Auxílio emergencial do Governo Federal deve ter mais três parcelas, de R$ 500, R$ 400 e R$ 300

/ Economia

O auxílio emergencial de R$ 600 será prorrogado por mais três meses. O presidente Jair Bolsonaro fez o anúncio na quinta-feira (25) ao revelar que benefício, terá redução gradual e, deve ter parcelas de R$ 500, R$ 400 e R$ 300. Depois, o pagamento da assistência a trabalhadores informais seria encerrado.

O auxílio foi aprovado pelo Congresso com duração de três meses. O objetivo era trazer alívio financeiro às parcelas mais vulneráveis da população. Com a proximidade do fim dos repasses para os primeiros beneficiados pelo programa, cresceu a pressão para que seja feita a prorrogação.

A medida tem sido discutida internamente no governo, mas Guedes vinha trabalhando por valores inferiores aos divulgados por Bolsonaro. O motivo da resistência é o elevado custo da medida. A prorrogação no formato apresentado pelo presidente pode gerar um impacto negativo de até R$ 100 bilhões aos cofres federais. Até o momento, o governo já liberou R$ 152 bilhões para o pagamento das três primeiras parcelas.

Os comentários estão fechados.