Parlamentares do DEM já abordam com naturalidade apoio à reeleição de Bolsonaro

/ Política

Neto nega acordo, mas informação é de aliança. Foto: Reprodução

Depois de ter vitória dupla na Câmara e no Senado com o apoio do DEM, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também deve contar com o apoio da sigla para as eleições de 2022.

De acordo com a coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, a possibilidade de o Democratas apoiar a reeleição do capitão reformado do Exército é abordada com naturalidade por parlamentares do partido que evitavam falar do assunto antes da derrota de Rodrigo Maia (DEM-RJ) seu sucessor na Câmara.

O discurso de parte deles agora é o de que não pode haver ”preconceito” na discussão de nomes que o partido pode apoiar daqui a dois anos para presidente.

Maia, que costurava a possibilidade de o DEM se aliar ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ou apoiar nomes como o do apresentador Luciano Huck, era o obstáculo à aliança com Bolsonaro.

E que foi agora removido, na visão dos que o derrotaram internamente no partido ao apoiar a candidatura de Arthur Lira (PP-AL) para presidir a Câmara.

O cacha no DEM rendeu até ao presidente da sigla, ACM Neto, acusações de ”traidor”. Ele também foi criticado por Maia por abandonar o bloco de Baleia Rossi (MDB-SP). Ainda chegou a ser especulado que o ex-prefeito de Salvador teria alinhado um acordo com Bolsonaro para comandar o Ministério da Educação.

Os comentários estão fechados.