Ex-aliado, Roma chama ACM Neto de ”genérico do PT” e prevê eleição vertical na Bahia

/ Política

Ex-ministro é pré-candidato ao Governo da Bahia. Foto: Estadão

O pré-candidato a governador João Roma (PL) afirmou nesta segunda-feira (11), que as eleições serão ”verticalizadas” e chamou ACM Neto (União Brasil), seu ex-aliado, de ”genérico do PT”. Para Roma, em um cenário nacional polarizado entre Jair Bolsonaro (PL) e Lula (PT), a candidatura de Neto ao governo pode ser prejudicada por não se alinhar a nenhum dos dois projetos.

Neto já negou ser “adversário de Lula”. Pré-candidato ao Senado na sua chapa, o vice-governador João Leão (PP) previu que ”muita gente vai votar em ACM Neto e Lula”.

”Ele [ACM Neto] diz que não necessariamente Lula era um projeto antagônico dele. E que, se Lula estimulasse Geraldo Alckmin a ir para o União Brasil, ele poderia estar nesse projeto. Esse posicionamento não vai colar para a população”, disse Roma, em entrevista ao apresentador José Eduardo, durante transmissão no Instagram. ”Esse tipo de posicionamento de agradar todo mundo para se dar bem vai custar muito caro no processo eleitoral”, previu o ex-ministro da Cidadania, ao ser questionado sobre o rótulo atribuído ao ex-aliado.

Roma afirmou que Bolsonaro e Lula de ”placas tectônicas” que irão se chocar – o primeiro deles, de acordo com Roma, com realizações pela Bahia e o segundo, com um forte ”recall” no estado. O ex-ministro também refutou a ideia de uma terceira via e se definiu como a ”verdadeira oposição” ao governo do PT.

”Ele [ACM Neto] não se define. Terceira via comigo, não. Eu represento a verdadeira oposição ao governo da Bahia e uma candidatura sintonizada com a reeleição do presidente Bolsonaro”, apontou Roma.*A Tarde

Adolfo Viana desiste da disputa pela candidatura a vice-governador na chapa de ACM Neto

/ Política

Adolfo Viana será candidato a deputado. Foto: Agência Câmara

Elogiado pelo prefeito de Salvador, Bruno Reis (União Brasil), na semana passada, o presidente estadual do PSDB, deputado federal Adolfo Viana (PSDB) está fora da disputa pela vaga de vice-governador na chapa do ex-prefeito ACM Neto. Foi o próprio parlamentar que confirmou, via assessoria, a candidatura para renovar a cadeira no Congresso Nacional.

”Fiquei lisonjeado com a indicação do meu nome e com todas as manifestações de apoio que recebi, mas continuo como pré-candidato a deputado federal”, comentou Adolfo Viana, que é o líder do partido no Legislativo. O tucano ainda reafirmou o apoio à pré-candidatura do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União Brasil). ”Vou seguir com a mesma intensidade de trabalho. Quero ajudar o grupo a formar a melhor chapa e vencer as eleições”, destacou.

Como o prefeito de Mata de São João, João Gualberto, também não participará da chapa majoritária, pois não há mais prazo para ele sair da gestão municipal visando as eleições, a candidatura a vice deve ficar com o PDT ou o Republicanos, caso não haja surpresa.

Os pedetistas apresentam o nome do seu presidente estadual, e também deputado federal, Felix Mendonça Júnior.  Já no Republicanos, o presidente estadual e deputado federal, Márcio Marinho, é um dos cotados, junto com o deputado federal e ex-presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo.

Ainda sem vice definido, ACM cozinha em banho-maria os aliados, para escolher um nome

/ Política

ACM usa cota de amigo para segurar definição da vice. Foto: Divulgação

Quem ocupará a cadeira de vice na chapa de ACM Neto ao governo da Bahia? Para os eleitores, essa resposta pode não ser tão importante, mas a classe política debate e especula intensamente qual será a estratégia do ex-prefeito da capital baiana. Mesmo encerrada a janela partidária, ACM Neto não joga contra as cordas e cozinha em banho-maria os aliados, enquanto aguarda a poeira baixar após idas e vindas no grupo dele e também do lado adversário.

Do lado de Jerônimo Rodrigues (PT), sacar Geraldo Jr. (MDB) do núcleo de apoio a Bruno Reis foi um contragolpe simbólico relevante, no contexto em que o candidato do União Brasil levou João Leão e o PP para a oposição. No entanto, a chapa não contemplou, por exemplo, mulheres e foi imposta a alianças mais antigas, como PCdoB e PSB. Para a sorte dos governistas, as duas legendas não têm musculatura suficiente para questionar radicalmente. No máximo falar com a imprensa em tom de muxoxo, algo facilmente superável nas relações.

Já ACM Neto deixa em aberto quem ocupará essa vaga ao seu lado. O abandono de Félix Mendonça Jr. (PDT) de estar no páreo não fez vida fácil para Republicanos e PSDB, as duas principais legendas na disputa. O PSDB foi obrigado a substituir o nome apresentado até então, após perceber o risco que seria a renúncia de João Gualberto da prefeitura de Mata de São João e o potencial não aproveitamento dele como vice. Apareceu o nome de Adolfo Viana, que não tende a ser viável politicamente, mas demarca posição.

O Republicanos deu um exemplo de lealdade ao projeto do ex-prefeito de Salvador após optar por não dar legenda a João Roma, o candidato de Jair Bolsonaro ao governo, que se viu obrigado a se filiar ao PL para disputar o pleito. Em outra sinalização, recebeu Marcelo Nilo como um potencial nome, depois que ele trocou de lado. Ou seja, contempla os interesses do grupo coordenado por ACM Neto. Com o adicional de um acordo nacional, que teria assegurado a cadeira para a sigla.

Porém, ao ser questionado sobre a vice, o secretário-geral do União Brasil sempre opta por tangenciar. Como já foi escrito e dito, o histórico dele em 2012 (alguém lembra de Célia Sacramento?) mostra que a possibilidade de uma surpresa não é completamente descartada. A partir desse fator ACM Neto tenta percorrer as cordas sem se comprometer com aliados. Tanto que, durante a semana passada, até o nome da vereadora Cris Correia (PSDB) surgiu como uma opção. Imagina se o ex-prefeito escolhe uma mulher negra para a vaga?

*por Fernando Duarte / Bahia Notícias

 

Vice de Jerônimo, Geraldo Jr. diz que se arrepende por ter demorado a mudar de lado

/ Política

Jerônimo e Geraldo foram chapa governista. Foto: Divulgação

O presidente da Câmara Municipal de Salvador, Geraldo Jr. (MDB), lamentou neste sábado (2) ter demorado a mudar de lado na política baiana. O vereador, que antes integrava a base de apoio do prefeito Bruno Reis (UB) e do pré-candidato ao governo ACM Neto (UB), protagonizou uma grande reviravolta no fim de março e se lançou a vice-governador na chapa de Jerônimo Rodrigues (PT).

”Meu arrependimento é ter demorado a fazer parte deste grupo vitorioso e trabalhador”, declarou Geraldo, no evento em que a aliança governista discutiu seu ”Plano de Governo Participativo” (PGP) em Seabra, na Chapada Diamantina.

De acordo com o PT, o evento em Seabra reuniu cerca de 300 lideranças políticas da Chapada na noite deste sábado, como os prefeitos de Andaraí, Ibicoara, Boninal, Nova Redenção, Lençóis, Souto Soares, Seabra, Piritiba, Novo Horizonte, Ibitiara, Palmeira e Bonito.

”Neste momento, onde o governador Rui Costa liberou o uso de máscaras em locais públicos, há o debate sobre o retorno das festas populares, uma tradição do nosso Nordeste. E Seabra tem um São João incrível. As manifestações culturais nordestinas terão o apoio do futuro governo da Bahia. E quero afirmar que estamos aqui para escutar a população de Seabra na elaboração do Programa de Governo Participativo (PGP) neste início de jornada rumo à vitória do povo baiano no dia 2 de outubro”, afirmou Geraldo Jr.

Também presente no evento, o senador Otto Alencar (PSD) disse que Rui Costa (PT) governou a Bahia nos últimos anos tendo o governo federal como adversário. Para ele, Jair Bolsonaro (PL) atuou contra o estado desde que assumiu a presidência da República e, com uma possível vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em outubro, a Chapada poderia ganhar uma universidade federal.

”Quando o governo federal discrimina o estado na área da educação, merece o repúdio dos baianos. Haveremos, com a fé que tenho e com a força do povo da Bahia, de voltarmos a colocar no Palácio do Planalto Lula para governar e trazer a universidade da Chapada para atender as pessoas jovens que precisam de educação gratuita e de boa qualidade. E vamos fazer essa sintonia com o governador aliado do presidente Lula, que será Jerônimo Rodrigues. Será Geraldo [Alckmin] lá e Geraldo [Jr.] cá, para ajudar Jerônimo na Bahia”, disse.

”Ação no STF contra eleição na Câmara é ato de ACM”, diz Aleluia, que chama Neto de ”ditador”

/ Política

Aleluia ataca ACM Neto. Foto: Matheus Morais/bahia.ba

O vereador Alexandre Aleluia (PL) acusou o pré-candidato ao governo do estado, ACM Neto (UB), de ser o responsável pela ação no STF, impetrada pelo União Brasil, que solicita o cancelamento da eleição para a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Salvador. ”É um ditador mirim que não aceita a derrota e por isso aciona o STF numa ação infantil”, declarou Aleluia.

Segundo o parlamentar, ”ACM Neto nunca será igual ao avô, aqueles que convivem com ele sabem que ele é narcisista e não admite autonomia na política”. Para Aleluia, a ação não vai longe no STF, pois foi uma ”eleição limpa”.

”Fico com pena daqueles que são submetidos a todo o tipo de humilhação para ficarem ao lado de ACM Neto, fico sem entender esse tipo de tratamento. Aqueles que aderiram ao projeto dele não sabe o que os aguardam”, disse Aleluia. As informações são do bahia.ba

PSB indica Geraldo Alckmin para ser vice na chapa com Lula para eleições presidenciais 2022

/ Política

Carlos Siqueira, Alckmin, Lula e Gleisi Hoffmann. Foto: Estadão

O PSB oficializou, na manhã desta sexta-feira (8), a indicação do nome do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin como vice-presidente na chapa de Lula (PT) nas eleições presidenciais de 2022. O evento ocorreu em um hotel na Zona Sul de São Paulo.

”Não temos qualquer dúvida de que é o companheiro Lula quem reúne as melhores condições para articular forças políticas amplas, capazes de dar à resistência democrática a envergadura que permitirá enfrentar e vencer o bolsonarismo”, diz trecho da carta entregue pelo PSB ao PT.

Alckmin falou durante o evento. ”Aqui foi bem explicitado o momento grave que nós estamos vivendo, na realidade não é hora de terrorismo, é hora de generosidade, grandeza política, desprendimento e união. Política não é uma área de solitária, a força da política é centrípeta, nós vamos somar esforços aí pra reconstrução do nosso país”, disse.

Logo depois, Lula confirmou que o PSB participará do processo para formular o plano de governo. ”Importante saber que essa chapa, se ela for formalizada, não é só para disputar as eleições. Talvez ganhar as eleições seja mais fácil do que a tarefa de que teremos pela frente de recuperar esse país”, afirmou o pré-candidato petista.

O PT começa a discutir a aliança formal entre Lula e Alckmin na próxima reunião virtual do Diretório Nacional, marcada para 14 de abril.

Porém, a formalização da aliança para efeitos estatutário e de registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve ocorrer apenas em 4 e 5 de junho, quando está marcado o Encontro Nacional da sigla. Nessa data, o PT também vai ratificar as alianças do partido nos Estados, segundo a assessoria da legenda. Com informações do G1

Rui critica políticos profissionais: ”depois de 2 ou 3 mandatos de deputado estão cheios de fazendas”

/ Política

”Realmente não sou da política deles”, disse Rui. Foto: BMFrahm

O governador Rui Costa (PT), em agenda em Araci nesta quinta-feira (7), disse que não está na política para ganhar dinheiro que, inclusive, sacrifica materialmente sua família com o salário líquido de pouco mais de R$ 16 mil e mirou artilharia nos ”políticos profissionais”. ”Realmente não sou da política deles não, não gosto da política deles, a política de quem entra e, depois de dois ou três mandatos de deputado, está cheio de fazenda, cheio de casa de praia. Eu não sou dessa política”, disse o governador em resposta a quem diz que ele não teria vocação para a política.

O governador disse que abre mão de estar em outras funções, nas quais ganharia mais, e que a escolha por ser governador traz prejuízos à família. ”Minha família é sacrificada em tempo e até em condições materiais porque, com a minha capacidade, sem nenhuma falsa modéstia, eu poderia estar ganhando em outro lugar muito mais do que eu ganho”, disse o governador, que revelou receber R$ 16 mil líquidos. Ele disse que não aprovou proposta para aumentar o próprio salário ”porque não fui lá [ao cargo de governador] para ganhar dinheiro”.

Na Bahia, João Doria acena para ACM como candidato ao Governo; ”Nossa posição é muito clara”

/ Política

”Todos nós temos um lado bom e ruim”, diz Doria. Foto: Divulgação

Após polêmica com ACM Neto, o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), acenou, em entrevista à rádio Piatã FM na manhã desta sexta-feira (8), ao ex-prefeito de Salvador e o prefeito Bruno Reis, ambos do União Brasil.

”A cidade de Salvador está limpa, organizada e bem zelada. Quem visita Salvador sai encantado com a cidade, desde quando Neto ocupava a gestão”, disse.

”Nossa posição é muito clara: ACM Neto, governador da Bahia, é uma posição irretocável de alguém que tem sangue da Bahia e parte da sua alma aqui”.

Para o pré-candidato à presidência da República, ”é um privilégio ter ACM Neto como candidato ao governo e, aos soteropolitanos, ter Bruno Reis como prefeito”.

Lula e Alckmin fecham chapa para as eleições e anúncio será feito nesta sexta, em São Paulo

/ Política

Geraldo Alckmin e Lula formarão chapa. Foto: Ricardo Stuckert

Depois de um intenso namoro, a chapa Lula-Alckmin finalmente deve ser anunciada. Fontes próximas ao ex-presidente Lula, ouvidas pela reportagemindicam que todos os acertos foram feitos, restando agora apenas o anúncio que acontecerá nesta sexta-feira (8), em São Paulo.

Lula é o pré-candidato do PT à Presidência da República, enquanto Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo, se filiou ao PSB para ocupar o cargo de vice. Em 2006, os dois se enfrentaram na corrida ao Palácio do Planalto. Na ocasião, Lula tentava (e conseguiu) a reeleição, após um debate intenso com o então tucano.

Nas pesquisas eleitorais, a chapa Lula-Alckimin tem liderado as pesquisas, seguida do atual presidente Jair Bolsonaro (PL), que ainda não definiu o nome do seu vice.

Ex-presidente Lula indica que terá Rui Costa como ministro, caso vença eleições 2022

/ Política

Lula indica que terá Rui Costa como ministro. Foto: Rede social

Evitando ter um governo ”requentado”, em caso de vitória nas eleições do final do ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem sinalizado que quer aproveitar ex-governadores no Ministério, como Rui Costa – que terá deixado a administração da Bahia –, Flávio Dino (PSB), Wellington Dias e Renan Filho, além do próprio Alckmin.

Segundo a colunista do Estado de São Paulo, Vera Rosa, diante de sinais enviesados sobre como seria a política econômica pós-Jair Bolsonaro, Lula também tem conversado sobre os futuros minstérios com empresários e banqueiros a portas fechadas. Tendo Alckmin como vice, o ex-governador de São Paulo não seria um vice decorativo. *Nota do site Bahia Notícias

Do PP, prefeito de Marcionílio Souza não segue Leão e declara apoio a Jerônimo Rodrigues

/ Política

Prefeito Corró. Foto: Reprodução/ Instagram prefeito Corró

Mais um prefeito do PP decidiu não seguir o vice-governador, João Leão, e permancer na base do governo, apoiando a pré-candidatura do petista Jerônimo Rodrigues ao governo da Bahia. Trata-se de Corró, chefe do Executivo da cidade de Marcionílio Souza.

Durante a visita do governador Rui Costa (PT) à cidade de Brejões, no último sábado (2), Corró agradeceu os investimentos feitos pelo governo na cidade de Marcionílio Souza e declarou apoio a Rodrigues.

”Quero aqui expressar minha intenção de dizer ao governador que pode contar comigo. Estou com Jerônimo e Rui nessa caminhada. Quero agradecer a ele pelos investimentos que tem feito em meu município”, disse o prefeito em vídeo postado nas redes sociais.

Prefeito de Itapetinga não descarta deixar MDB após apoio ao PT: ”tomaremos uma decisão”

/ Política

Rodrigo pretende ouvir militantes do partido. Foto: Rede social

O prefeito da cidade de Itapetinga, Rodrigo Hagge, não descarta sair do MDB após o apoio do partido à pré-candidatura de Jerônimo Rodrigues (PT) ao governo da Bahia. A legenda indicou o presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Geraldo Jr., para ocupar a vice na chapa encabeçada pelo petista.

Ao site bahia.ba, Hagge afirma que pretende reunir a militância do MDB em Itapetinga para depois tomar uma decisão sobre seu futuro partidário. ”Nossa militância foi construída aqui contra o PT. Meu avô, Michel Hagge, é um dos quadros mais antigos do MDB, ele tem 94 anos. Vamos conversar com nossa militância, que reagiu ma a esse apoio do partido ao PT. Só depois de termos essa conversa, tomaremos uma decisão definitiva”, ressalta o emedebista.

Vereadora Jamile Queiroz comemora investimentos do Governo do Estado em Brejões

/ Política

Jamile Queiroz destaca convênios assinados por Rui. Foto: BMFrahm

Os investimentos anunciados pelo governador Rui Costa (PT) na cidade de Brejões no sábado (2) foram considerados fundamentais pela vereadora Jamile Queiroz (PT) para o desenvolvimento do Município.

”Graças a Deus, foram anunciados vários convênios importantes, como o da Ladeira da Horta, que a gente vem pleiteando há muito tempo, além da revitalização da Praça do distrito Serrana e ficamos felizes também pelo fato do governador ter assinado outro convênio para investimentos no Esporte na região do Alecrim e tudo isso vai resultar em desenvolvimento”, destacou a jovem parlamentar, que exercer o primeiro mandato em Brejões.

Do PP, prefeito médico de Itamari diz ter compromisso com Zé Cocá, mas que apoiará Jerônimo ao Governo

/ Política

Dr.Tom diz que apoiará Jerônimo Rodrigues. Foto: BMFrahm

O prefeito de Itamari, Dr.Tom, não deve seguir a decisão política do seu partido na Bahia e marchará com o candidato do PT ao Governo. Pelo menos é o que garante o gestor, que tem marcado presença em eventos com o governador Rui Costa nas visitas de Rui ao Médio Rio de Contas e Vale do Jiquiriçá.

No sábado (2), em Brejões, após deixar o palanque de Rui em Brejões o gestor foi indagado pelo Blog Marcos Frahm sobre o seu posicionamento político depois da ruptura do PP com o PT e o mesmo não titubiou para falar que apoiará a candidatura de Jerônimo Rodrigues: ”O nosso posicionamento político é de apoio ao Governo, pois entendemos que a Bahia avançou muito com Rui Costa e o seu grupo político e a gente deve continuar, apesar de fazer parte do partido Progressista. Nós seguimos com a relação com o deputado federal Ronaldo Calertto e nós temos uma grande amizade, um compromisso com nosso deputado emérito Zé Cocá, como nós acostumamos a chamá-lo e assim será a nossa caminhada política”, garantiu o prefeito médico Tom, que deve apoiar candidatos a deputados indicados por Carleto, cotado para vaga de suplente de senador pelo PP na chapa de oposição e pelo presidente da UBP, que lançará como pré-candidato a Assmbleia Legislativa o secretário de Governo da Prefeitura de Jequié, Hassan Iossef, pelo PP, este que inclusive já se afastou do cargo na Cidade Sol.