Servidor demitido por Teich diz que há intervenção de militares no Ministério da Saúde

/ Brasília

Bolsonaro e Teich. Foto: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil

A troca de funcionários do Ministério da Saúde por militares, promovida por Nelson Teich, foi vista com perplexidade pelos técnicos da pasta, que interpretam a manobra como uma intervenção fardada inédita e grave por ocorrer no meio de uma pandemia com milhares de mortos no país. A informação é da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a publicação, um dos exonerados, Francisco Bernd, diz nunca ter testemunhado ”uma mudança tão drástica, com a chegada de pessoas tão estranhas à Saúde.”

Funcionário do ministério desde 1985, Bernd explica que há diversos grupos técnicos na pasta que foram sendo criados em diferentes mandatos e incorporados pelos sucessores. ”Os militares que chegam não têm absolutamente nenhuma experiência histórica na Saúde. O próprio Teich não tem experiência em gestão pública”, destaca.

Os comentários estão fechados.