Com Bolsonaro em ato com ameaças golpistas, Mourão diz que não há clima para impeachment

/ Política

Vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Foto: Reprodução

Um dia após participar de manifestação de raiz golpista no feriado de 7 de Setembro, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse que não há clima no Congresso para aprovar o impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido).

O general da reserva classificou como “expressiva” a adesão da população aos protestos promovidos por Bolsonaro.

”Não vejo que haja clima para ao impeachment do presidente. Clima tanto na população, como um todo, como dentro do próprio Congresso”, disse o vice.

As ameaças golpistas do presidente devem aumentar a reação ao governo no Congresso. O pós-7 de Setembro também teve como efeito colateral um aquecimento das discussões de impeachment nos partidos de centro.

”Acho que o nosso governo tem a maioria confortável de mais de 200 deputados lá dentro. Não é maioria para aprovar grandes projetos, mas é capaz de impedir que algum processo prospere contra a pessoa do presidente da República”completou.

Mourão também cobrou medidas para “distensionar” a relação de Bolsonaro com o Judiciário. Para o vice, a saída é passar para a PGR (Procuradoria-Geral da República) a condução de inquéritos hoje relatados pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

“Houve uma concentração expressiva da população brasileira (nos atos). É uma mudança. As ruas sempre foram domínios dos segmentos de esquerda”, disse Mourão.

O vice não quis comentar o teor dos discursos de Bolsonaro nos protestos.

Em falas diante de milhares de apoiadores na terça-feira (7) em Brasília e São Paulo, Bolsonaro fez ameaças golpistas contra o STF, exortou desobediência a decisões da Justiça e disse que só sairá morto da Presidência da República.

Moraes, do STF, foi o responsável por decisões recentes contra bolsonaristas que ameaçam as instituições. O ministro tem agido a partir de pedidos da PGR (Procuradoria-Geral da República), sob o comando de Augusto Aras, indicado por Bolsonaro, e da Polícia Federal, órgão subordinado ao presidente.

”A gente precisa distensionar (com o Judiciário). Acho que existem cabeças ali dentro que entendem que isso foi além do que era necessário. Conversando a gente se entende”, disse Mourão.

O vice estimou 150 mil presentes no ato em Brasília, que ele acompanhou ao lado de Bolsonaro. Para o general da reserva, um público “ao redor desse número” também esteve nas manifestações feitas no Rio de Janeiro e em São Paulo.

“Na minha visão existe um tensionamento, principalmente entre o Judiciário e o Executivo. Eu tenho a ideia muito clara que o inquérito que é conduzido pelo Moraes não está correto. O juiz não pode conduzir o inquérito. Acho que tudo se resolveria se o inquérito passasse para mão da PGR e acabou”, disse Mourão.

As declarações foram feitas antes de o vice embarcar com embaixadores para a Amazônia.

A atual crise institucional, patrocinada por Bolsonaro, teve início quando o presidente disse que as eleições de 2022 somente seriam realizadas com a implementação do sistema do voto impresso –essa proposta já ter sido derrubada pelo Congresso.

O STF analisa atualmente cinco inquéritos que miram o presidente Jair Bolsonaro, seus filhos ou apoiadores na área criminal. Já no TSE tramitam outras duas apurações que envolvem o chefe do Executivo.

Apesar de a maioria estar em curso há mais de um ano, essas investigações foram impulsionadas nas últimas semanas após a escalada nos ataques golpistas do chefe do Executivo a ministros das duas cortes e a uma série de acusações sem provas de fraude nas eleições.

Anunciado por Bolsonaro nos últimos dois meses como uma espécie de tudo ou nada para ele, as manifestações do 7 de Setembro podem ampliar o seu isolamento político, no momento em que, de olho em 2022, depende do STF e do Congresso para a liberação de recursos e aprovação de projetos.

Ao mesmo tempo em que perde capital político com a crise entre os Poderes, intensificada por seus ataques ao Judiciário, a alta da inflação e a crise energética se colocam como novos obstáculos para o projeto de sua reeleição no ano que vem.

Bolsonaro usou toda a estrutura da Presidência para os atos com ameaças golpistas, tanto no deslocamento entre São Paulo e Brasília como em sobrevoos em helicópteros na Esplanada e na Paulista.

Segundo a Polícia Militar de São Paulo, 125 mil pessoas participaram do ato na avenida Paulista, que recebeu caravanas de bolsonaristas vindos de outros estados –os organizadores esperavam 2 milhões de pessoas no ato de SP. Todas as 27 capitais registraram manifestações em defesa do governo.

Como o próprio Bolsonaro já disse, ele buscava nesses protestos uma foto ao lado de milhares de apoiadores para ganhar fôlego em meio a uma crise institucional provocada pelo próprio, além das crises sanitária, econômica e social no país.

*por Mateus Vargas/Folhapress

Os níveis de acesso à educação entre refugiados sofreram queda durante a pandemia de covid-19

/ Educação

Os níveis de acesso à educação entre refugiados sofreram queda durante a pandemia de covid-19. A constatação é da Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), que chama a atenção para a necessidade de um esforço internacional a fim de garantir o acesso à educação secundária para crianças e jovens refugiados.

De acordo com os dados coletados pela Acnur em 40 países, a taxa bruta de matrícula para jovens refugiados no nível secundário, entre 2019 e 2020, foi de apenas 34%. Em quase todos os países, a taxa é inferior à das crianças das comunidades de acolhida. O ensino secundário, entre o 6º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio, deve ser um momento de crescimento, desenvolvimento e oportunidades. Segundo a agência, esse período aumenta as perspectivas de emprego, saúde, independência e liderança de jovens em situação de vulnerabilidade e os torna menos suscetíveis a serem inseridos em cenários de trabalho infantil.

É provável, segundo a Acnur, que a pandemia tenha prejudicado ainda mais as oportunidades dos refugiados. Na avaliação da agência da ONU, a covid-19 tem sido prejudicial para todas as crianças, mas para jovens refugiados, que já enfrentam obstáculos significativos de acesso à educação, ela pode destruir todas as esperanças de alcançarem a educação de que precisam. ”O recente progresso feito na matrícula escolar de crianças e jovens refugiados está agora sob ameaça”, afirma o alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi. ”Enfrentar esse desafio requer um esforço massivo e coordenado, e é uma tarefa da qual não podemos nos esquivar”, acrescenta.

Na avaliação da Acnur, os países que acolhem grande número de refugiados precisam de assistência para ter capacidade de atender a esses jovens: mais escolas, materiais de aprendizagem apropriados, treinamento de professores em disciplinas especializadas, apoio e instalações para meninas adolescentes e investimento em tecnologia e conectividade para acabar com a exclusão digital.

Ensino superior

Quando o foco é nas matrículas do ensino superior, elas foram de 5%, um aumento de 2 pontos percentuais a cada ano. ”Esse ganho representa uma mudança transformadora para milhares de pessoas refugiadas e suas comunidades. É um aumento que também gera esperança e incentivo aos refugiados mais jovens, que enfrentam grandes desafios relacionados ao acesso à educação”, ressalta a Acnur.

Apesar disso, o nível permanece baixo quando comparado aos números globais. Sem um expressivo aumento no acesso ao ensino secundário, a meta ”15 em 30” estabelecida pela organização e parceiros – 15% dos refugiados matriculados no ensino superior até 2030 – permanecerá fora de alcance.

Acnur

A Agência da ONU para Refugiados é uma organização dedicada a salvar vidas, assegurar os direitos e construir futuro melhor para as pessoas que foram forçadas a deixar suas casas e comunidades devido a guerras, conflitos armados, perseguições ou graves violações dos direitos humanos. Presente em mais de 130 países, a entidade atua em conjunto com autoridades nacionais e locais, organizações da sociedade civil, academia e o setor privado para que todas as pessoas refugiadas, deslocadas internas e apátridas encontrem segurança e meios para reconstruir sua vida.

Bahia recebe mais de 74 mil doses da Pfizer em remessa que chegou nesta segunda-feira

/ Bahia

Mais um lote de vacinas contra a Covid-19 desembarcou em Salvador. Na tarde desta segunda-feira (6), uma remessa com 74.880 doses da Pfizer foi recebida pela Bahia. Mais cedo, durante a manhã, outro voo comercial pousou no aeroporto de Salvador com 517.200 e 268.800 doses do imunizante Sinovac/Coronavac.

Além das 860.880 mil doses de vacinas que chegaram ao estado nesta segunda, a Bahia deve receber mais 146.250 doses da vacina da Pfizer às 9h35 desta terça-feira, segundo a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). No total, serão 1.007.130 doses recebidas durante os dois dias.

Com estas cargas, a Bahia chegará ao montante de 17.890.118 doses de vacinas recebidas, sendo 7.170.718 da Sinovac/Coronavac; 6.751.580 da Oxford/AstraZeneca; 3.706.720 da Pfizer e 261.100 da Janssen.

Bolsonaro assina MP para limitar remoção de conteúdos das redes sociais na véspera de atos de raiz golpista

/ Brasília

Jair Bolsonaro assina medida provisória, Foto: Isac Nóbrega

Na véspera de manifestação de raiz golpista e pró-governo, o presidente Jair Bolsonaro assinou MP (medida provisória) para limitar a remoção de contas e perfis das redes sociais.

A medida foi anunciada nesta segunda-feira (6) na página da SecomVC no Twitter, perfil administrado pela Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) da Presidência da República.

”O Presidente Jair Bolsonaro acaba de assinar medida provisória que altera o Marco Civil da Internet, reforçando direitos e garantias dos usuários da rede e combatendo ”a remoção arbitrária e imotivada de contas, perfis e conteúdos por provedores”, afirmou a publicação do governo.

Bolsonaro tem criticado ações do STF (Supremo Tribunal Federal) e do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra páginas bolsonaristas investigadas por disseminar fake news.

*por Mateus Vargas, Folhapress

Ministério da Saúde bloqueia lotes da ”CoronaVac” com o uso suspenso pela Anvisa

/ Saúde

O Ministério da Saúde interditou lotes da vacina CoronaVac que foram suspensos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os 25 lotes ficarão interditados até que a agência termine a apuração sobre a situação dos imunizantes.

A pasta também iniciou o rastreamento de doses que tenham por ventura sido aplicadas. Esses pacientes ficarão em acompanhamento por equipes do Sistema Único de Saúde até a decisão final da Anvisa, para avaliar possíveis eventos adversos.

O conjunto dos lotes totaliza 12,1 milhões de doses, enviadas da farmacêutica Sinovac, da China. Segundo a Anvisa, as vacinas foram envasadas em uma fábrica que não foi inspecionada, nem aprovada pela agência brasileira.

Em nota, o Instituto Butantan disse que a suspensão não deve ”causar alarmismo”. O órgão informou que foi ele próprio que comunicou o fato à Anvisa. Segundo o comunicado, houve uma “mudança em uma das etapas do processo de formulação da vacina, nas instalações fabris da Sinovac, que pode ocorrer no processo de produção”.

Mas, continua a nota do instituto, ”vale reiterar que a fábrica chinesa tem certificação de que segue boas práticas internacionais, a GMP, e também foi feita a inclusão na Anvisa. O Butantan informa que enviou toda a documentação de qualidade vinda da China, da Sinovac, sobre os lotes citados”.

Reunião
Hoje, representantes da Anvisa e do Instituto Butantan reuniram-se para tratar sobre o caso. Os integrantes do instituto apresentaram informações sobre a avaliação de risco realizada pelo órgão. Esta análise afastou a existência de risco nos lotes interditados.

Os representantes da Anvisa responderam que para fazer essa conclusão é preciso avaliar o novo local onde ocorreu a fabricação dos lotes, o que só pode ocorrer com laudo de uma autoridade sanitária prevista para tal ou por meio de inspeção da própria equipe técnica da agência.

O Instituto Butantan disse que ainda não há autorização por autoridade sanitária nacional e recomendou que fosse realizada uma inspeção remota pela equipe técnica da Anvisa. Já os integrantes da Anvisa ponderaram que esse tipo de análise não tem se mostrado eficiente. O instituto se comprometeu a apresentar informações adicionais.

A agência informou que começou os trâmites internos para uma inspeção presencial. Para que os lotes sejam liberados, é preciso haver esse tipo de exame pelos técnicos do órgão ou um laudo de autoridade sanitária reconhecida pela instituição.

Prefeitura de Jequié vacina contra a Covid mesmo no feriado de 7 de Setembro

/ Jequié

Vacinação ocorre das 08h às 13h. Foto: Divulgação/Prefeitura

Mesmo no feriado de 7 de Setembro, a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde, segue com o processo de vacinação para o público geral de 18 anos de idade ou mais. O horário de atendimento será, excepcionalmente das 8 horas da manhã até às 13 horas.

Também segue a vacinação para os adolescentes, isto é, 12 anos de idade em diante, com comorbidades, além da aplicação de 2ª dose para o público em geral, inclusive antecipação para quem tem agendamento para o dia 8.

Ministros do STF têm segurança pessoal reforçada por causa das manifestações do 7 de Setembro

/ Justiça

Por conta das manifestações marcadas para esta terça-feira (7), feriado da Independência do Brasil, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) terão a segurança pessoal reforçada após decisão da corte. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo e confirmada pela CNN Brasil.

Os ministros da corte têm sido alvos frequentes de ataques pelas redes sociais, principalmente o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e o ministro Alexandre de Moraes.

Atualmente, o STF conta com 10 magistrados, pois a cadeira de Marco Aurélio ainda não foi preenchida após sua aposentadoria no mês de julho.

De acordo com a CNN Brasil, o prédio da corte e seus anexos já receberam grades e estão cercados por carros de polícia. Além da segurança pessoal e de protocolos que visem proteger suas residências, eles foram aconselhados a evitar locais públicos desacompanhados. O temor é pela integridade física dos magistrados.

Bahia vacinou 82,2% da população adulta com pelo menos uma dose de vacina contra Covid

/ Bahia

Com 9.114.777 vacinados contra o coronavírus (Covid-19) com a primeira dose ou dose única, a Bahia já vacinou 82,21% da população adulta (18 anos ou mais) estimada em 11.087.169. Cerca de 4.218.574 completaram a imunização, ou seja, 38% do público alvo.

Em Salvador, 1.911.689 receberam a primeira dose ou dose única da vacina, o que corresponde a 90,2% do público alvo (2.119.195 pessoas, sendo 1.977.574 indivíduos com 18 anos ou mais e 141.621 adolescentes cadastrados) vacinado. A parcela da população totalmente imunizada é de 946.097 pessoas, ou seja, 44,6%.

Já a terceira dose, de reforço, para os idosos com 80 anos ou mais e imunossuprimidos, foi aplicada em 8.444 indivíduos na capital baiana.

Jequié: Moana solicita regularização e padronização das barracas da Praça Valter Gomes de Santana

/ Jequié

Moana Meira apresentou proposta na Câmara. Foto: Emanul Jr.

Aprovada pela Câmara Municipal proposta de autoria da vereadora Moana Meira em que solicita a regularização e padronização das barracas dos vendedores ambulantes instaladas na Praça Valter Gomes de Santana ”Foca”, localizada em frente ao Estádio Waldomiro Borges, no bairro Mandacaru.

A vereadora alerta para o crescimento desorganizado dos vendedores ambulantes em diversos pontos da cidade e para a necessidade de se pensar e buscar alternativas eficazes para oferecer melhores condições de trabalho para esta importante categoria de profissionais liberais, em especial naquela localidade, a fim de que não venha a acontecer com os mesmos os transtornos enfrentados em outras localidades.

WhatsApp doa plataforma para consórcio de prefeitos tratar de ações contra a Covid

/ Saúde

WhatsApp doou uma plataforma para prefeitos. Foto: FNP

O WhatsApp doou uma plataforma para que o Consórcio Conectar, braço da Frente Nacional de Prefeitos criado em março que reúne 2.500 municípios para ações na área da saúde, articule suas ações para imunização e combate à Covid-19.

Marcelo Cabral, secretário-executivo do Conectar, diz que o WhatsApp deverá ser o meio oficial de comunicação entre o consórcio, secretarias de saúde e prefeitos para tratar de questões técnicas, tirar dúvidas e avisar sobre a chegada de lotes de vacinas. ”Muitas das cidades não tem email institucional, por isso há muita dúvida se as mensagens são autênticas.”

Entre as ferramentas oferecidas ao consórcio estão a possibilidade de enviar mensagens a cerca de 8.000 pessoas, incluindo prefeitos e secretários municipais, criar filtros para grupos de destinatários entre esses perfis, uso de chatbot para atutomarizar conversas e uma conta verificada.

O primeiro edital para compra de material hospitalar do consórcio será publicado nesta semana. Vão ser comprados pelos municípios 64 milhões de itens, incluindo seringas, agulhas e equipamentos de proteção. O custo estimado é de R$ 178 milhões e a previsão é que a aquisição em conjunto proporcione redução de ao menos 15% nos custos. Com informações do site Bahia Notícias

Cantora Aninha Nunes morre baleada enquanto andava de moto com namorado em Salvador

/ Entretenimento

Aninha estava na garupa de uma moto: Foto: Reprodução/Instagram

A cantora Ana Cláudia Nunes da Cruz, de 29 anos, foi morta a tiros na madrugada desta segunda-feira (6) na Avenida Luís Eduardo Magalhães, no Cabula. O crime aconteceu por volta das 3h, na Avenida Luís Eduardo Magalhães.

Segundo a Polícia Civil, Ana Cláudia foi baleada quando estava em uma moto com o namorado. Uma testemunha contou à polícia que um homem se aproximou do casal em outra moto e atirou apenas contra Ana Cláudia, fugindo em seguida. Atingida pelo disparo, ela morreu ainda no local.

Ana Cláudia já atuou como backing vocal em bandas de pagode. Segundo o perfil Eu Babadeira, da colunista do Jornal Correio Nereida Albernaz, a jovem, que usava o nome artístico Aninha Nunes, atualmente era backing vocal do cantor Vinícius Amaral. Ela também trabalhava como cabeleireira e chegou a atender diversas personalidades baianas.

Momentos antes de morrer, Aninha publicou vídeos dançando e se divertindo em uma festa, cantando músicas de pagode. Nas imagens, ela aparece maquiada, vestida com uma roupa preta, na companhia de uma banda.

O namorado de Ana Cláudia foi intimado a prestar depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que irá conduzir a investigação. Ainda não há informação sobre suspeitos ou motivação do crime.

Quatro pessoas são resgatadas de lancha após embarcação pegar fogo na Ilha de Maré; veja vídeo

/ Bahia

Uma lancha de recreação pegou fogo enquanto navegava nas proximidades da Ilha de Maré, na Baía de Todos os Santos, na tarde de domingo (5). As três pessoas e um tripulante que estavam a bordo foram socorridos por outra embarcação que passava pelo local. Todos passam bem. A lancha naufragou logo após o incêndio.

De acordo com a Capitania dos Portos da Bahia (CPBA), uma equipe de Busca e Salvamento (SAR) também foi enviada ao local para prestar o auxílio necessário às vítimas. ”A lancha ”Capitão Jack” naufragou em função do ocorrido e, até o momento, não foram identificados indícios de poluição hídrica”, disse o CPBA. Não há informações sobre o que ocasionou o incêndio na lancha, que também é utilizada para a prática de esportes.

As causas, circunstâncias e responsabilidades do incidente, ainda segundo o CPBA, serão apuradas.

Três mortos e um baleado em pontos diferentes de Jequié nas últimas 24 horas, diz polícia

/ Jequié

Crimes ocorreram em pontos diferentes de Jequié. Foto: BMFrahm

A polícia registrou três crimes homicídios nas últimas 24 horas em Jequié. O primeiro crime ocorreu na tarde de domingo (5), no Residencial Vida Nova, na localidade de Baixa do Bonfim, no bairro Jequiezinho, quando um jovem de 21 anos, A.D.F, foi atingido por vários disparos de arma de fogo e não resistiu, indo a óbito no local.

Outra vítima, um jovem de 22 anos, R.O.S, também foi atingida e socorrida ao Hospital Geral Prado Valadares – HGPV. Por volta das 22h, no mesmo residencial Vida Nova foi morto a tiros Joilson Souza Silva, cujo corpo foi encontrado no interior de uma casa, próximo a janela que dava acesso ao quintal do imóvel, conforme informações da Delegacia da Polícia Civil, que investiga o caso.

Ainda de acordo com a polícia, Joilson foi alvejado com pelo menos 15 disparos e o clima de tensão após atos de violência no local preocupa moradores. O corpo do homem foi encaminhado ao IML após perícia realizada pela Polícia Técnica.

Nesta segunda-feira (6), na Rua Ademário Pinheiro, bairro Joaquim Romão, Adriano Santos de Oliveira também foi morto a tiros e não há informações sobre a autoria do crime. O setor de Divisão de Homicídios da Delegacia Territorial informou que já abriu inquérito para apurar os crimes.

Atuação da PM contra criminalidade resulta em apreensão histórica de droga no oeste da Bahia

/ Polícia

Ação ocorreu em Oliveira dos Brejinhos. Foto: Divulgação/Cpro

Neste fim de semana, a Polícia Militar realizou uma das maiores apreensões de drogas da história da Bahia e a maior já registrada na região oeste. Mais de 8 toneladas de maconha foram localizadas na Fazenda Caraíbas, na região de Pajeú, no município de Oliveira dos Brejinhos, por policiais do Comando do Policiamento da Região Oeste, Rondesp Oeste e Cipe Cerrado.

O Governo do Estado tem intensificado, nos últimos anos, o investimento na Polícia Militar para reforçar o combate à criminalidade e ao tráfico de drogas em todo estado. Novas viaturas, uso de tecnologia, construção de estruturas e contratação de pessoal por meio de concursos favorecem o policiamento e a efetiva prestação de serviço de segurança à população.

”Tivemos 40 policiais diretamente envolvidos nesta operação. Nós cumprimos nossa missão de trazer segurança para a sociedade. A nossa obrigação é servir e proteger a população sempre. Essa é a missão da Polícia Militar da Bahia. A Polícia Militar está preparada para fazer frente a qualquer investida criminosa. Não é diferente aqui na região oeste. Essa operação é fruto de um trabalho interagências e de inteligência muito proveitoso”, afirmou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Coutinho, que desembarcou em Barreiras, neste domingo (5), para verificar o resultado da ação e parabenizar os policiais envolvidos.

O montante apreendido tem um valor estimado em R$ 17 milhões. Também foram apreendidos fogos sinalizadores, armas, balança de grande porte, carros e motocicletas. Para o recolhimento e carregamento das 400 embalagens de maconha encontradas, os policiais precisaram utilizar equipamentos como retroescavadeira e caminhões.

O rastreamento da droga foi realizado pelo serviço de inteligência da Polícia Militar com o suporte da Polícia Federal. ”Houve um esforço conjunto da Polícia Militar, através do serviço de inteligência, com o compartilhamento de informações entre a Polícia Federal, a Polícia Militar do Estado de Goiás e a Secretaria Nacional de Segurança Pública, que dava conta da existência de uma grande quantidade de drogas em uma propriedade rural em Oliveira dos Brejinhos. Diante da situação, a força-tarefa foi deslocada para a localidade, onde foram feitas as buscas. Usamos drones, cães farejadores e, após dois dias de operação, encontramos locais onde o material estava escondido”, explicou o major Giovanni Castro.

A droga recolhida encontra-se no Comando do Policiamento da Região Oeste (Cpro), em Barreiras. Até o momento, nenhum suspeito foi preso. ”Vamos continuar monitorando todas essas ações oriundas do crime”, finalizou o coronel Paulo Coutinho.