Para Lúcio Vieira Lima, MDB da BA está mais inclinado a apoiar Lula frente a outros candidatos

/ Entrevista

Lúcio Vieira comenta força de Lula no Nordeste. Foto: Bahia Notícias

Após a passagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pela Bahia, na semana passada, o principal cacique do MDB na Bahia, o ex-deputado Lúcio Vieira Lima, disse que a sigla no estado está mais inclinada a apoiar o petista. Ele explica que a força da região Nordeste é um fator importante a ser levado em conta.

”Nós vimos realmente que a Bahia é um local que ele [Lula] tem um prestígio diferenciado (…) A minha opinião pessoal é que está muito mais para [apoiar] Lula, do que para outro [candidato]. O MDB no Nordeste tem Renan Calheiros [deputado] em Alagoas, tem Marcelo Castro [deputado] no Piauí. É muito forte o laço do presidente Lula com o Nordeste, e isso pode influenciar em Brasília”, afirmou Lúcio em conversa com o Bahia Notícias.

”Nós não podemos esquecer que as peculiaridades locais são muito importantes, às vezes mais importantes até que as nacionais. Temos que ver qual é a equação que vai ser melhor para a Bahia”, acrescentou o emedebista.

O ex-deputado cita o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff para justificar a possibilidade de Lula e o MDB baiano andarem juntos em 2022.

”Quero deixar claro quando você pergunta a resposta correta é: o impeachment foi feito contra a presidente Dilma, não foi contra Lula. O pessoal tem mania de dizer ‘ah, teve impeachment’. Não tem nada a ver uma coisa com a outra. Tanto que aqui na Bahia eu me relaciono muito bem com o PT”, disse Lúcio.

Apesar da sinalização, Lúcio não descarta que a sigla apoie outros nomes no estado. Ele afirma que é preciso aguardar a executiva nacional do MDB e que a decisão não será isolada.

”Assim como é possível que apoie uma terceira via e caso o MDB nacional apoie Bolsonaro, é possível que aqui também faça esse apoio. O que você tem são graus de dificuldade, ainda depende de muita conversa para resolver. Temos que ouvir os candidatos apresentarem suas propostas”, finalizou.

Os comentários estão fechados.