Potes de temperos têm mais bactérias que latas de lixo, diz estudo da Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos

/ Mundo

Um novo estudo feito na Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, mostra que potinhos de temperos podem ter mais microrganismos do que tábuas de carne e latas de lixo. Segundo o Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, o estudo foi encomendado pelo Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) e foi publicado em setembro na revista científica Journal of Food Protection.

Os pesquisadores da Escola de Ciências Biológicas e do Meio Ambiente da universidade norte-americana fizeram testes com 371 adultos que deveriam cozinhar uma receita de hambúrguer de peru em diferentes modelos de cozinha.

Os cientistas contaminaram propositalmente a carne usada no preparo com o bacteriófago MS2, um tipo de vírus que infecta bactérias mas é inofensivo para os seres humanos. O intuito era avaliar a circulação dos microrganismos em superfícies e utensílios dispostos em diferentes posições.

Eles ficaram surpresos em descobrir que 48% dos frascos de tempero estavam contaminados e continham mais microrganismos do que as tábuas de carne e as tampas de lixeiras, que apareceram na sequência. As torneiras abrigavam a menor quantidade de bactérias.

Os comentários estão fechados.