Vereadores se gladiam na Câmara de Jaguaquara, sobre apoio político a candidatos a deputado

/ Jaguaquara

Edis se dividem entre deputados estaduais e federais
Edis se dividem entre deputados estaduais e federais

Os 15 atuais componentes da Câmara Municipal de Jaguaquara, não fazem segredo da opção definida com os nomes dos seus candidatos a deputado estadual e federal nas eleições de outubro. Uns tem o candidato a estadual e ainda não definiu o federal ou vice-versa, mas, de qualquer forma, já amarraram apoio. Dos 15 vereadores, apenas 3 não marcharão com os deputados apoiados pelo prefeito Giuliano Martinelli (PP), que são Aderbal Caldas (PP) e Cacá Leão (PP). Os edis: Edmilson Barbosa (PTB) votará com Sandro Régis (DEM) e Antônio Brito (PTB); Nildo Pirôpo (PT) e Adailson Mancha (PT) com Marcelo Nilo (PDT) e Benito Gama (PTB). Os demais representantes da atual Legislatura dão como certas suas escolhas pelos candidatos do prefeito. Os que não optaram pela dobradinha, votarão com o estadual, mas não ficarão de fora do time governista. São eles: Francisnei Santos (PP), Jacilene Silva (PP), Zacarias Oliveira (PP), Valdenor Souza (PP), Marleide Pinto (PP), Lindoval Muniz (PP), Élio Boa Sorte (PP), Jocemar Oliveira (PSD), Edilson Brustolin (PSL), Uelson Pereira (PRB), Valdir Souza (PHS) e Jurandir Araújo (PT).

Vereadores não fazem não fazem segredo da opção definida
Os vereadores não fazem ”segredo” da opção definida

O apoio político dos vereadores foi o assunto que dominou o grande expediente da sessão desta quinta-feira (4). No afunilamento da disputa direta por voto no município, dizem que o grupo do prefeito tem buscado minar os redutos políticos eleitorais dos adversários e a orientação é pra que os vereadores governistas esclareçam que, os candidatos do prefeito, são os únicos que merecem o reconhecimento do eleitoral local, pelos serviços prestados a Jaguaquara. Tese que nem todos concordam.

Jurandir enaltece candidatos do prefeito e
Jurandir Araújo enaltece à base aliada e alfineta opositores

O vereador Jurandir Araújo, por exemplo, tem sido um defensor ferrenho do governo e, ao usar a tribuna, inflamou vereadores até da situação, fazendo afirmação de que Aderbal e Cacá Leão merecem ser votados e que outros deputados não tem compromisso com o município e sim com os apoiadores, numa demonstração de que os vereadores que votarão em outros candidatos teriam recebido, supostamente, benefício individual e por isso não fecharam com os correligionários do Chefe do Executivo. O discurso do governista foi rebatido em tom de revolta pelo vereador Nildo Pirôpo, tendo afirmado que a ditadura acabou há anos, e que ninguém é obrigado a votar com os candidatos do prefeito Giuliano. Para Pirôpo, se for levada em consideração a atuação dos deputados, na atual gestão pública municipal, nenhum representante da Assembleia Legislativa da Bahia  trabalhou por Jaguaquara. ”Jaguaquara tem postos de saúde em reforma, em construção, várias obras, paradas e em andamento que não tem dedo de deputado. São obras destinadas aos municípios pelo governo, sem precisar emenda de deputado. Cada um vota em quem quer, e a decisão de cada vereador aqui deve ser respeitada”.

Pirôpo diz que a ditaura acabou e que cada um vota em quem quer
Pirôpo: ‘cada um vota em quem quer. A ditadura acabou’

Adailson Mancha, também rebateu e disse que o povo saberá em quem votar, e alfinetou: ”ser for para falar de obra, o deputado Rui Costa, que foi tanto criticado aqui nesta casa, hoje é o bom. Falavam que ele nunca trouxe nada para o município e agora está todo mundo junto, apoiando Rui”. Já Jacilene Silva do PP, saiu na defesa de Jurandir, declarado que teve uma longa conversa com o prefeito e percebeu na argumentação do gestor que não há imposição: ”tive uma longa conversa com o prefeito Giuliano e ele não está obrigando  ninguém a votar nos deputados. Eu estou vendo o esforço do prefeito, a obra da praça já começou e a gente percebe aquele clima na cidade, de que as coisas vão dar certo”. Outro que também não gostou nada dos comentários de Araújo foi Valdenor , o Bode da Saúde, que apesar de integrar a base, não vota com o federal do prefeito e declarou apoio a Antônio Brito. Nos corredores da Câmara, Bode comentava que não teria encontrado motivo para marchar com Cacá, e que não consegue ver um benefício na cidade através do seu empenho. Já na majoritária, a união é quase que total. Apenas 2 vereadores declaram apoio a Paulo Souto: Edmilson e Valdir. Os outros 13, quando o assunto é apoio a Rui Costa, esquecem as divergências e sustentam um só bandeira.

Os comentários estão fechados.