Ataque de João Roma a ACM Neto ”enterra” possibilidade de aliança, avaliam interlocutores

/ Política

Roma classifica evento de Neto como festinha. Foto: Divulgação

O primeiro grande ataque frontal do ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), ao ex-prefeito de Salvador e ex-aliado ACM Neto (DEM), ”enterrou” qualquer possibilidade de coligação. Essa, ao menos, é a avaliação de interlocutores do herdeiro carlista ouvidos pelo site BNews. Na véspera da convenção que marcou o lançamento da pré-candidatura do DEM ao Governo do Estado, Roma – que também trabalha para ser candidato – concedeu uma entrevista em que ironiza a dimensão do evento, classificando-o como uma ”festinha”.

”Foi o primeiro ataque ácido de João Roma. Conhecendo Neto, acredito que agora não há mais essa possibilidade [de aliança]”, declarou uma fonte da campanha para a reportagem. A fala do bolsonarista, inclusive, surpreendeu o campo democrata. Roma sempre foi considerado uma pessoa ”polida” e ”prudente”. O entendimento é que, para ele ter falado isso, é porque realmente acredita que não há mais possibilidade de uma reaproximação.

Antes dessa declaração, também havia pegado mal a fala da mulher do ministro, Roberta Roma, que chamou Neto de ”coronelzinho” por trabalhar nos bastidores contra a campanha do marido. O republicano vinha sinalizando publicamente que, para selar uma aliança com o DEM na Bahia, o ex-padrinho precisaria fazer um aceno maior ao presidente Jair Bolsonaro. Em coletiva de imprensa antes da convenção, contudo, ACM Neto afirmou que não vai aceitar interferência nacional na campanha. BNews

Os comentários estão fechados.