime e tenho o máximo de interesse na rápida apuração dos fatos.”

Durante #PapoCorreria, Rui Costa anuncia mil vagas para concurso público da Polícia Civil

/ Polícia

Gravação do Papo Correria com o Governador. Foto: Secom

Em mais uma edição do programa #PapoCorreria, transmitido ao vivo pela rede social Facebook, o governador Rui Costa confirmou a publicação do edital do concurso da Polícia Civil ainda este ano, na primeira quinzena de dezembro, e deu mais detalhes sobre o processo. ”Me reuni nesta semana com o secretário da Segurança Pública, com o secretário da Administração do Estado e também com o secretário da Fazenda, e nós batemos o martelo, e o concurso público será realizado com mil vagas para a Polícia Civil, entre agentes policiais civis e delegados”, afirmou o governador. O Governador do Estado autorizou a realização de concurso público para contratação de mil novos policiais civis, atendendo a resolução número 433/2017, expedida pelo Conselho de Política de Recursos Humanos (Cope). O concurso vai abrir 880 vagas para investigador de polícia, 82 para delegado e 38 para escrivão. O edital de abertura para inscrição dos candidatos no certame está previsto para ser lançado na primeira quinzena de dezembro deste ano. O Cope é um colegiado consultivo e de supervisão que tem por finalidade estabelecer diretrizes e normas relativas à política de recursos humanos do Estado. O conselho é presidido pelo secretário da administração e composto por outros três secretários de estado, além do procurador geral e pelo superintendente de Recursos Humanos do Estado. A Polícia Civil solicitou a abertura do concurso para delegados, investigadores e escrivães em função da aposentadoria, exonerações e falecimento de policiais. O pedido passou por análise da Secretaria da Administração quanto ao número de vagas disponível nas carreiras e pela avaliação da Diretoria de Planejamento Orçamentário, para verificar a disponibilidade orçamentária e financeira. Os estudos foram encaminhados ao Cope para subsidiar a decisão dos conselheiros. O Governador autorizou a realização do concurso, homologando a resolução do Cope.

Nomeação

A previsão para o ingresso dos novos policiais civis na corporação é em julho de 2018. Antes de serem convocados os candidatos vão fazer provas objetivas e discursivas. Depois precisam passar por exames médicos e teste de aptidão física, fases que também são eliminatórias. Serão submetidos também a exames psicotécnicos e passarão por investigação social. Entre 2015 e 2017, o Governo nomeou 1.850 novos policiais militares. No ano de 2016, 687 novos policiais foram incorporados aos quadros da Polícia Civil. Contratou, também, 414 novos agentes penitenciários e 121 peritos para o Departamento de Polícia Técnica. Em junho de 2017, realizou o maior concurso da história da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, com cerca de 140 mil candidatos para 2.750 vagas (2 mil para PM e 750 para Bombeiros). Ainda em 2017, realizou concurso para oficiais, sendo 60 da PM e 30 do Corpo de Bombeiros.  O governo também aumentou o valor pago aos policiais pelo Prêmio por Desempenho Policial (PDP), concedido àqueles que atingirem as metas de redução de criminalidade nas suas áreas de atuação. Além do aumento no valor, o governo passou a conceder a premiação duas vezes ao ano a conceder para um número maior de policiais.

Sargento da Polícia Militar acusado de morte de empresário é executado em Feira de Santana

/ Polícia

O sargento da Polícia Militar, Ailton Nascimento da Silva, conhecido como Careca, de 49 anos, foi morto a tiros no início da manhã desta quarta-feira (15), em Feira de Santana. De acordo com a polícia, o sargento estava dentro de casa quando recebeu uma ligação e ao sair foi baleado por um homem que estava em um carro. Ailton foi o 19º policial militar morto este ano, segundo a PM. Foram três em serviço, cinco da reforma ou reserva remunerada e 12 na folga. A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que a principal linha de investigação para o assassinato é o envolvimento do PM com ”atividades ilícitas” – a mais grave delas, continua a SSP,  o homicídio de um corretor de imóveis na cidade, em 2014. Ailton, apontado como mandante, ficou preso por dois anos. O policial era lotado na 67ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), de Feira de Santana, e foi morto por volta das 5h30. ”O militar foi ferido gravemente por disparos de arma de fogo perto da residência e socorrido pelos familiares para o Hospital Geral Clériston Andrade, localizado na mesma cidade, porém não resistiu aos ferimentos. Segundo testemunhas um homem saiu de um veículo e cometeu o crime”, afirmou a PM, em nota. Informações preliminares são de que a execução do sargento teria sido por tiros de fuzil – contudo a PM não confirma. A confirmação sobre o tipo de arma usada no assassinato do policial dependerá da perícia no corpo do militar, que será feita pelo Instituto Médico Legal de Feira de Santana. O sargento pertencia à corporação há 29 anos e deixa mulher e dois filhos. O sepultamento ainda não foi informado pela família. O crime será investigado pela Polícia Civil.