Uma pessoa morreu e outras ficaram feridas em acidente na BA-262, em Poções

/ Trânsito

Uma pessoa morreu e outras quatro ficaram feridas em um acidente em um trecho da BA-262 de Poções, no sudoeste baiano. Segundo o Blog do Anderson, o fato ocorreu próximo ao povoado do Formento, zona rural do município. Ainda não há informações sobre as causas do acidente.

As vítimas foram levadas para uma Unidade de Pronto Atendimento de Poções e em seguida para o Hospital Geral de Vitória da Conquista, na mesma região. O corpo do jovem foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Vitória da Conquista.

Mulher vítima do coronavírus é sepultada por outra família após corpos serem trocados em hospital

/ Bahia

Duas mulheres que morreram com Covid-19 tiveram os corpos trocados no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana, neste domingo (2). Um dos corpos chegou a ser enterrado por outra família.

De acordo com o HGCA, o filho de uma das vítimas fez o reconhecimento do corpo errado e, em seguida, a funerária fez a remoção. A unidade pontuou que esse procedimento é o estabelecido para controlar a liberação dos corpos.

O hospital afirmou que os corpos estavam identificados, mas havia uma coincidência: o primeiro nome das duas era Maria. O Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) afirmou ainda que os envolvidos serão ouvidos e o caso apurado.

Outros casos parecidos ocorreram desde o início da pandemia na Bahia. Em junho, dois corpos foram trocados no Hospital Espanhol. Situação foi identificada quando os familiares foram identificar o corpo, que não estava no local. No mesmo mês, o corpo de uma idosa foi trocado no Hospital da Mulher.

Já no mês passado, duas pessoas que morreram com Covid-19 na cidade de Itapetinga, cidade do sudoeste da Bahia, tiveram os corpos trocados no Hospital Geral de Vitória da Conquista e quase foram enterradas por famílias diferentes, mas a situação foi descoberta antes do sepultamento. Com informações do G1

Brasil enfrentará longo caminho para deixar pandemia, diz Organização Mundial da Saúde

/ Saúde

Michael Ryan, diretor-executivo da OMS (Organização Mundial da Saúde), disse nesta segunda-feira (3) que a pandemia de Covid-19 no Brasil ”continua muito preocupante” e ”o caminho à frente é longo e exige forte compromisso”.

”A única saída para países com intensa transmissão comunitária, como o Brasil, é uma parceria forte entre governo federal e estaduais e o engajamento da sociedade”, afirmou Ryan, segundo o jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a publicação, a declaração se dá diante do avanço exponencial da doença no país –foram 301 novos casos por 100 mil habitantes nas duas semanas encerradas nesta segunda (3), um aumento de 123% sobre os 134,4 novos casos/100 mil habitantes da quinzena que terminou em 3 de junho.

Conforme a Folha, Ryan afirmou que os governos precisam coordenar e elevar esforços para testar casos suspeitos, tratar os doentes, isolar mesmo casos leves, identificar, rastrear e colocar contatos em quarentena.

”É preciso criar condições para que a doença não se espalhe tão rapidamente, dar estrutura para que as comunidades possam seguir as regras e cada pessoa reduza sua própria exposição ao contágio”, disse o diretor-executivo da OMS.

A velocidade de crescimento arrefeceu, mas o número de novos casos ainda segue tendência de alta. Em relação à soma das duas semanas até 3 de julho, houve crescimento de 25% nos novos casos por 100 mil habitantes, de acordo com dados publicados nesta segunda pela ECDC (agência europeia de controle de doenças infecciosas).

No sábado (1º), o país registrou 1.048 mortes pela Covid-19 e 42.578 casos da doença, segundo levantamento feito pela Folha em parceria com UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1. Ao todo, o país somava 93.616 mortes e 2.708.876 de pessoas infectadas.

Ocupação de UTI é um dos parâmetros para reabertura do comércio em Salvador

/ Saúde

Secretário de Saúde de Salvador, Léo Prates. Foto: Vagner Souza

A taxa de ocupação de leitos de UTI em Salvador voltou a subir neste domingo (2), alcançando a marca de 75% – número mínimo para o início da primeira fase do protocolo de reabertura, mas, de acordo com o secretário de Saúde Léo Prates, não pode ser visto como o único ”parâmetro” para a reabertura do comércio.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Rede Bahia, nesta segunda-feira (3), Prates explicou que existem outros indicativos que apontam para uma ”estabilização” dos casos do novo coronavírus na cidade.

De acordo com o secretário municipal, as pessoas contaminadas passaram a compreender a “gravidade do vírus” e se isolaram, o que diminuiu a disseminação da doença.

Apesar da capital baiana registrar o terceiro dia consecutivo de aumento na taxa de ocupação, o balanço nos próximos dias pode possibilitar o ingresso na segunda fase do plano de retomada das atividades.

Nos últimos 10 dias, de acordo com Prates, foram contabilizados dois deles em que a taxa recuou para menos de 70%. Na prática, caso o índice seja alcançado em mais outros três dias nesta semana, Salvador entrará na próxima fase.

O número de pacientes à espera de regulação nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), também é um fator determinante para avaliar a situação do município frente à pandemia. Na última sexta-feira (31), o secretário comemorou no Twitter o fato de não ter naquele momento nenhum paciente para ser regulado.

Nesta segunda-feira (2), apenas cinco pacientes aguardam a regulação para um hospital.

Questionado sobre a relevância da taxa de ocupação em leitos de terapia-intensiva para a retomada do comércio, Léo Prates reconheceu que é ”um dos principais indicadores”, mas reiterou que nos últimos 10 dias a capital teve uma ”variação positiva” deste número.

”É um dos princiupais indicadores, mas precisamos observar que estamos há mais de 10 dias com variações positivas. Na semana passada, chegamos a uma taxa de 68% em Salvador e vamos continubuar com trabalho, fazendo a retomada econõmica com segurança”, justificou. Com informações do BNews

Ministro Eduardo Pazuello encomenda relação a secretários de Saúde para combater Covid-19

/ Saúde

Pazuello faz recomendação a secretários de Saúde. Foto: Erasmo Salomão

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, encomendou a secretários de Saúde uma relação com estruturas erguidas para combater o coronavírus que eles pretendem manter em seus estados quando a pandemia chegar ao fim.

A informação é da coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo. Segundo a publicação, o ministro prometeu tentar incluí-las no orçamento federal.

Caixa Econômica Federal credita hoje saque emergencial do FGTS para nascidos em junho

/ Economia

Cerca de 5 milhões de trabalhadores nascidos em junho começam a receber hoje (3) o crédito do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de até R$ 1.045. Serão liberados R$ 3,2 bilhões nas contas poupança digitais abertas pela Caixa Econômica Federal em nome dos beneficiários.

Instituído pela Medida Provisória 946 , o saque emergencial do FGTS pretende ajudar os trabalhadores afetados pela pandemia do novo coronavírus. Ao todo, o governo pretende injetar R$ 37,8 bilhões na economia, beneficiando cerca de 60 milhões de trabalhadores.

O valor do saque é de até R$ 1.045, considerando a soma dos valores de todas contas ativas ou inativas com saldo no FGTS. Cada trabalhador tem direito a receber até um salário mínimo (R$ 1.045) de todas as contas ativas e inativas do fundo.

Nesta fase, o dinheiro poderá ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem. A ferramenta permite o pagamento de boletos (água, luz, telefone), compras com cartão de débito virtual em sites e compras com código QR (versão avançada de código de barras) em maquininhas de cartão de lojas parceiras com débito instantâneo do saldo da poupança digital.

Liberação para saque

O dinheiro só será liberado para saque ou transferência para outra conta bancária a partir de 3 de outubro, para os trabalhadores nascidos em junho. O calendário de crédito na conta poupança digital e de saques foi estabelecido com base no mês de nascimento do trabalhador.

Até agora, a Caixa creditou o saque emergencial do FGTS para os trabalhadores nascidos de janeiro a maio.

Orientações

A Caixa orienta os trabalhadores a verificar o valor do saque e a data do crédito nos canais de atendimento eletrônico do banco: aplicativo FGTS, site e telefone 111 (opção 2). Caso o trabalhador tenha direito ao saque emergencial, mas não teve a conta poupança digital aberta automaticamente, deverá acessar o aplicativo FGTS para complementar os dados e receber o dinheiro.

O banco alerta que não envia mensagens com pedido de senhas, dados ou informações pessoais. Também não envia links nem pede confirmação de dispositivo ou acesso à conta por e-mail, SMS ou WhatsApp.

Cancelamento do crédito automático

O trabalhador poderá indicar que não deseja receber o saque emergencial do FGTS até dez dias antes do início do seu calendário de crédito na conta poupança social digital, para que sua conta do FGTS não seja debitada.

Caso o crédito dos valores tenha sido feito na poupança social digital do trabalhador e essa conta não seja movimentada até 30 de novembro de 2020, os valores corrigidos serão retornados à conta do FGTS.

Engavetamento envolvendo 22 veículos deixa oito mortos e 23 feridos em rodovia no Paraná

/ Trânsito

Sete vítimas morreram no local do grave acidente. Foto: Reprodução

Um engavetamento entre 22 carros deixou oito pessoas mortas e pelo menos 23 feridas na noite deste domingo (20), na BR-277, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

De acordo com o G1, sete vítimas morreram no local e uma delas veio a óbito posteriormente, no Hospital Cajuru. Segundo o Instituto médico Legal (IML), ao todo, são 5 mulheres e três homens. Das pessoas mortas, três foram identificadas pelos nomes de Guilherme Henrique Ribeiro, Jurema Elvira Ferreira dos Santos, Emanuelle de Fátima.

Conforme informações da Ecovia, concessionária que administra a via, o engavetamento aconteceu no km 77, o que provocou a interdição completa da estrada no sentido Paranaguá. Equipes da concessionária e do Corpo de Bombeiros participaram da operação de atendimento e resgate das vítimas. O acidente envolveu cinco motocicletas, 16 carros e um caminhão. Todos os feridos foram encaminhados para hospitais da região.

Feira de Santana registra queda de 60% no número de mortes provocadas pela Covid-19

/ Bahia

Feira de Santana registrou uma de 60% no número de mortes pela Covid-19 e uma queda de 39% em relação ao número de casos confirmados, de acordo com informações disponibilizadas neste domingo (2) pelo município.

Segundo dados da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, entre os dias 25 e 31 de julho, foram registrados 13 óbitos provocados pela covid-19, enquanto na semana de 18 a 24 de julho, 31 pessoas perderam a luta contra o coronavírus. Além disso, na última semana de julho, foram 533 casos positivos contra 739 do período anterior.
Prefeito de Feira, Colbert Martins recomendou aos moradores que, mesmo com a melhora nos índices, os cuidados sejam mantido para evitar um aumento na disseminação do vírus no município.

”Tivemos nesta semana uma queda significativa nos casos positivos e no número de mortes. O que pode indicar que há uma perda na velocidade do crescimento da doença. A gente conseguiu também ampliar o número de leitos, e flexibilizar algumas medidas para que tivéssemos a retomada das atividades econômicas. Mas não podemos relaxar nesta luta contra o coronavírus. Todos precisam continuar adotando as medidas sanitárias, como distanciamento social e uso de máscara, para conseguirmos manter o ritmo de queda”, avaliou. Com informações do Bahia Notícias

Bahia empata com Jacuipense em Pituaçu e avança para a final do Campeonato Baiano

/ Esporte

Tricolor baiano empatou em 2×2 com Jacuipense. Foto: Felipe Oliveira

O Bahia está na sua nona final consecutiva do Campeonato Baiano. Neste domingo (2), empatou em 2×2 com o Jacuipense, em Pituaçu, no jogo de volta da semifinal. Como havia vencido o primeiro duelo por 2×0, garantiu a vaga. O tricolor buscará o seu terceiro título seguido.

O Bahia está na sua nona final consecutiva do Campeonato Baiano. Neste domingo (2), empatou em 2×2 com o Jacuipense, em Pituaçu, no jogo de volta da semifinal. Como havia vencido o primeiro duelo por 2×0, garantiu a vaga. O tricolor buscará o seu terceiro título seguido.

1.550 casos de Covid são registrados na Bahia nas últimas 24 horas, diz boletim da Sesab

/ Bahia

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.550 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,9%) e 2.125 curados (+1,4%). As 55 mortes (+1,6%) registradas neste boletim não representam o quantitativo de óbitos nas últimas 24 horas.

Dos 170.476 casos confirmados desde o início da pandemia, 153.598 já são considerados curados, 13.306 encontram-se ativos e 3.572 tiveram óbito confirmado para Covid-19. Os casos confirmados ocorreram em 408 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (34,03%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Almadina (3.861,64%), Dário Meira (3.632,12%) Gandu (3.601,52%), Itajuípe (3.445,42%) e Ipiaú (3.099,86%).

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) disponibiliza para acesso público, à base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus (Covid-19). Para fazer o download, é simples: basta acessar o link bi.saude.ba.gov.br/transparencia/ e clicar no ícone localizado no topo da página. A iniciativa amplia transparência e possibilita que qualquer cidadão, em qualquer lugar do mundo, possa acompanhar e analisar a evolução da pandemia na Bahia.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 338.355 casos descartados e 82.684 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste domingo (02/08).

Na Bahia, 15.412 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos
A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 3.572 mortes pelo novo coronavírus. Em virtude da disponibilização da base de dados relacionada aos óbitos da Covid-19, os interessados no detalhamento dos perfis podem fazer o download do arquivo completo.

Em meio à crise da pandemia, estados perdem R$ 16 bilhões em arrecadação no 1º semestre

/ Brasil

Em meio à crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus, os estados brasileiros atravessaram o primeiro semestre de 2020 com uma queda na arrecadação de R$ 16,4 bilhões em comparação com o mesmo período do ano passado.

Levantamento da Folha com base nos relatórios de execução orçamentária dos estados aponta que, das 27 unidades da federação, 20 registraram queda na arrecadação nos primeiros seis meses deste ano. Seis estados e o Distrito Federal tiveram arrecadação maior que no ano passado, com destaque para Mato Grosso e Amapá.

Ao todo, os estados tiveram uma receita com impostos, taxas e contribuições de R$ 251 bilhões entre janeiro e junho de 2020 contra R$ 267,6 bilhões no mesmo período de 2019, em valores atualizados pela inflação; uma queda de 6%.

Especialistas apontam que não há paralelo de baque tão grande no cofre dos estados na história recente do país. O resultado já é pior do que o obtido nas crises de 2008 e 2015. No primeiro semestre de 2015, por exemplo, a queda na arrecadação dos estados foi de R$ 14,6 bilhões, em valores atuais, comparado ao mesmo período de 2014.

”Os estados seguem sofrendo bastante com a dinâmica de suas receitas próprias, dado que o isolamento social afetou diretamente a arrecadação de ICMS, principal tributo estadual”, avalia Juliana Damasceno, pesquisadora do Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas).

A perda de receita aprofundou a crise em estados que já vinham enfrentando um cenário de dificuldade nas contas públicas, caso de Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Os três estados mantêm o pagamento escalonado de servidores públicos. O Rio Grande do Sul, por exemplo, que vem fazendo um trabalho de reformas e redução de despesas, registrou queda real de 5,7% na arrecadação. Com isso, a meta de terminar o ano sem déficit não deve ser mais alcançada.

”Ainda assim, foi importante ter entrado na crise com as despesas congeladas. Caso contrário, nossa situação seria muito pior”, afirma o secretário estadual da Fazenda, Marco Aurélio Cardoso. O tempo de atraso para quitar os salários dos servidores, que havia sido reduzido para 13 dias em janeiro deste ano, alcançou 39 dias em maio. Dessa forma, os salários que deveriam ter sido pagos até 31 de maio só foram totalmente quitados em 9 de julho.

Em geral, o impacto da perda de receita dos estados só não será pior por causa da aprovação das medidas de auxílio financeiro do governo federal aos estados e municípios. Estados e DF receberão, juntos, R$ 22,3 bilhões. O benefício, contudo, vai compensar apenas entre 30% e 40% da perda de arrecadação dos entes, conforme estudo feito pela Secretaria da Fazenda de São Paulo.

”O pacote foi desidratado nas discussões entre o Congresso e a equipe econômica, o que na prática reduziu seu alcance, prolongando a situação de dificuldade que os estados já vinham enfrentando antes da pandemia”, afirma o secretário da Fazenda da Bahia, Manoel Vitório.

Com maior arrecadação própria entre os estados brasileiros, São Paulo teve uma receita de R$ 89,1 bilhões com tributos no primeiro semestre ante R$ 95,7 bilhões no mesmo período de 2019, uma queda de 6,8%. A Fazenda paulista estima que o estado deve fechar o ano com uma queda de receita de R$ 18 bilhões, equivalente a 10% da arrecadação.

Para neutralizar o impacto das perdas, São Paulo conta com a receita extra de auxílio aos estados e com a rolagem da sua dívida, aprovada no mesmo projeto de lei que criou o auxílio. São Paulo pagaria este ano cerca de R$ 12 bilhões em parcelas da dívida para o governo federal, valor cujo pagamento foi postergado. As parcelas só voltarão a ser pagas em 2021.

”Ao contrário de outros estados que enfrentam uma situação mais difícil, vamos fechar o ano com caixa equilibrado”, diz o secretário da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles. Ele projeta um cenário de dificuldades no próximo ano e estima que a economia só deve voltar a atingir os níveis pré-crise no final de 2021. Por isso, a administração tomou medidas de contenção de gastos.

Os estados da região Nordeste, como Ceará, Rio Grande do Norte e Sergipe, tiveram uma forte perda na arrecadação com o ICMS. O mesmo aconteceu em estados do Sul, que têm uma economia mais voltada para o comércio de bens.

No Paraná, por exemplo, a arrecadação caiu de R$ 13 bilhões para R$ 11,6 bilhões, já descontados os repasses para municípios. A queda nas receitas com tributos foi de 10,5%. O secretário estadual da Fazenda, Renê Garcia Junior, afirma que, além das exportações agrícolas, a economia paranaense depende do comércio interregional, sobretudo com São Paulo. Por isso, teve forte impacto das medidas de isolamento social.

A substituição do comércio em lojas físicas pelas compras online em meio à pandemia, explica o secretário, também impactou a arrecadação. Para completar, o fechamento definitivo de cerca de 20% das empresas do estado deve tornar o cenário ainda mais adverso.

Para minimizar o impacto das perdas, diz o secretário, o Paraná ampliou a fiscalização de grandes contribuintes, cortou gastos e redimensionou projetos. Ao mesmo tempo em que estão perdendo receita, a maior parte dos estados teve que acelerar o volume de gastos, sobretudo com ações de enfrentamento à pandemia e compra de equipamentos como respiradores.

Das 27 unidades da federação, 21 registraram maior investimento no primeiro semestre comparado ao mesmo período de 2019. Estados como Pará, Mato Grosso e Tocantins mais que dobraram o nível de investimento.

Para a economista Juliana Damasceno, os estados carecem de ajuda do governo federal para além do sentido financeiro. Ela afirma que é preciso um plano de ação coordenado no enfrentamento à Covid-19, com planejamento conjunto de compras públicas e da reabertura da economia. ”A falta de perspectiva quanto aos rumos da pandemia reforça a necessidade de se ter alto grau de planejamento”, avalia.​

Jequié confirma mais um óbito por Covid-19 e número de casos chega a 3.351, diz boletim

/ Jequié

Paciente estava internado no Prado Valadares. Foto: Blog Marcos Frahm

A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde, informou registrou mais um óbito, neste sábado (1), sendo um homem, de 78 anos, residente no bairro Joaquim Romão, portador de hipertensão e diabetes, e que estava internado no HGPV.

Houve o registro de mais 106 novos casos, perfazendo um total de 3.351 pessoas confirmadas com a doença, até agora. O número de pessoas que encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença permanece em 1890.

Os que estão em quarentena somam 4.616 pessoas. Conforme os dados repassados pelo HGPV e pelo Hospital São Vicente, a taxa de ocupação geral dos leitos de UTI/adulto é de 89,7%.

Brasil tem 2,7 milhões de casos e 93,6 mil mortes por covid-19, diz Ministério da Saúde

/ Esporte

O Brasil registrou, desde o início da pandemia,  2,70 milhões de pessoas infectadas pelo covid-19,  segundo balanço divulgado neste sábado (1º) pelo Ministério das Saúde. O número é 45,4 mil maior do que o divulgado no levantamento anterior. O número atualizado de recuperados está em 1,86 milhão. Há ainda 748,59 mil pacientes sendo acompanhados.

O novo coronavírus causou a morte de 93,57 mil pessoas no Brasil desde o início da pandemia. Segundo o balanço, de ontem (31) para hoje  foram registradas mais 1.088 mortes.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) está em 3,5%; e a de mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) em 44,5.

Bahia leva virada do Ceará e fica em desvantagem na final do Nordestão; placar foi 3×1

/ Esporte

Sobral aproveita vacilo de Capixaba e Anderson. Foto: Felipe Santos

Com a derrota por 3×1, o tricolor terá que ganhar por três gols de diferença para erguer sua quarta taça do Nordestão. Se vencer por dois gols de diferença, a decisão irá para os pênaltis. O duelo de volta será novamente em Pituaçu, na terça-feira (4), às 21h30.

Assim como no último encontro entre as duas equpes em Salvador – pelo segundo turno da Série A de 2019 -, o Ceará aprontou uma virada para cima do Bahia.

Se naquela partida o Vozão fez 2×1, desta vez a derrota foi pior, por 3×1, justamente num momento em que o saldo de gols é importantíssimo. Detalhe: assim como o de agora, aquele jogo aconteceu em Pituaçu. Com informações do Correio