Gustavo Bebiano diz à PF que Bolsonaro chancelou repasses a Bivar para entrar no PSL

/ Polícia

Bebianno prestou depoimento à Polícia Federal. Foto: Estadão

O ex-ministro Gustavo Bebianno disse em depoimento à Polícia Federal que o então candidato à Presidência Jair Bolsonaro chancelou em 2018 um acordo para repassar 30% do fundo eleitoral do PSL para o diretório do partido em Pernambuco. O montante foi em torno de R$ 2,7 milhões.

No estado, o PSL é chefiado politicamente pelo fundador da sigla e atual presidente nacional da legenda, deputado Luciano Bivar. Ele e Bolsonaro se desentenderam recentemente. Agora, o chefe do Palácio do Planalto pede transparência ao partido.

Bivar é investigado sob suspeita de ter desviado parte desses recursos por meio de candidaturas femininas de fachada. O laranjal da legenda nas eleições do ano passado foi revelado pela Folha de S. Paulo, esquema que Bolsonaro afirma desconhecer.

Já Bebianno presidiu nacionalmente o PSL em 2018, coordenou a campanha presidencial e foi ministro de Bolsonaro (Secretaria-Geral) por menos de dois meses, tendo sido demitido ao se desentender com o chefe e um de seus filhos, o vereador Carlos Bolsonaro, em meio à repercussão da revelação do escândalo.

Ele foi chamado a depor à PF pelo fato de a verba pública do PSL repassada às supostas candidatas laranjas de Pernambuco ter partido do diretório nacional, então presidido por ele.

Bebianno repetiu aos investigadores o que já vinha dizendo, em suma, que a decisão sobre as candidaturas nos estados coube exclusivamente aos diretórios regionais. Cabia à Executiva Nacional apenas formalizar o repasse

”Ricos capitalizam seus recursos, os pobres consomem tudo”, diz o ministro Paulo Guedes

/ Economia

Paulo Guedes. Foto: Washignton Costa/Ministério da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, descartou, em entrevista à Folha, tentar reapresentar o sistema de capitalização, proposto pelo governo no texto original da reforma da Previdência.

”Esquece. Já foi. Cada país faz suas escolhas. O problema do nosso governo está resolvido. Que pena que o Brasil ainda não escolhe algo melhor”, disse. Segundo o ministro, a carteira de trabalho verde e amarela foi ”desenhada para fazer parte de um novo regime trabalhista, baseado em capitalização”.

”Rejeitaram, então não há o que fazer. Mas, com ele, você colocaria o Brasil para crescer, aumentaria taxa de poupança, educaria financeiramente famílias mais pobres. Um menino, desde cedo, sabe que ele é um ser de responsabilidade quando tem de poupar. Os ricos capitalizam seus recursos. Os pobres consomem tudo”, declarou.

Ao ser questionado se uma pessoa pobre conseguiria guardar dinheiro, Guedes afirmou que isso já ocorre por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). ”Ele já guarda e não sabe. O FGTS é um dinheiro que tiram dele e fica depositado”, completou.

Benito alfineta ACM ao afirmar que a eleição majoritária está no radar do bloco PTB, SD, PSD e MDB

/ Política

Benito Gama, ex-deputado federal. Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (4), durante oficialização do bloco partidário PTB, SD, PSC e MDB com vistas nas eleições de 2020, a começar pela capital baiana, o presidente do PTB na Bahia, ex-deputado federal Benito Gama, apesar de aliado de primeira hora do prefeito ACM Neto (DEM), não deixou de alfinetá-lo ao afirmar que a eleição majoritária está no radar do grupo.

Conforme ele, o bloco objetiva vir a ser ‘ator importante’ na disputa. Neto, entretanto, tem pregado de forma clara que não aceitará em sua sucessão mais de um postulante concorrendo pela sua base.

”É um momento político importante. A eleição já começou, não adianta tentar tapar o sol com a peneira e nós estamos precisando ser, como qualquer partido, um ator importante na eleição. Eu penso que nós poderemos ser e a majoritária está em nosso radar como uma coisa importante. Seguramente iremos participar, não somente em Salvador, como também no interior”, disse em almoço no Barbacoa, ocasião em que o presidente da Câmara, vereador Geraldo Júnior (SD) foi eleito coordenador do projeto e confirmou que seu nome está à disposição para o embate.

Advogado de Bolsonaro sonegou informação sobre áudio, diz diretor da TV Globo

/ Imprensa

O diretor geral de jornalismo da TV Globo, Ali Kamel, divulgou uma nota interna aos profissionais da emissora para “dar os parabéns mais efusivos” ao repórteres do Rio de Janeiro que fizeram a matéria sobre a citação de Jair Bolsonaro na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco.

Na carta, Ali Kamel dá detalhes de cada passo da investigação jornalística. E revela que, em meio à apuração, que se desenrolava no Rio, “uma fonte absolutamente próxima da família do presidente Jair Bolsonaro” procurou a emissora em Brasília para dizer que “ia estourar uma grande bomba, pois a investigação do caso Marielle esbarrara num personagem com foro privilegiado”.

“Eu estranhei: por que uma fonte tão próxima ao presidente nos contava algo que era prejudicial ao presidente? Dias depois, a mesma fonte perguntava: a matéria não vai sair?”, afirma Kamel.

Ele ainda diz que o advogado do presidente, Frederick Wasseff, sonegou a informação da existência do áudio na portaria de Bolsonaro quando deu entrevista à TV Globo.

Deputado Jorge Solla cobra declaração de emergência de saúde por óleo no Nordeste

/ Brasília

Solla quer decretação de estado de emergência. Foto. Divulgação

Os deputados federais Jorge Solla (PT-BA) e Alexandre Padilha (PT-SP) apresentaram requerimento para que a Câmara de Deputados cobre oficialmente do Ministério da Saúde a decretação de Estado de Emergência em Saúde Pública devido ao desastre do derramamento de óleo nas praias do Nordeste do país.

O requerimento 339/19, que será votado na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) nesta quarta-feira (6), baseia o pedido na nota pública do Programa de Pós-Graduação em Saúde, Ambiente e Trabalho da Universidade Federal da Bahia (PPGSAT/FMB/UFBA), que detalha como os componentes químicos voláteis do petróleo cru podem afetar a saúde de mais de 144 mil pescadores do Nordeste.

“Os riscos toxicológicos envolvidos são graves, agudos e crônicos, com atenção especial para frações tóxicas do petróleo que podem levar à morte por intoxicação (…) Entre os componentes mais tóxicos estão o benzeno, tolueno e xileno. O benzeno é uma substância química cancerígena, pode causar má formação fetal e patologias graves e potencialmente fatais como câncer e aplasia de medula”, alerta a nota, que também foi endossada pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

O deputado Jorge Solla salienta que uma ação emergencial do Ministério da Saúde é fundamental para mapear todas as pessoas que participaram dos mutirões voluntários de limpeza das praias e monitorar suas condições de saúde, bem como para evitar que novas pessoas tenham exposição indevida.

“É preciso também iniciar imediatamente o controle sanitário e de segurança alimentar com relação ao pescado. Recebemos com muita preocupação ainda o relato de uma pessoa que saiu de um banho de mar aparentemente limpo, em Ilhéus, mas seu corpo foi queimado pelo óleo. E os profissionais de saúde estão sem orientação de como proceder, as secretarias de saúde não sabem que informação repassar à população”, destaca Solla.