Mulher assassinada em apart hotel em Salvador era sogra de Flavinho, ex-candidato em Jaguaquara

/ LUTO

Maria Helena Mazzei Pereira, de 67 anos. Foto: Reprodução/TV Bahia

O suspeito de envolvimento na morte da idosa Maria Helena Mazzei Pereira, de 67 anos, em um apart hotel, no bairro de Ondina, em Salvador, na quinta-feira (30), foi autuado por latrocínio após confessar os crimes. A informação foi divulgada pela Polícia Civil da Bahia.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, o homem, de 23 anos, que foi preso na manhã de quinta, no bairro da liberdade, era funcionário de uma imobiliária e há uma semana trabalhava em uma reforma no imóvel da vítima.

A vítima foi identificada como Maria Helena Mazzei Pereira, de 67 anos. De acordo com a Associação Baiana de Advogados Trabalhistas, ela era viúva do ex-juiz do trabalho e advogado Rui Vinhas Pereira e deixou três filhos e seis netos. Entre os filhos está a médica Betânia Mazzei, esposa do produtor de eventos, atual presidente do Conselho Municipal do Carnaval de Salvador e ex-candidato a prefeito de Jaguaquara nas eleições 2020.

Em contato por telefone com o BMFrahm na manhã desta sexta-feira (1º), Flavinho estar abalado com o ocorrido e rechaçou as primeiras informações divulgadas na imprensa baiana de que sua sogra também teria sido vítima de estupro cometido pelo indivíduo. ”Uma pessoa maravilhosa, que deixará muitas saudades para nós. O sepultamento aconteceu num clima muito comovente, pela forma cruel como ela morreu”, lamentou Flavinho. A vítima era também sogra do Manoel Vitório, secretário da Fazenda do Governo da Bahia.

Imagens das câmeras de segurança instaladas no prédio foram recolhidas e devem auxiliar nas investigações. Além disso, o apartamento onde o corpo da idosa foi encontrado passou por perícia. Ela morava no local. O caso foi registrado na 1ª Delegacia de Homicídios, responsável pelas investigações.

O suspeito pelo crime, de 23 anos, foi preso no bairro da Liberdade

O sepultamento de Maria Helena Mazzei Pereira aconteceu na tarde de quinta, no cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana.

Segundo o site G1, durante coletiva de imprensa, a polícia relatou que o suspeito trabalhava como pintor no apartamento, há uma semana. Atuava no 7° andar, mesmo em que a vítima morava, e também no 4°. Ele teria aproveitado o acesso para roubar. A policia investiga porque ele escolheu a vítima.

Os comentários estão fechados.