Senadores e deputados entram em pressão por inclusão de vacinas em calendário nacional

/ Saúde

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Foto: Peter Ilicciev/Fiocruz

A pressão sobre o Ministério da Saúde para firmar o compromisso público de comprar a vacina para coronavírus que ficar pronta antes vai ganhar reforço de senadores e deputados da comissão externa da Covid-19. Parlamentares participarão da reunião de João Doria (PSDB-SP) com Eduardo Pazuello, na quarta (21). O ministro marcou encontro com governadores na terça (20). O tucano sugeriu, porém, reagendar para quinta (22), apostando que a conversa do dia anterior seja proveitosa.

A ideia é que, se houver acerto do governo federal com a vacina chinesa, desenvolvida pelo Instituto Butantan, o anúncio poderia ser feito na quinta, com todos os estados presentes.

”Já está resolvido, não tenho dúvidas da pacificação”, diz o deputado Dr Luizinho (PP-RJ), presidente da comissão de Covid. Segundo ele, Pazuello já sinalizou de que não vai se opor à compra de qualquer vacina, desde que validada pela Anvisa.

Nenhuma das vacinas concluiu até o momento a terceira etapa de testes. Não há prazo certo para que elas fiquem prontas.

Parlamentares entraram na articulação para garantir que as medidas provisórias que liberaram verba federal para a produção de vacinas (no valor total de R$ 4,9 bilhões) não sofram os efeitos colaterais da disputa entre Bolsonaro e Doria e acabem emperradas.

Rodrigo Maia nega possibilidade de prorrogar estado de calamidade com auxílio emergencial

/ Brasília

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Foto: Maryanna Oliveira

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), negou a possibilidade de prorrogar o estado de calamidade pública, muito menos os efeitos do Orçamento de Guerra (Emenda Constitucional 106), que flexibilizou regras fiscais para combater a crise do coronavírus. A declaração foi dada neste sábado (17) em encontro virtual promovido pelo grupo de investimentos XP.

Segundo Rodrigo Maia, não existe ”nenhuma hipótese” de usar o Orçamento de Guerra ou de se prorrogar o estado de calamidade. ”A construção da PEC da Guerra foi muito elogiada, porque construímos solução para gastos extraordinários neste ano. Quando aprovamos a PEC, contratamos um período. A estrutura construída para enfrentar a pandemia tem data para acabar: 31 de dezembro de 2020”, delimitou. ”Qualquer mudança vai gerar impacto em indicadores econômicos e causar um desastre muito grande. De forma alguma a PEC da Guerra vai ser usada para desorganizar a economia dos brasileiros e a vida dos brasileiros.”

O presidente da Câmara teme que uma possível prorrogação do estado de calamidade prejudique a credibilidade do País para receber investimentos, resultando em um aumento na taxa de juros, no crescimento da dívida pública e em uma recessão ”ainda mais profunda”.

Pelo mesmo motivo, Rodrigo Maia também defendeu que as últimas parcelas do auxílio emergencial, prorrogado até dezembro, sejam mantidas em R$ 300, conforme a Medida Provisória 1000/20, e não subam para o valor inicial de R$ 600. ”O que parece bom no curto prazo, se não respeitar a dívida pública e o teto de gastos, pode resultar depois em recessão e mais desemprego. Não adianta boa notícia no curto prazo. Quem vai pagar a conta outra vez são os brasileiros mais simples. E o governo vai pagar a conta da popularidade”, avisou, fazendo uma comparação com o aumento de despesas no Governo Dilma Rousseff e a recessão nos anos seguintes.

Renda mínima
A melhor alternativa, segundo Rodrigo Maia, é criar o programa de renda mínima, a partir da redistribuição de receitas do Orçamento de 2021 e da redução de incentivos fiscais. ”Também não é nada simples, mas nosso papel de representantes da sociedade é construir soluções. Somos eleitos para enfrentar momentos como este”, apontou.O presidente da Câmara elogiou a proposta dos economistas Ilan Goldfajn e Affonso Celso Pastore de criar um programa de renda básica que inclua uma poupança para lidar com a volatilidade de renda dos informais.

O novo programa de renda mínima precisa de R$ 30 bilhões a R$ 40 bilhões, segundo os cálculos de Rodrigo Maia. ”Nosso problema não está em cobrir receitas, mas de organizar despesas. Claro que é mais difícil do ponto de vista do político. O Orçamento tem pouca gordura ou quase nenhuma para cortes polêmicos ou difíceis”, alertou.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Congressistas sugerem prorrogar calamidade por 3 meses para estender auxílio emergencial

/ Economia

Diante da dificuldade do governo em cortar recursos para acomodar o Renda Cidadã no Orçamento, deputados e senadores têm defendido a extensão por mais três meses do decreto de calamidade pública. O prazo vence em 31 de dezembro. As informações são de reportagem do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a publicação, a prorrogação serviria para alongar o auxílio emergencial de R$ 300, além de dar mais tempo para a criação do Renda Cidadã —possível substituto do Bolsa Família. O ministro Paulo Guedes (Economia) disse ser contrário à proposta.

Entre os congressistas, no entanto, o plano se fortaleceu neste mês, mesmo com a resistência do governo. No início da pandemia, Guedes defendia um auxílio de R$ 200, mas o Congresso aprovou cinco parcelas de R$ 600.

A extensão da calamidade já havia sido trazida à tona em debate da comissão mista que analisa os gastos com a Covid-19, no começo deste mês.

Segundo a Folha, o vice-líder do PSD no Senado, Vanderlan Cardoso (GO), que também integra a base aliada e a comissão da reforma tributária, corrobora com a ideia da prorrogação. E

Na Câmara, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já disse ser contra a prorrogação. No Senado, o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), não se manifestou sobre o tema.

O senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da PEC (proposta de emenda à Constituição) Emergencial, que vai incluir a criação do Renda Cidadã, já afirmou que qualquer que seja a proposta para a criação do programa ela deverá causar incômodos.

Para investidores, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a prorrogação do auxílio em 2021 não é uma vontade do governo, embora, segundo ele, a decisão ficará a cargo do Congresso.

Governador anuncia construção do Hospital Ortopédico da Bahia, que será em Salvador

/ Bahia

O governador Rui Costa assinou, nesta sexta-feira (16), decreto de desapropriação da área da antiga BR-Distribuidora, no Stiep, em Salvador, para construção de um novo hospital exclusivo para área de Ortopedia.

Em anúncio feito nas suas redes sociais, Rui informou que o Hospital Ortopédico da Bahia contará com 200 leitos, 12 salas de cirurgia, sendo duas ambulatoriais, 20 leitos de UTI adulto e dez leitos de UTI pediátrico. A expectativa é inaugurar o hospital, que deverá ser o maior centro de sua especialidade do país, até o final de 2021.

O decreto de desapropriação foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) deste sábado (17). O governador informou que o Hospital Ortopédico da Bahia também vai atuar nas áreas de pesquisa e ensino, para formação de novos profissionais. A nova unidade vai substituir o antigo Hospital Manoel Victorino, com uma estrutura muito mais moderna em estrutura física e equipamentos.

”O antigo Manoel Victorino tem 70 anos, com infraestrutura que não representa o padrão dos novos hospitais. Vamos construir o novo hospital com o dobro de leitos que temos no Manoel Victorino e sem as limitações de cirurgias que temos hoje por conta da estrutura do prédio e de equipamentos”, informou Rui.

Acompanhado do secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, e do diretor do Hospital Manoel Victorino, Daniel Alencar, Rui destacou que o novo hospital vai acabar com as filas de espera de cirurgias ortopédicas na rede de saúde do Estado.

Já o secretário ressaltou que a unidade contará com seu próprio centro de reabilitação, dotado de equipamentos modernos e uma piscina, onde os pacientes poderão fazer fisioterapia.

Auxílio emergencial faz arrecadação com ICMS de Estados crescer até 17%, diz estudo da Febrafite

/ Economia

O auxílio emergencial concedido pelo governo federal para a população vulnerável durante a pandemia ajudou a aumentar a arrecadação do ICMS de 14 das 27 unidades da Federação em ano de eleições municipais, aponta estudo da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite).

O trabalho usou dados da arrecadação dos Estados com ICMS para os meses de julho e agosto deste ano e do ano passado. O impulso a demanda gerado pelo benefício minimizou a queda da receita de ICMS, que apresentou no período incremento real de 0,23% na média.

Em alguns Estados, o ganho de arrecadação com o ICMS nos meses analisados chegou a superar 10% na comparação com o mesmo período de 2019. São eles: Roraima (17,38%), Mato Grosso (12,68%), Pará (12,55%) e Rondônia (11,25%).

A retirada do fim dos estímulos fiscais, prevista para 2021, tende a ter um efeito contrário, o que deve exigir cautela dos Estados para não piorar a situação fiscal no ano que vem, alerta a Febrafite, entidade que representa mais de 30 mil auditores fiscais das Receitas Estaduais.

O estudo aponta que a recuperação da arrecadação tributária tem características de estímulos temporários que não devem se perpetuar. Por isso, segundo os autores do trabalho, discutir alternativas de socorros às finanças estaduais de 2021 é uma necessidade que não poderá mais ser adiada.

O estudo procurou mostrar que há uma correlação muito forte entre a arrecadação estadual e as vendas do comércio puxadas pelo auxílio dado a 67,8 milhões de desempregados, informais e beneficiários do Bolsa Família. A lei que criou o auxílio é de abril e o pagamento começou em meados do mesmo mês. Pesquisas apontam que a maior parte desses recursos foi utilizada no consumo, que contribuiu para a recuperação das vendas do comércio e, consequentemente, para a arrecadação tributária estadual.

Dinheiro para o consumo
Segundo o presidente da Febrafite, Rodrigo Spada, os beneficiários do auxílio não têm espaço no orçamento familiar para poupar, o que os levou a gastar o dinheiro todo em consumo. Spada lembra que 80% da arrecadação dos Estados é obtida com o ICMS, imposto cobrado sobre bens e serviços. ”Na comparação dos meses de julho e agosto ficou nítido que houve incremento da arrecadação por conta do auxílio”, diz.

Também contribuiu para o reforço no caixa dos Estados, segundo Spada, o alívio de R$ 125 bilhões concedido aos governadores e prefeitos pelo governo federal, incluindo suspensão da dívida e repasses diretos.

Para a pesquisadora do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) da Fundação Getúlio Vargas, Vilma Pinto, uma das autoras do estudo, a recuperação do comércio é coincidente com o pagamento do auxílio emergencial. O dilema agora, aponta, é que pode haver um choque inverso com a retirada dos estímulos. Os governos estaduais terão que absorver eventual queda de receitas.

Independentemente do rumo do impasse relacionado ao destino do auxílio emergencial, 2021 tende a ser um ano muito difícil. “É importante que as administrações públicas sejam cautelosas” recomendou.

O volume desembolsado do auxílio emergencial deverá ser de aproximadamente R$ 322 bilhões de reais. Em apenas cinco meses de programa, o governo já desembolsou mais de R$ 220 bilhões. O benefício inicial previa três parcelas de R$ 600, e foi estendido em junho para contemplar mais duas parcelas de mesmo valor. Depois houve uma nova prorrogação (até dezembro), dessa vez, com valor reduzido pela metade.

Reequilíbrio das contas
Como mostrou reportagem do Estadão, o comando da Câmara dos Deputados quer acelerar a discussão para aprovação até o fim do ano do plano de reequilíbrio das contas dos Estados e municípios para 2021 começar com menor pressão nessa área fiscal. Em troca de um ajuda da União para conseguir mais crédito e suspensão da dívida, governadores e prefeitos devem se comprometer com medidas de ajuste. O projeto, que substitui o Plano Mansueto que não chegou a ser votado, ganhou o nome de plano Pedro-Benevides, referência ao autor do texto, deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), e ao relator da proposta, deputado Mauro Benevides (PDT-CE).

”Após um período de transferência sem praticamente nenhuma contrapartida, entra agora uma etapa de retorno de crédito para os Estados poderem alavancar investimentos e até fazer uma cobertura de proteção de caixa”, diz o deputado Pedro Paulo. ”Como tempo, podemos voltar a discutir ajustes de conta e de melhora fiscal”, afirmou.

O projeto foi apresentado por Pedro Paulo em abril depois que a discussão da proposta Plano Mansueto acabou, na prática, sendo arquivada na esteira da aprovação do auxílio emergencial para os Estados e Municípios que garantiu um alívio de R$ 125 bilhões.

Benevides antecipou ao Estadão que vai fixar uma multa de 10% sobre o valor da dívida que deixar de ser paga pelo Estado para governadores que não cumprirem as contrapartidas de ajustes. ”Todo ano vai ter uma avaliação. Não cumpriu paga uma multa no primeiro ano. No segundo ano, não cumpriu, é excluído”, afirmou.

O parecer também vai prever corte de 10% dos incentivos fiscais por ano durante três anos, totalizando 30%, além de aprovação de reforma da Previdência para os Estados que não fizeram até agora. Outra medida dura é a exigência de que os governadores paguem as despesas contratadas no mesmo ano ou deixam em caixa os recursos para serem pagos no ano seguinte. Hoje, essa exigência do artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) tem que ser cumprida no último ano de governo. A proposta de Benevides é para que a obrigação seja observada anualmente.

Prefeito de Itabuna suspende caminhadas por Covid-19 e diz que atos terão distanciamento

/ Eleições 2020

O prefeito e candidato à reeleição em Itabuna, no Sul baiano, Fernando Gomes, suspendeu caminhadas eleitorais no município. A medida, segundo o gestor, ocorre após um relatório da secretaria de saúde municipal ter apontado aumento da procura por postos de saúde para atendimento de casos de Covid-19 nos últimos dias.

O período corresponde ao tempo de abertura da campanha eleitoral quando as caminhas começaram a ocorrer. Gomes tomou a decisão de suspender caminhadas em reunião com membros da coligação ”Deixa o Homem Trabalhar”, como o candidato a vice, Son Gomes, e representantes dos partidos coligados – PTC, Republicanos, PMN, Solidariedade e PSL.

GRANDE CAMINHADA

Mesmo com a suspensão das caminhadas, Fernando Gomes manteve o que chamou de ”uma grande carreata” com concentração a partir das 14 horas, na Avenida Ilhéus. Segundo o gestor, o evento obedecerá a critérios de distanciamento social, com uso de máscaras de proteção e álcool gel.  ”A melhor alternativa é suspender as caminhadas e manter atividades que não impliquem na concentração de pessoas. A minha preocupação é com a preservação de vidas humanas, até que se encontre uma vacina capaz de imunizar a população, o que deve acontecer com fé em Deus,  até o próximo ano”, disse o prefeito.

Até esta quinta-feira (15), o município acumulava 12.941 casos confirmados de novo coronavírus com 291 óbitos provocados. Com informações do site Bahia Notícias

Uesb fará debate entre candidatos a prefeito de Jequié e será transmitido pela Uesb FM e TV Uesb

/ Eleições 2020

Organizado pelo Sistema Uesb de Rádio e TV Educativas (Surte) da Uesb, será realizado, no dia 27 de outubro, das 17 às 19 horas, no campus de Jequié, o primeiro debate entre os seis candidatos a prefeito da cidade nas Eleições 2020. O evento acontecerá no Anfiteatro Professor Manoel Sarmento e será transmitido, simultaneamente, na Uesb FM, na TV Uesb e no canal do YouTube da emissora.

Seguindo os protocolos e recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) em tempos de pandemia da Covid-19, como aferição de temperatura, distanciamento entre pessoas, uso de mascara e álcool em gel, o debate terá quatro blocos. Os candidatos que participarão do debate são Ze Cocá (PP), James Meira (Patriotas), Rita Rodrigues (PC do B), Tom Legal (PRTN), Pé Roxo (Psol) e Dr. Fernando (PSD).

O debate terá regras estabelecidas, como sorteio para posição dos candidatos, tempo de apresentação de cada um com suas propostas, perguntas, respostas, réplicas e tréplicas. No bloco 1, após sorteio, cada candidato terá dois minutos para se apresentar. Nos blocos 2 e 3, candidatos perguntam para candidatos – 30 segundos para pergunta, três minutos para resposta, um minuto para réplica e um minuto para tréplica. No último bloco, cada candidato terá três minutos para as considerações finais.

De acordo as regras, cada candidato só poderá estar acompanhado por duas pessoas, sendo um assessor e um presidente do partido. Cada candidato só poderá perguntar e responder  uma vez. O direito de resposta será avaliado pela coordenação do debate e o tempo será descontado do ofensor. Imagens e áudios poderão ser gravados pelos candidatos.

A imprensa local terá um espaço reservado e sinal de internet disponibilizado pela Uesb para cobertura do evento. Fotos e imagens serão permitidos, desde que haja um revezamento dos profissionais no espaço do debate, e as entrevistas com os candidatos só serão permitidas após o término do debate. Os profissionais de rádios, TVs, blogs e mídias sociais terão que se credenciar, com até dois dias de antecedência do evento, pelo e-mail [email protected]

 

Maracás: Prefeito presta queixa contra adversários por Fake News sobre veículo sem condições de uso

/ Eleições 2020

Soya vai à Delegacia denunciar fake news. Foto: Divulgação

Temperatura elevada nas Eleições Municipais 2020 em Maracás. A condução nada republicana de algumas pessoas vem transformando a disputa numa batalha que extrapola o bom senso. Um dos que tem reclamado é o prefeito Uilson Novaes, o popular Soya (PDT), candidato à reeleição. Inclusive esteve na Delegacia de Polícia do Município, na terça-feira (13), para registrar queixa crime contra aqueles que, segundo ele, vem propagando Fake News em rede social.

Conforme Boletim de Ocorrência que o Blog Marcos Frahm teve acesso, o prefeito diz ter tomado conhecimento da publicação de um vídeo onde aparece a imagem de um veículo, sem condições de uso, que seria de propriedade da Prefeitura e utilizado como ambulância no início da sua gestão em 2017 e que, por não ter mais condições de uso foi recolhido a garagem da Secretaria Municipal de Transporte.

Soya disse à polícia que no vídeo aparece uma série de notas de abastecimento de combustível com o objetivo de induzir as pessoas a acreditarem que seriam notas distribuídas nos dias atuais. O prefeito alegou também, na Delegacia, que o vídeo estava sendo propagado por integrantes de um grupo político contrário ao seu projeto e que se sentiu ofendido e que vai representar criminalmente contra os autores do vídeo e os responsáveis pela publicação nas redes sociais inclusive em grupos de WhatsApp.

Em Nota, o prefeito Wilson Soya diz ter sofrido um dos ataques mais covardes que já existiu. ”Tentam a todo custo abalar a minha imagem sem nada comprovar, pois sabem que a minha honestidade, a minha conduta irretocável, o meu caráter e cuidado extremo com os recursos públicos são irrenunciáveis”, disparou.

O político acrescentou: ”Quero expressar que nenhum desvio de verba da saúde foi realizado. Quero expressar que não há nenhuma fraude com o abastecimento da frota do Município. Redes sociais suportam o que papéis não conseguem provar. Atitudes como esta tornam-se recorrentes, já que vindas de um grupo totalmente descredibilizado perante a nossa sociedade. Meu nome é o meu maior patrimônio, e jamais o colocarei à disposição da população, se não for para honrá-lo”.

O prefeiturável disse que as Fake News podem causar danos incalculáveis a vida de um ser humano e que ”por tal razão, não me verão compactuando com atitudes desta natureza” e concluiu: ”Em respeito a sociedade de Maracás, venho informar que as medidas judiciais já foram adotadas no sentido de punir os envolvidos. Em suma, quero assegurar que não permitirei que a minha história seja maculada por quem é desprovido de caráter e respeito”.

Governador Rui Costa anuncia pagamento da quarta parcela do vale-alimentação estudantil

/ Educação

”Dia 26 o dinheiro estará depositado na conta”. Foto: Manu Dias

O governador Rui Costa anunciou, nesta sexta-feira (16), o pagamento de mais uma parcela do vale-alimentação estudantil. O benefício visa a segurança alimentar dos estudantes e de suas famílias, neste período de suspensão das aulas por causa da pandemia do novo Coronavírus.

Nesta quarta parcela serão investidos mais R$ 44 milhões, totalizando um investimento de R$ 176 milhões de recursos próprios do Governo do Estado. A previsão é de que o crédito já esteja depositado nos cartões no próximo dia 26. Rui também informou que, na próxima semana, serão testados para Covid-19 estudantes e profissionais de Educação da área da Liberdade.

”Já definimos com os secretários da Fazenda e da Educação o pagamento da ajuda aos estudantes, que corresponde a uma cesta básica. Dia 26 foi o prazo que a empresa de cartão de crédito disponibilizou, por questões técnicas para fazer o pagamento. Portanto, dia 26 o dinheiro estará depositado na conta dos cerca de 750 mil alunos da rede estadual de ensino”, informou o governador.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, lembrou que todos os estudantes regularmente matriculados na rede estadual de ensino têm direito ao benefício, que é de R$ 55 por parcela. ”Estes recursos que estão sendo destinados ao vale-alimentação estudantil não estavam previstos no orçamento e o Governo do Estado faz mais este esforço, o que ressalta a preocupação e o zelo do governador Rui Costa com os nossos estudantes. As parcelas não equivalem a pagamentos mensais, mas representam uma contribuição alimentar e social importante para os estudantes e suas famílias, além de movimentarem a economia nos 417 municípios baianos”, afirmou.

Para a retirada da quarta parcela, o estudante deverá usar o mesmo cartão utilizado anteriormente, com a bandeira Alelo, que é aceito em mais de 18 mil estabelecimentos em toda a Bahia. O recurso é destinado, exclusivamente, para a compra de gêneros alimentícios, como feijão, arroz, macarrão, carne, frango, frutas, verduras, café e leite, sendo que a aquisição dos alimentos é de livre escolha dos estudantes.

A Secretaria da Educação do Estado reforça a orientação para que vá ao supermercado apenas um membro da família, seguindo todas as normas de segurança, como o uso de máscaras de proteção individual, em função da pandemia pelo novo Coronavírus. Em caso de dúvidas, o estudante pode entrar em contato com a escola onde está matriculado. A secretaria também disponibiliza os canais da Ouvidoria pelo 0800 284 0011, pelo e-mail [email protected] ou pelo Fale com a Ouvidoria, disponível no Portal da Educação (institucional.educacao.ba.gov.br/falecomouvidoria).

Exonerado pelo prefeito interino, ex-secretário de Saúde de Jequié é nomeado por Rui em Salvador

/ Jequié

Vitor Lavinsky vai gerir unidade de saúde na capital. Foto: Rede social

O governador Rui Costa nomeou nessa sexta feira (16),  o ex-secretário de saúde de Jequié, o advogado Vitor Lavinsky como diretor da Unidade Emergencial do Curuzu, denominada Mãe Hilda Jitolu, no bairro da Liberdade, em Salvador.

Quase 200 mil usuários são atendidos por essa unidade de saúde em dezenas de especialidade medidas e procedimentos de saúde. É a única unidade de Pronto Atendimento sob a gestão do estado que atende a população do bairro da Liberdade e entornos.

Com a missão dada pelo governador Rui Costa, Vitor Lavinsky assume novo desafio depois de ter uma passagem destacada pela secretaria de saúde de Jequié, onde desempenhou com brilhantismo a função pública, sendo responsável direto pela reestruturação da rede municipal de saúde, com reforma e reativação de mais de 19 unidades de saúde, aquisição de Castramóvel, reestruturação da frota de veículos próprios da secretaria, reestruturação das farmácias básicas nas unidade de saúde, saneamento das contas públicas da saúde, além de enfrentar, com empenho, a pandemia do novo Conoravírus, obtendo resultados satisfatório e bem aceito pela população, apesar dos números de infectados pela doença na Cidade Sol.

Aos 17 anos, Anna Catarina oficializa noivado com seu iluminador, Wesley Toquado: ”É o nosso sonho”

/ Entretenimento

Catarina está noiva Wesley Toquado. Foto:Reprodução/Instagram

A cantora Anna Catarina reuniu amigos e familiares em uma festa de noivado na noite de quarta-feira (15) em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador. Aos 17 anos, a baiana oficializou o relacionamento com Wesley Toquado, que é iluminador da banda. Os dois estão juntos desde dezembro de 2019.

”É uma responsabilidade. Escolhi viver a vida, aproveitar a vida ao lado de uma pessoa, ao invés de ficar trocando de namorado como se troca de lace. Preferi estar ao lado de uma pessoa insuportável, que me faz feliz. Escolhi passar por tudo isso. É o nosso sonho”, disse a cantora durante a troca de alianças.

Na ocasião, Anna ainda salientou que todos os convidados foram testados na porta do evento para evitar a propagação da Covid-19 e ressaltou que na cidade está liberado eventos com até 100 pessoas.

3,6 milhões de nascidos em julho recebem nova parcela do auxilio emergencial nesta sexta

/ Economia

Uma nova parcela do auxílio emergencial é depositada pela Caixa, nesta sexta-feira (16). O valor pode ser de R$ 600 ou de R$ 300, dependendo de quando o beneficiário teve seu cadastro aprovado. O pagamento de hoje é para aniversariantes de julho que não estão inscritos no Bolsa Família

Entre os beneficiários, estão 2,3 milhões que vão receber a primeira parcela do Auxílio Emergencial extensão, de R$ 300. Outros 1,3 milhão ainda vão receber alguma das parcelas de R$ 600 – entre eles, trabalhadores que fizeram a contestação entre os dias 20 de julho e 25 de agosto, e que receberão a primeira das 5 parcelas de R$ 600 do benefício.

Bolsonaro diz que senador tinha prestígio e carinho, mas que dinheiro na cueca não tem a ver com governo

/ Brasília

Bolsonaro fala sobre dinheiro apreendido. Foto: Alan Santos

Em um esforço para se dissociar de seu aliado flagrado com dinheiro entre as nádegas, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira (15) lamentar trabalhar ”que nem um desgraçado” e ”idiotas” o acusarem de corrupção.

O presidente usou parte de sua live -cerca de dez minutos menor que de costume- para argumentar que o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), vice-líder de seu governo até a manhã desta quinta, não faz parte de seu governo, embora tenha definido o parlamentar como ”uma pessoa que gozava do prestígio, do carinho de quase todos”.

O episódio acontece uma semana após Bolsonaro dizer que acabou com a Lava Jato por não haver corrupção em sua administração. Na quarta-feira (14), horas antes do episódio do dinheiro oculto, o presidente havia dito que daria ”uma voadora no pescoço” de quem praticasse corrupção em seu governo.

”Ninguém falou [que não há corrupção] no Brasil, falei no meu governo. Os ministros”, disse o presidente limitando o escopo de sua gestão. “Quando eu falo não tem corrupção no governo, repito, não tem. O que é o governo? São os ministros.”

Bolsonaro lamentou que tudo que acontece no país é creditado em sua conta. ”O que dói é você trabalhar que nem um desgraçado e uns idiotas aí te acusarem de corrupção”, disse o presidente antes de reiterar que seu governo ”está indo bem” e que, nele, ”não tem corrupção”.

Ele aproveitou a transmissão ao lado dos ministros André Mendonça (Justiça) e Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União) para argumentar que a operação que atingiu um aliado é exemplo de que não há tentativa de interferência na Polícia Federal.

”Considero aquilo uma denunciação caluniosa”, afirmou, referindo-se a denúncia feita por Sergio Moro, seu ex-ministro da Justiça. Pouco tempo depois, ao comentar o caso do líder do PCC (Primeiro Comando da Capital) André de Oliveira Macedo, o André do Rap, Bolsonaro elogiou Moro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), seu desafeto, pela iniciativa de separar líderes da facção criminosa que estão presos.

Na live, Bolsonaro também comentou a sessão que manteve a revogação do habeas corpus concedido ao chefe do PCC. Por ordem do ministro Marco Aurélio Mello no início do mês, Macedo foi solto no dia 10 e está foragido desde então. Ao final, o placar foi 9 a 1. ”Eu jamais botaria em liberdade um elemento como este”, afirmou.

Pouco antes, a apoiadores, Bolsonaro também falou sobre o assunto. “Tudo botam na minha conta. O ministro entendeu que, de acordo com aquela lei, ele devia ser posto em liberdade. Agora à tarde, nove ministros entenderam exatamente o contrário. E daí? A interpretação de qualquer coisa é da cabeça de cada um. Agora, me culpar por aquilo é de uma falta de caráter imenso”, disse Bolsonaro.

O presidente foi envolvido na discussão por não ter vetado no pacote anticrime usado para soltar o traficante. A mudança no artigo 316 do Código de Processo Penal (CPP) foi sancionado sem o apoio de Moro, ministro da Justiça à época.

”Não posso sempre dizer não ao Parlamento, pois estaria fechando as portas para qualquer entendimento”, disse Bolsonaro em uma publicação em rede social após sancionar o pacote anticrime.

Capital baiana: Justiça determina que Bruno Reis diminua participação de ACM Neto em programas

/ Eleições 2020

Bruno tem o apoio de ACM nas eleições 2020. Foto: Walter Pontes

O candidato Bruno Reis (DEM) à Prefeitura de Salvador terá que diminuir o tempo que o atual prefeito de Salvador, ACM Neto, aparece em seus programas eleitorais. A decisão vem após o PCdoB entrar com uma representação na Justiça.

Segundo o A Tarde, para o PCdoB, a participação de ACM Neto é excessiva e que chega a ter até 100% de atuação do prefeito. A juíza acatou o pedido do partido e solicitou a retirada dos programas para adequar o tempo de participação do apoiador, que limita em até 25% do tempo.

O presidente do PCdoB em Salvador, Jurandir Júnior, criticou o uso de Bruno Reis da propaganda eleitoral. ”Na propaganda do DEM, parece que Bruno Reis é garoto-propaganda de ACM Neto”, disse Júnior. O candidato do DEM ainda não se pronunciou sobre a decisão.