Após sair da prisão, goleiro Bruno fará sua reestreia no dia 6 de outubro, anuncia Poço de Caldas

/ Esporte

Bruno volta a atuar no futebol. Foto: Divulgação Poços de Caldas FC

O Poços de Caldas (MG), novo clube do goleiro Bruno, anunciou que sua reestreia no futebol será no dia 6 de outubro contra o União Mogi, clube de Mogi das Cruzes, interior de São Paulo. O Vulcão contratou o atleta no dia 13 de agosto, como reforço para a temporada 2020 do campeonato mineiro.

Bruno cumpre pena pela morte da ex-namorada Elisa Samudio. A volta ao futebol está sendo possível por conta da progressão da pena, do regime fechado para o semiaberto. Ainda assim, Bruno vai precisar de autorização judicial para atuar pelo novo clube, o que lhe permitirá ficar fora de seu domicílio prisional.

As entradas custarão R$ 25 na área coberta, sendo R$ 20 na compra antecipada, e R$ 20 na área descoberta, com desconto de R$ 5 para quem comprar o ingresso. A partida está marcada para as 10h, no Estádio Ronaldo Junqueira, em Poços de Cladas.

Medida Provisória (MP) da ”liberdade econômica” é sancionada; veja os principais pontos

/ Economia

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta sexta-feira (20/09, em cerimônia no Palácio do Planalto, a Medida Provisória (MP) da Liberdade Econômica, agora convertida em lei. A MP havia sido apresentada pelo governo para diminuir a burocracia e facilitar a abertura de empresas, principalmente de micro e pequeno porte, e já havia sido aprovada pelo Senado Federal no último dia 21 de agosto.

Entre as principais mudanças, a lei flexibiliza regras trabalhistas, como dispensa de registro de ponto para empresas com até 20 empregados, e elimina alvarás para atividades consideradas de baixo risco. O texto também separa o patrimônio dos sócios de empresas das dívidas de uma pessoa jurídica e proíbe que bens de empresas de um mesmo grupo sejam usados para quitar débitos de uma empresa.

Em relação ao texto final aprovado pelo Congresso, houve quatro vetos presidenciais. Um deles, que foi negociado com o próprio Parlamento, eliminou o dispositivo que permitia aprovação automática de licenças ambientais.

O governo vetou um item da MP, alterado pelos parlamentares durante a tramitação, que flexibiliza testes de novos produtos ou serviços. Na justificativa do veto, o presidente argumentou que a redação, tal como veio do Legislativo, “permitiria o uso de cobaias humanas sem qualquer protocolo de proteção, o que viola não só a Constituição mas os tratados internacionais para testes de novos produtos”.

Outro dispositivo vetado permitia a criação de um regime de tributação fora do direito tributário. O veto foi solicitado pelo Ministério da Economia, segundo o Palácio do Planalto. Foi vetado ainda o dispositivo que previa a entrada em vigor da nova lei em 90 dias. Com isso, a MP da Liberdade Econômica já entra em vigor a partir da publicação no Diário Oficial da União (DOU), que ocorrerá em edição extra nesta sexta.

”Essa Medida Provisória, segundo estudos da Secretaria de Política Econômica, pode gerar, no prazo de dez anos, 3,7 milhões de empregos e mais de 7% de crescimento da economia. São números muito expressivos e necessários para o nosso país”, afirmou o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel.

Citando um jargão repetido pelo presidente Jair Bolsonaro, Uebel afirmou que a medida permite que ”o estado saia do cangote das empresas” e fomente o cenário de empreendedorismo no país. O secretário citou ainda outras medidas previstos na nova lei, como o fim da validade de algumas certidões, como a de óbito, e a Carteira de Trabalho Digital.

Em um breve discurso, Jair Bolsonaro disse que a aprovação da MP é um primeiro passo para desburocratizar os serviços públicos no país. ”Vai ajudar e muito a nossa economia”, destacou. ”Tenho falado com o Paulo Guedes, com o Paulo Uebel também. Nós devemos estudar um projeto, não o Meu Primeiro Emprego, mas o Minha Primeira Empresa. (…) Nós queremos é dar meios para que as pessoas se encorajem, tenham confiança, uma garantia jurídica de que o negócio, se der errado lá na frente, ele desiste e vai levar sua vida normalmente, e não fugir da Justiça para não ser preso”, acrescentou.

O presidente criticou grupos de esquerda que, segundo ele, defendem direitos, mas não deveres. Ele elogiou a reforma trabalhista aprovada no governo de Michel Temer. ”Alguns criticam, no passado a reforma da CLT, dizendo que ela não resolveu os problemas. Se não fosse ela, feita no governo Temer, o Brasil estaria em situação muito mais difícil do que está hoje. E eu vejo a esquerda potencializando a questão de direitos: tudo é direito, quase nada de deveres”, afirmou.

Homem morador de Ipiaú morre após perder controle e capotar automóvel na BR-330

Samu foi acionado, mas homem havia falecido. Foto: Giro em Ipiaú

O motorista de um carro modelo Corsa, morador de Ipiaú, morreu após o veículo conduzido por ele bater no barranco e capotar na BR-330, próximo a Curva do Engenho, no município de Ipiaú.

Segundo o site Giro em Ipiaú, o acidente aconteceu na noite deste sábado (21/09), horas depois de outro grave acidente na mesma reodovia, entre duas caminhonetes, deixando um morto e dois feridos.

O condutor do Corsa estava em Jitaúna na companhia de alguns amigos e ao retornar para Ipiaú sofreu o acidente. Ele viajava sozinho. O Samu foi acionado por populares e constatou o óbito. A vítima foi identificada como Darlan Calhau de Souza, morador do bairro ACM, em Ipiaú. O corpo foi encaminhado pela Polícia Técnica ao IML de Jequié. O trânsito no local foi contornado pela PRF.

Ninguém acertou: Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 44 milhões

/ Esporte

As seis dezenas do Concurso 2.190 da Mega-Sena, sorteadas ontem (21), no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo, não teve vencedores. O prêmio para o próximo concurso, que será sorteado na quarta-feira (25), está estimado em R$ 44 milhões.

Os números sorteados foram 05 – 09 – 20 – 25- 35- 53

A quina teve 94 ganhadores que vão receber, cada um, R$ 29.098,66. Acertaram quatro números 6.835 apostadores, que receberão o prêmio individual de R$ 571,69.

As apostas para o próximo concurso da Mega-Sena podem ser feitas até às 19h da próxima quarta-feira (25). A aposta mínima, de seis números, custa R$ 3,50.

Caminhonete invade contramão e provoca acidente com um morto e dois feridos BR-330, em Jitaúna

/ Trânsito

Caminhonete Hilux invadiu a contramão da rodovia, diz PRF

Um acidente entre dois veículos deixou uma pessoa morta e duas feridas no fim da tarde deste sábado (21/09), na BR-330. De acordo com informações da PRF ao Blog Marcos Frahm, o acidente aconteceu por volta das 16h50, próximo ao local conhecido Bica, no trecho do município de Jitaúna, no Médio Rio de Contas. Ainda segundo a polícia, uma caminhonete Toyota Hilux e uma picape Fiat Strada, ambas com placa de Jequie.

A PRF informou que a Strada transitava no sentido decrescente, Ipiaú para Jequié, na sua mão de direção quando foi colhida frontalmente pela caminhonete Hilux que seguia em sentido contrário na contramão de direção. ”Pela reconstrução da cinemática do acidente, a partir da análise dos vestígios e da posição final dos veículos, a Hilux transitou na contramão e colidiu com a Strada”, disse a polícia.

Motorista da picape Fiat Strada morreu após carro ser atingido

Dentro da Hilux havia um condutor, Sr. R.G.M, 40 anos, ferido gravemente. Na Strada haviam dois ocupantes, o condutor Sr. J.S.S., 52 anos, e o passageiro R.S.S., 22 anos. O motorista da Strada, que não possui CNH, ficou preso nas ferragens e foi necessário o desencarceramento pelo Corpo de Bombeiros Militar ele foi socorrido por uma equipe do Samu, encaminhando ao Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, em Jequié, mas não resistiu aos ferimentos. Os outros dois envolvidos estão internados na mesma unidade hospitalar, com lesões graves.

A PRF fez todo procedimento de segurança viária, além de interdição total da pista, por aproximadamente uma hora e quinze minutos. Após a remoção dos feridos e dos veículos envolvidos o fluxo foi restabelecido na BR-330.

PRF em Jequié, universidade e entidades participam de lançamento da Semana Nacional de Trânsito

/ Trânsito

Ações foram desenvolvidas no posto da PRF. Foto: Divulgação

Com o tema escolhido para 2019 ”No Trânsito, o Sentido é a Vida”, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e entidades de educação e saúde participaram, em Jequié, da abertura da Semana Nacional de Trânsito. O evento aconteceu na sexta-feira (20/09), na Delegacia da Polícia Rodoviária Federal de Jequié (10/03).

Além da PRF, participaram do evento estudantes dos cursos de Medicina, Odontologia, Educação Física e Enfermagem, da UESB – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia), integrantes da Secretaria de Saúde do Município de Jequié, com Unidade Móvel de Odontologia, representantes da Polícia Militar da Bahia (19º Batalhão) e do Corpo de Bombeiros Militar.

A PRF atuou com ações integradas com o objetivo principal de conscientizar condutores e passageiros a tornar o trânsito mais seguro por meio do Cinema Rodoviário. O trabalho educativo é realizado após uma abordagem para fiscalização. Enquanto são realizadas as consultas de praxe ou eventualmente aplicadas autuações, os ocupantes do veículo são convidados a participar de um bate papo e acompanham a exibição de filmes educativos relacionados a infrações que se convertem em acidentes de trânsito. Principalmente aos condutores de veículos são repassadas informações sobre a necessidade de uma atitude mais responsável no trânsito.

As entidades presentes promoveram atividades de prevenção e saúde de motoristas profissionais como avaliações médicas, nutricionais e psicológicas, além de exames para rastreio de hipertensão arterial, diabetes e sifilis. O participantes ainda tiveram a oportunidade de realizar avaliações de condicionamento físico e de saúde bucal.

Para este ano, por meio de uma Resolução CONTRAN, o tema estabelecido foi ”No Trânsito, o Sentido é Vida”, que visa à ampliação do nível de conscientização dos diversos atores do trânsito, para que adotem atitudes prudentes, compatíveis com as necessidades de segurança de todos. A Operação Semana Nacional de Trânsito teve início às 00h00 de quarta-feira (18) e se estenderá até 23h59 do dia 25 de setembro de 2019.

Delegado da Polícia Civil é morto a tiros durante tentativa de assalto em Feira de Santana

/ Polícia

Delegado foi levado ao hospital. Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

Um delegado de 58 anos foi morto a tiros durante um assalto ocorrido neste sábado (21), em Feira de Santana, conforme publicaão do G1. De acordo com a publicação, a  Polícia Civil informou que Gesta Dermeval Costa Santos estava no Centro de Abastecimento do município, a Ceasa, quando o crime aconteceu, no final da manhã.

Ainda conforme a Polícia Civil, equipes da 1ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) e da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) de Feira de Santana, com o apoio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investigam o latrocínio contra o delegado e fazem buscas para identificar e prender o suspeito do crime.

O delegado não estava em serviço e passeava por Feira de Santana, quando foi ao local fazer compras e acabou baleado. Em nota, o Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc) informou que a vítima trabalhava na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), em Salvador, e estava com um primo quando um homem chegou ao local e anunciou o assalto.

Inicialmente, o sindicato disse que o delegado reagiu e acabou alvejado. No entanto, o Sindipoc corrigiu a informação e disse que o delegado não estava armado, não reagiu à abordagem e se assustou após o suspeito encostar a arma nas costas dele. A vítima chegou a ser socorrida e levada para o Hospital São Mateus, mas não resistiu. Não há informações sobre o velório e enterro do delegado.

Bolsonaro tem até 4 de outubro para vetar ou sancionar projeto que altera regras eleitorais

/ Política

Está nas mãos do presidente da República Jair Bolsonaro a decisão de sancionar ou vetar (total ou parcialmente) o projeto que altera regras eleitorais (Projeto de Lei 5029/19). Para valerem já nas eleições municipais de 2020, as novas regras precisam ser sancionadas até o dia 4 de outubro.

A primeira versão do projeto foi aprovada pelos deputados no início de setembro com grande repercussão negativa. A reação fez com que o Senado avançasse apenas na criação de um fundo eleitoral, sem valor definido, para financiar as eleições no ano que vem. Quando o texto voltou à Câmara, os deputados excluíram alguns pontos importantes, mas mantiveram trechos que críticos da proposta acreditam que podem dar margem para caixa dois, lavagem de dinheiro, além de reduzir mecanismos de controle dos recursos.

Após negociação entre os líderes partidários, os deputados retomaram à votação de todo o texto, retirando quatro pontos. No relatório apresentado pelo deputado Wilson Santiago (PTB-PB), foram suprimidos os seguintes trechos: o que permite pagar advogados e contadores com o fundo partidário; o que aumenta o prazo para a prestação de contas partidárias; um terceiro, que viabilizaria diversos sistemas para a prestação das contas, além do Tribunal Superior Eleitoral (TSE); e um último ponto que permitia partidos serem multados por erros na prestação de contas apenas em caso de dolo, quando há intenção em cometer uma fraude.

Fundo partidário

O texto aprovado garante o fundo eleitoral para financiamento de campanha dos candidatos a prefeito e vereador nas eleições municipais de 2020. A medida estabelece que os valores do fundo serão definidos por deputados e senadores da Comissão Mista de Orçamento (CMO). O projeto de lei do orçamento de 2020, enviado pelo Poder Executivo, já prevê a destinação de R$ 2,54 bilhões para as eleições municipais.

Gastos

A medida prevê a contratação de serviços de consultoria contábil e advocatícia, inclusive em qualquer processo judicial e administrativo de interesse partidário ou de litígio que envolva candidatos do partido, eleitos ou não, com a ressalva de que estejam diretamente relacionados ao processo eleitoral.

Os recursos podem ser usados por partidos políticos para pagamento de juros, multas, débitos eleitorais e demais sanções relacionadas à legislação eleitoral ou partidária. As verbas também podem ser direcionados na compra ou locação de bens móveis e imóveis, construção de sedes e realização de reformas; e no pagamento pelo impulsionamento de conteúdos na internet, incluída a priorização em resultados de sites de pesquisa.

Doações

As doações para campanhas eleitorais são restritas às pessoas físicas. A lei atual estabelece que a doação seja feita por recibo assinado pelo doador, limitado a 10% dos rendimentos brutos desse doador referente ao ano anterior. Atualmente, é possível fazer as doações por cartão de crédito ou débito. Com a medida aprovada, parlamentares permitiram o uso de boleto bancário e débito em conta.

Propaganda partidária semestral

O texto aprovado pelos deputados prevê a volta da propaganda partidária semestral e exceções aos limites de gastos de campanhas eleitorais. A obrigação dessa veiculação em rede nacional e estadual foi extinta pela última reforma eleitoral em virtude da criação do fundo eleitoral. Em cada emissora, somente serão autorizadas inserções até que se alcance o limite diário de 12 minutos.

A medida estabelece que o partido com mais de 20 deputados federais eleitos terá 20 minutos de tempo, por semestre, para inserções nas redes nacionais e o mesmo tempo nas redes estaduais. A sigla que eleger de 10 a 19 deputados terá assegurado o tempo de 15 minutos a cada seis meses – tanto nas redes nacionais quanto estaduais. Já os partidos que tenham eleitos até nove deputados terão o tempo de 10 minutos assegurados (redes nacionais e estaduais – cada).

Participação feminina

O texto traz ainda uma mudança com relação à atividade de mulheres dentro de partidos políticos. A medida prevê que as siglas criem instituto com personalidade jurídica própria para gerir esses recursos destinados exclusivamente à participação feminina. Atualmente, a lei já determina que 5% do fundo partidário seja usado na promoção da participação das mulheres na política.

Repercussão negativa

Para a diretora de Operações da Organização Não Governamental Transparência Brasil, Juliana Sakai, a forma acelerada de tramitação e o próprio conteúdo do projeto de lei foram equivocados. Críticos ao texto aprovado se mobilizam para pressionar o presidente da República a vetar trechos da lei aprovada pelos congressistas.

”Deputados e senadores legislaram em causa própria. Eles definiram a regra do jogo de como eles vão jogar, como vão receber os recursos e aplicá-los e também como fiscalizar esses recursos. Houve um movimento forte para apressar e votar em regime de urgência, sem discutir com a sociedade. Foram apenas quatro horas de debates no plenário [da Câmara], não tramitou em nenhuma comissão e foi direto para o Senado”, aponta a diretora.

Para Juliana Sakai, o projeto aprovado pode gerar problemas para que Justiça Eleitoral fiscalize os recursos públicos do Fundo Partidário além de abrir brechas para caixa dois e lavagem de dinheiro.

”Isso é muito grave. O projeto permite, por exemplo, o pagamento de passagens para pessoas de fora do partido. Essas novas regras dificultam que a Justiça Eleitoral analise o uso de recursos ao diminuir o controle das contas dos partidos políticos”, explicou. ”Essa proposta é um ataque à transparência, são medidas que inviabilizam o controle social e surpreende que, em 2019, os parlamentares tenham a coragem de propor um texto desse nível”, completou.

Na avaliação de Juliana Sakai, o trecho do projeto que prevê novas regras para considerar um candidato inelegível é uma afronta à Lei da Ficha Limpa. O texto estabelece parâmetros para avaliar se um candidato está elegível para disputar as eleições. A definição caberá à Justiça Eleitoral que deve considerar a data da posse e não a data do registro da candidatura, embora a condição continue a ser aferida nesse momento. ”Isso está trazendo o caos para o sistema eleitoral ao viabilizar campanhas, que talvez não sejam deferidas, com dinheiro público que será gasto e candidatos que receberão votos e não serão eleitos”, disse.

Reação

Segundo senadores que fazem parte do grupo Muda, Senado (que tem 21 parlamentares), o texto final aprovado na Câmara “é uma absurda ofensa ao Senado, à democracia e à sociedade, que acompanha atônita a destruição da já combalida credibilidade da política como meio adequado para resolução de conflitos”.

O grupo considera a possibilidade de tomar medidas judiciais sobre o assunto, de forma a ”restabelecer o devido processo legislativo e assegurar que a democracia brasileira está acima de interesses pessoais e partidários”.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), classificou o texto aprovado na Câmara como um “retrocesso inimaginável”. Para a senadora, a sociedade tem que pressionar o presidente da República a vetar o projeto.

”É um retrocesso inimaginável numa câmara que teve 60% do seu quadro renovado. Quando a sociedade renovou a Câmara em 60%, eu imaginei que descalabros como esse, retrocessos como esse, no que se refere à transparência, publicidade do dinheiro público, a própria moralidade, não fosse mais acontecer no plenário da Câmara dos Deputados”, disse. “Cabe agora uma ampla manifestação da sociedade, um grito das ruas com pedido de veto ao senhor presidente da República para que nós, no Senado, possamos manter esses vetos”, completou.

Defesa

Já o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem feito uma defesa veemente da medida. O parlamentar tem ressaltado a importância do financiamento para garantir a participação de grupos diversos na política brasileira.

”Reafirmamos o que fizemos no outro processo em relação ao fundo. Se não tiver financiamento público, só vão financiar as campanhas quem tiver vinculado a um empresário rico. Se não tiver o fundo, é uma escolha, vamos ter só ricos ou ter gente ligado a políticos ricos”, afirmou Maia.

O deputado rebateu ainda a crítica de que a medida vai facilitar o caixa dois nas eleições. Para ele, o que pode impedir essa prática é mais fiscalização e punição.

”Não existem caminhos para facilitar o caixa dois. Os recursos eram contabilizados nos escritórios de advocacia, não tem caixa dois, está contabilizado, o que está contabilizado não é caixa dois. Você pode dizer que esse encaminhamento não é melhor, mas caixa dois não é. Ter limite ou não, não significa caixa dois. Nós precisamos é ter transparência, fiscalização firme e punição firme”, disse. Da Agência Brasil

Em jogo de pênaltis polêmicos, Bahia perde a invencibilidade contra o Corinthians

/ Esporte

Nino não consegue cortar e Clayson faz o segundo gol. Foto: Estadão

O Bahia voltou a perder no Brasileirão. Na noite de hoje (21), o tricolor foi superado pelo placar de 2×1 pelo Corinthians. Os gols do jogo foram marcados por Vagner Love e Clayson, com Gilberto descontando para o Esquadrão.

A partida ficou marcada por polêmicas da arbitragem. Um pênalti a favor do Bahia não foi marcado mesmo com auxílio do árbitro de vídeo aos 31 minutos do 1º tempo. Nove minutos depois, aos 40, pênalti a favor do Corinthians. Vagner Love bateu e converteu.

Aos 18 minutos do segundo tempo, a arbitragem marcou pênalti para o Bahia após falta de Gregore em Clayson. Gilberto marcou e empatou o jogo. Mas, aos 29 minutos da etapa final, Pedrinho lançou Clayson e o atacante conseguiu mandar a bola para as redes. Placar final: Corinthians 2×1 Bahia.

Com o resultado, o Bahia quebra uma sequência de nove jogos seguidos sem perder. O tricolor fica com 31 pontos e ocupa a 7ª colocação. A próxima partida será na quarta-feira (25), às 21h30, na Fonte Nova, contra o Botafogo.

Educação: Inscrições para processo seletivo de cursos técnicos do Ifba são prorrogadas

/ Educação

As inscrições para ingressar em um dos cursos técnicos do Instituto Federal da Bahia (Ifba) foram prorrogadas. Agora, ao invés desta sexta-feira (20), os interessados terão até a próxima sexta (27) para se inscrever no processo seletivo da instituição de ensino.

As inscrições custam R$ 35 e podem ser feitas no site do instituto (clique aqui). O pagamento do boleto pode ser feito até o dia 30 deste mês. Serão 5.594 vagas disponíveis, para 20 municípios baianos, em 36 cursos. Podem se inscrever estudantes que concluíram o ensino fundamental (para a forma integrada) ou o ensino médio (para a forma subsequente).

As provas, que envolverão conhecimentos de Língua Portuguesa, Matemática, História e Geografia, no caso do integrado, e Língua Portuguesa, Matemática e Atualidades, para o subsequente, já estão prontas e serão aplicadas no dia 24 de novembro, das 9h às 12h30. Os candidatos que desejarem solicitar atendimento diferenciado para o dia da prova, como intérprete de libras, sala de amamentação, de fácil acesso ou mais vazia, ledor ou transcritor, devem entregar o laudo ou relatório médico em uma unidade do IFBA, até a próxima segunda-feira (23). Mais informações pelo e-mail [email protected], nos telefones (71) 2102-0474 e (71) 2102-0470, e na página do processo.

Pedido de casamento debaixo d’água termina em tragédia; homem morre segurando bilhete

/ Mundo

Steven Weber e Kenesha Antoine iriam se casar. Foto: Reprodução

O que era para ser um momento de alergia para o casal Steven Weber e Kenesha Antoine, acabou em uma grande tragédia, após o rapaz se afogar em uma tentativa de fazer um pedido de casamento debaixo d’água. Steven e Kenesha estavam hospedados em uma cabana submersa no Manta Resort, perto da ilha de Pemba, na Tanzânia.

O pedido de casamento foi compartilhado pela moça em seu perfil nas redes sociais. Em um dos trechos mostra o rapaz segurando um bilhete contra a janela de vidro da cabine. ”Não consigo segurar a respiração por tempo o bastante para te dizer tudo que amo em você”, dizia um trecho do bilhete.

A morte de Weber foi confirmada por Antoine em seu perfil no Facebook. ”Não voltou mais das profundezas”, escreveu. Em entrevista à BBC, o Manta Resort afirmou que Weber ”se afogou tragicamente enquanto mergulhava sozinho fora da cabine subaquática”.

Luciano Huck intensifica articulação para ser candidato à presidência da República

/ Política

Luciano quer concorrer ao Planalto em 2018. Foto: TV Globo

O discurso oficial é o de que ele está imerso em uma jornada de busca por conhecimento, mas a expressão ”candidato a candidato” passou a ser vista como mais apropriada para o momento atual de Luciano Huck, 48. O empresário e apresentador da TV Globo, que esteve perto de concorrer ao Planalto em 2018, intensificou sua movimentação política nos últimos meses, em sinal de que a candidatura é uma vontade mais viva do que nunca. Aliados de Huck ouvidos pela Folha confirmam que ele ”está considerando” a possibilidade, embora a decisão concreta só deva vir mais tarde. Com a preparação, ele chegaria a 2022 com a ideia amadurecida, diferentemente do que ocorreu em 2018, quando acabou atropelado por acontecimentos e concluiu prescindir de uma estrutura sólida o suficiente para encarar uma batalha presidencial.

Gestos recentes, tanto de iniciativa dele quanto de atores externos, indicam estar em curso o surgimento de uma campanha para ocupar o espaço do centro na sucessão de Jair Bolsonaro (PSL), que já disse que deve tentar a reeleição. Huck desde 2017 se articula ancorado no seu engajamento em movimentos que pregam renovação política. Ele agora estabeleceu um ritmo acelerado de conversas com líderes políticos e partidários, entrevistas à imprensa, palestras em eventos para formadores de opinião e aparições públicas para debater temas urgentes, como a crise na Amazônia. A face política do apresentador do ”Caldeirão do Huck”, o programa das tardes de sábado que ele comanda na Globo há 19 anos, pode ser acompanhada nas redes sociais. Ele se define nos perfis como ”apresentador de TV e curioso”. Ali, diante de seus 48 milhões de seguidores, posicionamentos de tom mais sério dividem espaço com fotos da mulher, a apresentadora Angélica, junto com os três filhos, vídeos de sua atração na Globo e selfies com amigos como Neymar.

Nos bastidores, o caldeirão de Huck também ferve. Ele passou a aproveitar as muitas viagens para gravações (chega a visitar três estados por semana) para reuniões com governantes e influenciadores. Lei mais