Suspeitos de matar pastora e uma prima dela em 2016 têm prisão redecretada em Conquista

/ Justiça

Pastora Marcilene foi morta no ano passado. Foto: Reprodução

Os dois pastores e o vigilante suspeitos de matar a pastora evangélica e professora da Uneb, Marcilene Oliveira Sampaio, e a prima dela, Ana Cristina Sampaio, em janeiro de 2016, tiveram a prisão redecretada na manhã desta terça-feira (19), em Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia. Segundo informações da Polícia Civil um dos suspeitos não foi encontrado. De acordo com informações da polícia, o suspeito de ser o mandante do crime, Edimar da Silva Brito não foi encontrado e é considerado foragido pela polícia. O pastor Fabio de Jesus Santos e o vigilante Adriano Silva dos Santos foram abordados em casa pela Polícia Militar da cidade e levados ao Presídio Nilton Gonçalves. Todos os suspeitos já foram presos em outras oportunidades. Edimar Santos foi solto em junho de 2017. Posteriormente, Fabio e Adriano também conseguiram o direito de cumprir a pena em liberdade.

Crime

Os corpos de Marcilene e Ana Cristina foram encontrados às margens de uma estrada que liga Vitória da Conquista ao município de Barra do Choça, em 20 de janeiro de 2016. As duas mulheres foram mortas com golpes de pedra, segundo a polícia. A suspeita da polícia é de que o crime teria sido motivado por vingança, após as vítimas, que eram colegas de um dos pastores suspeitos, terem saído da igreja dele depois de um desentendimento para fundar uma nova e levado a maioria dos fiéis. G1

Os comentários estão fechados.