Vereadora Moana Meira reivindica a ampliação da oferta de exames no município de Jequié

/ Jequié

Moana Meira apresentou proposta na Câmara. Foto: Emanuel Jr.

Considerando o grande número de pessoas desprovidas de recursos que necessitam realizar procedimentos, a pedido dos médicos, nos órgãos competentes de saúde, encontram sérias dificuldades para marcação de exames, pois as cotas SUS são muito limitadas, a vereadora Moana Meira apresentou, na Câmara Municipal de Jequié, proposta em que solicita o aumento da quantidade de marcação de exames (sangue, ultrassom e demais) nos centros médicos de Jequié.

De acordo com a vereadora Moana Meira, tais medidas vão permitir atender a um maior número possível de moradores, atendendo assim, em especial, os pacientes que mais precisam de assistência e que não reúnem condições financeiras para arcar com essas despesas em estabelecimentos particulares.

”A presente Indicação se faz necessária para ampliar a assistência aos pacientes do SUS, que não dispõe de plano de saúde, e por conta disso, as demandas de fechamento de simples diagnósticos ficam pendentes”, conclui a vereadora.

Indefinido no PSB, Marcelo Nilo muda a ambição política e diz que agora quer ser senador

/ Política

Nilo diz que desejos antigos ficaram para trás. Foto: Rede social

O deputado federal Marcelo Nilo (PSB), que sempre assumiu o desejo de ocupar o Palácio de Ondina, revelou que mudou a ambição e que agora deseja o senado. Segundo Nilo, os desejos antigos ficaram para trás. ”O que eu falei ou deixei de falar, pra mim é tudo coisa do passado”, disse.

Em entrevista ao grupo A Tarde, nesta quarta-feira, 16, Nilo afirmou que não sabe se vai concorrer à renovação do mandato para deputado federal em 2022. ”Eu tenho vontade de ser senador, mas nunca fui convidado. Neto nunca me convidou. Mas minha vontade é ser senador”, respondeu.

Com o impasse no PSB, circula a informação de que Nilo têm pendido para o lado de ACM Neto (União Brasil), pré-candidato ao governo da Bahia. ”Tive uma reunião [hoje] de duas horas com o presidente nacional do PSB Carlos Cerqueira e não tem nada definido ainda, eu tenho até 31 de março para decidir minha vida partidária”.

Sem informar o que conversou com Cerqueira (PSB), Nilo se limitou a dizer que está muito preocupado com a Bahia. ”Eu tô preocupado é com a educação, com a saúde, com a segurança pública da Bahia, com os servidores públicos que estão sete anos sem aumento, é isso que estou preocupado. Minha preocupação agora são os problemas do meu estado”, disse.

Educação: Governo do Estado amplia oferta de escolas em tempo integral na Bahia

/ Educação

O Governo do Estado está ampliando a oferta de escolas em tempo integral na Bahia. Neste ano, a rede estadual já dispõe de 266 unidades escolares em tempo integral, o que corresponde a 58 a mais em relação ao ano letivo continuum 2020/21, alcançando o total de 41 mil estudantes beneficiados. Desta forma, a oferta de Educação em Tempo Integral vem se consolidando no Estado em conformidade com o Plano Estadual de Educação da Bahia (PEE).

Desde 2020, a oferta de Educação Integral em Tempo Integral alcança os 27 Territórios de Identidade da Bahia. O PEE, em vigência de 2016 a 2026, por meio da Lei nº 13.559 de 11 de maio de 2016, estipula que, até 2026, 25% das escolas da rede estadual sejam de educação integral. Em 2022, quatro anos antes da conclusão da meta, já foi atingido o percentual de 23,5%.

O coordenador executivo de Programas e Projetos Estratégicos da Secretaria da Educação do Estado (SEC), Marcius Gomes, ressaltou a importância da ampliação da oferta na rede estadual. ”O grande investimento para, além da infraestrutura e da oferta dos programas e projetos nas diversas linguagens para a melhoria das aprendizagens, são as estratégias para garantir a permanência do estudante, que envolvem, ainda, alimentação escolar diferenciada e o programa de distribuição de renda às famílias mais vulneráveis, a partir do programa Bolsa Presença”.

Ministério Público pede que Guarda Municipal de cidade baiana não atue em operações policiais

/ Bahia

MP diz que recebeu denúncias contra Guarda. Foto: Reprodução

O Ministério Público estadual, por intermédio da promotora de Justiça Gabrielly Coutinho Santos, recomendou ao Município de Paramirim que não inclua a Guarda Municipal Patrimonial em operações policiais no município.

O órgão recomendou ainda que o Município deve destinar a Guarda Municipal Patrimonial à proteção do patrimônio municipal e da vigilância da prestação dos serviços públicos locais, considerando que a cidade conta com muitas escolas públicas, praças, vias movimentadas, jardins, prédios e repartições públicos com intenso fluxo.

”Recebemos denúncias de que a Guarda Municipal Civil estaria fazendo investigações para apuração de crimes e aplicando multas de trânsito”, destacou a promotora de Justiça.

No documento, o MP recomendou ainda que a atuação da Guarda Municipal Patrimonial no trânsito da cidade deve ser de caráter educativo, participando de campanhas de para uso de faixas de pedestres, orientando os pais que levam de carro seus filhos para as escolas e orientando os pedestres na travessia de via de forma segura.

”No Município de Paramirim temos a LC nº 03/2017 que estabeleceu funções operacionais e administrativas à Guarda Municipal Patrimonial, não funções de policiamento judiciário, ostensivo ou repressor”, destacou a promotora de Justiça.

Bahia atinge 23.103 casos ativos de Covid-19; 89 óbitos são registrados, diz boletim da Sesab

/ Bahia

O boletim epidemiológico desta quarta-feira (16) registra 23.103 casos ativos de Covid-19 na Bahia. Nas últimas 24 horas, foram registrados 5.955 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,41%), 7.039 recuperados (+0,50%) e mais 89 óbitos. Dos 1.470.387 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.418.604 já são considerados recuperados e 28.680 tiveram óbito confirmado.

Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.745.415 casos descartados e 321.262 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até às 17 horas desta quarta. Na Bahia, 60.989 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Vacinação

Até o momento temos 11.391.361 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.229.652 com a segunda dose ou dose única e 3.252.043 com a dose de reforço. Do público de 5 a 11 anos, 392.435 crianças já foram imunizadas.

Temporal em Petrópolis deixou pelo menos 67 mortos e ao menos 54 casas destruídas

/ Brasil

Cenário é de guerra em Petrópolis. Foto: Carl de Souza/AFP

Ao menos 67 pessoas morreram em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, após deslizamentos e alagamentos causados pelas fortes chuvas que atingiram a cidade na tarde de terça-feira (15), conforme o governador Cláudio Castro (PL). Vários pontos do centro estão bloqueados e as aulas da rede pública foram suspensas. A Prefeitura orienta que os moradores evitem sair de casa e é prevista chuva de fraca ou moderada intensidade nesta quarta-feira, 16.

Segundo o órgão, foram contabilizadas 229 ocorrências, dos quais 189 são por deslizamentos. Mais de 180 militares trabalham no atendimento à população. Equipes especializadas em busca e salvamento foram enviadas para reforçar o socorro, com apoio de viaturas do tipo 4×4 e botes. Oito ambulâncias extras foram empenhadas para atender a região e outras 10 viaturas do Corpo de Bombeiros do Estado estão sendo enviadas para a cidade na madrugada desta quinta-feira.

No local conhecido como Morro da Oficina, no Alto da Serra, a Defesa Civil estima que 80 casas tenham sido afetadas. Em outras regiões, como 24 de Maio, Caxambu, Sargento Boening, Moinho Preto, Vila Felipe, Vila Militar e nas ruas Uruguai, Whashington Luiz e Coronel Veiga também há registros de ocorrências. Foram mobilizados agentes de diversas secretarias, como de Obras, Serviço, Segurança e Ordem Pública, Saúde, Educação, além da Companhia Municipal do Desenvolvimento de Petrópolis e CPTrans para atender a população.

Até a última atualização da Defesa Civil, 184 pessoas estão recebendo suporte da prefeitura nos pontos de apoio, que foram abertos no Centro, São Sebastião, Vila Felipe, Alto Independência, Bingen, Dr. Thouzete e Chácara Flora. ”Orientamos a população que ao sinal de qualquer instabilidade nas áreas em que residem, que procure o ponto de apoio e nos acionem”, destacou o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers. Em caso de emergência, a Defesa Civil orientar ligar 199.

Em uma hora choveu 113 milímetros em Petrópolis – em seis horas, a chuva atingiu 175 milímetros, o equivalente a um mês inteiro. Além de dezenas de pontos de alagamento, o temporal arrastou carros e causou a queda de barreiras.

A Rodovia Rio-Petrópolis foi parcialmente interditada na altura do km 82, nas imediações do terminal rodoviário do Bingen, devido à queda de uma barreira. A prefeitura informou ainda ter decretado estado de calamidade pública em virtude das fortes chuvas que afetaram a cidade. ”Equipes dos hospitais foram reforçadas para o atendimento de vítimas. Além da Defesa Civil, agentes da Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis, de Serviços, Segurança e Ordem Pública, de Obras e de demais áreas do governo seguem no suporte às 95 ocorrências registradas até o momento”.

Segundo a Prefeitura, trechos inundados ou alagados por causa do volume elevado de chuva começaram a ser liberados, facilitando o acesso do socorro por parte dos órgãos competentes, como Defesa Civil e Corpo de Bombeiros. O núcleo de chuva que atuou no município se afastou da cidade no fim desta terça-feira, segundo a prefeitura, mas permanece a previsão de chuva nas próximas horas, com intensidade fraca a moderada.

A maior parte dos deslizamentos foi registrada nas localidades do Quitandinha, Alto da Serra, Castelânea, Centro, Coronel Veiga, Duarte da Silveira, Floresta, Caxambu e Chácara Flora. Houve alagamentos por diversos pontos da cidade – os 11 registrados pela Defesa Civil foram das regiões do Alto da Serra, Corrêas, Centro e Mosela.

Em 2011, as fortes chuvas na Região Serrana do Rio deixaram mais de 900 mortos. É considerada a maior tragédia climática da história do Brasil. Em 2001, foram 57 mortos em Petrópolis. Em 2013, outra tragédia por causa da chuva, com 33 mortos.

”Situação quase de guerra”, diz governador do Rio

O governador do Rio, Claudio Castro, esteve no Morro da Oficina, em Petrópolis, o local onde houve mais deslizamentos e vítimas, onde estão concentrados os esforços de resgate. Ele descreveu o cenário como uma ”situação quase que de guerra”.

Pelo menos 21 pessoas foram resgatadas com vida. ”Toda a nossa equipe está mobilizada: Corpo de Bombeiros, secretarias e demais órgãos do estado”, afirmou o governador. ”Atuamos no resgate e salvamento de vítimas, desobstruindo estradas, atendendo pessoas que perderam seus bens, com medicamentos e remoções, entre outras ações.”

O secretário de Estado de Defesa Civil, coronel Leandro Monteiro, falou sobre o trabalho de resgate. ”Há uma grande equipe concentrada no Morro da Oficina, onde acreditamos ter o maior número de vítimas ainda soterradas”, disse Monteiro. ”Estamos com 400 militares mobilizados e atuando em 44 pontos atingidos pelo temporal. Montamos um hospital de campanha com 10 leitos onde as vítimas recebem o primeiro atendimento”.

Bolsonaro pede auxílio imediato

O presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu aos ministros Paulo Guedes (Economia) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) “auxílio imediato” às vítimas das chuvas em Petrópolis (RJ).

”De Moscou tomei conhecimento sobre a tragédia que se abateu em Petrópolis/RJ. Fiz várias ligações para os Ministros @rogeriosmarinho e Paulo Guedes para auxílio imediato às vítimas, bem como conversei com o @DefesaGovBr General Braga Netto, que me acompanha na Rússia”, publicou no Twitter o presidente, que está em visita oficial à Rússia.

De acordo com Bolsonaro, ele também conversou com o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL). ”Retorno na próxima sexta-feira e, mesmo distante, continuamos empenhados em ajudar ao próximo. Deus conforte aos familiares das vítimas”, finalizou o chefe do Executivo, na mesma rede social.

Região Serrana teve tragédia com mais de 900 mortos em 2011

Em 2011, a região serrana do Rio viveu outra catástrofe natural por causa de chuvas e deslizamentos de terra, considerada a maior catástrofe climática do Brasil. Na época, em poucas horas, um temporal na madrugada do dia 12 de janeiro matou mais de 900 pessoas em três municípios – 130 em Teresópolis; 97 em Nova Friburgo; e 18 em Petrópolis, cidade atingida pelas chuvas desta vez.

Por Ana Luiza Albuquerque , Wesley Faraó Klimpel , Cristina Camargo e Júlia Barbon, Folhapress

Proposta da UPB de reduzir alíquota do INSS patronal dos municípios ganha reforço nacional

/ Bahia

Uma frente ampla de articulação a favor da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prevê a redução da alíquota do INSS patronal dos municípios pela metade foi formada na manhã desta quarta-feira (16), durante a reunião virtual dos presidentes das associações municipalistas estaduais do Norte e Nordeste. O encontro, organizado pela União dos Municípios da Bahia (UPB), contou com a presença do Presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, que apontou a matéria como de interesse de todos os municípios brasileiros e essencial para o equilíbrio fiscal das prefeituras.

O presidente da UPB e prefeito de Jequié, Zé Cocá, destacou o peso do apoio da CNM e das entidades municipalistas de todo o Brasil para pressionar o Congresso Nacional e o governo federal pela aprovação da PEC. ”Acredito que não é uma pauta exclusiva da Bahia, é de todo o Brasil e dos municípios do Norte e Nordeste, que têm uma receita menor, sofrem ainda mais. Agradeço o presidente Paulo por acolher a proposta. É nos unindo que a gente se fortalece. Vamos mobilizar os nossos deputados para sensibilizar o Congresso e o governo dessa pauta que é primordial. É uma questão de sobrevivência. Os municípios 0.6, 0.8, não conseguem pagar os 22,5% da alíquota cheia e a tendência é inviabilizar as gestões”, frisou Zé Cocá que também agradeceu a parceria do deputado Cacá Leão com a UPB na elaboração do texto da PEC.

O presidente da CNM parabenizou a UPB pela iniciativa. Ziulkoski afirmou que ”essa é uma pauta de todos os municípios do Brasil porque está insustentável a situação”. Ele disse que a confederação assumirá a articulação em defesa da redução da alíquota e que irá, através do Conselho Político da entidade, pautar com as associações de todos os estados para mobilização dos deputados federais na coleta de assinaturas para que a PEC comece a tramitar. “Nós estamos acompanhando a iniciativa baiana com muito afinco. Esse assunto permeia os 5.570 municípios e envolve todo o Brasil, não pode ficar segmentado, trabalhamos sempre no sentido da unidade nacional. A CNM vai assumir essa pauta, nossa equipe técnica vai trabalhar e fazer uma articulação bem feita a nível nacional”, reforçou Ziulkoski ao acrescentar que a PEC da redução da alíquota será incluída na pauta prioritária da Marcha a Brasília, que ocorrerá em abril.

O autor da proposta, deputado federal pela Bahia, Cacá Leão, que é líder do Progressistas na Câmara, detalhou o rito que a matéria seguirá na Casa Legislativa. ”Temos 74 assinaturas, precisamos de 171 para iniciar a tramitação, ir à admissibilidade da CCJ e depois formar uma comissão especial. O governo tem trabalhado contra a matéria, porque entende que é perda de receita. Então, o nosso apelo é para que os prefeitos nos ajudem nessa colheita das assinaturas”, pontuou Cacá. O parlamentar ressaltou ainda que não vê dificuldade de tramitação, mas será necessário sensibilizar o governo quanto ao ganho com a adimplência, uma vez que a redução da alíquota vai permitir que os municípios de fato arquem com a despesa e não acumulem dívida com a previdência.

O texto da PEC foi elaborado colaborativamente pela UPB e o gabinete do deputado Cacá Leão. Entre os argumentos está o impacto na despesa com pessoal que as prefeituras vêm tendo, desde a década de 1990 quando os municípios passaram a ser executores de diversas políticas públicas, sem o crescimento proporcional da receita. Os municípios também alegam que a Lei 8.212 impõe uma taxação que não condiz com a atuação do ente que não aufere lucro e oferece serviços à sociedade.

Estados reagem a texto de projeto que tramita no Senado e que altera ICMS de combustíveis

/ Economia

Os secretários de Fazenda estaduais reagiram ao substitutivo do projeto de lei 11/2020, que altera as regras de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre combustíveis. Apresentado na terça (15) pelo relator, o senador Jean Paul Prates (PT-RN), o texto também desagradou ao Ministério da Economia.

O Comsefaz (Comitê dos Secretários de Fazenda dos Estados) afirma que o texto, ao implementar a cobrança de uma alíquota única do ICMS sobre combustíveis em todo o território nacional, vai acabar elevando os impostos.

”A implementação de alíquota uniforme em um novo regime acarretaria fatalmente em aumento de carga tributária”, afirma o Comsefaz em carta assinada por 27 secretários estaduais.

”Os estados com as menores cargas precisariam elevar suas incidências até o patamar que garanta a arrecadação dos estados com maiores cargas, para se chegar a uma alíquota cuja geração de recursos fosse de tamanho percentual uniforme em todo território nacional”, dizem.

Para os secretários, o texto parte da premissa equivocada de que o aumento dos combustíveis é causado pelo ICMS. ”As regras do ICMS não são alteradas há quase duas décadas. Não houve alterações recentes de alíquotas, tampouco na sistemática de apuração, que é a mesma desde 2007”, afirmam.

Os valores observados nos postos, dizem eles, são fruto da política de preços exercida pela Petrobras desde 2016, que possuiu aderência aos preços internacionais do petróleo e à taxa de câmbio. ”[Isso] tem permitido extremar o volume de distribuição de dividendos aos acionistas nacionais e estrangeiros, à medida que exacerba seu lucro frente a uma escalada de preços internacionais”, dizem.

Os secretários afirmam que as alterações sugeridas pelo projeto 11/2020 são inconstitucionais e não reduzem os preços. Por isso, solicitam ao Senado que tramite outro projeto –o PL 1472/2020, que cria a necessidade de os preços internos terem como referência o custo de produção e que cria um fundo para estabilizar os preços (proposta esta rechaçada pelo Ministério da Economia).

O projeto de lei complementar relatado por Prates teve origem na Câmara dos Deputados, onde foi aprovado em setembro após uma grande articulação do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL). O relatório de Prates praticamente desconsidera o texto aprovado pela Câmara. O senador petista aponta que a proposta inicial apresenta vícios de inconstitucionalidade, por ofender a autonomia de estados para determinar as alíquotas do ICMS.

O Ministério da Economia, que apostava as fichas no projeto para endereçar o tema dos combustíveis, avalia que o substitutivo do projeto desagradou em diferentes aspectos. Primeiro porque ampliou o uso de recursos hoje sujeitos ao teto de gastos para o auxílio gás, programa que paga bimestralmente 50% da média de preço de um botijão de gás para famílias carentes. A visão é que não há espaço fiscal para uma elevação no programa criado por projeto de lei do Congresso e que já vai custar R$ 1,9 bilhão em 2022.

Além disso, a equipe econômica avalia que o substitutivo não avançou em temas como a definição da alíquota única, a cobrança por litro, a periodicidade do reajuste, além de não tratar do PIS/Cofins. Tudo ficaria sujeito a decisão dos governadores, afirmam integrantes, o que basicamente mantém a situação atual. O preço dos combustíveis é uma prioridade do presidente Jair Bolsonaro (PL) e da base aliada, que teme o impacto nas eleições e tem buscado diferentes iniciativas para endereçar o tema.

Nesta terça (15), Bolsonaro publicou a terceira MP (Medida Provisória) que autoriza a venda direta de etanol dos produtores para postos de combustível em sete meses, após idas e vindas na tramitação de duas medidas anteriores (de agosto e setembro) no Congresso. Nas duas Casas do Parlamento, a redução no preço dos combustíveis é a principal pauta do momento. Na Câmara, foi protocolada pelo deputado governista Christino Áureo (PP-RJ) uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) com aval do Planalto.

Já no Senado, surgiu outra apelidada de ”PEC Kamikaze” pela equipe econômica. Ela contou com o apoio de ministros do governo e do senador e filho do presidente, Flávio Bolsonaro (PL-RJ). Recentemente, Lira passou a defender a aprovação do projeto que altera a cobrança de ICMS sobre combustíveis antes de o Congresso avançar na discussão da PEC que mexe nos tributos federais.

Fábio Pupo/Folhapress

Ministério Público Estadual recomenda medidas para vacinação infantil em municípios baianos

/ Bahia

O Ministério Público Estadual (MP-BA) recomendou aos municípios de Eunápolis, Itagimirim, Itapebi, Ilhéus, Paulo Afonso, Glória e Santa Brígida que adotem medidas que assegurem a imunização de crianças de 5 a 11 anos contra o coronavírus.

Também foram expedidas recomendações aos Conselhos Tutelares e aos responsáveis por estabelecimentos de ensino públicos e privados que atendam crianças e adolescentes.

Nos documentos, o MP recomendou que os conselheiros tutelares estabeleçam um fluxo eficiente de comunicação, preferencialmente por meio eletrônico, com as unidades de ensino e os órgãos gestores da educação pública, para recebimento de denúncia, notificação ou representação contra pais ou responsáveis relativas à não oferta da vacina da Covid-19.

Além disso, ao receberem tais comunicações, deverão expedir notificação para comparecimento à sede do Conselho Tutelar, aconselhando pais ou responsáveis sobre a importância da vacinação e, após atendimento, definam prazo de no máximo 15 dias para apresentação do comprovante de vacina.

O MP recomendou ainda às Secretarias Municipais de Educação que realizem ampla divulgação entre a comunidade escolar acerca da importância da imunização de crianças e adolescentes contra a Covid-19, com a veiculação de conteúdo destinado a convocar a população para a vacinação nas unidades de saúde local ou escolas, que poderão ser utilizadas como centros itinerantes de vacinação.

”Seu nome une a Bahia e pavimenta caminho para a vitória”, diz Lídice sobre Jaques Wagner

/ Política

Lídice defende o nome de Wagner ao Governo. Foto: Eduardo Aiache

A deputada federal Lídice da Mata comentou sobre a reafirmação do senador Jaques Wagner (PT) na disputa ao governo da Bahia. De acordo com ela, o nome de Wagner une a Bahia.

“Jaques Wagner reafirmou sua pré-candidatura ao governo estadual. Seu nome une a Bahia e pavimenta o caminho para a vitória do nosso grupo político que transformou para melhor a vida dos baianos nos últimos anos”, escreveu em uma rede social.

A declaração do petista ocorreu após uma reunião com o ex-presidente Lula, em que se discutiu a possibilidade de o senador Otto Alencar (PSD) ser postulante ao Palácio de Ondina, e o governador Rui Costa (PT) candidato ao Senado.

Tribunal de Contas da União aprova privatização da Eletrobras, que deve ocorrer até maio deste ano

/ Brasil

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta terça-feira (15) a primeira e mais importante fase do processo que analisa a privatização da Eletrobras, que o governo pretende realizar até maio deste ano.

Inicialmente, foram 6 votos a favor da posição do governo e uma manifestação contrária. Ao fim da sessão, o ministro Vital do Rêgo mudou o voto contrário ao governo, consolidando assim sete votos a favor e nenhum contra.

Apenas sete ministros votam neste processo, mesmo o TCU sendo composto por nove ministros. A presidente da Corte, Ana Arraes, está de férias. Em seu lugar, o ministro Bruno Dantas só vota em caso de empate, o que não ocorreu. As informação foram divulgadas pelo jornal O Globo.

Mulher com câncer morre em acidente quando voltava para Poções após consulta médica

/ Trânsito

Acidente foi na BR-324, próximo a Feira de Santana.  Foto: Portal Poções

Um acidente entre um caminhão e um micro-ônibus da prefeitura de Poções, cidade no sudoeste da Bahia, deixou uma pessoa morta na BR-324 na noite de segunda-feira (14), segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), nesta terça-feira (15). O coletivo do município transportava pacientes que faziam tratamento fora de domicílio (TFD) e retornavam de Salvador para Poções.

A vítima, identificada como Cláudia Gonçalves da Costa, estava na reta final de um tratamento contra o câncer de mama e voltava de uma revisão médica realizada na capital baiana, a cerca 450 km de Poções.

Segundo a PRF, o micro-ônibus colidiu com a parte traseira do caminhão no km 532, próximo à cidade de Feira de Santana. As causas do acidente são investigadas.

Cláudia Gonçalves morreu no local. Outras quatro pessoas que estavam no micro-ônibus tiveram ferimentos leves. Segundo amigo e vizinho da vítima, Moysés Santana, Cláudia tinha 34 anos e trabalhava na prefeitura da cidade. Ela deixou o marido e um filho de 14 anos.

Nas redes sociais, a prefeitura de Poções lamentou a morte da vítima e prestou condolências aos familiares e amigos.

”A prefeitura de Poções, em nome da prefeita Nilda Magalhães, vem por meio desta manifestar o seu mais profundo pesar pelo falecimento da Sra. Cláudia Gonçalves Costa”, escreveu.

O velório foi realizado nesta terça-feira (15), na casa onde ela viva com a família, no bairro Joaquim Mascarenhas, em Poções. Após o velório, o corpo de Cláudia será levado para a zona rural da cidade, onde acontecerá o sepultamento. As informações são do G1

Jequié revela mais 2 óbitos por Covid, de pessoas com comorbidades e ocupação de UTI é de 90%

/ Jequié

Prado Valadares voltou a registrar mortes. Foto: BMFrahm

O boletim da Covid em Jequié, divulgado na noite desta terça-feira (15) informou que houve o registro de mais 2 óbitos, sendo uma mulher, de 93 anos, residente no bairro Joaquim Romão, com histórico de Hipertensão Arterial, que tomou as duas doses contra a Covid-19, ocorrido em 10/02/2022, no Hospital Geral Prado Valadares; uma mulher, de 37 anos, residente no Jequiezinho, com histórico de Câncer, fez uso da primeira dose da vacina contra a Covid-19, ocorrido em 11/02/2022, no Hospital Geral Prado Valadares.

Ainda de acordo com o boletim, foram registrados mais 74 novos casos positivos nas últimas 24 horas, perfazendo um total de 21.720 pessoas confirmadas com a doença. Até agora 20.910 pacientes encontram-se recuperados e o número de óbitos desde o início da pandemia é de 429.

De acordo com o número de leitos de UTI-Covid do Hospital São Vicente, a taxa de ocupação é de 90%. Destes, 2 leitos estão ocupados por residentes de Jequié e 7 leitos estão ocupados por pessoas de outro município.

Decreto proíbe festas de rua até 02 de março e mantém limite de público para eventos na Bahia

/ Bahia

Decreto publicado no Diário Oficial do Estado, nesta terça-feira (15), proíbe a realização de festas de rua em todo o território baiano, até 02 de março de 2022.

A medida inclui especialmente eventos pré-carnavalescos ou carnavalescos, previamente organizados ou espontâneos, tais como: marchinhas, blocos, fanfarras, desfiles e afins. O objetivo é evitar qualquer tipo de aglomeração e o descumprimento dos protocolos sanitários estabelecidos contra a Covid-19.

O mesmo decreto mantém a validade até 02 de março da autorização para a realização de eventos e atividades com a presença de público de até 1.500 pessoas, tais como: cerimônias de casamento, eventos urbanos e rurais em logradouros públicos ou privados, eventos exclusivamente científicos e profissionais, circos, parques de exposições, solenidades de formatura, feiras, passeatas, parques de diversões, teatros, cinemas, museus e afins.

Um outro decreto, também publicado nesta terça-feira, mantém o expediente normal nas repartições públicas do Poder Executivo Estadual nos dias 25 e 28 de fevereiro e 01 de março de 2022. Os dois decretos foram assinados pelo governador Rui Costa e têm validade a partir da data da publicação.