Moradores de Jequié comemoram inauguração de centro de reabilitação: ”realização de um sonho”

/ Jequié

Centro vai atender pessoas com deficiência. Foto: Diego Vieira

A Fundação José Silveira inaugurou na manhã desta segunda-feira (26), o Centro de Reabilitação Nice Aguiar, na Santa Casa de Jequié. Em parceria com a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), a clínica vai atender pessoas com deficiências, doenças ortopédicas e idosos. Para Catiucia Paz, assistente social da Associação de Deficientes Físicos de Jequié (ADFJ), a inauguração do centro vai diminuir o sofrimento dos pacientes que precisavam se deslocar para a capital baiana em busca do trata talento adequado. ”Nós estamos radiantes, porque Jequié estava gritando por um centro desse porte. A assistência a essas pessoas aqui estava bem precária. Então é com se eles estivessem vendo a luz no fim do túnel e estão abrilhantados de felicidade” ao site Bocão News, contou. Josué Santos, portador de deficiência física, é uma das pessoas que se desloca todos os meses de Jequié para realizar a fisioterapia em Salvador. ”Isso vai trazer um ganho importante para a nossa cidade. Uma vez que nós temos que nos deslocar até Salvador para fazer o tratamento e com esse centro aqui na cidade, isso vai dá uma alavancada, acabando com o sofrimento de pegar horas de estrada até Salvador”, comemorou. Quem também costuma viajar com frequência para a capital em busca de atendimento médico é a dona de casa Daniele Souza. Mãe de uma jovem com paralisia cerebral, ela conta que a inauguração do centro vai modificar a sua rotina diária. ”Vai fazer uma enorme diferença na minha vida e na vida dela também, porque aqui tem tudo que ela precisa. Atualmente, a gente tem que ir até Salvador. É uma viagem muito cansativa e com esse centro aqui em Jequié esse sofrimento vai diminuir ou até mesmo acabar”. De acordo com a Fundação José Silveira, os moradores de Jequié e mais 25 municípios da microrregião terão atendimento com equipe multidisciplinar formada por médico, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, psicólogo, educador físico e assistente social, além de consultas médicas em neurologia, ortopedia, geriatria e oftalmologia. Emocionada, a professora Fábia Neves, mãe do pequeno Arthur, de 3 anos, portador da microcefalia, falou ao BNews que aguarda com ansiedade o início dos atendimentos que serão oferecidos no loca. ”A inauguração desse centro é a realização de um sonho. Infelizmente em Jequié, as condições são precárias no que diz respeito ao atendimento de crianças portadoras de microcefalia. Creio que esse centro vai ser uma bênção na vida de meu filho. Ele vai ter um vida melhor, sem precisar buscar atendimentos em outras cidades”, disse.

Os comentários estão fechados.