Pré-candidaturas cogitadas para a Assembleia em 2022 que não prosperaram no Vale do Jiquiriçá

Giuliano, Danilo, Emérson e Júlio. Fotomontagem/BMFrahm

Nos meios políticos do Vale do Jiquiriçá, território composto por 20 municípios, há quem considera ser muito difícil surgir uma candidatura à Assembleia Legislativa a essa altura do campeonato. Diante do cenário, nomes cogitados lá atrás, ainda em 2021, como possíveis alternativas, retiraram o time de campo, antes mesmo do jogo começar.

Giuliano Martinelli (PP), ex-prefeito de Jaguaquara por dois mandatos consecutivos, e que chegou a ser classificado por apoiadores de futuro deputado, após deixar o cargo de chefe do Executivo em janeiro de 2021 depois da emblemática eleição municipal que culminou com a vitória da prefeita aliada Edione Agostinone (PP), que derrotou em 2020 Raimundo Louzado (PSD) por uma diferença de 58 votos, decidiu pela ”ruptura precoce” com quem teria musculatura para apadrinhar a sua desejada candidatura, o prefeito de Jequié e presidente da UPB, Zé Cocá (PP), este que optou pela candidatura de Hassan Iossef (PP), ex-secretário de Governo da Prefeitura de Jequié, de quem Cocá se tornou um dos ”best friends” ao ingressar na política da Cidade Sol.

O reeleito prefeito de Nova Itarana, Danilo Italiano (PSD), assumiu, desde 2021, o comando do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Vale do Jiquiriçá – CONVALE, entidade que representa as 20 cidades da região e passou a ensaiar pré-candidatura a deputado estadual. A articulação começou sob influência do deputado estadual Dal, filho de Amargosa, que deixou o PP e filiou-se no União Brasil de ACM Neto para disputar vaga de federal e, com o seu novo projeto político, abre caminho para outras lideranças no Vale. Filho do ex-prefeito Zéu, com forte ligação com o senador Otto Alencar, Danilo teve 87,44% dos votos em 2020. O grupo liderado pelo seu pai mantém hegemonia política de quase 20 anos no Município e a aposta era de que o jovem prefeito seria um novo Cocá, com uma campanha que poderia ocorrer nos mesmos moldes, de um ex-prefeito que deixou o comando de uma cidade pequena, [Lafaiete Coutinho no caso de Cocá], assumiu o Consórcio, ampliou o espaço na região e foi eleito deputado em 2018. Entretanto, o projeto não deslanchou e a recusa de Danilo veio em março deste ano, quando fez declaração alegando que a prioridade seria concluir o mandato de prefeito. Fogo-amigo: aliados da vice-prefeita Dedé (PSD) já comemoravam a possível renúncia do mandatário, o que não aconteceu.

Quem também figurou na lista foi Emérson Elói (PT), reeleito prefeito de Santa Inês com vitória acachapante, obtendo 83,07% dos votos válidos. O trabalho de Emerson, tanto do ponto de vista administrativo quanto organizacional é bem avaliado em toda a região, na chamada pesquisa boca a boca, com ações na Infraestrutura, por exemplo, que mudaram o aspecto urbanístico da cidade, destacando Santa Inês quando comparado com outros municípios do território. Emérson é uma das referências do PT baiano em gestão pública, porém, com seu estilo pouco – conciliatório não seria uma tarefa fácil formar um arco de alianças fora da cidade que governa para enfrentar uma disputa a ALBA, apesar do seu laço estreito com o Governo Rui Costa ser um fator predominante, caso topasse o desafio com antecedência. Ainda em 2021, Elói admitiu a colocação do seu nome em pesquisas, mas negou que seja candidato a deputado estadual nas eleições de 2022 e evitou alimentar esperança no grupo.

Outro nome do PT que ganhou considerável espaço no cenário político regional pela gestão bem-sucedida, e que inclusive que lhe garantiu a reeleição, Júlio Pinheiro, prefeito de Amargosa, segundo maior colégio eleitoral do Vale, 28 mil eleitores, foi mais um a ser especulado, com informações que circularam revelando que a sua possível candidatura a estadual teria a anuência da cúpula do Governo do Estado, sob indicação do deputado federal Jorge Solla, de quem Júlio já foi assessor. Entretanto, os informes até agora estão longe de serem outra coisa, senão especulação.

*por Marcos Frahm

Os comentários estão fechados.