Carro na contramão bate em uma van da banda Sampa Crew, deixa 1 morto e pelo menos 8 feridos

/ Trânsito

Van bateu de frente com um carro Fiat Uno. Foto: Reprodução

Um acidente envolvendo um carro e uma van da banda Sampa Crew deixou um morto e pelo menos 8 feridos na madrugada deste domingo (18) na Rodovia dos Bandeirantes, em São Paulo.

Segundo o Corpo de Bombeiros do estado paulista, o acidente ocorreu por volta das 3h30 na altura do km 28 da Bandeirantes, em Caieiras, no sentido SP capital. A Autoban, concessionária que administra a rodovia, informou que um carro, veio na contramão, e bateu de frente com a van da banda.

O vocalista da banda, João Carlos, conhecido como J. C. Sampa, estava na van e relatou que o carro, que tinha placa de Jarinu, veio na contramão e estava com as luzes apagadas. O motorista de 29 anos, que estava sozinho no veículo, morreu.

Dois feridos foram levados para o Hospital Sobam, em Jundiaí: um deles foi liberado e o outro, passava por exames por volta das 11h. Mais cinco vítimas foram socorridas ao Hospital Público São Vicente e estão estáveis, sem previsão de alta.

Um integrante da banda está internado no Hospital das Clínicas, na capital paulista. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia da cidade de Caieiras. O delegado titular pediu exame toxicológico da vítima fatal. Três faixas da rodovia foram bloqueadas após a colisão e liberadas às 6h20, quando os veículos envolvidos foram retirados para o acostamento.

Recôncavo baiano tem redução de 19,3% nos crimes contra a vida no 1º semestre, diz SSP

/ Bahia

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou, neste domingo (18), que o Recôncavo baiano, que engloba 12 cidades, teve redução 19,3% dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) neste primeiro semestre do ano em relação ao mesmo período de 2018.

Subcomandante da 27ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Cruz das Almas), capitão Dênis Ânderson de Almeida Barbosa disse que a vasta extensão territorial e a existência de uma imensa zona rural são duas grandes dificuldades para alcançar as metas estabelecidas. ”Isto facilita a fuga de criminosos”, explicou.

O capitão ressaltou especificamente a redução do crime no município de Cruz das Almas, que registrou, de janeiro a junho de 2018, 14 homicídios, anotando, no mesmo período de 2019, apenas dois. ”A população tem contribuído muito com a polícia, através de seguidas denúncias”, acrescentou.

Indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada seria nepotismo, diz Consultoria do Senado

/ Brasília

Indicação de Eduardo Bolsonaro gera polêmica. Foto: Agência Senado

A Consultoria Legislativa do Senado deu parecer enquadrando a provável indicação de deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) à embaixada do Brasil em Washington como um caso de nepotismo. As informações são do jornal O Globo. O parecer, assinado pelos consultores Renato Monteiro de Rezende e Tarciso Dal Maso Jardim, é de 13 de agosto. A Consultoria Legislativa produz as notas técnicas a pedido de senadores para respaldar suas decisões sobre projetos e indicações.

De acordo com a reportagem, o texto argumenta que o cargo de chefe de missão diplomática, a que Eduardo seria indicado, é um cargo comissionado comum. Nesse tipo de cargo, é vedado o nepotismo, por um decreto de 2010 e por uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de 2008.

”A proibição se estende a parentes até o terceiro grau, o que, obviamente, inclui filhos da autoridade nomeante, cujo vínculo de parentesco é o mais próximo possível”, diz o texto assinado pelos técnicos do Senado —os indicados às embaixadas brasileiras precisam ser aprovados pela Casa.

Os técnicos do Senado dizem ainda que ”o nepotismo e o filhotismo, como manifestações do patrimonialismo, são fenômenos observáveis desde os primeiros tempos da colonização do Brasil e que se estendem aos dias atuais.’

Caso o cargo de embaixador fosse meramente político, como o de ministro ou secretário, o parecer esclarece que poderia haver uma exceção à regra do nepotismo. Os cargos políticos mais próximos ao Poder Executivo não precisam obedecer à regra geral dos comissionados.