Suspeito diz que atentado contra Bolsonaro foi a mando de Deus, segundo boletim de ocorrência

/ Polícia

Adélio Bispo de Oliveira, 40 anos, é de Montes Claros. Foto: Divulgação

A Polícia Militar de Minas identificou o suspeito de esfaquear o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL). Adélio Bispo de Oliveira, 40 anos, confessou o crime, segundo a PM. O homem é natural de Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, e foi preso em flagrante logo após o incidente. Bolsonaro participava de um ato de campanha em Juiz de Fora, na Zona da Mata de Minas Gerais, e estava nos ombros de apoiadores quando foi atingido. Em depoimento à polícia, Adélio disse que o ataque contra Bolsonaro foi a mando de Deus, segundo boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar. Continua o boletim de ocorrência: ”Nos afirmou ainda que o motivo do intento se deu por motivos pessoais, os quais não iríamos entender, dizendo também em certos momentos que foi a mando de Deus”. As testemunhas disseram à polícia que ”o candidato estava sobre os ombros de um homem, momento em que o autor aproximou com a faca em uma das mãos, enrolada aparentemente em uma camisa de cor clara.” De acordo com a TV Integração, o suspeito foi levado para a delegacia da Polícia Federal na cidade. Bolsonaro foi levado à Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora. O hospital informou que ele deu entrada na emergência por volta de 15h40, com ”uma lesão por material perfurocortante na região do abdômen”. Inicialmente, um de seus filhos, o deputado estadual Flavio Bolsonaro, afirmou que o ferimento havia sido superficial, mas exame indicou a suspeita de uma lesão no fígado. Ele foi encaminhado para cirurgia, e os médicos constataram que não houve lesão no fígado, mas houve lesões no intestino. O estado de Bolsonaro é considerado estável.

Os comentários estão fechados.