”A vida dele andou e a nossa parou”, diz filha de professora atropelada por Marcinho, jogador do Bahia

/ Esporte

Marcinho estava entre 86km/h e 110km/h. Foto: Reprodução

O lateral-direito Marcinho, contratado pelo Bahia, pode estrear no próximo sábado (6) na Série B do Campeonato Brasileiro. A chegada do jogador ao Tricolor foi marcada por críticas de torcedores, que citam o atropelamento do casal de professores Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima em dezembro de 2020, no Rio de Janeiro. Ele responde a um processo criminal.

O fato de Marcinho ter um novo clube para seguir a sua carreira é motivo de tristeza para Fernanda Soares Martins, filha de Maria Cristina. Em entrevista ao Blog do Ancelmo, do jornal O Globo, ela relatou a dor da perda em comparação ao novo momento na vida do atleta.

”Eu perdi uma mãe. A vida dele andou e a nossa parou. Eu fui fazer terapia, fiquei em depressão. Estamos tentando continuar, mas tudo mudou”, disse. ”Para você ter uma ideia, o pai do meu padrasto (Alexandre) faleceu depois da morte do filho. A tristeza foi tanta que ele não aguentou”, acrescentou.

De acordo com os autos, Marcinho estava entre 86km/h e 110km/h na Avenida Lúcio Costa, que tem limite de 70km/h. Após o acidente, ele não prestou socorro. Ele entrou em acordo para indenizar os herdeiros do casal e o processo civil foi encerrado. No entanto, em fevereiro de 2021, o Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou o jogador por homicídio culposo agravado.

Deixar uma Resposta