”Tem gente que age mais como dirigente partidário do que como representante do Judiciário”, diz Lula

/ Política

Lula na missa de 1 anos da morte de Marisa Foto: Nelson Almeida

A missa de um ano do falecimento da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva foi realizada na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo. Muito emocionado, o ex-presidente participou da missa acompanhado de seus filhos, familiares, amigos e militantes do Partido dos Trabalhadores. Em seu sermão, o bispo Dom Angélico falou de política. ”Vivemos agora sob um golpe parlamentarista. Digam o que quiser, esta é a verdade, e foi feito para atender aos interesses econômicos de grandes empresários, grandes bancos”, disse o sacerdote. ”A Marisa Letícia foi envolvida em uma verdadeira conspiração e sua saúde não resistiu”.  Ao final do evento, sob aplausos e gritos de ”olê, olê, olá, Lula, Lula”, o ex-presidente afirmou que vai lutar para recuperar o País politicamente e a ”autoestima do povo”. “Hoje não se governa, se destrói patrimônio, não se pensa em soberania, mas em vender patrimônio público”. Disse ainda que os trabalhadores que tiveram aumento nos salários e melhoria em suas vidas estão perdendo o que foi conquistado durante seu mandato. ”Espero que meu tempo de vida ainda seja longo, se eu chegar aos 90 anos, com a vontade e energia que eu estou, eu serei um contribuinte para a recuperação democrática desse País, para que pessoas mais simples e pobres tenham vez novamente”. Após a missa, o ex-presidente agradeceu a disposição das pessoas que compareceram à celebração. Chorando, saudou os metalúrgicos e o sindicato pelo comprometimento e por ceder o espaço para a missa. ”Tem muito a ver a história da Marisa e a minha com esse sindicato. Foi em 1973 que nos conhecemos e casamos em 1974”, afirmou Lula. ”Marisa foi companheira em todos os momentos, foi uma lutadora”. Com informações do Estadão

Os comentários estão fechados.