Secretaria de Agricultura defende manutenção da prática da vaquejada na Bahia

/ Agricultura

Secretário de Agricultura, Vitor Bonfim. Foto: Reprodução
Secretário de Agricultura, Vitor Bonfim. Foto: Reprodução

Em nota pública, divulgada nesta terça-feira (25/10), a Secretaria da Agricultura do Estado (Seagri), revelou ser favorável favorável à manutenção da prática da vaquejada na Bahia. ”A Secretaria de Agricultura, vem a público posicionar-se favoravelmente à prática esportiva da vaquejada, atividade secular inerente as tradições culturais da pecuária do Brasil, e de alto valor econômico para o Estado.  A equideocultura é a segunda atividade econômica da pecuária nacional, e a Bahia possui o 1º plantel de equídeos nacional (Equinos, Muares e Asininos), o que contribui significativamente para a economia regional do setor agropecuário, responsável pela geração de milhares de postos de trabalho”, diz a nota. Segundo estimativas da Associação Baiana de Vaquejada, atualmente são realizados mais de quatro mil eventos em todo o Estado, movimentando R$ 800 milhões por ano, e gerando cerca de 720 mil empregos, sendo 120 mil diretos e 600 mil indiretos. Como modalidade esportiva, a vaquejada se disseminou para outras regiões do território nacional, e hoje é uma atividade de grande importância na equideocultura do nordeste e do Brasil, tendo em vista a sua contribuição   para o incremento e desenvolvimento de cavalos atletas, da medicina veterinária esportiva, da clínica, da reprodução, do diagnóstico de imagem e da doma racional, conforme publicação na página da Seagri.

Os comentários estão fechados.