Cassado pelo TSE em 2020, Marcell Moraes é nomeado para cargo na prefeitura de Salvador

/ NOTÍCIAS

Ex-deputado estadual Marcell Moraes é nomeado. Foto: Reprodução

Sem mandato político desde o final de 2020, quando foi cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ex-deputado estadual Marcell Moraes ganhou um cargo na prefeitura de Salvador nos últimos dias. Ele foi nomeado para exercer o cargo em comissão de Assessor Especial IV, grau 58, com atuação na Secretaria de Governo, em ato publicado no Diário Oficial do Município da última terça-feira (1º). Marcell foi visto recentemente em uma entrega promovida pela prefeitura.

Em 2020, o TSE decidiu pela cassação de Marcell por unanimidade, após ele ser acusado de abuso de poder econômico nas eleições de 2018. Com a decisão que cassou o diploma, ele perdeu o mandato e está inelegível por oito anos (até 2026), já que começaram a ser contados a partir de 2018 (relembre aqui).  No processo, o deputado estadual foi acusado de realizar em 2018, no período pré-eleitoral, campanhas de vacinação e castração de cães e gatos, a preços baixos ou gratuitamente, em vários municípios baianos. A partir disto, o então candidato à reeleição para a AL-BA realizava exposição de sua imagem, atrelada aos serviços prestados.

”O grande estado da Bahia teve seu mapa esquadrinhado por campanhas de vacinação e castração. Fazia em áreas públicas com enorme divulgação, a procedimento veterinários por preços módicos. Em um ano  eleitoral, eleitores da Bahia tiveram acesso gratuito a serviços caros, sempre com a imagem do deputado e nome do deputado estadual. É patente o caráter do abuso e da desigualdade. Distribuir uma benesse que custa R$ 1 mil por R$ 53”, apontou o vice-procurador Geral da República, Humberto Jacques, representando o Ministério Público Eleitoral à época.

Ainda na ocasião, a defesa de Marcell pontuou que o mero exercício filantrópico, antes até do período de campanha, não gera abuso de poder. ”Em nenhum os serviços foram gratuitos. Não há provas cabais que os eventos eram financiados pelo recorrido. Se baseia no depoimento de uma única testemunha. Não houve gravidade para desequilibrar o pleito eleitoral”, declarou o advogado do ex-parlamentar.

Eleito pelo PSDB, partido ao qual continua filiado segundo documento oficial do TSE consultado pelo Bahia Notícias, Marcell abriu vaga para o deputado estadual Tiago Correia (PSDB) após sua cassação. Ele foi empossado em novembro de 2020, período em que já exercia mandato como suplente com a saída de Leo Prates (PDT) para a Secretaria Municipal de Saúde de Salvador (leia mais aqui e aqui).

CAUSA ANIMAL EM PAUTA

Ao seu lado na causa de defesa dos animais, Marcell também ajudou a eleger a irmã, Marcelle Moraes, para a Câmara de Salvador em 2016. Reeleita para o Legislativo municipal em 2020, Marcelle se licenciou do mandato desde de abril deste ano, para atuar no Executivo como titular da Secretaria de Sustentabilidade e Resiliência de Salvador (Secis) (leia mais aqui).

A relação entre os dois, no entanto, não enfrenta a melhor fase. Na eleição deste ano, Marcell tentou emplacar ”Carol dos Animais” para uma das 63 vagas na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). A agora ex-candidata recebeu 23.529 da população baiana e não foi eleita, ocupando apenas a terceira suplência pelo Solidariedade. Após o pleito, Marcell usou as redes sociais para agradecer os votos recebidos por sua apadrinhada e atacou a irmã Marcelle.

O ex-deputado chegou a afirmar que Marcelle não se comprometeu com a campanha de Carol dos Animais. ”Uma campanha difícil, sem apoio político, inclusive da minha própria irmã, Marcelle (Moraes), ainda vereadora, que chegou onde está graças ao meu trabalho. Seis anos atrás, assim como Carol foi agora, Marcelle era uma jovem de vinte e poucos anos, desconhecida. Transformei em vereadora da capital. Hoje, na eleição mais importante de minha vida, me deu as costas. Não só a mim, mas aos animais, que precisavam de uma representante na Assembleia. Ainda não sei se por ingratidão (certamente também), ou por vaidade… Agindo de maneira covarde, a quem sempre lhe deu a mão, que tratei e protegi como filha (já que não temos pai e assumi o papel do mesmo), mas, sobre esse assunto (ingratidão), deixarei para um momento oportuno e vocês irão entender”, escreveu Marcell.

Também nas redes sociais, em uma publicação sobre ”incentivo ao voto”, Marcelle Moraes foi questionada sobre uma eventual briga entre ela e o irmão e preferiu colocar panos quentes. ”Não houve nada (entre eles dois). Apenas seguimos trabalhos distintos, mas o respeito e o carinho de irmão continuam existindo”, disse a secretária. Com informações do site Bahia Notícias

Os comentários estão fechados.