Rejeitado pelo público, Daniel Lenhardt é eliminado do Big Brother com 80,82% dos votos

/ Brasil

O gaúcho Daniel Lenhardt é eliminado do BBB. Foto: TV Globo

O gaúcho Daniel Lenhardt foi eliminado do ”Big Brother Brasil 20”, nesta terça-feira (24), com 80,82% dos votos. A saída do brother da casa mais vigiada do Brasil aconteceu logo em seu primeiro paredão. Parceiro amoroso de Marcela, o confinado foi alvo de críticas de telespectadores e internautas devido ao comportamento apresentado no programa.

Na rodada, que definiu o oitavo homem de nove participantes já eliminados no reality, Ivy foi a segunda mais votada pelo público com 9,64% dos votos. Já Flayslane, que chegou ao seu segundo paredão, foi a menos votada da rodada com 9,54% dos votos.

Vindo da casa de vidro, Daniel foi colocado no paredão por ter sido o primeiro a deixar a prova do líder, na última quinta-feira (19). Flayslane, por sua vez, foi indicada pela líder Thelma e Ivy foi indicada por Prior, que havia sido o mais votado pela casa, salvo do paredão após vencer a “Prova Bate e Volta”.

Do lado de fora da casa, o apresentador Tiago Leifert explicou a Daniel que um dos fatores para saída do brother teria sido, talvez, a quantidade de punições e a forma como a casa reagia a elas. ”Quando outra pessoa do outro grupo errava, vocês eram muito impiedosos. Quando vocês erravam do grupo, vocês eram muito mais tolerantes”, disse.

Ao ser questionado sobre o que passava em sua cabeça no momento pós-eliminação, Daniel admitiu tristeza, mas afirmou que colheu pontos positivos da experiência. ‘Estou triste, mas muito feliz de ter participado do programa. De ter conhecido a Marcela, não sei o que vai ser minha vida sem ela, da Ivy, da Gi… Vai ser muito difícil, mas não tem o que fazer é a vida, aconteceu e vamos seguir para frente”, declarou.

Alcolumbre reage a pronunciamento de Bolsonaro e diz que país precisa de um líder sério

/ Brasília

Davi critica discurso de Jair. Foto: Marcos Brandão/Senado Federal

Após o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na noite desta terça-feira (24), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que o Brasil precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da população.

Alcolumbre, que está em isolamento por ter sido infectado pelo coronavírus, assina a nota com o vice-presidente do Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG). Ele afirma que ”a nação espera do líder do Executivo, mais do que nunca, transparência, seriedade e responsabilidade”.

Em seu terceiro pronunciamento em rádio e televisão sobre a crise do novo coronavírus, Bolsonaro criticou o fechamento de escolas para combater a epidemia, atacou governadores e culpou a imprensa pelo que considera clima de histeria instalado no país.

”Neste momento grave, o país precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje [terça], em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção à Covid-19. Posição que está na contramão das ações adotadas em outros países e sugeridas pela própria Organização Mundial da Saúde”, diz a nota da cúpula do Senado.

”Reafirmamos e insistimos: não é momento de ataque à imprensa e a outros gestores públicos. É momento de união, de serenidade e equilíbrio, de ouvir os técnicos e profissionais da área para que sejam adotadas as precauções e cautelas necessárias para o controle da situação, antes que seja tarde demais”, afirmou.

Parlamentares reagiram com perplexidade e irritação ao pronunciamento de Bolsonaro. A presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) no Senado, Simone Tebet (MDB-MS), se mostrou perplexa após o pronunciamento. ”Adianta comentar?”, respondeu à Folha quando procurada.

Já o líder da minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que Bolsonaro superou ”todos os limites da irresponsabilidade”.​

”O presidente dobrou a aposta do discurso lunático e colocou em xeque as políticas de isolamento defendidas pelo seu próprio ministro da Saúde”, afirmou o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP). ”Em vez de propor soluções, preferiu atacar a imprensa, os governadores e fazer piada em rede nacional. Tragédia anunciada.”

Irresponsável e inconsequente também foram os adjetivos escolhidos pela ex-líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), para descrever o presidente.

”O Brasil precisa de um LÍDER com sanidade mental. Todas as chances que o PR teve de acertar ele mesmo jogou fora. ERRA E SE ORGULHA DO ERRO ESTÚPIDO”, escreveu em uma rede social.

Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e do STJ (Superior Tribunal de Justiça) ficaram atônitos com o pronunciamento. Avaliam que a postura do governo é ”errática”. Um ministro do Supremo diz que o presidente dobra a aposta ao propor o fim de medidas restritivas, indo na contramão do mundo.

Ministério da Saúde recomenda ás secretarias adiar vacinação de crianças contra a gripe

/ Saúde

O Ministério da Saúde recomendou nesta segunda-feira (24) às secretarias estaduais e municipais de Saúde que adiem a vacinação de crianças nesta primeira etapa da campanha de imunização contra a gripe, como forma de prevenção à contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19). A campanha teve início nesse fim de semana em alguns estados e ontem em outros, para idosos acima de 60 anos.

A primeira fase previa imunizar idosos e crianças. Em diversas cidades, filas se formaram e secretarias de saúde vêm buscando formas de realizar a vacinação assegurando o distanciamento, embora tal preocupação não tenha conseguido evitar aglomerações em locais de acesso.

A recomendação de adiamento para crianças foi motivada, de acordo com o Ministério da Saúde, pelo cuidado a ser adotado com os idosos, principal grupo de risco e faixa etária com maiores índices de mortalidade.

As crianças, ao contrário, são a faixa com menor índice de letalidade, mas podem contribuir para difundir o vírus. “A medida preventiva tem o objetivo de reduzir o contato dos idosos com crianças, já que estas são importantes transmissores e disseminadores das doenças respiratórias”, explicou o ministério, em nota.

Assim, os pais devem aguardar para levar os filhos aos postos de saúde e outros locais de vacinação a partir do dia 16 de abril. A medida também vale para os adultos, mas com exceções para locais com alta incidência de outras doenças.

“Para estados com circulação ativa do vírus de sarampo e febre amarela, é recomendada a continuidade da vacinação para as duas doenças, e que estas estratégias ocorram de forma planejada afim de evitar concentração de pessoas”, orienta Ministério da Saúde.

Bolsonaro critica autoridades, imprensa e fechamento de comércio e escolas durante pandemia

/ Brasília

Bolsonaro fez pronunciamento à nação. Foto: Isac Nóbrega

Em pronunciamento à nação às 20h30 de hoje, em rede nacional de TV e rádio, o presidente Jair Bolsonaro disse que, desde o início da pandemia do novo coronavírus, era preciso ”conter o pânico e a histeria e traçar estratégias para salvar vidas”. Ele elogiou as ações do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no planejamento estratégico de esclarecimento e atendimento no Sistema Único de Saúde.

Bolsonaro criticou a imprensa, colocando-a como responsável por ”espalhar a sensação de pavor” ao divulgar o grande número de vítimas na Itália, país que, segundo ele, tem grande número de idosos e clima diferente do Brasil. Em seguida, parabenizou a mídia por, ”de ontem para hoje”, pedir calma à população.

O presidente criticou também algumas autoridades que ”devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transporte, o fechamento dos comércios e o confinamento em massa”. Segundo ele, não há motivo para fechar escolas, uma vez que o grupo de risco é composto por, também, pessoas com mais de 60 anos. “São raros os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos”, disse.

Embora critique as medidas, Bolsonaro afirmou que deve haver ”extrema preocupação” em não transmitir o vírus para outras pessoas. Ele disse que, no próprio caso, se fosse infectado, não precisaria se preocupar, devido ao seu ”histórico de atleta”.

Bolsonaro disse que o FDA (agência reguladora dos EUA) e o Hospital Albert Einstein estão buscando comprovação da cloroquina para uso das pessoas com covid-19. Por fim, prestou homenagem aos profissionais da saúde.

Bairros de Salvador fazem ”panelaço” contra Jair Bolsonaro durante pronunciamento

/ Bahia

O som das panelas em protesto contra o presidente jair Bolsonaro (sem partido) voltaram a ser ouvidos em bairros de Salvador nesta terça-feira (24) durante o pronunciamento oficial do chefe do Executivo brasileiro em cadeia nacional de rádio e TV. Além do ‘panelaço’, gritos de ‘fora Bolsonaro’ também foram ouvidos em alguns bairros da capital.

Na semana passada o presidente já havia sido alvo de protesto semelhante em todo o país.  Em seu pronunciamento Bolsonaro adotou tom irônico e voltou a repetir termos como ‘histeria’ e criticar a imprensa sobre a cobertura da pandemia. O presidente aproveitou ainda o espaço para alfinetar a Rede Globo e atacar o médico Drauzio Varella. Com informações do Bahia Notícias

Por coronavírus, Aneel suspende cortes no fornecimento de energia para clientes residenciais

/ Economia

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) suspendeu os cortes no fornecimento de energia por falta de pagamento das contas de luz por 90 dias (três meses). O motivo é a pandemia do novo coronavírus, que dificulta o trabalho da equipe de manutenção das redes de distribuidoras e até mesmo o pagamento das contas de luz por parte dos clientes. A medida valerá para todos os consumidores residenciais e também para serviços essenciais – como unidades de saúde e hospitais, serviços de entrega de alimentos e metrô, por exemplo.

A população de baixa renda, cadastrada no programa Tarifa Social, também será beneficiada. Estimativas do setor apontam que 50% dos consumidores pagam as tarifas de energia em agências bancárias, lotéricas e redes de atendimento das próprias distribuidoras, todos reduzidos em razão do avanço da covid-19.

Decretos publicados no fim de semana no Diário Oficial da União ampliaram a lista de atividades classificadas como essenciais e que, consequentemente, também terão direito ao benefício. Também integram a lista empresas de telecomunicações e internet, serviço de call center e companhias de água, esgoto e lixo, por exemplo.

Apesar de suspender o corte de energia por falta de pagamento, as dívidas não serão perdoadas. Pelo contrário: passado o prazo da medida, elas serão cobradas com multa e juros.

A Aneel também flexibilizou também regras de atendimento das distribuidoras durante a pandemia. A violação delas resulta em punições e multas. Todas as medidas valerão por 90 dias, mas poderão ser prorrogadas ou revistas a qualquer tempo, de acordo com a Aneel.

Estadão Conteúdo

Hospital que testou Bolsonaro omite ao DF dois nomes de pacientes com o novo coronavírus

/ Brasília

Hospital das Forças Armadas omite nomes. Foto: Marcos Corrêa

O Hospital das Forças Armadas (HFA) omitiu ao governo do Distrito Federal (DF) dois nomes em uma lista de infectados com o novo coronavírus. Uma lista de 17 infectados, sendo que 15 estão identificados, foi entregue ao governo do DF. O presidente Jair Bolsonaro foi uma das autoridades que fizeram exame no local, mas afirmou nas redes sociais ter testado negativo. O nome dele não está entre os 15 mencionados pelo hospital.

O Estado pede há dias à Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) que apresente os resultados do exames já feitos pelo presidente, mas até hoje não obteve resposta.

Procurado, o Hospital das Forças Armadas não respondeu. A Secretaria de Saúde do DF disse não ter manifestação.

No sábado, 21, o comandante logístico do Hospital das Forças Armadas, general Rui Yutaka Matsuda, disse que todas as informações sobre os pacientes do hospital com resultado positivo para a Covid-19 já foram compartilhadas com a Autoridade Epidemiológica da Secretaria da Saúde do DF.

Na última sexta-feira, a Justiça Federal atendeu a um pedido do governo do DF e determinou que o Hospital das Forças Armadas informasse imediatamente a relação completa de nomes dos infectados pelo novo coronavírus.

Bolsonaro afirmou na semana passada que poderá realizar um terceiro teste porque, como ele tem contato com muitas pessoas, pode já ter sido infectado.

“Deixo de informar à V Exa., neste documento, os nomes dos pacientes com sorologia positiva para a Covid-19, a fim de evitar a exposição dos pacientes e em virtude direito constitucional de proteção à intimidade, vida privada, honra e imagem do cidadão”, escreveu o comandante do HFA, em ofício endereçado à Justiça Federal do DF e obtido pela reportagem.

Além de Bolsonaro, integrantes da comitiva presidencial que acompanharam o presidente da República em viagem aos Estados Unidos também fizeram exames no HFA. Ao todo, 23 pessoas que acompanharam o presidente já foram infectadas, testando positivo para o vírus.

Pandemia.

Em sua decisão, a juíza Raquel Soares Chiarelli também impôs uma multa de R$ 50 mil ao diretor do hospital por paciente que tiver a informação sonegada. Além de Bolsonaro, integrantes da comitiva presidencial que acompanharam o presidente da República em viagem aos Estados Unidos também fizeram exames no HFA.

“Já é notório que a devida identificação dos casos com sorologia positiva para a Covid-19 é fundamental para a definição de políticas públicas para o enfrentamento urgente e inadiável da pandemia, a fim de garantir a preservação do sistema de saúde e o atendimento da população”, escreveu a juíza em sua decisão.

“De modo que não se justifica, sob nenhuma perspectiva, a negativa da União em fornecer essas informações ao Distrito Federal, que tem competência constitucional para coordenar e executar as ações e serviços de vigilância epidemiológica em seu território.”

Máscara. Depois de minimizar a pandemia e ignorar recomendações médicas de isolamento, Bolsonaro passou a tomar algumas precauções mínimas para não ser contaminado pela covid-19. Mas nem sempre as segue. Se na primeira entrevista que deu no Palácio do Planalto sobre a crise, na terça-feira passada, apareceu de máscara, não utilizou a proteção nas conversas com o apresentador Ratinho, do SBT, na sexta-feira, e com jornalistas da CNN e da TV Record, no fim de semana.

Na última segunda-feira, 23, ao falar a jornalistas sobre a reunião com governadores do Norte e Nordeste, no Salão Oeste do Palácio do Planalto, também apareceu sem o equipamento de proteção. A reunião foi feita via videoconferência com os chefes dos Executivos estaduais, mas em uma sala fechada com ministros e auxiliares. O mesmo ocorreu nesta terça-feira, 24, desta vez com governadores do Sul e do Centro-Oeste. Em vídeo da reunião divulgado nas redes sociais do presidente, é possível contar pelo menos 20 pessoas na sala — apenas uma usando máscara.

A recomendação do Ministério da Saúde é que a máscara seja utilizada por quem apresenta sintomas de gripe ou resfriado, mesmo que não tenha sido diagnosticado com o coronavírus. A indicação é para evitar que, caso a pessoa esteja contaminada, não espalhe o vírus para outras pessoas.

Bolsonaro viajou aos Estados Unidos no início do mês e, após voltar, 23 pessoas que estiveram em sua comitiva tiveram diagnóstico positivo para a covid-19, incluindo auxiliares próximos, como o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, e o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten.

Na semana passada, o ministro Luiz Henrique Mandetta justificou usar a máscara na entrevista ao lado do presidente e de outros ministros pelo fato de ter tido contato com Heleno na véspera de ele testar positivo.

O presidente realizou dois exames para saber se também foi contaminado e, segundo ele, os dois deram negativo. Entre um exame e outro, participou de manifestações de rua, no dia 15, quando teve algum tipo de contato com 272 pessoas, segundo levantamento do Estado. A reportagem pede há dez dias cópia do resultado dos testes ao Palácio do Planalto, que não respondeu até agora.

Questionado sobre o assunto em entrevista à CNN, no fim de semana, Bolsonaro disse que não teria problema nenhum em divulgar seus exames, mas considerou os pedidos como “intromissão”. Segundo ele, caso algo ocorra com ele, haverá reflexo na economia.

“No caso do chefe do Executivo, eu tenho um tratamento especial. Se algo porventura vier a acontecer comigo, você mexe com a economia e isso não é bom para o País. No caso, o vírus para mim, se eu estiver sendo portador, não tenho problema nenhum em divulgar, eu não mentiria para o povo brasileiro. Mas não estou acometido pelo vírus. Acho que há uma intromissão, ingerência desproporcional na vida do ser humano. Informações do Estadão

Federal apreende R$ 250 mil entregue por empresário a desembargadora do TJ-BA

/ Justiça

A Polícia Federal apreendeu R$ 250 mil na casa da desembargadora Sandra Inês Rusciolelli, do Tribunal de Justiça da Bahia, alvo da 5ª fase da Operação Faroeste, que apura um suposto esquema de venda de decisões judiciais na Corte.
A magistrada teve a prisão temporária e o afastamento da função por um ano decretada pelo ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça.

Segundo a PF, o produtor rural Nelson Vigolo, representante da Bom Jesus Agropecuária, repassou R$250 mil ao advogado Vanderlei Chilante, que repassou o montante ao advogado Júlio Ferreira em Rondonópolis-MT. Após receber a quantia, ele viajou a Salvador-BA e entregou o dinheiro a Vasco Azevedo advogado e filho da desembargadora.

Júlio Ferreira repassou o dinheiro em um motel baiano ao filho da desembargadora, o qual, em seguida, o repassou, no interior de uma universidade para sua companheira que, livrando-se da mochila que recebeu, levou o dinheiro para residência de sua mãe.

A PF encontrou R$ 208.800,00 no interior do veículo Jaguar, R$ 15.100,00 com um funcionário da desembargadora no momento em que deixava a garagem do prédio e, R$ 35 mil encontrados em um dos quartos da unidade residência da magistrada.

Para os investigadores, o dinheiro era parte de um esquema para comprar o voto da desembargadora em julgamento realizado em janeiro, que beneficiaria o produtor rural.

Segundo o ministro, o afastamento da magistrada ”não visa apenas a resguardar a imagem do Judiciário do Estado da Bahia, mas sim, primordialmente, a dar segurança ao jurisdicionado de que não serão julgados por pretora suspeita, acusada de venda de sentença e de integrar organização criminosa”.

O Antagonista

Ministério da Infraestrutura vai atuar com estados para evitar bloqueio de rodovias no país

/ Trânsito

O Ministério da Infraestrutura divulgou nesta segunda-feira (23) que a pasta vai atuar em conjunto com os governadores dos estados do Sul e do Sudeste para evitar decisões locais que determinem o bloqueio de rodovias como medida de contenção da disseminação do novo coronavírus. O assunto foi tratado em videoconferência entre o ministro Tarcísio Gomes de Freitas e os governadores do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud).

De acordo com o ministério, houve consenso de que decretos estaduais devem garantir a livre circulação do transporte de cargas e o funcionamento de serviços prestados por borracharias, oficinas mecânicas, restaurantes e lanchonetes ao longo das rodovias.

Segundo o ministro Tarcísio, o mesmo apelo pela manutenção das atividades nas rodovias será feito aos prefeitos de cidades localizadas nas regiões do Consud. Na mesma reunião, o ministro disse que o governo federal vem tomando medidas para manter as atividades dos portos e dos aeroportos.

Transporte ferroviário de carga

Nesta segunda-feira, o Ministério da Infraestrutura divulgou ainda que, no atual momento de pandemia do novo coronavírus, o transporte ferroviário de carga tem papel vital para a garantia do abastecimento do país. ”É essencial que todos os serviços oferecidos pelas concessionárias de ferrovias sejam mantidos. Assim sendo, qualquer tentativa de prefeitos ou governadores de ordenarem o fechamento das linhas férreas, pode prejudicar de forma irresponsável o suprimento de toda a sociedade”, informou em nota a pasta.

A nota destacou que o fechamento de linhas férreas é uma decisão restrita à União, já que, segundo a Constituição Federal, compete à União explorar, diretamente ou mediante autorização, concessão ou permissão, os serviços de transporte ferroviário. Da Agência Brasil

O vírus que nos humanizou

/ Artigos

A necessidade do isolamento social, sob o decreto de quarentena em vários países, causou modificação forçada em nossa rotina. Para muitos, uma prova de fogo ter que conviver “preso” em suas casas, sem interação e contato social físico.  Para pais e mães, o momento de curtirem, apreciarem e até mesmo suportarem seus filhos. Fomos forçados a essas atitudes. Ou se faz isso, ou pioramos a situação, proliferando rapidamente a pandemia e sobrecarregando os hospitais – públicos e privados.

Junto a essa pausa imposta, a natureza, tão negligenciada, também mostra sua cara e nos dá o recado de que ainda podemos salvar nossa casa. Com o confinamento da espécie humana, outras espécies puderam sair e ocupar seus legítimos lugares. Paralelamente, índices de poluição reduziram drasticamente, permitindo uma sobrevida ao planeta. Impossível não se surpreender com algo que era para ser comum, como a transparência dos canais de Veneza (ainda que a qualidade da água não tenha melhorado), ou a aproximação de animais que viviam a se esconder de nossa presença.

Passamos também a ter tempo. Isso nos estranhou, afinal, estávamos acostumados a correr tanto, que apenas sobrevivíamos; acordávamos, trabalhávamos, mal nos alimentávamos e dormíamos poucas horas. Hoje a vida nos obriga a parar e rever tudo isso. É momento de repensarmos nossas atitudes. Será que precisamos consumir tudo o que consumimos? Precisamos trabalhar tanto a ponto de esquecermos nosso lar, priorizando coisas não tão importantes?

Nosso isolamento nos remete também a uma palavra esquecida até então: empatia. Com os abusos do capitalismo, a solidariedade passou a não ter espaço; o ter sobrepôs ao ser. Esquecemos o coletivo. E isso de nada adiantou: ricos e pobres, todos no mesmo barco. A luta pelo social se fez presente, quer queiram ou não. É o momento de acalentarmos que está em pânico e sofrendo com a ansiedade; momento de estendermos as mãos – ainda que virtualmente – a quem mais precisa.

Curiosamente, li um artigo científico tempos atrás que falava do papel do isolamento social justamente na evolução e sobrevivência das espécies. De acordo com estudo de Bailey e Moore (2018), as experiências ambientais dos animais podem afetar a expressão gênica e determinar quais são ativados, quando e quanto, afetando as respostas à seleção natural em termos de sobrevivência e reprodução. Para os pesquisadores, esse isolamento, ainda que temporário, seria favorável para a evolução de algumas espécies. Em tempos de coronavírus, será que podemos esperar uma evolução parecida entre as pessoas? Ainda que de maneira forçada, as pessoas terão que conviver com seus próprios pensamentos e rever suas atitudes e ações tornam-se inevitáveis. Poderíamos ativar novamente genes adormecidos, responsáveis pela solidariedade e empatia, por exemplo?

Nesses dias de reclusão, assisti ao brilhante filme de Emir Kusturika chamado “El Pepe, uma vida suprema”, onde a vida de José Mujica é retratada de forma espetacular, tal como é notório nos filmes desse diretor. E duas frases de Mujica me tocaram exatamente pelos dias que estamos passando: “A LUTA É COLETIVA” e “O SOCIALISMO TRIUNFARÁ”. Pepe Mujica é um ser humano fantástico, e foi exemplar presidente, forjado durante os anos sombrios da ditadura, e que por conta disso hoje é essa pessoa de vida humilde e simples, como ele mesmo disse. Nós aqui, indignados muitas vezes, bravos e até depressivos por termos que passar alguns dias em nossas casas, deveríamos olhar para seu exemplo. Mujica ficou isolado por mais de dez anos, sem nenhum tipo de regalia como temos hoje. Nesse tempo, ele cresceu e amadureceu para ser o que é até hoje: um humanista e preocupado com o povo.

Tomemos seu exemplo como objetivo e reflexão nesses dias. E que essas mudanças forçadas que temos tomado, nos sirvam de exemplo para que voltemos a ser humanos!

*Por Luiz Fernando Padula / Professor, biólogo, doutor em Etologia, mestre em Ciências, autor do blog ‘Biólogo Socialista’

Infectada por coronavírus, Preta Gil comenta sintomas: ”não sinto cheiro, nem gosto”

/ Saúde

Preta Gil está isolada. Foto: Instagram

Por meio de sua conta pessoal no Instagram, a cantora Preta Gil comentou, nesta segunda-feira (23), os sintomas da Covid-19 – doença causada pelo novo coronavírus. ”Não sinto cheiro, nem gosto de nada”, disse ela, na ferramenta stories. Preta afirmou, contudo, que embora tenha ficado abalada, passou um dia sem postar, mas ”está bem”.

A filha de Gilberto Gil adiantou que, na quarta-feira (25), ao final do período de auto isolamento, deve refazer os exames. Ela disse ainda que hoje começou a sentir o cheiro e o gosto das coisas. ”Não fiquem preocupados, tá tudo bem. Tem horas que é difícil”.

Inscrições para seleção de 380 profissionais de saúde na capital seguem abertas até quarta (25)

/ Bahia

As inscrições para a seleção de 388 profissionais de saúde, em Salvador, incluindo médicos plantonistas, infectologistas, sanitaristas, enfermeiros, e técnicos de enfermagem, foram abertas às 9h desta segunda-feira (23) e seguem até meia noite da quarta-feira (25). O candidato deverá acessar o endereço eletrônico www.redasmscoronavirus012020.salvador.ba.gov.br para efetuar a inscrição, que é gratuita.

É necessário ler as instruções e preencher eletronicamente o formulário. O reforço na equipe de saúde do município é mais uma medida adotada pelo prefeito ACM Neto para enfrentar o coronavírus e foi anunciada após uma reunião com secretariado, realizada no último sábado (21).

A seleção dos candidatos será constituída por uma única etapa, que é a análise da experiência profissional do candidato, de caráter classificatório. O resultado final da seleção será homologado e divulgado no Diário Oficial do Município (DOM), assim como disponibilizado no site da Secretaria Municipal de Gestão (Semge).

A contratação se dará emergencialmente via Regime Especial de Direito Administrativo (Reda) e será feita online, com apresentação na Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O prazo de validade do concurso é de seis meses, contados a partir da data da publicação da homologação no DOM, podendo ser prorrogado uma única vez por igual período.

O contrato de trabalho é por tempo determinado, com período de até 90 dias, podendo ser prorrogado pelo mesmo período. A carga horária varia entre 20 a 40 horas semanais. Vale lembrar que não é permitida a inscrição de candidatos com mais de 60 anos, pessoas com doenças respiratórias, que façam uso de medicamentos imunossupressores, assim como mulheres grávidas.

Coronavírus: Prefeitura de Maracás restringe entrada de veículos e passageiros de outras cidades

Barreiras sanitárias são montadas em Maracás. Foto: Divulgação

A Prefeitura de Maracás, no Vale do Jiquiriçá, publicou um decreto restringindo a entrada de pessoas e veículos em função da pandemia de coronavírus.

Entre as medidas que devem ser adotadas, estão à restrição de entrada de veículos e seus ocupantes, no município, com a realização, por parte da Prefeitura, com apoio da Polícia Militar, de barreiras sanitárias.

Nesta segunda-feira (23), as principais vias de acesso a Maracás já contaram as barreiras, montas pelas secretarias de Saúde e Infraestrutura e monitoradas pela PM.

O decreto 467 tem prazo de 15 dias, podendo ser prorrogado. A Prefeitura diz estar adotando diversas medidas restritivas para a contenção do COVID-19.

Contudo, populares em Maracás fazem questionamentos sobre as atividades da mineradora Largo Resources, proprietária da mina de vanádio no município onde atua com centenas de pessoas.

Uma reunião entre Prefeitura e representantes da empresa estaria prevista para ocorrer na tarde de hoje e discutir normas a serem adotadas. As últimas informações são de que a Largo já reduziu em 30% o número de trabalhadores que atuam na mineradora.

Prefeitura de Jequié realiza blitz de combate ao coronavírus no distrito de Itajuru

/ Jequié

Guarda Municipal faz fiscalização na zona rural. Foto: Divulgação

A Prefeitura de Jequié vem mantendo, por meio de todas as Secretarias municipais, diversas ações de combate ao coronavírus, desde o início da pandemia. Foram publicados dois decretos municipais, o de número 20.347 e o de número 20.349, que estabelecem ações preventivas de saúde e regulamentam o funcionamento de estabelecimentos comerciais, públicos e privados, no período de 15 dias, e foram publicadas, também, algumas portarias, entre elas a GABSES Nº 39, que cria o Núcleo de Ações Estratégicas para o Controle do Coronavírus, e outras que normatizam o fluxo de atendimento de público de departamentos, Secretarias e órgãos da administração municipal. Mas as ações, no sentido de evitar a disseminação da doença, não param.

No sábado (21), a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Governo, por meio da Guarda Municipal, esteve no distrito de Itajuru, para a fiscalização dos estabelecimentos comerciais e igrejas que estariam funcionando, normalmente, em desacordo com o Decreto Municipal 20.349 que suspende, temporariamente, o funcionamento de bares, restaurantes, quiosques, lanchonetes, igrejas, entre outros locais com potencial de aglomeração.