Uma pessoa morre de vítima de coronavírus a cada 17 segundos na Europa, afirma diretor da OMS

/ Mundo

Os países da Europa têm registrado uma morte por coronavírus a cada 17 segundos. A informação é de Hans Kluge, diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo ele, os 53 países que compõem a região já registraram mais de 15,7 milhões de casos de Covid-19, sendo 4 milhões apenas em novembro. O número de óbitos se aproxima de 355 mil.

De acordo com informações do Valor Econômico, mais de 80% dos países da Europa também já registraram mais de 100 casos por 100 mil habitantes na média móvel dos últimos 14 dias. Houve países onde a taxa chegou a 700 casos diários por 100 mil pessoas.

Kluge destacou a situação da França e da Suíça como preocupantes, devido à sobrecarga crescente dos sistemas de saúde. Na avaliação do diretor, medidas mais rígidas adotadas pelos governos têm surtido efeito, mas “lockdowns” devem ser determinados em “último caso”.

Por outro lado, as escolas podem continuar abertas. ”O fechamento das escolas não é uma medida eficaz para o controle da Covid-19. As crianças não são consideradas os principais fatores de transmissão”, acrescentou.

Eleitores de Nova Jersey e Arizona aprovam legalização de maconha para recreação

/ Mundo

Os eleitores dos Estados norte-americanos de Nova Jersey e Arizona aprovaram a legalização da maconha para uso recreativo na terça-feira (3), enquanto o Oregon foi o primeiro Estado dos Estados Unidos a aprovar o uso terapêutico da psilocibina, droga alucinógena conhecida como cogumelo mágico.

Essas medidas estavam entre as pelo menos 124 perguntas colocadas para eleitores dos EUA em plebiscitos neste ano em 32 Estados do país e na capital, de acordo com a National Conference of State Legislatures (NCSL).

Além dos eleitores em Nova Jersey e no Arizona, a Dakota do Sul também caminha para permitir o uso da droga tanto para fins medicinais como recreativos. A medida caminha para ser aprovada com a apuração dos votos em 90%. O Mississippi caminha para aprovar o uso medicinal da maconha.

Desde 1996, 33 outros Estados dos EUA e a capital Distrito de Columbia aprovaram o uso medicinal da maconha, 11 já haviam permitido o uso recreativo da droga, e 16, incluindo alguns Estados que já haviam legalizado o uso medicinal, descriminalizaram a simples posse da droga, de acordo com a Organização Nacional para a Reforma das Leis sobre a Maconha.

A psilocibina, alucinógeno também conhecida em sua forma original como cogumelo mágico, foi aprovado para uso terapêutico para adultos pelos eleitores do Oregon. Os defensores da medida apontam pesquisas que indicam benefícios da droga no tratamento da ansiedade e de outras condições relacionadas à saúde mental.

Será estabelecido um cronograma para mais considerações sobre esta questão e para a criação de uma estrutura regulatória. Os eleitores do Colorado rejeitaram uma proposta para proibir o aborto, exceto aqueles necessários para salvar a vida da mãe, após as 22 semanas de gestação.

Resultados de testes com vacina de Oxford contra o Coronavírus podem sair neste ano

/ Mundo

A potencial vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, pode ter seus resultados de testes em estágio avançado antes do fim deste ano, mas não está claro se a candidata a imunizante estará disponível antes do Natal, disse hoje (4) o pesquisador-chefe dos ensaios clínicos com a vacina.

”Estou otimista de que possamos atingir este ponto antes do fim do ano”, afirmou Andrew Pollard sobre a apresentação dos resultados dos testes. Indagado se a vacina poderá estar pronta para o Natal, ele disse: ”Há uma pequena chance”.

Baiana natural de Salvador é uma das vítimas de ”ataque” na basílica de Nice, na França

/ Mundo

Simone tinha 44 anos, morava na França há 30. Foto: Rede social

O consulado do Brasil em Paris confirmou que uma das vítimas do atentado terrorista na basílica Notre-Dame de Assunção, nesta quinta-feira (29) no centro de Nice, era a brasileira Simone Barreto Silva. Nascida em Salvador, Simone, tinha 44 anos, morava na França há 30 e deixou três filhos.

Segundo uma prima que falou com a reportagem da RFI, mas preferiu não se identificar, Simone —que foi ferida a faca e morreu num restaurante quase em frente à catedral, onde tinha tentado se refugiar— estava na França há 30 anos e deixou três filhos. Uma das últimas frases da vítima teria sido: ”Diga aos meus filhos que eu os amo”.

Um dos proprietários do restaurante l’Unik, onde Simone chegou completamente ensanguentada, Brahim Jelloule, falou à TV France Info, ainda em estado de choque, que esteve em contato com Simone nas sua última hora e meia de vida. ”Ela atravessou a rua, toda ensanguentada, e meu irmão e um dos nossos funcionários a recuperaram, a colocaram no interior do restaurante, sem entender nada, e ela dizia que havia um homem armado dentro da igreja”.

O irmão de Jelloule e o funcionário chegaram a entrar na igreja, mas viram o homem armado com uma faca, foram ameaçados pelo terrorista e saíram correndo. Foram eles que chamaram a polícia. Segundo Jelloule, Simone morreu uma hora e meia depois de ter sido ferida. O atentado ocorreu às 9h da França (5h em Brasília).

Muçulmano, Jelloule se diz chocado com o atentado: ”Isso não é o Islã. Eu conheço o Corão de cor, e não é isso que ele prega”, disse. Segundo a prima que conversou com a RFI, a família só foi avisada que Simone era uma das vítimas às 18h30 da França (14h30 de Brasília).

A RFI também está em contato com o consulado do Brasil em Paris, que falou brevemente com a irmã da vítima, e disse que está em acompanhando o caso e pode ajudar nos trâmites burocráticos. O cônsul honorário do Brasil em Nice também está em contato e deve dar mais informações na sexta-feira pela manhã. O consulado ainda não foi informado oficialmente pela polícia francesa.

Nascida no Lobato, na Cidade Baixa, no subúrbio de Salvador, Simone Barreto, 44, estava na a França ”há pelo menos 30 anos”. Simone tinha formação de cozinheira e atualmente trabalhava como cuidadora de idosos. Ela tinha nacionalidade francesa.

Segundo membros da Ala Mulheres na Resistência da Lavage de la Madeleine, evento cultural brasileiro que acontece há 19 anos em Paris, Simone e suas irmãs ”participaram da Ala em 2019 e não vieram este ano por causa da Covid-19”. Ela teria vindo a Paris em 2019 com uma filha, ainda bebê.

Além disso, Simone era agitadora cultural em Nice e teria organizado, com suas irmãs e primas, a Festa de Yemanjá de Nice. A reportagem da RFI falou com a delegacia de polícia de Nice, que não confirmou a informação, pois o delegado responsável pela Imprensa “teve um dia muito duro” e não faria plantão na noite desta quinta-feira.

Estudo que confirma 1º caso de reinfecção por coronavírus nos EUA é publicado

/ Mundo

Um estudo publicado na renomada revista científica britânica The Lancet confirma o primeiro caso de reinfecção por coronavírus nos Estados Unidos, sendo o quinto em todo o mundo.

A descoberta dos pesquisadores já havia sido anunciada no fim de setembro, mas as evidências de reinfecção ainda não tinham sido avaliadas por outros cientistas da área.

O caso é de um homem de 25 anos que foi infectado em duas ocasiões, em um intervalo de 48 dias. Sua segunda contaminação foi mais grave e ele chegou a ser internado e precisa de suporte de oxigênio

Os outros casos de reinfecção confirmados ocorreram na Bélgica, Holanda, Hong Kong e Equador. Apenas os pacientes dos EUA e Equador apresentaram quadros mais graves na segunda contaminação.

Biden amplia vantagem sobre Trump na corrida presidencial americana, aponta pesquisa da CNN

/ Mundo

Biden ampliou sua vantagem diante de Trump. Foto: Reuters/Mike

Joe Biden ampliou sua vantagem diante de Donald Trump na corrida presidencial americana: passou a ter 57% das intenções de voto, contra 41% do atual mandatário, aponta uma pesquisa eleitoral realizada a pedido da rede de notícias CNN, produzida entre os dias 1º e 4 de outubro.

No levantamento anterior da emissoa, feito de 28 de agosto a 1º de setembro, o democrata tinha 51%, e o republicano, 43%.

O avanço do ex-vice-presidente ocorreu principalmente devido aos indecisos, entre os quais Trump registrou pequena queda de apoio.

O levantamento, que ouviu 1.205 pessoas, por telefone, e foi feita pelo instituto SSRS, ocorreu depois do primeiro debate na TV, realizado no dia 29 de setembro, e em meio à internação de Trump por conta de sua contaminação pelo coronavírus. A margem de erro é de 3,5%.

O site FiveThirtyEight, que analisa dados de várias pesquisas eleitorais, avalia que Biden tem 82 chances em 100 de ser eleito presidente em novembro. Trata-se do maior índice registrado pelo democrata desde o começo da disputa presidencial.

(Com informações do jornal Folha de S. Paulo)

Trump deixa hospital e retorna à Casa Branca para continuar tratamento da Covid-19

/ Mundo

Trump usando máscara e vestindo terno e gravada. Foto: AFP

O presidente americano, Donald Trump, saiu caminhando no fim da tarde desta segunda-feira, do hospital onde foi tratado para a Covid-19, pouco após anunciar que tinha a intenção de retomar ”em breve” sua campanha para a reeleição.

Usando máscara e vestindo terno e gravada, Trump cruzou as portas do Hospital Militar Walter Reed, em Bethesda, arredores de Washington, e ergueu o polegar antes de entrar em um carro preto e em seguida no helicóptero que o leva de volta à Casa Branca, em meio a gritos de ”Mais quatro anos!, Mais quatro anos!” de seus seguidores posicionados na entrada.

O presidente norte-americano ainda não está completamente curado, ele prosseguirá recebendo cuidados na residência presidencial, onde uma equipe estará disponível durante 24h, de acordo com seu médico, Dr.

Trump estava internado desde a tarde de sexta-feira, 2, no mesmo dia que divulgou que estava com a doença, após apresentar fadiga. Segundo um comunicado da Casa Branca, a hospitalização foi uma medida de precaução.

Trump grava vídeo tranquilizando eleitores; Casa Branca diz que situação é ”preocupante”

/ Mundo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse estar se sentindo ”muito melhor”, mas que os ”próximos dias serão o verdadeiro teste”, em um vídeo compartilhado nas redes sociais neste sábado (3).

”Eu vim para cá, não estava me sentindo tão bem. Eu me sinto muito melhor agora, estamos trabalhando duro para eu me recuperar completamente —tenho que estar de volta porque ainda temos que fazer com que a América seja grande novamente”, declarou, tranquilizando os eleitores. ”Estou começando a me sentir bem, mas você não sabe, eu acho que os próximos dias serão o verdadeiro teste”.

Todavia, os sinais vitais do presidente, que está com Covid-19, estiveram ”muito preocupantes” ao longo do último dia e ele não está fora de perigo, segundo o chefe de Gabinete da Casa Branca, Mike Meadows.

A equipe médica afirmou que ainda não há previsão de alta para o presidente. As declarações contrariam o que havia sido dito pelos médicos minutos antes, trazendo ainda mais incerteza sobre o real estado de saúde do presidente americano e os detalhes de seu diagnóstico.

”Os sinais vitais nas últimas 24 horas foram muito preocupantes, e as próximas 48 horas serão críticas para o seu tratamento”, declarou, contrariando as declarações da equipe médica do hospital.

OMS estima 2 milhões de óbitos por coronavírus antes de distribuição de vacina

/ Mundo

Diretor de Emergências da OMS, Mike Ryan. Foto: Reprodução

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o número de mortes por coronavírus pode chegar a 2 milhões antes que uma vacina seja aprovada e distribuída. O número pode ser ainda maior caso não haja ação conjunta para combater a pandemia.

A avaliação é do chefe do Programa de Emergências da OMS, Mike Ryan, feita quando o mundo se aproxima da marca de 1 milhão de óbitos por Covid-19, desde a descoberta do vírus, nove meses atrás.

”A menos que façamos isso, qualquer número que você diga não é apenas imaginável, mas infelizmente muito provável. Ainda não estamos fora de perigo em lugar nenhum, não estamos fora de perigo na África”, avaliou.

De acordo com informações da Reuters e Agência Brasil, Ryan recomendou que não seja apontado o dedo para os jovens por um aumento recente de infecções, apesar dos temores crescentes de que eles estejam estimulando sua disseminação depois da flexibilização de restrições e medidas de isolamento. No entendimento do chefe da OMS, reuniões de pessoas de todas as idades em ambientes fechados têm impulsionado a pandemia.

Índia bate recorde e registra quase 100 mil novos casos de Covid-19 nas últimas 24h

/ Mundo

A Índia reportou hoje (12) um recorde mundial de novos casos da Covid-19 pelo segundo dia seguido. Ao todo, foram 97.570 novos infectados nas últimas 24 horas, de acordo com o Ministério da Saúde indiano. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.

O país, com 1,3 bilhão de habitantes já soma mais de 4,6 milhões de casos da Covid-19. Segundo a Universidade Johns Hopkins (EUA), o número de mortes pela Covid-19 na Índia chega a 77,4 mil.

As estatísticas indianas avançam de forma acelerada na direção dos Estados Unidos, o mais atingido pela doença no mundo, com pouco mais de 6,4 milhões de contágios.

Após explosão, governo do Líbano contabiliza 2,7 mil feridos e mais de 70 mortos

/ Mundo

Uma explosão de grandes proporções aconteceu nesta terça-feira (4) em Beirute, capital do Líbano. Imagens do momento mostram uma enorme nuvem em forma de cogumelo, seguido de uma gigantesca explosão. De acordo com o G1, o governo libanês contabiliza ao mais de 70 mortos após a explosão. Em entrevista a uma rede de televisão, o ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hasan, disse que há pelo menos 2,7 mil feridos.

O presidente Michel Aoun disse que a capital deve declarar estado de emergência para as próximas duas semanas. Ele ainda afirmou, segundo o G1, ser inaceitável que 2.750 toneladas de nitrato de amônio fossem armazenadas em um depósito por seis anos.

Ainda segundo o site, a explosão no porto causou destruição em larga escala e quebrou o vidro de janelas a quilômetros de distância. Alguns barcos que navegavam próximos à costa do Líbano chegaram a ser balançados pela força da explosão.

O chefe de segurança interna do país,  Abbas Ibrahim, afirmou em entrevista a uma rede de televisão que a explosão ocorreu em uma área que armazena materiais altamente explosivos [por exemplo, nitrato de amônio, que não é explosivo em si].

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, declarou em um pronunciamento que o país enfrenta uma catástrofe e que Beirute está de luto. Ele disse também que o governo irá investigar “este armazém perigoso” que funcionava no porto da capital desde 2014.

 

 

Sem distanciamento, norte-americanos devem usar máscara, diz presidente Donald Trump

/ Mundo

Presidente Donald Trump. Foto: Shealah Craighead/Casa Branca

Em uma mudança de falas sobre o uso de máscaras, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, encorajou nesta terça-feira (21) os norte-americanos a usarem o protetor facial se não puderem manter distância social das pessoas ao seu redor, numa tentativa de conter a disseminação do novo coronavírus.

No primeiro briefing focado na pandemia em meses, Trump disse a repórteres, na Casa Branca, que a situação do vírus provavelmente vai piorar antes de melhorar.

O presidente tem relutado em usar máscara em público.

Casos

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos informou, na terça, que há 3.819.139 casos do novo coronavírus, com um aumento de 57.777 em relação à contagem anterior. O número de mortes aumentou em 473, para 140.630.

A contagem de casos de Covid-19 é feita com base em dados levantados até a tarde do dia anterior. Os números do CDC não refletem necessariamente casos relatados por estados individualmente. Com informações da Agência Brasil

Covid-19: pela primeira vez desde i início da pandemia, mundo tem 1 milhão de casos em 100 horas

/ Mundo

As infecções globais pelo novo coronavírus passam de 14 milhões, segundo contagem da agência de notícias Reuters, marcando a primeira vez em que houve um aumento de 1 milhão de casos em cerca de 100 horas.

O primeiro caso foi relatado na China no início de janeiro e levou três meses para atingir 1 milhão de casos. Agora, foram necessários apenas quatro dias para subir de 13 milhões, no dia 13 de julho, para 14 milhões de casos na noite desta sexta-feira (17).

Os Estados Unidos, com mais de 3,6 milhões de casos confirmados, ainda estão tendo enormes saltos diários em sua primeira onda de infecções por covid-19.

Os EUA registraram um recorde global diário de mais de 77 mil novas infecções na quinta-feira (16), enquanto a Suécia teve 77.281 casos no total desde o início da pandemia.

Máscaras
Apesar do aumento de ocorrências, cresce uma divisão cultural no país devido ao uso de máscaras para conter a propagação do vírus, uma precaução adotada rotineiramente em muitos outros países.

O presidente dos EUA, Donald Trump, e seus seguidores têm resistido a um endosso total das máscaras e defendem o retorno à atividade econômica normal e à reabertura de escolas, em meio à elevação de casos.

Outros países duramente atingidos “achataram a curva” e estão flexibilizando os isolamentos, enquanto em outras partes, como as cidades de Barcelona e Melbourne, estão implementando uma segunda rodada de restrições.

O total de casos em todo o mundo é aproximadamente o triplo do número de doenças graves por influenza registrado anualmente, de acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS. A pandemia já matou mais de 590 mil pessoas em quase sete meses. No Brasil, mais de 2 milhões de pessoas testaram positivo e mais de 77 mil pessoas morreram.

Até 132 milhões de pessoas podem passar fome no mundo após pandemia, diz relatório

/ Mundo

A recessão causada pelo novo coronavírus pode levar de 83 a 132 milhões de pessoas à fome nos próximos anos em todo o mundo. A condição dependerá do tamanho da queda da economia e da demora na recuperação.

A informação consta no relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), nesta segunda-feira (13). De acordo com informações da Folha de S.Paulo, o documento considera que a pandemia causou problemas como perda de renda, aumento no preço dos alimentos e interrupção das cadeias de suprimentos.

No ano passado, a fome afetou quase 690 milhões de pessoas, cerca de 8,9% da população mundial. Foram 10 milhões de pessoas a mais que em 2018 e acréscimo de 60 milhões de pessoas em relação a 2014.

”Se a tendência continuar, estimamos que até 2030 esse número excederá 840 milhões de pessoas. Isso significa claramente que o objetivo [de erradicar a fome até 2030, estabelecido pela ONU em 2015] não está no caminho certo”, avaliou Thibault Meilland, analista de políticas da FAO, braço da ONU sobre alimentação e agricultura.