Michel Temer extingue Ministérios da Cultura, Mulheres, Igualdade racial e Direitos Humanos

/ Brasília

Temer extingue três ministérios
Michel Temer extingue três ministérios. Foto: Reprodução

No dia em que assumiu a presidência da República, nesta sexta-feira (13/), Michel Temer (PMDB) publicou no Diário Oficial a medida que extingue os Ministérios da Cultura, das Comunicações, das Mulheres, Igualdade racial e Direitos humanos. Além disso, foi extinto a Casa Militar da Presidência da República, Ministério de Desenvolvimento Agrário e Controladoria-Geral da União. Diversos artistas e intelectuais reagiram contra o fim do Ministério da Cultura. Domingos Oliveira, diretor de teatro, dramaturgo e cineasta, por exemplo disse que ”quem não dá importância à cultura, que é a coleção do acervo pessoal da humanidade, sendo também o registro da sua brava passagem pelo planeta maravilhoso que logo se destruirá, é antes de tudo burro. Parece que não há limites para a grosseria e a estupidez dos nossos mandatários”. Wagner Moura também se mostrou contra a medida. ”E como nos momentos de crise a cultura é a primeira que roda, o fim do MinC, sob a ótica do Estado enxuto e sob o entendimento popular de que artistas não passam de vagabundos que mamam nas tetas do Estado, infelizmente, não é uma surpresa. E a tendência é piorar’, falou nas redes sociais. O diretor da Globo, Wolf Maya, lamentou: ”Sinto que o nosso MinC que já ultrapassou a maior idade e que sempre teve uma representatividade importante no processo cultural brasileiro, nosso Ministério que representa e orgulha os criadores de cultura, possa voltar a ser uma Secretaria do MEC. Como tantas Secretarias Estaduais que foram perdendo a importância. É terrível”.

2 comentários para “Michel Temer extingue Ministérios da Cultura, Mulheres, Igualdade racial e Direitos Humanos”

  1. Carlos

    Cara Solange, você parece desinformada quanto à existência de igualdade no Brasil. Mas se procurar resultados de pesquisas, verá que brancos possuem em média mais acesso à escola com qualidade do que não brancos, brancos recebem em média maior salário que não brancos, e brancos têm em média maior expectativa de vida que não-brancos. Portanto, não julgue a parte pelo todo, Políticas públicas que promovam a igualdade racial, a igualdade de gênero e condição afetiva, igualdade de acesso a direitos públicos, para nossa vergonha, ainda é uma necessidade urgente neste país.

  2. Solange Santos

    Se já não há escravidão no Brasil, para que um ministério da Igualdade Racial? Já somos todos iguais. Índios, negros, pardos, brancos, todos vivemos nos melhores bairros das cidades, frequentamos os mesmos consultórios médicos e dentários, compramos nos mesmos shoppings, ganhamos salários parecidos, enfim, somos iguais e não precisamos desse ministério.

Os comentários estão fechados.