Rádio de Irecê e prefeito trocam acusações e gestor chama dono da emissora de bandido

/ Imprensa

Elmo Vaz, de Irecê, em conflito com emissora rádio. Foto: Reprodução

Uma rádio de Irecê e o prefeito do município, Elmo Vaz, entraram em conflito nos últimos dias e vem trocando acusações de perseguição política. Segundo a diretora de jornalismo da Líder FM, Débora Suellen, a retaliação contra a emissora teve início em razão de críticas feitas à gestão municipal. Elmo nega a acusação e diz que a rádio se posiciona contra ele desde a última eleição. O primeiro caso de retaliação contra a Líder FM teria acontecido no domingo (29). Débora relata que a rádio foi obrigada pela prefeitura a retirar um painel de LED com publicidade localizado no centro da cidade. ”Foi a forma que ele encontrou para coagir a imprensa para que ela não continue fazendo críticas”, argumentou em entrevista ao site Bahia Notícias nesta terça-feira (31). Nos últimos dias, também veio à tona um texto atribuído a Elmo com críticas à Líder FM. A mensagem foi compartilhada em um grupo no WhatsApp da União das Prefeituras do Platô de Irecê (Unipi). ”Enquanto emissoras de rádio continuarem fazendo o que fazem e sempre fizeram com os prefeitos e todos continuarem olhando cada um pra seu umbigo seremos todos reféns delas e cada vez mais desmoralizados”, diz o texto. ”Se a Unipi nada pode fazer, estou informando meu desligamento da instituição e vou cuidar da minha vida”, ameaçou. De acordo com Débora, nenhum dos prefeitos demonstrou apoio à mensagem de Elmo. Ao Bahia Notícias, o prefeito de Irecê admitiu ter desentendimentos com o dono da Líder FM, mas negou perseguição contra a rádio e ter participação na retirada da placa de LED. ”Desde do dia que eu ganhei as eleições ele foi contra mim, apoiou o ex-prefeito”, disse Elmo. “É uma questão política, pessoal. O que eu fiz contra ele? Nada”, garantiu o gestor. Em referência ao dono da emissora de rádio, ele declarou ainda que não vai ”ficar negociando com bandido”.

Os comentários estão fechados.