Novos diálogos da Lava Jato mostram que PF registrou depoimento de testemunha que não foi ouvida

/ Polícia

Em diálogo enviado pela defesa do ex-presidente Lula ao STF hoje (22), procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato de Curitiba afirmaram que uma delegada da Polícia Federal lavrou o termo de depoimento de uma testemunha sem que ela tivesse sido ouvida. A informação é da coluna da Mônica Bergamo, no jornal Folha de S. Paulo.

“Como expõe a Erika: ela entendeu que era pedido nosso e lavrou termo de depoimento como se tivesse ouvido o cara, com escrivão e tudo, quando não ouviu nada. DPFs [delegado da polícia federal] são facilmente expostos a problemas administrativos”, afirmou Deltan Dallagnol em uma conversa por mensagens com o procurador Orlando Martello Júnior.

O diálogo faz parte das mensagens interceptadas ilegalmente por um hacker que invadiu os telefones celulares de autoridades. O material foi recolhido pela Operação Spoofing, que investiga a invasão dos aparelhos, e disponibilizado, com autorização do STF, para a defesa do ex-presidente

Os comentários estão fechados.