Pesquisa BTG/FSB: Lula tem 45% da intenções de voto e Jair Messias Bolsonaro soma 34%

/ Política

Lula e Bolsonaro disputam presidência da República. Foto: Reprodução

Uma pesquisa do Instituto FSB, encomendada pelo banco BTG Pactual, para presidente da República aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 45% das intenções de voto. Lula é seguido por Jair Bolsonaro (PL), que soma 34%. O levantamento foi divulgado nesta segunda-feira (15).

Se comparado com a pesquisa anterior, divulgada em 8 de agosto, Lula subiu quatro pontos percentuais, já que tinha 41%. No mesmo período, Bolsonaro continuou com 34%. Na terceira posição, Ciro Gomes (PDT) aparece com 8% e Simone Tebet (MDB) registrou 2%. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos somaram 1% e outros 2% não souberam ou não responderam, e 5% declararam não votar em nenhum dos candidatos apresentados.

A pesquisa também testou a força de Lula e Bolsonaro em um eventual segundo turno. O ex-presidente venceria o atual por 53% a 38%. Lula também venceria Ciro por 50% a 29% e Simone Tebet por 54% a 26%. Já em um cenário contra Bolsonaro, Ciro Gomes bateria por 47% a 39%. Caso a disputa fosse entre Bolsonaro e Simone Tebet, haveria empate técnico: 42% a 40% para o atual presidente.

A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 14 de agosto, com 2 mil eleitores, intervalo de confiança de 95%, margem de erro de 2 pp e está registrada no TSE sob o número BR-00603/2022. *Bahia Notícias

Campanha de Jerônimo Rodrigues reúne prefeitos dos 27 territórios da Bahia para gravar apoio

/ Política

Otto, Rogério, Jerônimo, Rui Costa e Geraldo Jr. Foto: Divulgação

O candidato a governador pelo PT, Jerônimo Rodrigues, se reúne neste sábado (13) com 34 prefeitos e prefeitas em Salvador. Os gestores vieram para a capital baiana para um encontro com o candidato e para participar de gravações da campanha. Também participaram do encontro o governador Rui Costa (PT), o senador Otto Alencar (PSD), candidato à reeleição para o Senado, e o candidato a vice-governador, Geraldo Júnior (MDB).

”É a partir dessa união com os prefeitos e as prefeitas que temos conseguido superar momentos difíceis como o da pandemia da Covid-19 e gerar oportunidades de emprego e renda na área da saúde e educação. A parceria entre o Estado e os municípios é muito importante para assegurarmos a melhoria da qualidade de vida dos baianos e baianos”, declarou Jerônimo Rodrigues.

Além dos prefeitos e prefeitas, presidentes de Consórcios Municipais de Saúde e Infraestrutura dos 27 Territórios de Identidade da Bahia, participaram da reunião partidos que compõem a base e legendas de oposição ao governo Rui Costa, como Progressistas, Republicanos, PL e PSDB.

Segundo a campanha de Jerônimo Rodrigues estiveram no evento os prefeitos de Acajutiba, Amélia Rodrigues, Andorinha, Anguera, Araci, Banzaê, Cachoeira, Cardeal da Silva, Castro Alves, Chorrochó, Conceição da Feira, Coração de Maria, Dom Basílio, Dom Macedo Costa e Euclides da Cunha.

ACM Neto promete ampliar ações para juventude caso se eleja o governador da Bahia

/ Política

ACM fala na juventude durante campanha. Foto: Ascom/UB

O candidato a governador pelo União Brasil, ACM Neto, prometeu ampliar ações para a juventude caso seja eleito em outubro. ”A Bahia precisa de um governador que olhe para a nossa juventude, que invista nos nossos jovens, que dê educação de qualidade, que qualifique os nossos jovens para o mercado de trabalho”, afirmou o ex-prefeito de Salvador em Itamira.

Durante o evento no distrito pertencente à cidade de Aporá, o postulante ao Palácio de Ondina defendeu a criação de empregos para o s mais novos. ”Hoje, a Bahia ocupa essa vergonhosa posição de campeã nacional de desemprego’, destacou o candidato. Na última semana, dados do IBGE mostraram que a Bahia também ocupa o primeiro lugar do país em número de pessoas fora do mercado de trabalho.

ACM Neto ressaltou que ”infelizmente a gente enxerga a marca de 16 anos desse governo que está aí. Um governo que já teve muitas oportunidades e o legado que deixam está aí. Altos índices de violência, a dificuldade de atendimento na saúde pública”.

Segundo o candidato do UB, a Bahia é desde 2011 o estado com o maior número de mortes violentas de todo o país, citando dados do Anuário da Segurança Pública. Além disso, ocupa a última posição na qualidade do ensino público, segundo a avaliação do IDEB. Em Aporá, ACM Neto estava acompanhado dos candidatos a vice-governadora, Ana Coelho (Republicanos), e ao Senado, Cacá Leão (PP).

Preparado

Sobre sua trajetória política, ACM Neto falou que sempre entregou o melhor de si nos cargos que exerceu. ”Eu não estou aparecendo aqui por acaso. Eu não sou um produto ou resultado da vontade de um partido que procurou, não encontrou, e acabou tendo que escolher quem sobrou. Não. Eu quero muito ser governador e eu lutei e me preparei a vida inteira para governar o estado da Bahia”, afirmou.

Segundo o ex-prefeito, ”se os baianos confiarem em mim, eu vou entregar a minha vida, eu vou lutar todos os dias para oferecer ao nosso povo o melhor governo de todo o Brasil”, acrescentou o ex-prefeito de Salvador. Com a agenda deste final de semana, o candidato soma 219 cidades percorridas desde o início de 2021, quando o candidato começou o movimento Pela Bahia.

Região Sudeste deve polarizar disputa Lula x Bolsonaro pela presidência da República

/ Política

A campanha eleitoral começa oficialmente nesta terça-feira (16) tendo, na sucessão presidencial, a região Sudeste como principal palco da disputa. Segundo o colunista Igor Gadelha, do site Metrópoles, a cúpula da campanha do ex-presidente e líder das pesquisas, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), tem na região o foco principal para elevar as intenções de votos em 3%. Correndo por fora na corrida eleitoral, Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) também devem reforça a presença no sudeste.

Pelo lado bolsonarista, que tem pontuado na segunda colocação, há um entendimento de que dificilmente a dianteira adversária será revertida no Nordeste. A aposta é na participação maior do Sudeste no total de eleitores do país (42% apenas em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, contra 27% dos nove estados nordestinos).

A campanha aconselhoru Lula a focar suas agendas nos quatro estados da região Sudeste (os três maiores e o Espírito Santo) e no Rio Grande do Sul, onde ele têm maior rejeição. O primeiro comício de Lula deve ser em Belo Horizonte, na quinta-feira (18). Dois dias depois, ele fará outro evento desse tipo no Vale do Anhangabaú, na capital paulista.

Recuperar eleitores

A jornada eleitoral de Bolsonaro deve começar em Juiz de Fora (MG), onde aconteceu o episódio da facada em 2018. O QG da reeleição deve focar na recuperação de eleitores que garantiram a vitória em 2018 mas agora tendem a migrar para outros nomes. ”É mais fácil recuperar quem já votou do que conquistar quem nunca votou, e vamos focar em três estados: São Paulo, Rio e Minas Gerais”, disse, a O Globo, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP).

Internamente, os auxiliares de Jair Bolsonaro buscam orientá-lo a não atacar os adversários, mas isso pode mudar a depender do tom da campanha. No conteúdo, a estratégia apostará nas políticas públicas que deram resultado na ponta, como o Auxílio Brasil, e a comparação entre governos, buscando reavivar o anti-petismo. Com informações do iG

Rui revela surpresa com patrimônio dos candidatos ao governo da Bahia: Só tem milionário

/ Política

Rui Costa e Jerônimo durante o Papo Correria. Foto: Rede social

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), declarou estar surpreso com os valores revelados nas declarações de bens dos candidatos na campanha ao governo do Estado. Sem citar nomes, Rui disse que ”só tem milionário”. De acordo com declarações de bens junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (UB) é o candidato ao governo da Bahia mais abastado, com uma fortuna calculada em mais de R$ 41,7 milhões. Em seguida aparece João Roma (PL), que declarou um patrimônio de mais de R$5,56 milhões.

”Eu estou surpreso com as fortunas reveladas nas declarações de bens na campanha. Só tem gente milionária. E como o patrimônio cresce rapidamente dessas pessoas, né? Eu fico impressionado. É tudo fêmea, não tem dinheiro macho, é só fêmea… É uma reprodução gigantesca”, alfinetou o governador durante o Papo Correria desta quinta-feira (11).

O governador refletiu ainda sobre o perfil de quem governa. Segundo ele, ”só entende as necessidades do povo mais necessitado quem veio de baixo, como Jerônimo Rodrigues”.

”Minha mãe repetia todos os dias: a cabeça do ser humano pensa e toma decisões de acordo dos lugares onde seus pés pisaram. Quem sempre pisou em tapete de luxo, em mármore, quem é milionário, não vai pensar assim como a gente pensa. Essa cabeça de gente rica, milionária, não sabe como é a vida do povo na hora de tomar decisões, na hora de fazer as coisa. Isso que influencia a cabeça do ser humano. É a história de vida que ela tem, por onde ela passou.. é por isso que o Lula está na história do Brasil como o melhor presidente da república, porque ele sentiu a vida inteira e sabe qual a dificuldade do povo mais simples e do que o povo precisa, assim como Jerônimo vai entender as difuldades do nosso povo quando governar”.

ACM Neto promete ampliar acesso à água para agricultura familiar no interior da Bahia

/ Política

ACM e aliados em em Abaré, no Norte da Bahia. Foto: Divulgação

O candidato a governador ACM Neto (União) afirmou, nesta quinta-feira (11) em Abaré, no Norte da Bahia, que a assistência técnica e de água ofertada pelo atual governo do estado aos produtores rurais se encontra apenas nas peças de propaganda.

O ex-prefeito de Salvador disse ainda que os agricultores de toda a Bahia, especialmente os da região Norte, na parte do Semiárido, querem trabalhar e sair da situação de pobreza, mas não encontram qualquer suporte do governo para isso.

”Esses que estão no poder há 16 anos dizem muito que são defensores do homem do campo e da agricultura familiar. No entanto, acabaram com a assistência técnica para o pequeno produtor rural. Não existe mais suporte em todo o estado da Bahia. Da mesma forma, o pequeno produtor não tem acesso às linhas de financiamento, sofre com a situação das estradas vicinais, que estão aí esquecidas, e não tem acesso decente a máquinas e implementos agrícolas que facilitem o seu trabalho e a sua produção”, afirmou.

Ao lado da candidata a vice-governadora Ana Coelho (Republicanos) e do candidato ao Senado Cacá Leão (PP), ACM Neto visitou ainda o município de Macururé, também no Norte da Bahia.

”A verdade é que, após 16 anos, esse governo do estado que está aí não vai deixar nenhuma marca importante na criação de barragens, adutoras, canais e projetos de irrigação. Porque está tudo lá, na propaganda e no discurso. Não acontece nada na prática”, criticou.

O candidato ainda se comprometeu a levar o acesso à água para a agricultura familiar e disse que, se eleito, vai comandar um governo de aproximação com as regiões mais distantes da capital.

”Não existe atividade econômica. As pessoas querem trabalhar, mas não encontram meios para isso. Estamos aqui para devolver a esperança de quem vive na região. Porque, se Deus me permitir, vamos chegar ao governo do estado e vamos resgatar os investimentos em recursos hídricos. Vamos levar água para a agricultura familiar, para o homem do campo ter o seu trabalho de volta”, afirmou ACM Neto.

Presidente Jair Bolsonaro ironiza ato pró-democracia e ataca Lula e signatários de carta

/ Política

Bolsonaro critica manifestação. Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a chamar o manifesto pela democracia lido nesta quinta-feira (11) de ”cartinha” e retomou os ataques ao ex-presidente Lula (PT) e aos demais signatários do texto.

O mandatário disse que a carta não servirá de ”passaporte de bom moço” e criticou artistas que assinaram o manifesto. A estratégia do entorno do presidente para fazer frente às adesões aos textos pró-democracia é dobrar a aposta nos atos bolsonaristas previstos para o 7 de Setembro.

A expectativa é conseguir no Dia da Independência uma forte adesão de apoiadores nas ruas e, dessa forma, mostrar força por parte do mandatário. Bolsonaro e aliados intensificaram na última semana as convocações para as manifestações do feriado. ”A Carta da Democracia é a Constituição. Qualquer outra é redundante”, disse o ministro Ciro Nogueira (Casa Civil) à reportagem.

Aliados do presidente sabem que o saldo do dia é negativo para o mandatário, mas a avaliação é a de que os eventos desta quinta não têm efeito eleitoral. Eles dizem que os atos dialogam em boa parte com um público que já não votaria em Bolsonaro e que deve apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Dão como exemplo a presença de movimentos sociais e entidades sindicais nas manifestações desta quinta. Um dos principais argumentos para tachar a carta pró-democracia de movimento de esquerda é o fato de o próprio Lula ter assinado o documento. Ele não foi o único presidenciável ou ex-presidente a assinar. A senadora Simone Tebet (MDB-MS) e Ciro Gomes (PDT) também endossaram o texto.

Em sua live semanal nas redes sociais, Bolsonaro lembrou que a CUT (Central Única dos Trabalhadores), aliada do PT subscreveu o texto. O presidente disse que a entidade ”está com saudade” do imposto sindical obrigatório. Sobre o apoio de artistas ao ato, afirmou eles estão interessados no retorno da Lei Rouanet como funcionava antes de seu governo.

”Não tenho prova disso, mas com toda certeza acertaram com o cara deles a volta Lei Rouanet da forma que sempre existiu. No nosso governo, botamos freio nisso. Até 2018 esses figurões que viviam elogiando o governo da época podiam pegar até R$ 10 milhões por ano.”

Com um exemplar da Constituição na mão, o mandatário afirmou ser contraditório os petistas subscreverem a carta deste ano enquanto se negaram a assinar a Carta de 1988, que até hoje baliza as leis do país e consolidou a democracia no Brasil. ”Já que o símbolo máximo do PT assinou a carta juntamente com sua jovem esposa, eu pergunto: o PT assinou a Carta de 88? O PT assinou a Constituição de 88? E o pessoal faz onda agora sobre carta à democracia para tentar atingir a mim”, declarou.

A afirmação de Bolsonaro, porém, é distorcida. Na Assembleia Nacional Constituinte, o PT votou contra a redação final da Constituição, mas, depois de aprovada, foi um dos signatários da promulgação do texto. Bolsonaro também questionou onde estavam os autores da carta pela democracia deste ano na época da pandemia da Covid-19 e disse que decretos de governadores e prefeitos feriram diversos dispositivos constitucionais.

Esta é uma declaração recorrente do presidente. No entanto, ele ignorou o fato de que o consenso científico do mundo todo afirmava na época que a redução de circulação de pessoas nas ruas era a única solução para conter o avanço do novo coronavírus, que já matou mais de 680 mil brasileiros. Na live transmitida nas redes sociais, o chefe do Executivo também afirmou que o que interessa é o respeito à Constituição, e não assinar carta pela democracia.

*por Matheus Teixeira/Julia Chaib/Marianna Holanda/Folhapress

Em volta às origens, ex-presidente Lula vai começar campanha em fábrica na zona sul de SP

/ Política

Lula vai oficializar campanha. Foto: Bruno Santos/Folhapress/Arquivo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decidiu inaugurar sua campanha eleitoral com ato na porta da fábrica MWM Motores e Geradores, no bairro de Jurubatuba, na zona sul de São Paulo.

O evento está previsto para as 7h de terça-feira (16), dia em que os candidatos podem começar a pedir votos publicamente.

A MWM conta com forte influência da Força Sindical, que tem em Paulinho da Força (Solidariedade) um de seus principais líderes. O deputado e seu partido declararam apoio ao petista nas eleições.

”É uma volta às origens que, feita no início da campanha, mostra comprometimento com as pautas do sindicalismo”, diz Miguel Torres, presidente da Força Sindical.

*por Guilherme Seto/Folhapress

Janaina Paschoal pede que Michelle Bolsonaro ”não plante semente da divisão religiosa”

/ Política

Janaina Paschoal (PRTB) se emocionou no plenário. Foto: Reprodução

A deputada estadual Janaina Paschoal (PRTB) se emocionou no plenário da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) ao pedir que a primeira-dama Michelle Bolsonaro ”não plante a semente da divisão religiosa” no Brasil.

À reportagem, ela diz que ”a cisão religiosa é mais perigosa do que a cisão política”. A parlamentar se refere a uma fala da mulher do presidente Jair Bolsonaro (PL) contrária a religiões de matriz africana.

”Eu peço cautela à nossa primeira-dama”, afirmou Janaina em sessão na terça-feira (9). “Não tem nada pior do que isso. Nós somos um povo de evangélicos, católicos, espíritas, umbandistas, candomblecistas, muçulmanos, judeus, budistas e de hinduístas, e eu quero que todos sejam respeitados”.

Ela aponta que ”não é nada contra a primeira-dama”, mas que se sentiu no dever de ”respeitosamente alertar”, e que alguns colegas” não a compreenderam.

Nesta quarta (10), o deputado Gil Diniz (PL) foi à tribuna da Casa defender a primeira-dama e diz que está acontecendo um ”verdadeiro massacre” contra ela.

Na segunda-feira (8), Michelle Bolsonaro compartilhou uma publicação que afirmava que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ”entregou sua alma para vencer essa eleição”. O texto era acompanhado por um vídeo que exibia encontros do petista com lideranças de religiões de matriz africana.

”Isso pode, né! Eu falar de Deus, não!”, escreveu Michelle ao compartilhar uma postagem da vereadora Sonaira Fernandes (Republicanos). O episódio causou uma série de reações. O babalorixá e pesquisador Sidnei Nogueira disse que o corpo jurídico do Instituto de Defesa dos Direitos das Religiões Afro-Brasileiras (Idafro) acompanha de perto os desdobramentos da fala de Michelle.

À coluna, ele classificou o comportamento dela como irresponsável. A Frente Inter-religiosa Dom Paulo Evaristo Arns por Justiça e Paz também pediu que a primeira-dama se retratasse por falas recentes de caráter religioso.

A socióloga Rosângela da Silva, a Janja, também reagiu a publicação. ”Eu aprendi que Deus é sinônimo de amor, compaixão e, sobretudo, de paz e de respeito. Não importa qual a religião e qual o credo. A minha vida e a do meu marido sempre foram e sempre serão pautadas por esses princípios”, postou a mulher de Lula no Twitter, sem citar o nome de Michelle.

Mônica Bergamo/Folhapress

Jerônimo Rodrigues promete governo com inclusão social: ”Vou colocar o pobre no orçamento”

/ Política

Jerônimo conta com apoio de Lula e Rui Costa. Foto: Rede social

O candidato ao governo do estado Jerônimo Rodrigues (PT) garantiu, nesta quarta-feira (10), que o seu governo terá uma forte marca de inclusão social, combate à pobreza e a desigualdade. De acordo com o petista, a parceria com um futuro governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seria essencial para a diminuição nos índices de pobreza na Bahia e no Brasil.

”Meu governo terá uma forte marca de inclusão social, vou colocar o pobre no orçamento, oferecer oportunidade aos que mais precisam, trabalhando em parceria com o governo federal. Só é possível enfrentar a fome e a pobreza com emprego decente e distribuição de renda”, afirmou Jerônimo, em entrevista ao portal G1.

Jerônimo ressaltou que, apesar da falta de políticas federais e da falta de apoio, o governo da Bahia tem trabalhado e continuará trabalhando para reduzir o índice de pobreza no estado. O candidato a governador frisou ainda que sua trajetória é focada na causa da segurança alimentar e na agricultura familiar.

”Com Lula, Wagner e Rui, reduzimos a pobreza na Bahia. Colocamos o dinheiro direto na mão das famílias. Eram tempos de prosperidade, mas, com os retrocessos políticos e sociais, a pobreza voltou a subir, chegando a 18% dos baianos em 2018. O governo da Bahia tem trabalhado com firmeza para reduzir os efeitos dessa tragédia”, disse Jerônimo.

”Em 2020, mesmo com a pandemia, a pobreza na Bahia caiu para 11%. No período mais crítico da pandemia, liderei o maior programa de transferência de renda do país vinculada à educação. Não deixamos faltar comida na mesa dos estudantes da rede estadual. Manterei e ampliarei ações como esta”, finalizou.

Deputado estadual declara ao Tribunal Superior Eleitoral ter quase R$ 2,5 milhões em espécie

/ Política

Alex declara ter mais de R$ 5 milhões em bens. Foto: Rede social

O deputado estadual da Bahia Alex da Piatã (PSD) declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter mais de R$ 5 milhões em bens. Destes, R$2.490.000 milhões são em dinheiro em espécie.

Apesar da curiosidade, o alto valor declarado em dinheiro em espécie não é novidade para o deputado baiano, que é economista. Na eleição de 2018, ele declarou ter R$2.121.300 milhões em espécie.

Na ocasião, o deputado declarou um total de bens superior ao das eleições deste ano. Ele declarou R$5.290.187 milhões contra 5.133.151,20 deste ano.

Nos dados deste ano, além do dinheiro em espécie, o deputado declarou entre os maiores valores um prédio comercial de R$ 517.375, além de um veículo de R$ 246.900.

O site G1 informou que procurou o deputado para comentar a quantia em espécie, mas até a publicação dessa reportagem não recebeu respostas do parlamentar.

Zé Ronaldo admite ter se esquivado de encontro com ACM Neto para evitar ”faíscas”

/ Política

Ronaldo será coordenador de campanha de ACM. Foto: Acorda Cidade

Após ser anunciado como coordenador de campanha de ACM Neto (União) para as eleições estaduais (veja aqui), Zé Ronaldo (União) admitiu ter ficado chateado após ser preterido para o cargo de vice-governador na chapa do partido. Em coletiva de imprensa na Princesa do Sertão, o ex-prefeito de Feira de Santana também se declarou a Neto e afirmou que o candidato será um ”grande governador”.

Durante o encontro na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Zé Ronaldo contou sobre o período em que esteve enfurecido depois de ser descartado para a posição de vice candidato a governador. O agora coordenador de campanha afirmou que chegou a se esquivar de um encontro com Neto para evitar ”faíscas”.

”Uma coisa é certa, todos os dias, iremos aprender algo novo, todos os dias, teremos novos ensinamentos e na própria quinta-feira à noite, me perguntaram se eu poderia receber Neto, isso já era por volta de 21h, 22h, mas eu não estava bem e se fosse para atendê-lo, poderia até sair faísca de mim, a coisa poderia não prestar. Já na sexta-feira, entraram em contato comigo novamente, perguntando se eu poderia receber Neto, mas inventei que estava em um jantar, que não tinha condições, seria como forma de castigo, coisa de pai, e como eu sabia que ele iria viajar no final de semana, nós tivemos a oportunidade de conversar na última segunda-feira”, contou Zé Ronaldo, segundo o Acorda Cidade, parceiro do Bahia Notícias

”Esse desprezo pelo povo baiano acabou”, diz Roma sobre ponte que liga Juazeiro a Petrolina

/ Política

Candidato mostra ponte. Foto: Divulgação/Assessoria João Roma

O candidato a governador da Bahia João Roma (PL), visitou nesta quarta-feira (10) a ponte que liga Juazeiro à vizinha Petrolina, em Pernambuco. Roma lembrou que, após um período de estudos para realização de projetos, o governo federal já vem preparando a licitação para a duplicação da via no trecho em território baiano.

Conhecida como ”ponte picolé”, a via que liga Bahia e Pernambuco tornou-se motivo de vergonha para quem vive do lado baiano da ponte. ”Esse desprezo pelo povo baiano acabou e hoje a duplicação dessa ponte e da realização da travessa urbana de Juazeiro já estão em processo de licitação. O PT prometeu duplicar essa ponte picolé desde 2003, mas a má-gestão e o superfaturamento fizeram as obras sequer serem iniciadas”, disse João.

Em março deste ano, ao lado do então ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, Roma inspecionou a Travessia Urbana de Juazeiro. ”Os cidadãos de Juazeiro cansaram desse desprezo do PT pelo nosso estado e desse engodo repetido. Assim como a Fiol e a Transposição do Rio São Francisco, os baianos já não acreditavam mais na duplicação dessa ponte”, apontou Roma. A via é chamada de “ponte picolé” pelo fato de ser duplicada somente do lado de Pernambuco.

Deputado Jonga Bacelar protagoniza bate-boca na porta do Aeroporto com agentes da Transalvador

/ Política

Veículo do deputado foi estacionado de forma irregular. Foto: Reprodução

O deputado federal Jonga Bacelar (PL) foi flagrado, no início da tarde desta quarta-feira (10), ao discutir com agentes da Superintendência de Trânsito (Transalvador) na área externa do Aeroporto de Salvador.

As imagens que circulam nas redes sociais mostram o parlamentar partindo para cima dos servidores do órgão. O veículo que o conduzia teria sido estacionado de forma irregular e, ao ter sido alertado por um dos prepostos, Jonga reagiu da maneira como foi gravado.

No registro também é possível ver testemunhas se aproximando dos envolvidos para tentar apaziguar a situação. Durante a ação, Jogna chega a puxar o celular de um dos agentes, que gravava o ocorrido.

Em nota, a Transalvador reforçou que o veículo conduzido pelo congressista foi colocado em cima da faixa de pedestres. ”Diante dessa situação, agentes da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) solicitaram que o motorista posicionasse o veículo noutro local próximo”, iniciou o órgão no comunicado.

”O condutor do veículo aceitou a sugestão do servidor municipal. Porém, o passageiro do automóvel, que aparece vestido com camisa social, foi para cima do agente da Semob, gritando com seu motorista que não era para retirar o veículo”, adicionou. Segundo a superintendência, o deputado deu dois tapas no peito do preposto.

O uso de celulares e de câmeras corporais foi defendido pela Transalvador. Na avaliação dela, os equipamentos ajudam a ”coibir agressões como esta, bem como realizar registros de infrações de trânsito”.

A Semob afirmou que irá prestar apoio aos funcionários agredidos. Os envolvidos foram levados para o posto da Polícia Civil localizado no terminal aeroportuário para o registro do boletim de ocorrência. As informações são do site Bahia Notícias