”Terá recurso e terá luta”, diz enfermeira mãe de jovens mortos após absolvição de Kátia Vargas

/ Justiça

Marinúbia Gomes, mãe de Emanuel e Emanuelle. Foto: Correio

A enfermeira Marinúbia Gomes, mãe de Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, mortos em 2013 durante acidente em Salvador, disse que lutará para que a decisão do júri popular que inocentou a médica Kátia Vargas Leal Pereira, acusada de provocar o acidente, nesta quarta-feira (6), seja revertida. ”Lutei quatro anos pelo júri popular e agradeço a Deus hoje por ter conseguido o que várias pessoas não conseguem. Ela foi inocentada. Ninguém sabe como. Cabe recurso. Vamos recorrer. Deus está no controle”, comentou ela, durante a confusão na saída do Fórum Ruy Barbosa, após a leitura da sentença, na qual os jurados decidiram, por 4 votos a 1, não condenar Kátia Vargas. ”É normal o descontrole de Mércia [tia das vítimas, que ameaçou matar Kátia Vargas] porque Emanuel é como um filho. É uma dor muito grande. Eu vou recorrer através do Ministério Público, dos meus adovogados e eu não lutei quatro anos para nada. Vou continuar lutando. Continuarei lutando. A luta continua. A justiça não foi feita. Continuo acreditando na justiça. Não vai ficar impune. Eu já fui avisada por Deus. Eu já esperava que ela fosse condenada ou inocentada. Eu já esperava por isso. Se o júri diz que ela é inocente, ela é inocente, Senhor. Se cabe recurso, meu Deus, cabe. E terá recurso e terá luta”, completou Marinúbia. Exaltada, uma das tias dos jovens mortos chegou a ameaçar a médica de morte. ”Vou matar Kátia Vargas pessoalmente”, gritou, transtornada uma das tias de Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, após o anúncio da decisão, que foi anunciada, oficialmente, pouco depois das 19h. Após informar o resultado, houve muita comoção de ambas as famílias. As informações são do Correio

Os comentários estão fechados.