Policial Civil foi morto durante um assalto na BR-324, neste sábado, em Salvador

/ Polícia

O investigador da Polícia Civil, Pedro Rodrigues do Carmo Filho, de 53 anos, foi morto durante um assalto na BR-324, em Salvador, neste sábado (4), e segundo o G1 ele mandou um áudio através de Whatsapp relatando que tinha conseguido abordar os assaltantes.  Um foi baleado no local e morreu, o outro conseguiu fugir, mas foi capturado pela polícia no início da noite deste sábado. Conforme informações iniciais da polícia, Pedro teria sido vítima de uma tentativa de assalto. Em seguida, a polícia constatou que os passageiros do ônibus tiveram os pertences levados pela dupla.

A mensagem enviada por Pedro no grupo do aplicativo foi encaminhada para a equipe de reportagem da TV Bahia por meio de um policial que preferiu não se identificar. ”C-Q15 comigo. Pedro Rodrigues aqui na BR, pai. Assalto a coletivo. Eu baleei um. Um está preso aqui comigo, meu irmão”, disse Pedro antes de ser morto. Pedro tinha mais de trinta de polícia. Ele trabalhava na 29ª delegacia, no bairro de Plataforma, na capital baiana. O filho da vítima, Anderson Carmo disse que faltava pouco tempo para o pai se aposentar. ”O que a gente fazia era contar os dias para ele se aposentar. Infelizmente não vamos comemorar esse dia”, lamentou Anderson.

De acordo com a polícia, o investigador estava em um ônibus que seguia pela BR-324, sentido Salvador, quando dois homens anunciaram o assalto. A dupla recolheu os objetos dos passageiros e ao descer do ônibus, foi perseguida pelo policial que saltou do coletivo em um ponto da rodovia, na altura do bairro de Águas Claras. Ao reagir, o investigador baleou um dos assaltantes, identificado como Eliomar Cunha Dias, de 22 anos. Na ocasião, Pedro ainda mobilizou o outro homem como relatou na mensagem do aplicativo enviada para um grupo de policiais civis. Pouco depois de enviar a mensagem, o policial foi baleado, a alguns metros do local onde desceu do ônibus.

O assaltante que o investigador baleou foi levado para o Hospital do Subúrbio e morreu. O outro, identificado como Mateus Rodrigues Santos da Silva, de 20 anos, conseguiu escapar da abordagem do investigador e é apontado como principal suspeito de atirar no policial. Um rapaz que passava pela rodovia no momento em que o investigador foi atingido por disparo de arma de fogo, falou sobre o caso. ”Ele entrou no mato em perseguição. Conseguiu balear um e o outro conseguiu render no momento. não sei o que foi que aconteceu que o segundo, que já estava rendido, conseguiu balear ele [Pedro]”, disse o homem que preferiu não se identificar.

Os comentários estão fechados.